3/07/2007

BAZIM - CRAQUE DO PASSADO



Se chegarmos no bairro Manguinha, reduto de craques do futebol florianense, e procurar por José Ribamar dos Santos, jamais encontrará um dos maiores piolhos de bola; no entanto, se procurarmos o “Basim”, este é mais conhecido que farinha no Ceará.

Esse habilidoso craque de futebol dos anos setenta, foi encontrado no seu trabalho, na UESPI, Campus de Floriano, onde exerce a função de vigilante concursado. É também um profissional de mão cheia na arte de gráfico.
- Basim, fale um pouco de sua família.

- Sou florianense da gema, pois nasci na Manguinha, minha esposa se chama Luiza de Fátima e tenho três filhos ( as ), sendo um rapaz e duas garotas.

- Em quais campinhos você iniciara a arte de jogar futebol?

- Nos campos do “Ferrim” ( hoje o Hospital Regional Tibério Nunes ) e no tradicional campo dos artistas.

- Qual o seu primeiro time?

- O antigo SABBÁ, a sua sede era próximo ao Posto Sabbá.

- Interessante, foi de onde surgiu o nosso representante Cori-sabbá, não é isso?

- Sim, o Cori-sabbá nasceu da fusão dos times SABBÁ E CORINTHIANS de Pompéia.- Como era formado o time SABBÁ?

- Não se assuste com os nomes, por que eram realmente engraçados, senão, vejamos: Chico Cobra Preta no gol ( irmão de Bagana ), Couro Velho, Osman, Euvaldo, mas o lateral esquerdo não me recordo; o meio era formado por Zé Henrique ( irmão de Luis Orlando ), nego bom de bola e Basim formavam o meio de campo; na frente, Tico pela direita, Soleta centro avante, o meia esquerda não me lembro e o dono do time, Noel, pela esquerda.

- Você jogou em outro time?

- Depois fui para o Grêmio de doutor Calistinha e Galdino, era formado por Joaquim José, Zé Ulisses, Pedão, Dias, mas o lateral esquerdo não lembro; no meio, o cracasso Edmar e Mocó, na ponta direita Chico do Campo, Basim, Gonzaga “Preto” e Roberto Holanda.

- Basim, e o gol mais bonito?

- Foi num jogo entre Poeirão e Grêmio, Chico do Campo escapa pela direita e cruza, matei a bola no peito e tasquei uma bicicleta no ângulo, um golaço, o estádio Mário Bezerra, no gol do lado do Estadual, uma pintura.

- Lembra de algum lance no futebol que gostaria de contar?

- Eu sempre fui habilidoso, não fazia muitos gols, mas gostava de dar uns “melas” nos adversários e certo dia, entrei na área, passei até pelo goleiro, fiquei defronte o gol para marcar, mas preferi parar esperar um zagueiro, driblei ele novamente, esperei o goleiro a se agasalhar e marquei. A torcida foi à loucura, pois sabia que de vez em quando gostava de aprontar.
Fonte: www.florianoemdia.com / Na foto acima Basim ao lado do famoso árbitro do futebol florianense - JUVENAL.

Nenhum comentário: