7/07/2017

RETRATOS


O tempo, poeta, é o teu carvalho; teu porto seguro; de sorte que sobrarão orvalhos em gotas sacras e puras na Corte de teus juros.

Nenhum comentário: