4/21/2017

Parte das empresas de FLORIANO deve funcionar no feriado de 21 de abril

No feriado de 21 de abril, nessa sexta-feira, de acordo com o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio, Antonio José de Sousa, as empresas do entorno do Mercado Central devem abrir suas portas.

euripdehsO acordo é para que os empregados que forem trabalhar ganhem as horas extras em cem por cento sobre a hora normal, mas esse funcionamento somente vale para os supermercados e lojas nas proximidades do Mercado Central Isael Almeida, lembra o sindicalista.

Conegundes Gonçalves de Oliveira, presidente do Sindicato Patronal, que disse que, as demais empresas serão fechadas.

 O acordo,  cita ele, foi na Convenção Coletiva de Trabalho realizado o ano passado.  As empresas devem funcionar até ao meio, mas isso é opcional, enfatiza Oliveira.

Fonte: piauinoticias.com

4/14/2017

Paróquia de São Raimundo Nonato, bairro Irapuá, realiza a Procissão do Fogaréu

O grupo do Terço dos Homens, após ter organizado uma programação para hoje, está convidando todos os membros da Paróquia de São Raimundo Nonato, bairro Irapua I, para participarem da Missa da Santa Ceia.
A celebração está confirmada para as 21:00h. A procissão do fogaréu deve sair da Igreja São João Batista no bairro Taboca.
Os detalhes finais da programação estão sendo agilizados.
saora
Procissão do Fogaréu

A Procissão do Fogaréu é uma tradicional procissão católica realizada anualmente na cidade de Goiás, na madrugada da quinta-feira santa.

A procissão encena a prisão de Jesus Cristo e tem início às 0:00 da quinta-feira santa, com a iluminação pública apagada e ao som de tambores, à porta da Igreja da Boa Morte, na praça principal da cidade. Os penitentes, vestidos em indumentária especial e representando soldados romanos, seguem então para a escadaria da Igreja de N. S. do Rosário, onde encontram a mesa da última ceia já dispersa. Em seguida, avançam na direção da Igreja de São Francisco de Paula, que simboliza o Jardim das Oliveiras, onde se dará a prisão de Cristo. 

Este é representado por um estandarte de linho pintado em duas faces, obra do artista plástico oitocentista Veiga Valle. A indumentária utilizada pelos penitentes caracteriza-se por uma túnica comprida e e por um longo capuz cônico e pontiagudo, guardando fortes semelhanças com as vestimentas que ainda hoje são comuns nas celebrações da semana santa na Espanha. 

Trata-se, com efeito, de um traje de origem medieval, o qual era costumeiramente utilizado por penitentes que assim podiam expiar seus pecados sem ter que revelar publicamente sua identidade.  (Wikipédia, a enciclopédia livre).

Fonte: piauinoticias.com

4/04/2017

Memória do Futbol Florianense


PARA O RESGATE DA MEMÓRIA DA CIDADE

" UMA CIDADE SEM MEMÓRIA É UM POVO SEM HISTÓRIA "

DOS ANOS QUARENTA AOS DIAS ATUAIS:

O FUTEBOL DA CIDADE

GRÊMIO – CAMPEÃO SENSACIONAL

Por – Carlos Augusto ( o Pompéia / in memorian )

Transcrito do JORNAL DE FLORIANO DE 23 A 29 / 12 / 1979

Grêmio e Ferroviário realizaram no último domingo, no estádio Mário Bezerra, uma das partidas mais bem disputadas e emocionantes dos últimos tempos em nosso futebol.

Uma partida que durante toda a semana movimentou todos os desportistas locais, os quais esperavam com muita ansiedade o momento da pugna. Foi grande o número de apostas na cidade, já que Grêmio e Ferroviário possuem, inegavelmente, as duas maiores torcidas da Princesa do Sul.

MOVIMENTO DO PLACAR

Sabendo que o Grêmio se constituía num sério e terrível adversário, a moçada do Ferroviário entrou em campo disposta a decidir o jogo logo nos primeiros minutos, aproveitando-se do melhor entrosamento. Zé Bruno fazia o primeiro gol do encontro, aproveitando-se de uma falha gritante do miolo da zaga gremista, após um escanteio, cruzamento de Dedé e deixada espetacular de Guilherme Júnior. Este gol, logo no início da partida, mexeu com os nervos dos atletas do Grêmio, que partiram direto ao ataque e tentativa do seu gol de empate, faziam desordenadamente e disso o Ferroviário soube tirar proveito, alterando o placar para dois a zero, com mais um gol sensacional de Zé Bruno, desta feita, contando com a com a colaboração do goleiro Arudá ( 1 ).

Com esta vantagem, o Ferroviário achou que já era o dono absoluto da situação e começou a rebolar; enquanto isso, o Grêmio procurava se reencontrar em campo a ponto de chegar ao seu primeiro gol aos trinta e sete minutos, por intermédio de Edmar, num lindo gol, sem a menor chance de defesa para o goleiro Marquinhos, que por sinal, voltou a ser o melhor homem em campo.

Era o começo da reação gremista; no entanto, o Ferroviário ainda voltaria a marcar, num gol surpreendente e de muita sorte de Guilherme Júnior, que tentou pegar a bola de primeira e essa resvalou, pegando no lado externo da perna direita, deslocando inteiramente o goleiro Arudá. Eram quarenta e quatro minutos e o primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Ferroviário por três tentos a um.

Na segunda etapa o Grêmio voltou mais estruturado. Sabendo que só a vitória lhe interessava e, como Gonzaga e Aroldo não estavam bem na partida, o treinador os substituiu por Luiz Cláudio e Zé Ligeiro, fazendo entrar mais tarde Joaquim José ( 5 ) em lugar de Arudá e Geremias ( 6 ) no lugar de Gilete.

Com isso o Grêmio ficou mais agressivo e o Ferrim começou a perder terreno dentro do campo. Com muita inteligência, Galdino colocou Ribinha ( 7 ) mais a frente e recuou Luiz Cláudio para o meio de campo e foi exatamente Ribinha que se constituiu na figura do jogo, marcando dois gols no tempo normal. O primeiro aos treze minutos e o do empate aos quarenta e três.

VITÓRIA NA PRORROGAÇÃO

De acordo com o regulamento da competição, os dois quadros partiram para a decisão numa prorrogação de trinta minutos. A essas alturas o Ferroviário se mostrava um time totalmente acabado fisicamente. Somente Zé Bruno ( 8 ) lutava bravamente lá na frente, mas não conseguia furar o bloqueio da defesa gremista.

Mas estava escrito que Ribinha seria o pré – destinado a dar o título de campeão do turno ao Grêmio e, aos doze minutos da segunda fase da prorrogação, ele viria a marcar aquele que seria o gol do título e do desespero da torcida do Ferroviário.

Os jogadores Chagas Velho e Herbrand foram expulsos pelo árbitro da partida Gildavan Sales.

JUIZ, QUADROS E RENDA

O juiz do encontro foi o senhor Gildavan Sales, tendo realizado uma excelente arbitragem, comprovando que é, realmente, um senhor árbitro de futebol. Seus auxiliares foram o fotógrafo José Maria de Souza e o taxista Washington Macedo ( 9 ), todos com bom trabalho.

Os quadros formaram da seguinte maneira:

GRÊMIO – Arudá ( Joaquim José ), Edvar, Pedrão ( 10 ), Zuega ( 11 ) e Gilete ( Geremias ); Edmar, Fábio ( 12 ) e Ribinha; Aroldo ( Zé Ligeiro ) ( 13 ), Gonzaga ( Luiz Cláudio ) e Chagas Velho.

FERROVIÁRIO – Marquinhos ( 14 ), Geraldo ( Chiquinho ), Jerumenha ( 15 ), Café e Carlos Alberto ( 16 ), Amaral, Herbrand e Guilherme Júnior ( 17 ); Mineiro, Zé Bruno e Dedé ( Carlinhos Meota ).

A renda do espetáculo foi apenas de R$ 2.405 cruzeiros.

NOTAS EXPLICATIVAS COMPLEMENTARES

ARUDÁ, neto do senhor do mesmo nome, comerciante e político da cidade, filho do saudoso Bucar, grande desportista, organizador de vários times em Floriano, como o famoso Palmeiras, Bonsucesso e que como o filho, era goleiro que no “ seu dia “, tornava-se invulnerável. Graças a interferência dele, junto a seu pai, o senhor Arudá que, como grande amigo do senhor Mário Bezerra, chefe do DNOCS aqui, conseguiu, com o mesmo, o uso de um trator na terraplanagem do terreno de onde surgiu o estádio que leva o seu nome.

GUILHERME JÚNIOR, filho de Guilherme Ramalho, que apareceu como uma grande promessa e a medida que o tempo passava foi declinando junto com a decadência dos clubes da época. Ele também era bom no futebol de salão, onde seu pai se apresentava muito bem como goleiro.

ZÉ VILMAR, irmão de Marquinhos, Paulinho e Carlinhos Meota, todos filhos do senhor Nelson Oliveira.

GEREMIAS, sempre como salvador da pátria durante o tempo em que jogou.

RIBINHA, jogador de fôlego excepcional e muito veloz.

ZÉ BRUNO, embora não fosse um jogador altamente técnico, era muito valente e por isso marcava muitos gols.

WASHINGTON, o taxista do Posto Floriano, sempre colaborava com o futebol, mesmo porque morava próximo ao estádio.

PEDRÃO, bom zagueiro e que participou, também, de vários torneios intermunicipais, morreu deixando saudades.

ZUEGA, grande craque, que com a fragilidade do nosso futebol, procurou novo rumo e se estabeleceu em Teresina, no Flamengo, onde tornou-se astro de primeira grandeza e onde encerrou sua carreira.

FÁBIO, irmão do Jerumenha, do Ferroviário, filhos de Emanuel Fonseca, grande craque do passado, defendendo o Ríver Atlético Clube.

CARLOS ALBERTO, valente lateral esquerdo, filho do senhor Honorato Padeiro.

Ainda na mesma edição do JORNAL DE FLORIANO ( de 23 a 29 / 12 / 1979 ), o competente Carlos Augusto, o Pompéia ( falecido ano retrasado ), nos informava:

“ Está confirmada para o dia 28 de dezembro próximo, no estádio Mário Bezerra, a festa dos velhinhos da bola. Os desportistas florianenses vão ter a oportunidade de rever em campo ex – atletas que no passado deram muitas alegrias ao nosso torcedor, dentre eles se destacaram: Parnaibano, Antonio Luiz Bolo Doce ( já falecido ), Antonio Guarda e Bagana ( a dupla que arrochava e jogava duros ), Poncion ( falecido recentemente ), Chapéu, Nouzinho ( também já falecido ), Beto, Neco, Babau, Pompéia e João Carlos além de outros craques da bola. Será uma tarde inteira de atrações no Mário Bezerra e contará com a presença da Banda de Música do 3º Batalhão da Polícia Militar e da Escola de Samba Mangueira “.

RETRATOS

DONA MUNDIQUINHA

Pesquisa e texto: Mª Umbelina Marçal Gadêlha

Raimunda de Matos Drumond (Mundiquinha) nasceu em Balsas-MA, filha de Presilino de Araujo Matos e Petronilha Barros de Matos.

Iniciou-se no magistério, profissão que assumiu como vocação e que a ela se ajustou como a luva se ajusta à mão. A escola tornou-se o espaço privilegiado da sua participação na vida e na história.

Casada com Honorato Drumond, transferiu-se para Floriano e a cidade passou a contar com ela como professora do Grupo Escolar “Odorico Castelo Branco”, professora e diretora da Escola Normal Regional, atual Escola Normal Mons. “Lindolfo Uchoa” e, mesmo depois de aposentada do magistério público, foi catequista e dedicou preciosos momento à preparação de crianças para a primeira comunhão eucarística.

Sua residência era ponto de encontro para decisões importantes da caminhada de Floriano, em atividades relacionadas com religião, arte e cultura. Foi membro da Academia de Letras e Belas-Artes de Floriano e Médio Parnaíba – ALBEARTES, o que muito a tornou feliz.

Da sua união matrimonial nasceram os filhos: Maria do Carmo, Antonio Henrique e Maria Genuína que lhe deram os netos: Dulce Virginia, Honorato Sergio, Carlos Henrique Maria Genuína, Sérgia Beatriz. Daniela, Gustavo Henrique Cosme, Paulo Roberto, Geraldo júnior, Antonio Helder e Ricardo.

Com desvelo de mãe e professora, acolheu os filhos do 1º casamento de Honorato: Alberto, Almerinda e Ceicinha.

Foi agraciada com o título de cidadã florianense o que a encheu de muita satisfação e alegria.

Recebeu também a medalha do mérito "Agrônomo Parentes" e outras homenagens ao longo de sua vida.

Tinha o santo orgulho de ser Ministra da Santa Eucaristia. E durante 80 anos foi zeladora do Apostolado da Oração, assumindo em Floriano a função de secretária por 40 anos.

Sócia fundadora da Pia União de Santo Antonio. Pertenceu a outras associações religiosas e enquanto pôde trabalhou pela Igreja de São Pedro de Alcântara.

Toda sua família era muito religiosa. Irmã do padre Luso Matos , que residiu em Goiás, mais precisamente em Porto Nacional (atual Estado do Tocantins).

Mundiquinha, faleceu no dia 19 de outubro de 2006, com 96 anos de plena lucidez. Teve uma morte santa, digna da vida de verdadeira cristã que sempre teve.

3/28/2017

RETRATOS

Rua São Pedro nos anos de 1960

As nossas referências arquitetônicas, com o tempo, vão se perdendo sua base histórica no contexto das gestões políticas e sociais, tendo em vista que não há uma vigilância na sua bestrutura e conservação.

Se olharmos para um passado pouco distante, observamos a característica dos nossos casarões (foto acima), a sua beleza e conservação.

Atualmente, especula-se, e muito, a questão imobiliária, o dinheiro e não se observa a qualidade da avaliação desses nossos valores históricos.

Lamentavelmente, se não adotarmos medidas urgentes, cabíveis logo, logo veremos nossa arquitetura sem rumo, mas de uma nocividade ululante no contexto de padrões modernos. numa mistura sem sentido e de uma visão épica indescritível.

3/24/2017

Energia do Estádio Tiberão está cortada desde novembro de 2016

O Estádio Tiberão em Floriano-PI, principal praça de esportes do município, está sem um diretor e as consequencias negativas que são muitas, como por exemplo, o gramado sem condições de jogo, estão recaindo sobre os organizadores do Campeonato Florianense de Futebol e ainda sobre a direção do Corisabbá, que vem realizando os treinos da equipe visando o Campeonato Piauiense de Futebol Sub 19, competição que dá direito a participação na Copa São Paulo de Futebol Junior, no Centro de Treinamento dos Atletas do Futuro em Barão de Grajaú -MA. 
tiberao

No final do terceiro mês da nova gestão o Estádio Tibério Barbosa Nunes (Tiberão) está ainda com a energia cortada, fato que ocorreu em novembro passado, gestão Gilberto Júnior


Em 2016, uma das competições de futebol que se realiza todos os anos em FLO não ocorreu devido aos problemas existentes e hoje, quase cinco  meses depois da suspensão de energia, o problema continua e isso está prejudicando o início do Campeonato Florianense de Futebol de 2017.


Os desportistas locais, tanto os membros da direção da Liga Florianense de Futebol, quanto os presidentes dos times, aguardam a boa vontade dos gestores municipais no sentido de que parte dos problemas seja resolvido.

A Elineuza Ramos que está Secretária de Cultura, Esporte e Lazer da  Prefeitura florianense, gestão Joel Rodrigues,  afirmou ao piauinoticias, sem gravar entrevista, que tem conhecimento dos problemas e que até já visitou o local, mas não falou em quanto tempo o Estádio estará com parte dos problemas sanados e pronto para a prática do futebol. 

Fonte: piauinoticias.com

3/21/2017

RETRATOS

Time da AABB da década de 60

O Aldênio Nunes foi quem nos presenteou essa raríssima foto do contexto romântico do nosso futebol de salão da distante década dos anos de 1960.

Havia uma certa harmonia, uma efervescente empatia para com as nossas atividades sócioculturais e desportivas, de forma que a comunidade dava cobertura a essa prática para o bem da comunidade local.

O time da AABB à época se consolidava dentro das quadras do Comércio Esporte Clube, ganhando praticamente todas as taças.

Esse tempo passou e, atualmente, a situação anda bastante crítica com relação ao incentivo ao nosso desporto. Há casos isolados, particulares mas que não rendem muito a favor da comunidade.

Precisamos buscar gestores competentes e que tenham vocação para trabalhar com atletas vocacionados para mudar a triste realidade que hoje vive a cidade de Floriano.

Quem tomará essa iniciativa?

Conheça o elenco convidado da Paixão de Cristo 2017 em Floriano


Fonte: florianonews.com

Um dos maiores eventos religiosos acontece anualmente em Floriano, no Piauí, desde 1996. Com participação de 350 atores, a apresentação da Paixão de Cristo chega a sua 22ª edição com a participação dos atores Nivea Maria (Maria, mãe de Jesus), Anderson di Rizzi (Pilatos), Carolina Kasting (Herodias) e Werner Schunemann (Caifás).


Realizado no 
Teatro Cidade Cenográfica, o espetáculo conta com 20 cenas, sistema de som e luz profissionais, em um espaço de 45 mil metros quadrados construídos especialmente para a encenação. Além de cenários específicos, o Teatro Cidade Cenográfica é cercado por uma muralha de sete metros - uma Jerusalém em meio ao sertão nordestino.

A encenação tem início no Batismo de Jesus, avança pela Tentação, Sermão da Montanha e Milagres, retratando de modo fiel a vida pública do maior homem que veio ao Mundo. 

No segundo ato os imperadores, governadores e demais lideres religiosos da época conspiram contra aquele que veio trazer a luz ao mundo, implantar o Reino de Deus na Terra, segundo os livros dos quatros evangelistas encontrados no Novo Testamento, para então culminar com sua morte e ressurreição.

A produção do 
evento esteve recentemente com os atores convidados no Rio de Janeiro quando realizaram a gravação das vozes de cada personagem, uma vez que as cenas serão dubladas; sessão fotográfica com atores caracterizados e gravação de VT para comerciais.

O evento acontece dias 14 e 15 de abril, às 20h, no Teatro Cidade Cenográfica, e é uma realização do Grupo Escândalo Legalizado Teatro em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura do Piauí, Governo do Estado do Piauí, patrocínio das empresas: Drogarias Globo, Credshop, Grupo Ferronorte, Grupo Carvalho, Armazém Paraíba, Grupo R. Damásio, São Jorge Supermercado e a Prefeitura Municipal de Floriano. 

3/16/2017

RETRATOS DE FLORIANO

BAR CARNAÚBA

Por bastante tempo vínhamos tentando localizar uma fotografia, um retrato, uma imagem do nosso antigo Bar Carnáuba, que funcionou na praça doutor Sebastião Martins durante aquela efervescência dos anos sessenta e setenta e dentro do contexto lírico dos nossos carnavais de outrora.

O nosso amigo Aldênio Nunes nos presenteia essa bela recordação (foto acima) tirada do fundo do baú para relembrarmos os bons tempos.

Além do Aldênio, podemos observar o Pauliran, Mário Anselmo, Mifler, Humberto Moreira, o Arnaldo Pé de Pão e o Zé de Tila  tocando um violão no interior do Bar Carnaúba por volta de 1968.


3/11/2017

Secretária fala sobre providências adotadas no Terminal Turístico de Floriano

Abandono no Terminal Turístico
A redação do portal jc24horas recebeu várias denúncias sobre o estado de abandono em que se encontra o Terminal Turístico Beira Rio, em Floriano. Nossa reportagem esteve no local constatou o estado deplorável do prédio que é tombado pelo patrimônio histórico nacional, tentou entrar em contato com a Secretária de Cultura Professora Elineusa Ramos e através de um integrante de sua assessoria tivemos a informação de que a responsabilidade do prédio é do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) mas que a secretária já entrou em contato fazendo inclusive fotografias do local para que as providências cabíveis sejam adotadas.

A Secretária de Cultura de Floriano Professora Elineusa Ramos informou ao portal que na próxima semana estará em Teresina para uma audiência com o Secretário Fábio Novo para tratar de diversos assuntos dente eles a questão do Terminal Turístico Beira Rio, que é responsabilidade da secretaria de Desenvolvimento Econômico, que tem a frente o Dr. Antonio de Pádua Kalume, mas movida de sensibilidade ela tomou para si a situação e desde que assumiu a pasta, fez fotos mostrando o abandono que estava aquele patrimônio deixado pela administração anterior.

Em comunicado, Elineusa Ramos informa ainda que a gestão anterior cedeu por um período o espaço para a Junta de Serviço Militar e após receber de volta não executou nenhum serviço o que resultou no estado deplorável, fato este que foi denunciado pela nossa entrevistada com fotos e textos explicativos.

Elineusa recebeu do Prefeito Joel Rodrigues um pedido que desse prioridade às providências cabíveis, mas segundo ela, tudo depende do IPHAN, pois o prédio passa por processo de tombamento e os trâmites legais devem ser respeitados. "Enfim o governo municipal através da secretaria de cultura ja está com um trabalho de recuperação sendo encaminhado", finalizou Elineusa Ramos em seu comunicado.

Fonte: florianonews.com

Desassoreamento das margens do Rio Parnaíba dá vida ao Cais de Floriano

Antes
Uma ação da Prefeitura Municipal de Floriano, através da Secretaria de Infraestrutura, deu uma nova visão a quem frequenta o Cais da Beira-Rio. Na semana passada, um trabalho de desassoreamento das margens do Rio Parnaíba foi realizado, no trecho que compreende o Restaurante Flutuante.


Depois

Devido ao assoreamento, o rio passou a acumular lixo, entulho e outros detritos em sua margem. A vegetação cresceu e se misturou aos sedimentos e, atualmente, estava servindo como pasto para alguns animais. Este acúmulo de resíduos impedia que a água chegasse até a margem, diminuindo o seu volume.

Uma medida emergencial para corrigir o problema está na manutenção do rio, através do processo de desassoreamento. Pensando em melhorar o aspecto, aumentar a vazão e dar vida ao Parnaíba, a administração municipal deu início ao trabalho, utilizando, para isso, uma máquina escavadeira.

Durante três dias o trabalho foi intenso e ao final, cerca de 20 carradas de lixo, entulho e mato que estavam degradando às margens do rio foram retiradas.

“Esse foi um pedido do prefeito, para que tivéssemos um olhar especial para este local que estava praticamente abandonado pelo poder público. Todo trabalho de retirada do lixo do fundo do rio foi feito e assim conseguimos dar um novo aspecto ao cais do porto”, destacou o secretário de Infraestrutura, Marconny Allison.

O cenário que antes era de matagal e lixo foi substituído por uma paisagem mais limpa e agradável ao olhos, contribuindo para manutenção do patrimônio histórico e preservação do meio ambiente.

Fonte: florianonews.com

3/10/2017

Por problemas técnicos, Rádio Difusora de Floriano está fora do ar

Difusora de Floriano AM 1510, uma das principais rádios de Floriano, “sumiu” do dial AM do município. A emissora, que está entre as estações de rádio mais potentes do sul do estado, enfrenta problemas em seu sistema de transmissão, tendo a sua operação interrompida desde a última sexta-feira (3). 
Imagem: FlorianoNewsClique para ampliarPor problemas técnicos, Rádio Difusora de Floriano está fora do ar.(Imagem:FlorianoNews)

informação sobre os problemas no transmissor da Difusora AM foi dada pela própria equipe da rádio em resposta aos questionamentos dos ouvintes, feitos através do telefone e internet.

O diretor comercial, Raimundo Pae Reis, explica que o transmissor precisou ser levado na segunda-feira (6), para a capital piauiense, para ser consertado e desde então a mais importante emissora de rádio AM existente em Floriano está fora do ar.

Ainda segundo o diretor comercial, a causa da pane no equipamento aconteceu após uma forte descarga elétrica, causada por um raio que atingiu a torre responsável pela transmissão do sinal da emissora, na noite de quinta-feira (2).

No ar desde 1959, a Rádio Difusora está entre as maiores coberturas em AM da região, com uma intensidade de sinal considerável em Floriano e cidades vizinhas. Como já divulgado, brevemente a emissora estará migrando do serviço de rádio fusão sonora em onda média (AM) para o serviço de rádio fusão sonora em frequência modulada (FM). Esse fato, entretanto, independe desse problema na transmissão.

A previsão é que a Rádio Difusora de Floriano volte a alegrar os ouvintes nesse próximo sábado, dia 11 de março.

Fonte: florianonews.com

3/07/2017

HISTÓRIAS DO NOSSO FUTEBOL


O JOGO MAIS IMPORTANTE DE ZECA ZINIDÔ*


Dentro do contexto lírico de nosso futebol, Zeca Zinidor ( que certa vez fora comprado por uma carteira de cigarro da marca minister pelo Flamengo de Tiberinho ), narra com precisão e muita saudade um de seus jogos mais importantes dos quais participou, quando jogava pelo Botafogo de Gusto, na trajetória dos torneios amadores da Princesa.


”Dois detalhes: o primeiro, o Fluminense jogava pelo empate e começou ganhando de 1 a 0; e o segundo, é que eu estava com um problema no pé direito e não podia jogar, fiquei em casa, não ia agüentar ver o jogo do lado de fora, num jogo de decisão, jogo duro e logo no primeiro tempo, o Fluminense ganhando; foi aí que João Batista Araújo de Vicente Roque, torcedor fanático de nosso time, tomara a iniciativa de ir lá em casa me pegar, mesmo doente.

Cheguei no campo, ajeitaram meu pé, colocaram mastruz com um pano enrolado e disseram: “ Zeca, fica dentro de campo, se der certo, tudo bem, mas só a sua presença já amedronta “.

Dito e feito, rapaz, como eu adorava jogar, consegui incendiar o jogo, mudei completamente o panorama da partida, um espetáculo, fico até arrepiado em lembrar, o sangue foi esquentando, o pé já não doía tanto; cara, com pouco mais de 15 minutos, consegui empatar, de pé esquerdo, a torcida endiabrada ( no Campo dos Artistas dava mais público do que hoje no Tiberão ).

Taboqueiro fez um lançamento de trivela, rasante, ( quando eu me lembro, dá vontade de sair correndo ), bicho, eu dominei o pneu ( bola ) e eu tinha um sesto de ficar sassaricando com a bola, dava um currupio, era um espetáculo à parte, o zagueiro ficava doido e a torcida mais ainda, é como se estivesse ouvindo o grito da galera.

Zeca Zinidô, por onde anda?
E essa bagaceira toda foi aos 30 minutos do segundo tempo, passei pelo zagueiro, e na entrada da grande área a bola foi pro pé direito, nem lembrei do pé machucado, embrulhei, paáááááááááááááááááááááááááá´, golaço, aiaiaiai, golaço, aiaiai!, loucura, eu pulava e a torcida pensando que era só de alegria, também, mas era mais dor, rapaz, conseguimos virar o jogo, só escutava a zuada e a voz do Batista de Vicente Roque, pense numa zoeira, quando o jogo terminou, foi uma loucura, ganhei muitos presentes!

Até hoje Batista foba com esse gol. Interessante: no Campo dos Artistas, cada jogador tinha uma espécie de fã clube, 30 a 40 torcedores, chegavam ao ponto de, por exemplo, se o torcedor do Botafogo do Gusto fosse pro campo e chegando por lá não visse o jogador que ele admirava e não fosse jogar, ele automaticamente ia embora!

* Segundo Ubaldo, esse apelido de Zeca quem botou foi o nosso primo Djalma Borges de Melo (filho mais velho de Mestre Walter).

3/03/2017

RETRATOS

OS MALANDRINHOS

(Na foto ao lado, observamos os Malandrinhos Zé Geraldo (filho de Geraldo Teles), Aldênio Nunes, Jorge Carcamano, Arnaldo Pé de Pão, Pedro Demes e, na frente, em pé, Pedro Attem, comandando a moçada).

Os Malandrinhos déc. de 60

Dentro do contexto romântico de nosso carnaval, o famoso bloco OS MALANDROS participou, efetivamente, de duas fases importantes, a primeira, quando foi fundado, na década de 40, pelos foliões Rolo Ferreira, Zé Ferreira ( ambos filho de seu Vicente Roque ), Daniel Bicudo ( filho de seu Zé Leonias e irmão de Budin e Lulu ) e Rafael.

A segunda fase, em 1961, em Brasília, os florianenses, apaixonados pelo carnaval da Princesa, decidiram, que quando retornassem a Floriano, reativariam o bloco. O que realmente aconteceu. Os baluartes dessa brilhante idéia, foram os malandristas Clóvis Ramos ( estandarte e líder do grupo ), Chico Perna Santa, Colega, Jamil, João Alfredo, Lisboa ( piston ), Antonio José “Boquinha” e Pedro Atem.

Curiosidade:

no ano de 1963, esse famoso bloco deixaria de sair com o nome "OS MALANDROS" e desfilara numa única vez como bloco OS DOMINÓS. Isso aconteceu por causa da morte de um dos integrantes mais famoso do blcoco - Defala Atem.

FIGURANTES:

Eleonora Demes, Nadja Demes, Sara Demes ( estas, irmãs de Mussa Demes e Alcides Del Bueno ), Nice Lurdes, Aldenora ( irmã de Genison ), Maria Mazuad ( irmã de Issa, Brahin e Gaze Mazuad ), Maricildes Costa ( eterna Miss Piauí – Filha de Alcides Costa, músico e Tabelião ).

COMPONENTES DO BLOCO:

Clóvis Ramos ( estandarte e líder do grupo ), Pedro Atem, Chico Perna Santa, Colega, João Alfredo, Lisboa ( piston ), Antonio José “Boquinha”, Alcides “Del Bueno”, Jamil Zarur, Assis, Miflin, Mário Anselmo, Ratin Pintor, João Batista, Pompéia, José Soares da Pernambucana, Brahin, Bernadino Feitosa ( Seu Dino ), Parnaibano, Poncion, Lisboa do Piston, Aldênio Nunes, Caçula, Pauliran da Costa e Silva, Arnaldo Pé de Pão, Joaquim Portela, Engrácio Neto, Netinho, Maria Roxa, Herbrant ( Mano, filho de doutor Herbrant ), Luis Paraibano, Zé Geraldo Teles, Neguinho Sapateiro, Jorge Adala Lobo, Pedro de Alcântara, Estevão, Argeu Ramos.

MÚSICA ( enredo ) DOS MALANDROS:

NÓS SOMOS OS MALANDROS


COMPOSIÇÃO:

Alcides “Del Bueno” e Pedro Humberto Demes ( irmão de Mussa Demes ).

EVOLUÇÃO E MARCAÇÃO PARA NÃO PERDER O RITMO!


Alcides “Del Bueno” ( Tarol ), Parnaibano ( Tarol ), Engrácio Neto ( tarol ), Adauto Perna de Gato ( surdo ), Chico Perna Santa ( surdo ) e Assis ( Surdo ).

ENCONTROS DE GIGANTES:


No final da tarde, o desfile dos blocos na avenida Getúlio Vargas e praça doutor Sebastião Martins, no centro de Floriano.
Um momento de rara beleza! O encontro dos blocos Os Malandros, Os Piratas e Os Foliões na altura dos bares: São Pedro, Sertã, Churrascaria Carnaúba. Uma delícia! Inesquecível!


Aldenio Nunes disse:
O meu instrumento {maracá}, por recomendação do João Alfredo, era vazio, "pru mode" não atravessar o rítimo. 


Pedro Humberto disse:
Durante o desfile do bloco eu toca-
va um violão que ninguem ouvia, de-
vido ao barulho. Valeu a pena relem-
brar, que saudade!

Pedro Demes

Colaboração:

Alcides “Del Bueno” Clóvis Ramos e Joaquim Portela, todos participantes do bloco Os Malandros.
Pesquisa: César de Antonio Sobrinho

Fonte: 
www.florianoemdia.com

3/02/2017

REFORMA DO FLORIANO CLUBE

Atenção amigos florianenses e todos que adotaram Floriano como sua terra, foi dada a largada para a tão sonhada reforma do FLORIANO CLUBE no inicio do mês de janeiro, como mostra a foto abaixo. 

A FUNDAÇÃO FLORIANO CLUBE, num gesto de ousadia mas contando com a colaboração de todos, iniciou a obra, orçada em 500.000,00, com apenas R$ 38.000,00 oriundos da vendas dos livros da COLEÇÃO FLORIANENSES. T

odos nós somos partícipes desse sonho, para tal basta fazer sua doação. 
Reforma em andamento


Conta para depósito: FUNDAÇÃO FLORIANO CLUBE


Cnpj: 0001-04. BANCO DO BRASIL Ag.0096-5.Conta.45.638-1

Estabelecemos para as contribuições, o seguinte quadro:


Diamante.........2.0000,00 Prata......500,00
Platina............. 1.500,00 Bronze... 200,00
Ouro................ 1.000,00 Doação livre para qualquer valor.


Pleiteamos, também, junto a Sec. de Cultura do Estado Piauí, na pessoa do seu Secretário Dep. Fábio Novo que se mostrou sensível a nossa causa prometendo uma substancial doação. 


Participando, você ajuda a resgatar nosso Clube e parte da História Cultural da nossa cidade.Antecipadamente agradece;


Luis Paulo de Oliveira Lopes - Presidente, Teodoro Ferreira Sobral - Dir. Financeiro, Rosenilta Maria de Carvalho Attem - Presidente do Conselho Consultivo, Cristovão Augusto Augusto Araujo Costa -
coordenador do Projeto Memória de Floriano e Djalma Nunes -Diretor Administrativo.

2/25/2017

Sem bloco Furacão, Carnaval em Floriano aposta em 'arrastões'

Carnaval de Floriano 2017
Um dos mais tradicionais e atrativos carnavais do Piauí, o da cidade de Floriano, vai acontecer com várias mudanças neste ano de 2017. Entre as novidades está a realização de mais um “arrastão” na terça-feira de carnaval, além dos dois tradicionais realizados no sábado e na segunda-feira. Além disso, a folia de momo desta edição não vai contar com o Bloco Furacão.

O tema do carnaval para a Festa de Momo 2017 é “É carnaval, é Floriano! Na Rua e no Coração!”. A escolha de Rei e Rainha do Carnaval acontecerá durante o tradicional “Zé Pereira”. A festa acontece de 24 a 28 de fevereiro e a expectativa de público e de 30 mil pessoas.

Neste ano, o percurso dos arrastões não vai ocorrer da Avenida Beira-Rio e retorno à Avenida Getúlio Vargas. O evento volta para a tradicional saída da antiga rodoviária de Floriano. “Tomamos a decisão de voltar à festa para o Corredor da Folia, que é um desejo antigo da maioria dos florianenses. Então decidimos retornar com o mesmo percurso do tempo em que instituímos o ‘arrastão’ de Floriano”, disse o prefeito Joel Rodrigues.

Sobre as escolas e blocos de samba, Joel Rodrigues anunciou que este ano não será possível destinar recursos para esta finalidade. “Nós estamos buscando novas parcerias para realizar o carnaval de Floriano e não temos um prazo suficiente para conseguir os recursos e ainda fazer esses repasses, já que só temos pouco mais de vinte dias para o carnaval. Seria difícil nesse curto espaço de tempo equipar todas as escolas e blocos de samba para desfilarem este ano”, afirmou Joel.

Durante a entrevista o prefeito Joel Rodrigues também anunciou que será estudada, junto a Polícia Militar e ao Ministério Público, a possibilidade de inovar o carnaval de Floriano, com a realização de um “arrastão dos paredões” no domingo, na Avenida Getúlio Vargas. (Fonte: G1)

2/14/2017

RETRATOS

Esse jornalista e Rafael
Fizemos no último domingo uma visita de cortesia ao nosso amigo Rafael Ribeiro Gonçalves em sua honrosa residência, onde fizemos uma viagem ao tempo.

Relembramos dos tempos de uma boa Floriano, apesar de que a cidade passa por um processo de desenvolvimento sistemático e produtivo, mas que precisa-se  constatar que os nossos gestores têm que buscar os investimentos mais plausíveis para alavancar o progresso de Floriano.

Falamos de futebol, carnaval, sociedade, amigos e um monte de temas que nos fizeram rir e chorar. Rafael Ribeiro Gonçalves foi um dos baluartes na condução do desenvolvimento do desporto local nos anos de 1960 e 1970.

Diversos craques passaram pela sua orientação no período romântico do futeol de salão e no futebol de poeira, como Jolimar, Cleber, Mocóm Zuega e tantos outros atletas do passado que justificaram a sua passagem nessa fase áurea de nossos eventos esportivos.

Esperamos que os nossos novos líderes façam renovar essa filosofia pregada em nosso tempo para soerguer novos talentos.

2/10/2017

Escola Municipal Marcos Santos Parente realiza matrículas na modalidade EJA

Fonte: florianonews.com

A Secretaria Municipal de Educação de Floriano, através da Escola Municipal Marcos Santos Parente, situada na BR-343, no bairro Meladão, 
anunciou na última quarta-feira (8), que se encontra com matrículas abertas modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) da 1ª à 4ª etapa.
Escola Municipal Marcos Santos Parente


As matrículas serão realizadas neste mês de fevereiro durante o dia. No período de 08 a 10/02 haverá plantão para matrículas também no turno da noite.

Os estudantes interessados deverão procurar a secretaria da unidade de ensino munidos dos documentos pessoais e histórico escolar.


2/06/2017

MELHORIAS DO FLORIANO CLUBE

Reforma Floriano Clube
Amigos, segundo nos informa Teodoro Sobral, "a parede da frente (lateral esquerda), que foi demolida devido à seu estado precario (estava toda rachada e podendo cair a qualquer momento, principalmente devido o período invernoso atual), já está levantada, inclusive com pilares e viga de sustentação . Vai agora ser iniciado o reboco".

A Fundação Floriano clube está se empenhando para fazer essas melhorias, dentro de um prazo razoável, no sentido de cumprir o projeto de recuperação total do Clube.

Parceiras estão sendo desenvolvidas para melhor cumprir todas as etapas.

1/31/2017

RETRATOS

ESCOLA NORMAL

 


ESCOLA NORMAL

Por: Seu Nelson Oliveira

1929 foi um ano excepcional para educação em Floriano. Além do Grupo Escolar Agrônomo Parentes, foi fundado o Liceu Municipal Florianense, e, anexo a ele, a Escola Normal Municipal de Floriano. Estabelecimentos que a cidade deve a uma plêiade (grupo) de homens de escol (nata, fina flor) entre os quais Dr. Osvaldo da Costa e Silva, Dr. Theodoro Ferreira Sobral, Dr. José Messias Cavalcante, com o apoio do deputado estadual, Dr. José Pires de Lima Rebelo.

A época caracterizava-se por um extremo elitismo na educação que se traduzia principalmente no excesso de cautelas e exigências com que as autoridades procuravam cercar a instalação de escolas. E o LICEU não pôde ter vida longa. Em 1932, após frustração e desastres, como bem expressa o Dr. Osvaldo da Costa e Silva, em uma entrevista concedida a revista “ZODÍACO” dos alunos do Ginásio Demóstenes Avelino de Teresina, encerrou suas atividades.

O pretexto para o fechamento compulsório foi à deficiência do gabinete de física e química. Esse gabinete deficiente para os técnicos do Ministério da Educação e Saúde eu conheci.

Ocupava toda uma sala. E comparando-se com os laboratórios dos estabelecimentos de hoje, que os possuem, era sem dúvida riquíssimo.
Mas fechado o LICEU, a Escola Normal continuou. E foi por muitos anos o único estabelecimento de ensino pós primário com que puderam contar os jovens florianenses que desejavam continuar seus estudos e não tinham recursos para estudar fora.
ESCOLA NORMAL DE FLORIANO – 1937

1ª Fila sentados (Esquerda para a Direita): João Francisco Dantas (Professor), Alzira Coelho Marques (Professora), Fernando Marques (Professor), Não recordo o nome, Antonio Veras De Holanda (Fiscal do Governo), Hercilia Barros Camargo (Diretora), João Rodrigues Vieira (Professor), Ricardina (Professora), Albino Leão da Fonseca (Professor),Emid Vieira da Rocha (Secretária);

2ª Fila: Ana Magalhães Gomes (Inspetora de Alunos), Américo de Castro Matos, José Vilarinho Messias, Djalma Silva (como aluno), Não recordo o nome, Ida Frejat, Maria do Carmo Alves, Adaíla Carnib, Zuleica Santana, Aldenora da Silva Correia, Horácio Vieira Rocha, Antonio Alves da Rocha, Jose de Araujo Costa, Nely Paiva (Inspetora de Alunos);

3ª Fila: Maria Adélia Waquim, Clarice Fonseca, Iete Freitas, Não recordo o nome, Hilda Carvalho, Maria Amelia Martins, Lenir de Araujo Costa, Zizi Neiva, Maria do Carmo Castelo, Assibe Bucar, Dayse Sobral, Francisca, Lucinda Vilarinho Messias;

4ª Fila: Não recordo o nome, Maria da Penha Sá, Não recordo o nome, Maria Constancia de Freitas, Não recordo o nome, Não recordo o nome, Maria Henriqueta Franco, Judith Martins, Maria do Carmo Ramos,, Maria Miranda, Zélia Martins de Araujo Costa, Maria Lilita Vieira, Nilza Araújo, Antonieta Martins, Ecléia Frejat. - Acervo do Profº Djalma Silva).

Escola voltada para a formação de professores primários, isolada, sem qualquer vínculo com o curso superior ou mesmo com o curso secundário. Quem a cursasse e no decorrer do curso pretendesse passar para uma escola secundária a única que dava acesso ao curso superior, tinha de fazer exame de admissão e entrar na primeira série.

Alem disso, escola incompleta. Dos 5 anos que constituiu o curso normal propriamente dito, ministrava as 3 primeiras séries, devendo aqueles que quisessem diplomar-se, ir para Teresina.

Cursei a Escola Normal Municipal de Floriano de 1934 a 1937, e a ela sumamente grato por me ter possibilitado continuar meus estudos há dois anos interrompidos por falta de recursos para ir estudar em outras praças, e por ter me proporcionado o encontro com uma profissão que tem sido a razão de ser da minha vida.

Primeiro fazia-se um curso propedêutico (preliminar) de dois anos, anexos a escola – o Curso de Adaptação. Este curso eu a fiz de 1934 para 1935, minha classe era mais menos numerosa. A maioria mulheres. Entre colegas recordo-me: Maria da Costa Ramos (1), Judith Martins, Zuleide Santana, Hildinê Silva, Helena Reis, Assibe Bucar (2), Amália Nunes (3), Maria Lilita Vieira, Maria da Penha Sá, Olavo Freitas, Heli Rodrigues, Horácio Vieira da Rocha, Américo de Castro Matos, Milton Chaves (4), Raimundo Noleto e Joaquim Lustosa (5).

Na vigilância estava Dona Carmosina Batista, muito dedicada mas fiel cumpridora das ordens emanadas da direção da Escola. Nos intervalos das aulas os alunos tendiam conversar descontraidamente. Dona Carmosina Batista, bradava: - Silêncio! E se alguém se excedia nas atitudes ela ameaçava!

- vou dar parte ao diretor!

E dava mesmo. E o denunciado podia, conforme a falta, pegar uma simples repreensão ou logo uma suspensão.

Eu, não obstante pacato, fui denunciado duas vezes. Na primeira o diretor me repreendeu e advertiu:

- Não faça outra.

Mas acabei fazendo. Em acordo com Olavo Melo e Milton Chaves. Não me lembro o que fizemos.

Sei que não foi coisa grave. Porém como éramos reincidentes ou já tínhamos sido repreendidos, pegamos 3 dias úteis de suspensão.
Dos professores que recordo: Dr. Manoel Sobral Neto (6) também diretor, que lecionava francês; Dr. Rodrigues Vieira, que lecionava Geografia; Alceu do Amarante Brandão, que lecionava português; Dalva Nascimento que lecionava aritmética e parece-me que ciência.

O curso de Adaptação era previsto para dois anos. No fim do primeiro foi nos facultado aproveitar o período de férias para fazer as disciplinas do segundo ano. De sorte que em 1935 os aprovados puderam matricular-se no 1º ano do curso normal.

NOTAS IMPORTANTES:

1. Filha do Sr. Ramos da Farmácia Sobral;
2. Irmã do Sr. Arudá Bucar;
3. Funcionária dos Correios parenta do Senador Helvídio Nunes, de Picos;
4. Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, irmão da Dona Nazinha, esposa do Sr. José Cronemberger dos Reis e consequentemente tio de Antonio Reis Neto, Airton Arrais Cronemberger, Antonio José e Paulo;
5. Deputado Federal pelo Piauí, esposo em segunda núpcias, da Doutora Afonsina Nogueira;
6. Fundador do Instituto Santa Teresinha que depois passou denominar-se Ginásio Santa Teresinha, e também seu diretor por mais de 40 anos.

Transcrito do Jornal de Floriano Edição nº 324 de 1985

Pesquisa: César de Antonio Sobrinho.

Fotos: A rquivos Prof. Djalma Silva - 1929

1/27/2017

RETRATOS


Estávamos, ansiosos, cumprindo um roteiro matinal por entre as matas e as florestas da Princesa. Ainda havia um tempo em que a nossa vegetação nos proporcionava grandes alegrias.

A Taboca, Vereda Grande, Irapuá e Meladão, por aí ainda havia muitas belezas e florestas naturais e o canto dos pássaros; hoje, apenas, escutamos os carros de som insuportavelmente transgredindo a harmonia de nossa música.

Precisamos, a um tempo curto, revitalizar as nossas matas e o canto do passarinhedo. Precisamos voltar a tomar banho de chuva e invadir as bicas. Não podemos mais suportar o novo consumo que instalou-se de repente de forma descultural.

Precisamos, enfim, buscar os velhos carnavais e as marchinhas que nos causavam grandes emoções.

1/25/2017

Projeto discute revitalização do Cais do Porto de Floriano

Revitalização Cais do Porto
Joel Rodrigues discute projeto de revitalização do Cais do Porto, de Floriano
O prefeito Joel Rodrigues recebeu em seu gabinete, na manhã desta terça-feira (24), uma equipe de técnicos da Secretaria de Estado de Cultura do Piauí, entre eles arquitetos, paisagistas e designers. Também participaram do encontro o Secretário de Governo Fábio Cruz, Secretário de Infraestrutura Marcony Allisson e Secretária de Cultura, Esporte e Lazer, Elineuza Ramos. 

A reunião teve como finalidade discutir a elaboração de um projeto de recuperação e revitalização do Cais de Floriano, um dos maiores pontos turísticos no Piauí. Ao final do encontro, foi acertada a realização de um levantamento sobre o patrimônio material do Cais do Porto, para que em seguida possam ser tomadas as diretrizes para refoma e ampliação da área.

“Essa primeira visita serviu para reavaliarmos esse projeto para em seguida elaborarmos as melhores técnicas de revitalização, preservando toda a estrutura história, para que possamos oferecer aos florianenses mais opções de lazer e cultura na nossa cidade”, comentou a Secretária de Cultura de Floriano, Elineuza Ramos.

O projeto será desenvolvido pela Prefeitura de Floriano, em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura do Piauí.


SECOM