12/12/2015

Gilberto Júnior busca recursos para restaurar prédio do Terminal Turístico de Floriano


Fonte: florianonews.com



Terminal Turístico de Floriano(Imagem:FlorianoNews)
Restauração Terminal Turístico
Na manhã da última quinta-feira (10), o Prefeito de Floriano, Gilberto Júnior; o historiador Luís Paulo Lopes, e o arquiteto Nilson Coelho, visitaram o prédio do Terminal Turístico para começar a viabilizar a restauração do local.Um ano depois de ser reconhecido como Patrimônio Nacional e receber o registro de tombamento histórico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o prédio deverá passar por uma restauração e ser reaberto ao público.

O prédio está sem titularidade, ou seja, não existe um responsável legal pela manutenção e é a Prefeitura de Floriano quem administra o lugar atualmente, No local funciona apenas o escritório da Junta Militar, mas em 2016 essa realidade deve mudar.

De acordo com o Prefeito Gilberto Júnior, a ideia é que após a restauração funcione um restaurante de comidas típicas e museu.

“Temos a consciência que este é um dos prédios mais importantes da cidade de Floriano, por conta disso temos a preocupação de reunir toda essa documentação para o mais rápido possível, tendo em vista que fomos motivados pelo próprio IPHAN. E estamos juntos para fazermos este projeto para que o prédio entre em atividade. O projeto contará um restaurante de comidas típicas e museu”, afirmou o gestor municipal.

Uma equipe formada por historiadores, arquiteto e a Prefeitura de Floriano vai elaborar um projeto estrutural com a proposta de uso público do espaço. Esse documento, junto com a titularidade municipal será encaminhado ao IPHAN em Brasília-DF, assim o prédio do Terminal Turístico de Floriano deverá ganhar uma nova funcionalidade. Porém, antes de reabrir as portas para comunidade e turistas, o prédio precisa passar por uma restauração geral. Será a segunda, depois de 20 anos.

“Teremos um cuidado excessivo porque é o primeiro exemplar de arquitetura da cidade, um prédio monumental, pois não havia nada igual ao longo de todo o Rio Parnaíba, uma obra marcante e deve continuar sendo. Houve uma restauração de contenção, para que o prédio não desabasse. Agora, vamos recuperar o piso original e incorporar alguma coisa de modernidade como iluminação e climatizar sem que traga grandes transformações”, explicou o arquiteto Nilson Coelho.

Nenhum comentário: