10/31/2016

RETRATOS

Comércio Esporte Clube

Esse é o time do Comércio Esporte Clube, em 1952, quando disputava uma jornada esportiva aqui na vizinha cidade de São João dos Patos.
O resultado daquele saudoso encontro, não deu outra, o time do Comércio venceu a partida por dois tentos a um.
Segundo o nosso amigo Fenelon Brasileiro, que trabalhava como cooedenador da equipe, à epoca, o Comércio viajou num caminhão, viagem difícil, mas cheia de resenhas e belas aventuras.
Na foto, podemos destacar e equipe da esquerca para a diretira, em pé, o goleiro Quincas, depois o lateral Tarquinho, os zagueiros Balduíno, Daniel Bicudo, Djalma Macedo e o lateral Rolé.
Agachados, o dirigente Feneleon Brasileiro, o ponteiro direito Adalto, os atacantes Colega, Defala Attem, Babaçu e baixinho Nilton Camarço.
O futebol da Princesa do Sul, naquela época, dava show de bola e havia companheirismo, dedicação e vontade sempre de vencer as adversidades que o esporte proporcionava àqueles guerreiros.

10/29/2016

RETRATOS

Escola Normal

Vista parcial da Escola Normal, onde muitos jovens florianenses e de outros lugares tiveram passagens de grande importância educacional em suas vidas. Essa escola pública de certa forma contribuiu e ainda dissemina cultura para a comunidade local.

Do nosso tempo, nos anos setenta, lembramos de nossas professoras Maria do Carmo Drumond Martins, dona Lourdinha, Emerenciana Bucar e dona Janete, que souberam demonstrar carinho, paciência e desenvoltura na arte de ensinar.

Na hora do recreio, era aquela balbúrdia, um corre–corre danado e se você aprontasse ia logo para a diretoria ou pegava uma banca de estudo. Era uma loucura; e ainda tinha o campo do artista, onde a negrada muitas vezes gazeava aula para jogar futebol de poeira. Era suspensão na hora.

Foto: Agamenon Pedrosa

10/27/2016

Projeto FLORART 2016

Florart - 2016
O Projeto FLORART, vem nos surpreendendo sempre, desta feita com uma boa programação para o dia 28 de outubro na rua Padre Reis, 950.

Segundo o Curador do Projeto, o nosso amigo José Paraguassu, a "intenção nossa e lançar os nossos novos talentos na música, cultura e poesia, onde estamos proporcionando oportunidades para valorizar a nossa região".

Estamos com a expectativa de encerrar o ano com novas atrações e, para o próximo ano, garimpar novos talentos e oferecer canjas de artistas locais aqui já consagrados, como Jusmária Duarte, Manoel Filh, Henrique Felizberto e outros.

10/25/2016

HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA

Palmeiras de Bucar
AMOR À VIDA
(Chico Kangury)
É DO SEU ZÉ LEONIAS - CHAPÉU "SAVIOUR"! 


CHICOLÉ de Floriano ( grande craque e piolho de bola, o ponteiro esquerdo da foto quando jogou no Palmeiras de Bucar ) era quem dizia prá gente - “Vocês sabem muito bem como fui criado, o meu pai foi muito rígido na criação dos filhos; lá em casa, tinha dia, que quando ele estava zangado, o único amigo que entrava lá e conseguia sair comigo pra jogar ChicoKangury de Jerumenha. 



Mamãe gostava muito dele e o seu pai, seu Vicente Kangury era um dos amigos confidencial do meu pai, e o outro era o senhor Antonio Segundo, grande enfermeiro, que ajudava até a operar gente no Hospital. Pois bem, aconteceu de ter um jogo importante em Jerumenha. O papai em casa estava zangado, eu teria que ir escondido e voltar no mesmo dia. O Deoclecinho possuía uma caminhoneta e sempre era o encarregado de ir buscar-me e deixar em Floriano, quando acontecia este impedimento. 



Distancia de Jerumenha para Floriano, 10 léguas e meia ( 67 km ). O Jogo naquela época começava às três e meia da tarde, porque era para terminar ainda com a claridade do dia.

A estrada era piçarrada e Deoclecinho gostava de pisar no acelerador, que se a gente olhasse pro lado via as arvores curvadas. Saímos de Floriano depois do almoço, só a mamãe sabia disso. Ao terminar o jogo, o Deoclecinho foi apanhar-me no campo e já chegou com o seu Zé Leonias de carona pra Floriano. 
Ao sairmos de Jerumenha, uma senhora grávida, com dores de parto, pediu carona também, mas como a caminhoneta era de cabine simples, educadamente desci e dei o meu lugar para a senhora, mas o seu Zé Leonias disse, com toda a calma do mundo - “não, meu filho, não se preocupe, você está cansado, que eu vou na carroceria, pode deixar”. 
Eu ainda ponderei, mas ele não aceitou e subiu na carroceria da caminhoneta. E o nosso amigo Deoclecinho saiu rasgando, só fiz o sinal da cruz e pronto. O que se ouvia era só o gemido da mulher e a preocupação do motorista para que ela não parisse na beira da estrada. 
Quando estávamos passando no Papa – Pombo, já próximo de Floriano, o seu Zé Leonias de repente bateu na cabine pedindo parada. O Deoclecinho parou o veículo e perguntou o que foi, ele desceu e, calmamente, disse: "meu filho, o meu chapéu caiu lá atrás e eu vou voltar para procurar, pois é muito familiar, não se preocupe comigo, podem ir embora com a mulher, que chego em Floriano. Ai entramos num acordo, eu ficava com o seu Zé Leonias e Deoclecinho ia levar a mulher no hospital e voltava pra buscar a gente. 
Quando ele saiu na camioneta, o seu Leonias disse pra mim: "meu filho, eu tenho amor à minha vida, o chapéu não caiu, não, eu mesmo joguei fora para ele poder parar e eu descer; olhe, meu filho, Deus me livre de andar mais com um homem desses. 
Pegamos o chapéu e uma carona em um caminhão e, antes de chegarmos em Floriano, cruzamos com Deoclecinho, que já ia retornando para Jerumenha. 


O senhor José Leonias era muito tranqüilo, gente boa, esposo da dona Joana, pai do Tadeu, Neno, Maria José, Budim, Daniel, Mario e muitos outros. Amigo do senhor Vicente Kangury, Antonio Sobrinho, Antonio Segundo, Chico Amorim e do meu pai Lourival Xavier. 



Moral da resenha: cheguei em Floriano ainda com o tempo de justificar a demora.

10/24/2016

FLORIANO, TERESINA, Bom Jesus, Oeiras e Pedro II: Festivais valorizam e ajudam a cultura piauiense



lusofono
Festivais de Cultura

De Norte a Sul do Piauí, o fazer cultural característico do povo piauiense é apresentado de diversas formas. Seja na música, dança, teatro ou até nas misturas dessas manifestações culturais é que se encontra a nossa identidade. Em festivais que ultrapassam a capital Teresina, a cultura é preservada por meio do fomento de diferentes tipos de arte e apresentações pelo estado, como ocorre também em Floriano, Oeiras, Pedro II e Bom Jesus.


Além dos festivais que já estão no calendário anual de atividades, como o Encontro Nacional de Folguedos, outros eventos também são realizados pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), como incentivo a essas manifestações.  No mês de maio, o 13º Festival de Inverno de Pedro II além de trazer artistas de renome nacional, também reuniu grandes artistas locais e levou também para as praças da cidade, vertentes do jazz e do blues, pilares do evento.

O Festival de Teatro Lusófono (Festluso) este ano, também levou espetáculos teatrais para o interior do estado. Floriano, Oeiras e Piripiri receberam espetáculos de seis países de língua portuguesa. O Festluso promove tanto o teatro local, como o intercâmbio com artistas de outros países, possibilitando ao público o acesso às apresentações de qualidade e totalmente gratuitas.

O Encontro Nacional de Folguedos completou 40 anos em 2016 e como é realizado todos os anos, teve como principal característica incentivar e difundir a cultura popular, principalmente a tradição do bumba-meu-boi. O evento também movimentou o comércio do artesanato piauiense e a economia local.

Em Bom Jesus, o som rústico da rabeca se misturou com a zabumba, o triângulo e até com o ritmo do cavalo-marinho, tradicional na região da mata pernambucana, durante o 9º Festival de Rabecas, realizado em setembro.  Grandes nomes da cultura popular e jovens estudantes da cidade passaram pelo evento que mantém viva a tradição da rabeca e também impulsiona o fazer cultural em Bom Jesus.

“Todos os festivais são possíveis, também, porque nós interiorizamos a cultura preservando o patrimônio cultural e histórico e inaugurando escolas de música, teatro e dança. Os festivais fomentam e celebram a cultura que ainda está presente em todo o Piauí”, conta o secretário de Estado da Cultura, Fábio Novo.

Os festivais de cultura também servem como porta de entrada para jovens artistas. Por meio de oficinas permanentes e cursos de diferentes áreas, os eventos proporcionam visibilidade e incentivo aos artistas que estão iniciando. Em Oeiras, crianças têm aula de bandolins no Centro Cultural Major Selemérico, que foi totalmente recuperado no início do ano, e se apresentam na Semana Cultural do município. Em Floriano, são ministradas oficinas de teatro e iluminação cênica no Espaço Cultural Maria Bonita. A cidade recebe em novembro o Festival Nacional de Teatro. Os jovens dançarinos da Escola de Dança Lenir Argento, em Teresina, também viajam o estado se apresentando nestes festivais.

A consolidação de grandes festivais de cultura é uma das melhores formas de incentivar os artistas piauienses e o povo que tem acesso às suas próprias raízes. Aliado à preservação do patrimônio artístico-cultural, os eventos beneficiam desde crianças até os mestres fazedores de cultura, que repassam conhecimento às novas gerações.

govpi

Centenas de fiéis católicos se reúnem na última noite do festejo de São Pedro de Alcântara


Fonte: piauinoticias.com
No final da tarde dessa quarta-feira, feriado em Floriano-PI por conta do Padroeiro São Pedro de Alcântara, centenas de fiéis católicos saíram em procissão por algumas das ruas e avenidas do centro da cidade, devido à última noite do Festejo que foi iniciado dia 10.
 DSC02817

Houve uma procissão que teve o padre Ivan Mendes, coordenador Diocesano, a frente e estavam em sua companhia outros padres e colaboradores da Igreja que acompanhava o ato religioso, mas o foco da procissão era a imagem do homenageado São Pedro de Alcântara.

DSC02820
“Essa caminhada é importante, pois marca o encerramento de um período que nós tivemos em festa e por um personagem que é muito importante na nossa vida cristã que é o São Pedro de Alcântara”, disse o padre Ivan.


A banda de música da cidade acompanhou a procissão. “o festejo foi bom, pois não foram grandes as expectativas, mas tivemos uma participação bastante efetiva e ativa daquelas que pessoas que de fato fazem parte da nossa Paróquia”, disse o líder religioso.

 DSC02813

No final do festejo do padroeiro de Floriano-PI foi realizada uma celebração no pátio interno da Igreja Matriz de São Pedro de Alcântara que esteve lotada de fiéis que carregaram a imagem até o altar.

10/23/2016

Cori-Sabbá realiza peneira para as categorias de base

  Fonte: florianonews.com
 
-Cori-Sabbá realiza peneira para as categorias de base.(Imagem:FlorianoNews)
Peneira do Cori-Sabbá

A diretoria de base da Associação Atlética Cori-Sabbá realizou, na manhã deste sábado (22), uma peneira para as equipes sub 15, sub 17 e sub 19. As avaliações aconteceram no Estádio Tibério Barbosa Nunes, no bairro Tiberão, onde cerca de 100 adolescentes compareceram para os testes.


A primeira peneira realizada pela nova diretoria do Alvinegro foi comandada pelo técnico Vanin, que vê nos garotos um grande potencial para o futebol e defende a profissionalização dos mesmos.

“A gente tem que continuar batalhando e dando esperança para essa garotada”,
disse Vanin.

Depois do trabalho de hoje, serão escolhidos 60 jogadores entre as categorias sub 15 a sub 19 para começar o treinamento da base, previsto para ter início nesta próxima semana.


10/21/2016

Confirmada a 8ª edição do FLORART. O encontro será na sexta-feira, 28


PDFImprimirE-mail
Fonte: piauinoticias.com
A 8ª edição do Floriano Arte – Florart-, projeto idealizado por um trio de amigos já tem data marcada para ocorrer. 

guassu
Paragusssu (Curador do Projeto)


O projeto visa apresentar os artistas florianenses nas mais diversas modalidades de artes, com o foco voltado para a música, poesias, repentes, pinturas em telas, artesãos e outras.

Hoje cedo o José Paraguassu que é um dos idealizadores do FLORART visitou o piauinoticias para falar dessa nova edição.

 Ele disse que na sexta, 28 de outubro, um grupo de pessoas estará se apresentando numa das casas de cultura local, entidade que vem sendo presidida pelo escritor e poeta Brunos dos Santos.

“Vamos reunir alguns dos artistas locais nessa oitava edição e estaremos nos apresentando a convite do seu Bruno, na Academia de Letras e Belas Artes de Floriano – ALBEARTES”, disse Paraguassu.

O também artista José Paraguassú disse mais, que as apresentações devem durar cerca de duas, pois inúmeros números estarão sendo apresentados. Os outros idealizadores do FLORART são: Cícero da Silva, da Banda Romã com Mel e Chico Mário, hoje morando fora de Floriano.

RETRATOS - Aniversário de seu Nelson Oliveira e Silva

Segunda feira próxima, dia 24 de outubro, quem estará aniversariando é o seu Nelson Oliveira e Silva, ainda vivo, com seus quase noventa anos, desportista florianense e fundador do Ferroviário Atlético Clube junto com outros grandes amigos, como clovis Ramos, Adalto, Milton das Casas da Roupas, Merval Lúcio e Deusdete Macarrão.
Nelson Oliveira (goleiro)


Seu Nelson sempre esteve a frente de seu tempo, não ficava parado, tinha programas no rádio local, trabalhou nas Casas Inglesas e tinha loja no ramo de vendas de peças de veículos.

Seus filhos, quase todos foram craques de bola, como Paulinho, Meota, Geovane, o goleiro Marquinhos (que jogou no River) e fizeram história no futebol amador de Floriano

Seu Nelson e Amigos
O Time do Ferroviário Atlético Clube (foto) dos anos cinquenta, era um timaço, quando havia uma certa empatia dos dirigentes com o esporte local no período romântico.

Nelson Oliveira, o arqueiro do Ferrim, à época, comandava a zaga daquele timaço. Epopéia lírica do esporte da Princesa do Sul, que os anos não trazem mais.

No momento, precisamos reverter o quadro negativo que abate o nosso futebol. Os dirigentes precisam unir as forças para revitalisar o nosso esporte.

Talvez uma cooperativa, ou até vontade própria, alguma iniciativa que possam fazer a diferença. O que não se pode mais admitir são os micos que estamos pagando no contexto atual.

Parabéns, seu NELSON! Saúde, Felicidades e muitos anos de VIDA!

Católicos do Bairro São Borja em FLORIANO celebram São Judas Tadeu


Fonte: piauinoticias.com
Os moradores do bairro São Borja em Floriano-PI, os que são membros da Igreja Católica, iniciaram hoje, 20, com um café da manhã as festividades do padroeiro da comunidade que é São Judas Tadeu.

nilfracio
O Dia de São Judas Tadeu é comemorado anualmente em 28 de outubro.

Esta data é celebrada pela comunidade católica, em homenagem ao chamado "Santo das causas impossíveis". São Judas Tadeu, de acordo com passagem bíblica, foi um dos discípulos de Jesus Cristo.

Normalmente, no Dia de São Judas Tadeu os fiéis fazem romarias e novenas em homenagem ao santo, considerado um dos mais venerados entre os brasileiros católicos.

História de São Judas Tadeu
São Judas Tadeu nasceu na atual Palestina e foi um dos doze discípulos de Jesus Cristo, sendo também considerado o seu primo.

Após a morte e ressurreição de Cristo, São Judas Tadeu se encarregou de pregar o Evangelho na Judeia, Samaria, Mesopotâmia e na Pérsia, onde foi martirizado e condenado a morte e agredido à pauladas e machadadas por fiéis pagãos da deusa Diana.

A data da sua celebração é uma homenagem ao dia de sua morte, em 28 de outubro de 70 d.C.

Na festa de inicio que vem sendo realizando no pequeno templo no bairro são Borja estava nesta manhã dezenas de pessoas, eu após um momento de orações, se deliciaram com sucos, bolos, salgados e ainda muitas frutas.

Oração de São Judas Tadeu
"Senhor Jesus, Tu escolheste São Judas entre os teus Apóstolos e fizeste dele, para o nosso tempo, o Apóstolo das causas desesperadas. Agradeço-Te por todos os benefícios que me concedeste por sua intercessão e peço-Te que me concedas a Tua graça nesta vida para que possa participar um dia, na Tua glória, na alegria eterna. Amém."

"Oh São Judas Tadeu, recordo-vos a felicidade que sentistes quando o bom Mestre vos ensinou, a vós e aos outros Apóstolos, a oração do Pai Nosso. Por essa alegria, peço-vos que me obtenhais a graça de ser, até o fim, um fiel discípulo do Salvador. (rezar um Pai Nosso)".

Diocese de Floriano sedia encontro sobre Fundo Produtivo Solidário


Fonte: florianonews.com


Com o objetivo de avaliar o Fundo Produtivo Solidário nos últimos dois anos, especialmente na Diocese de Floriano, a Cáritas Brasileira realizou na manhã desta quinta-feira (20), um encontro com representantes de grupos de economia popular solidária.

O encontro, realizado no Centro Pastoral Dom Edilberto Dinkelborg, contou com a presença de membros da Diocese de São Raimundo Nonato e da Diocese de Floriano.


Diocese de Floriano sedia encontro sobre Fundo Produtivo Solidário.(Imagem:FlorianoNews)
Fundo Produtivo Solidário
De acordo com o Assessor Técnico da Cáritas Diocesana de Floriano, Sebastião Remir, no encontro foram avaliadas as demandas apresentadas e as metas já alcançadas com o projeto de hortas comunitárias, entre outras iniciativas, na região.

“Houve a avaliação dos grupos de Fundo Produtivo Solidário, que é justamente esse trabalho que a Cáritas faz de animação de hortas comunitárias aqui no município de Floriano. Esse trabalho tem o apoio da Cáritas Brasileira - Regional Piauí, fortalecendo essas iniciativas da produção de alimentos”,
declarou.

Os Fundos Produtivos Solidários são fundos destinados ao apoio a projetos associativos e comunitários de produção de bens e serviços e das necessidades básicas dos grupos envolvidos. Por meio deles investem-se recursos monetários ou não monetários na comunidade, através de apoio a projetos, podendo ser devolutivos ou não, e quando exige a devolução, os prazos de reembolsos são mais flexíveis e mais adaptados às condições das famílias.

10/20/2016

RETRATOS

Flutuante na década de 1970

Essa turma aí curtia suas férias na década de 1970, quando a resenha era importante na brisa quente do Cais do Porto.

Reconhecemos o Eloneide, Mocó, Fefê, Roberto Holanda, Paínho, Agamenon e outros "mucurebas", como dizia o professor Abdoral Alves do Nascimento.

Época romântica, que os anos não trazem mais.


Apenas quatro dos 14 vereadores de FLORIANO comparecem para sessão


Fonte: florianonews.com


Como sempre ocorre em final de Legislatura em Floriano a maioria dos vereadores não comparecem para as sessões Legislativas, principalmente os que não conseguem se reeleger durante o período eleitoral.
camaravazia
Sessão Vazia
Nessa noite de terça-feira, 18, os parlamentares florianenses teriam que se reunir, mas somente quatro dos 14 vereadores compareceram, ou seja, não ouve quorum.

Estavam para a sessão ordinária os vereadores Carlos Antonio que está presidente do poder, Mauricio Bezerra, Manoel Simplício e a única mulher vereadora dessa legislatura a parlamentar que foi reeleita Maria da Guia.

 Quorum

Quantidade mínima obrigatória de membros, de um casa Legislativa ou outro poder, presentes ou formalmente representados, para que uma assembleia possa deliberar e tomar decisões válidas.


10/18/2016

RETRATOS

Que time seria esse?

Nosso amigo Selvu, grande jogador de bola do passado romântico de nosso futebol, nos surpreendeu e nos presenteou esse time aí (foto), nos anos de 1960.

O Zé Paraiba, Manoel Antonio de Cirilão, Parnaibano, Boi Búfalo, Pedrinho Taboqueiro e Antonio José fazendo a espinha dorsal dessa antiga jornada esportiva realizada no estádio Mário Bezerra.

À época, o nosso futebol vivia um momento lírico, épico e destinado ao bem comum.

Floriano se prepara para o 11º Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões


No período de 16 a 20 de novembro de 2016 a cidade de Floriano receberá a 11ª edição do Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões.

Neste período serão exibidos mais de 60 filmes, nas categorias curta-metragem documentário, ficção e animação e longa-metragem ficção e documentário.

De acordo com o diretor do Grupo ESCALET, César Crispim, durante o evento serão oferecidas oficinas, palestra, debates e painéis com produtores, diretores e atores.

“Ao todo teremos mais de 60 filmes, além de cursos na área de roteiro, cursos para atores, e muitas outras atividades”, declarou.


Após as exibições será realizado o 9° Piauí Mix, que apresenta este ano shows de música, dança e teatro, garantindo muita diversão para os mais animados.

O 11º Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões é um projeto produzido pela ESCALET Produções Cinematográficas e conta com apoio do Governo do Estado do Piauí, através da Secretaria de Estado de Cultura.

Fonte: florianonews.com

10/16/2016

Cavalgada e missa abrem o Dia do Vaqueiro nos festejos de São Pedro de Alcântara


Cavalgada e missa abrem o Dia do Vaqueiro nos festejos de São Pedro de Alcântara.(Imagem:FlorianoNews)



 Fonte: florianonews.com

Aconteceu, na manhã deste domingo (16), a tradicional Missa do Vaqueiro, dentro da programação dos festejos de São Pedro de Alcântara, padroeiro da cidade de Floriano.

A cavalgada teve início na Praça da Amizade, situada no bairro Cancela, seguindo pelas principais Avenidas da cidade em direção à Catedral São Pedro de Alcântara, onde a vaqueirama participou da missa matinal, unindo a tradição e a fé através da oração.



Após a celebração eucarística, ministrada pelo Padre Ivan Mendes, os organizadores ofereceram um café da manhã aos vaqueiros na Praça Dr. Sebastião Martins, em frente a Catedral. Na ocasião aconteceram ainda apresentações culturais.

Segundo a organização da Missa do Vaqueiro, que segue uma tradição de mais de dez anos, anualmente ela recebe mais adeptos, em uma demonstração de que a fé das pessoas cresce cada vez mais.

Os festejos de São Pedro de Alcântara prosseguem até o dia 19 de outubro, com procissão seguida de missa solene em honra ao padroeiro da cidade.

10/13/2016

Vaqueiros protestam contra proibição da vaquejada em Floriano

Carlos Bucar - Pres. ACRIMEP


Fonte: florianonews.com

Vaqueiros, trabalhadores de vaquejada e simpatizantes protestaram, nesta terça-feira (11), em Floriano, contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a proibição da atividade em todo o país. 

O protesto começou por volta das 8h00, na Avenida Senador Dirceu Arcoverde, seguindo em cavalgada pela Avenida Eurípedes Aguiar, Avenida Bucar Neto, finalizando no bairro Cancela.

De acordo com o presidente da Associação dos Criadores do Médio Parnaíba (Acrimep), Carlos Bucar, assim como ocorre em outras regiões do país, os vaqueiros não concordam com a decisão do STF. Eles pedem que o congresso aprove uma emenda constitucional que regulamente a vaquejada e que torne a prática como patrimônio imaterial da cultura brasileira.

“Até agora tem-se notícias na televisão que o STF proibiu as vaquejadas no Brasil inteiro, mas parece que a coisa não é bem assim, está precisando ainda regularizar e enquanto isso nós estamos fazendo uma manifestação nacional. A Acrimep participou, os vaqueiros participaram e foi muito boa essa iniciativa pacífica”, declarou Carlos Bucar. 


A vaquejada é uma tradição cultural nordestina na qual um boi é solto em uma pista e dois vaqueiros montados a cavalo tentam derrubá-lo pela cauda.

Decisão do STF

Por 6 votos a 5, os ministros consideraram que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente. Com a decisão o STF derrubou uma lei do Ceará que regulamentava a vaquejada.

Apesar de se referir ao Ceará, a decisão servirá de referência para todo o país, sujeitando os organizadores a punição por crime ambiental de maus tratos a animais.

10/10/2016

Festejos do Padroeiro de Floriano 2016

Abertura Festejos Padroeiro

Fonte: piauinoticias.com
Nesse domingo, 09, foi dado início com um café da manhã as festividades em homenagem ao padroeiro de Floriano, São Pedro de Alcântara, que tem o templo em sua homenagem no centro da cidade.
O café da manha após um momento de orações foi na Praça Dr. Sebastião Martins, pátio externo da Igreja.
É um momento importante para nós da Igreja Católica, pois se trata de um evento que se realiza uma vez por ano, por isso, quero convidar a todos para participação nas ações do Festejo que terá o encerramento dia 19, disse a dona Conceição Martins, uma das organizadoras do evento cultural religioso.
A imagem de São Pedro de Alcântara que todos os anos é levada para a comunidade Manga, zona rural de Floriano, foi transferida de volta à Matriz no final da tarde de ontem quando um grande número de fiéis estava no Cais da Beira rio para receber e seguir em procissão com imagem até a Igreja de São Pedro.

O deputado estadual e prefeito eleito de Floriano, liderança progressista Joel Rodrigues, esteve participando de momento com assessores e correligionários. 

Morre a genitora do advogado Astrobaldo, dona Socorro Costa

Astrobaldo e dona Socorro Costa
Veio a falecer nessa madrugada de segunda-feira em Teresina, capital do Piauí, a senhora Maria do Socorro Ferreira Costa que é a mãe advogado Astrobaldo Costa (foto).


A informação foi repassada ao piauinoticias pelo próprio advogado Astrobaldo que como os demais familiares estão consternados. 

Cori-Sabbá começa na segunda a preparação para sua primeira Copinha

  Fonte: florianonews.com

O Cori-Sabbá, da cidade Floriano, é um dos representantes da Copa São Paulo de Futebol Jr e tem data marcada para começar os seus trabalhos. A garotada começa a ralar pra valer no próximo dia 10 de outubro. Cerca de 15 jogadores, oriundos das cidades de Floriano, Oeiras, São Raimundo Nonato e Barão de Grajaú do Maranhão estarão treinando juntos até a data da viagem para São Paulo. Lá os jogadores se unirão ao grupo da Escolinha Talentos 10, de Bauru, com quem o clube tem uma parceria.

Os treinamentos do Cori-Sabbá estarão divididos entre as cidades de Floriano e Oeiras, realizando também amistosos com times amadores da região. A pré-temporada será de 30 dias, em seguida os atletas embarcam para Bauru. Os treinamentos no Piauí serão comandados pelo supervisor Paulinho e o ex-atacante e técnico da equipe no Piauiense, Marciano.

A ideia inicia era manter o elenco do estadual e levar o time caseiro para disputar a competição em São Paulo. No entanto, os limites financeiros não permitiram ao Cori a possibilidade de arcar com todas as despesas que isto traria.

- Infelizmente a crise está atingindo todo o nosso país, no futebol isso não é diferente. Não temos nenhuma condição de montar uma equipe completa para ir até São Paulo, o jeito foi fazer essa parceria. Mas o importante é que o time de nossa terra irá para São Paulo - diz Vanin, diretor do clube.

O presidente Maurício Miranda garante, no entanto, que os garotos terão a estrutura necessária para representar o estado na principal competição de futebol de base do país.

- A previsão é que nossos jogadores embarquem para São Paulo entre os dias 10 e 11 de novembro. Eles estarão acompanhados do Paulinho (supervisor). Eu irei somente dias antes da competição. Todo o apoio será dado a esses jogadores, mesmo com todas as dificuldades - afirma.

O Cori-Sabbá irá conhecer sua sede e seus adversários somente no mês de novembro. O torneio começa no dia 2 de janeiro e será encerrada em 25 de janeiro, aniversário da capital paulista, como ocorre todo ano.

10/07/2016

RETRATOS

Cine Natal na década de 50

Aí estava o velho Cine Natal, exaltando seu tempo épico na efervescente década de cinqüenta. Simplesmente original. Lírico.


À época, a Amplificadora Florianense divulgava as atividades e as novidades da cidade. A voz líder e potente da Princesa do Sul na locução do saudoso Defala Attem.

Em nosso tempo, já modernizado, nos anos sessenta, o auê era diferente: as matinês tornaram-se hilárias, movimentadas e muito troca-troca de gibis.

Para completar, o cheiro de pipoca, café e os picolés do bar do Bento. Hoje, a cidade segue seu rumo natural, sem mais o brilho dos tempos de outrora.

De qualquer forma, a produção cultural local exerce seu papel. Não sabemos se haverá uma construção efetiva. Precisamos do apoio público definitivo. Floriano precisa voltar a crescer. Doa a quem doer.

Chega de respirar nostalgia.

Morre em Floriano o médico ginecologista e obstetra Pedro Rocha

Doutor Pedro Rocha e sua esposa Eva Macedo
Fonte: piauinoticias.com

Morre o médico ginecologista e obstetra Pedro Rocha, 84 anos, quatro filhos sendo três homens e uma mulher. Ele era casado com a professora Eva Macedo.

De acordo com informações nesta sexta-feira o profissional em saúde, um dos médicos mais conceituados da cidade florianense, se sentiu mau no começo da manhã em casa, foi levado para o hospital Tibério Nunes e chegou a dar entrada na Unidade de Terepia Intensiva, mas morreu em seguida.

Há informações de que o mesmo sofreu um infarto.  Dr. Pedro Rocha é pai da Chistianne Rocha, que está atuando como diretora estadual do SAMU.

O corpo do Pedro Rocha está sendo velado no Memorial Floriano, bairro Manguinha.

Bandeirinha de Futebol

Por - Valério Chaves

Na imensidão dos mundos por onde andei tive pela frente muitas experiências no palco da vida - umas que passam ao largo, outras assumem alguma magnitude, porém, todas com seus matizes e colorações de acordo com as circunstâncias como aconteceram.
Depois que aportei no mundo das gentes no sertão do Piauí, em pleno desenrolar da Segunda Guerra Mundial (1941), exerci, para sobreviver, diversas profissões, indo desde aprendiz de pedreiro até a judicatura, e que, na escala de valores de cada qual, ainda hoje mexem com os meus sentimentos.
Uma dessas experiências, talvez a mais trágica e cômica, foi a de atuar como "bandeirinha" de um jogo de futebol, lá pelos idos da década dos anos 60, no final do Campeonato Intermunicipal de Futebol - promovido pela Associação Profissional dos Cronistas Desportivos do Estado do Piauí - APCDEP.
Conto, agora, pela segurança de ter ficado guardada na memória, há 49 anos.
Na época, as atenções dos torcedores do interior do Estado do Piauí estavam voltadas para o Torneio Intermunicipal de Futebol, com a participação das seleções da maioria dos municípios piauienses.
Na fase eliminatória, as seleções de Picos e de Floriano foram classificadas para a partida final, a ser realizada na cidade de Picos, na condição de mandante.
Entre os jogadores e dirigentes da seleção de Floriano, havia um sentimento de revanche, uma vez que tinham perdido a primeira partida no domingo anterior, por 2 a 1. Pelo lado do adversário, o clima era de vitória, levando-se em conta a melhor categoria de seus jogadores e o apoio que, certamente, iria receber da torcida local.
No dia da decisão, a cidade de Picos amanheceu em alvoroço. Foguetes pipocavam para todos os cantos da cidade, em meio ao grande entusiasmo da torcida. Afinal, era a primeira vez que o selecionado picoense ia participar de uma finalíssima de um Intermunicipal.
As apostas e os palpites sobre o resultado da partida eram feitos nos locais de maior movimentação da cidade, pelos torcedores mais entusiasmados.
A entidade promotora do torneio (APCDEP) estava representada na cidade pelo seu presidente, o jornalista Pedro Mendes Ribeiro, que havia se deslocado de Teresina na manhã daquele domingo, em companhia de alguns locutores de rádio, encarregados da transmissão da partida para todo o Estado.

Da comitiva, além do pessoal da área esportiva, faziam parte vários representantes de emissoras de rádio da capital. Eu, que apesar de não ser locutor esportivo, havia sido designado pela direção da Rádio Clube para fazer a cobertura jornalística do grande acontecimento. Viajei quase como um intruso, levando material para anotações e um gravador a tiracolo.
O início da partida estava prevista para 16 horas, mas, por volta das 15 horas, já estávamos a postos nas dependências do Estádio Municipal Helvídio Nunes de Barros, cuja lotação estava esgotada desde as primeiras horas da tarde daquele domingo.

Valério Chaves, primeiro locutor do serviço de som do Albertão, hoje desembargador 

Na disputa de lugares mais próximos, os torcedores se espremiam nas poucas arquibancadas existentes armadas ao redor do campo de jogo, separadas do gramado apenas por uma cerca de arame farpado.
A poucos minutos para o início da partida, eis que surge um problema inesperado.
O trio da arbitragem estava incompleto. Faltava um dos bandeirinhas sorteados para trabalhar na partida decisiva. Naquela época o termo era este mesmo: "bandeirinha". Hoje é assistente.
O presidente da APCDEP, Pedro Ribeiro, não perdeu tempo. Olhou prá mim e disse:
- Valério, por acaso, tu já apitastes jogo de futebol alguma vez na tua vida?
Levei um susto, mas respondi sem pestanejar dizendo que entendia um pouquinho de regra de futebol.
- Bem, se tu entendes um pouquinho das regras de futebol, já é alguma coisa - serve para substituir o bandeirinha que faltou hoje aqui neste jogo. Topas? - interpelou-me em tom de intimação.
Com a voz um tanto forçada e movida por um gesto impensado, respondi afirmativamente, mas só eu sabia o tamanho do medo que me assolava naquele momento.
Rapidamente, foi providenciado toda a indumentária: uma bandeira branca, uma camiseta e um calção preto. Vesti tudo no vestiário improvisado ao lado do campo.
Finalmente, as seleções entraram em campo, saudadas com foguetes e salvas de palmas, pelas respectivas torcida.
Antes da bola rolar, no centro do gramado, perfilado na pista lateral do campo, sem me ocorrer que poderia estar em perigo, olhei para o juiz central e com o polegar direito fiz sinal indicando que tudo estava em ordem para o pontapé inicial da partida.
Depois do som agudo do apito, começou a grande decisão.
Logo aos 5 minutos, a seleção de Picos atacou pela direita, levando de roldão toda a defesa adversária.
No momento em que o centroavante dominou a bola e se preparava para chutar contra o gol adversário, percebi que o jogador estava adiantado e, sem pestanejar, levantei a bandeira marcando impedimento invalidando a jogada.
Nesse instante, mal tinha abaixado o bastão da bandeira, senti um violento impacto contra o meu calcanhar direito. De início, pensei que tinha sido alvejado com um tiro de arma de fogo, em face do estouro dos foguetes que pipocavam para todos os lados. Nada disso. Foi algum torcedor, talvez inconformado com a marcação do impedimento, me acertou intencionalmente com uma violenta pedrada.
Caí no chão quase desmaiando com as mãos apertadas uma na outra entre os joelhos, pedindo socorro ao juiz da partida, que, de imediato, parou o jogo e autorizou a entrada dos médicos socorristas de plantão. A dor era tão grande que as palavras não conseguiam sair. Mais tarde, estava no hospital local, donde só saí no dia seguinte, sem querer saber do resultado do jogo.
No mesmo dia retornei a Teresina, com o pé enfaixado, assistindo meus companheiros de viagem rirem um para o outro, zombeteiramente.
Fiquei alguns dias de cama, convencido de que, no futebol, não valia a pena ser juiz ou "bandeirinha" de ocasião, sem jamais imaginar que, no futuro, viria a ser um juiz de verdade - não de futebol, mas de Direito.

Crônica extraída do livro do autor acima - CASOS DE JUSTIÇA (E Outras Histórias Que a Vida Conta)