10/29/2009

Chapa conclama concorrentes a lutar por autonomia financeira da UESPI



Um abaixo-assinado proposto pela Chapa 3 – UESPI com Atitude pretende mobilizar toda a Universidade e a sociedade em geral em prol da autonomia financeira da Instituição de Ensino Superior (IES). “Estamos colhendo assinaturas a serem encaminhadas ao Governo do Estado e à Assembleia Legislativa, onde reivindicamos a aprovação de um projeto de lei ou proposta de emenda constitucional que garanta pelo menos 5% da receita líquida estadual para a Universidade”, afirmou Daniel Solon, candidato a vice-reitor pela Chapa 3, ao lado de Elio Ferreira, candidato a reitor. “Temos profundas diferenças com as outras chapas concorrentes, mas podemos atuar com unidade em defesa da autonomia financeira da UESPI.


Neste sentido, conclamamos os demais candidatos a somarem força nessa campanha”, completa.De acordo com Daniel Solon, além de uma nova forma de administrar a UESPI, com planejamento, transparência, democracia de fato e respeito aos movimentos sindical e estudantil na Universidade, é urgente resolver a questão orçamentária da Universidade. “Hoje, os repasses da UESPI chegam a apenas 1,5% da receita do Estado.


No Maranhão, está tramitando projeto de lei que garantirá 5% da receita para a UEMA”, afirmou. “Não dá pra vender ilusões. Os graves problemas de falta de estrutura, poucos livros, equipamentos, terceirizações, não valorização do quadro técnico-administrativo, falta de restaurante universitário, dentre outros, só podem ser resolvidos plenamente com o aumento substancial de verbas para a Universidade. É obrigação do Estado garantir os recursos necessários para o bom funcionamento da UESPI e vamos cobrar isso do governo.


O abaixo-assinado é um passo importante nesse sentido”, disse Solon.“Há quem defenda que a UESPI tenha que buscar recursos de ´outras fontes’ e que uma mudança na lei não poderia acontecer tão cedo, tendo em vista que no próximo ano é de eleições. ‘Outras fontes’ seriam justamente empresas e fundações de ditas de ‘apoio’, que representam na prática a perda da autonomia universitária e a privatização do ensino.


Sobre a tramitação do projeto em 2010, a comunidade universitária não quer saber se é ano eleitoral ou não. Ela quer é justamente ver resolvidos os problemas da Universidade, independente do calendário eleitoral do TRE. Faremos a defesa da autonomia da UESPI independentemente do governo de plantão e do calendário eleitoral”, afirmou Daniel Solon.

Nenhum comentário: