7/31/2016

Retratos


 
Ferroviário - 1965
Essa foi uma das melhores formações do Ferroviário de Floriano, sob a coordenação de Deusdete Macarrão nos anos sessenta.

Observamos os piolhos de bola conhecidos na foto ao lado como Valdivino, Valdemiro, Pequi, Pompéia, Zezeca, Pepedro, Cabeção, Rômulo, Tassu e Bitonho ( estes dois últimos, agachados ), vieram de Teresina para compor o escrete local.

Atualmente, passamos por um processo de transição, mas que ainda não se conseguiu definir um padrão para manter e elevar o nosso futebol. Achamos, contudo, que uma das alternativas seria o incentivo da prata da casa, certo?

7/29/2016

Entidades participam de oficina de formação em ações de saneamento ambiental

Oficina Saneamento Ambiental

Representantes de entidades, pastorais, grupos e movimentos participaram, na última quarta-feira (27), da oficina de formação em ações de saneamento ambiental em Floriano. A capacitação faz parte das atividades da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016, que tem como tema “Casa comum, nossa responsabilidade”.

O encontro, realizado no Centro Pastoral Dom Edilberto Dinkelborg (Casa João XXIII), foi coordenado pela monitora Danda Oliveira, da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), e abordou a questão dos os resíduos sólidos, que hoje representam um grave problema, prejudicando a sustentabilidade ambiental de todo o país. 

“Então nós estamos com esse modulo que vai trazer algumas reflexões sobre a produção dos resíduos, sobre o destino dos resíduos e o tratamento desses resíduos. E a partir dessa reflexão nós vamos discutir algumas alternativas de solução para o território em que estamos trabalhando”, disse Danda Oliveira. 

 Além dos resíduos sólidos os participantes debateram também sobre o racionamento da água, que já é realidade em muitos lugares. 

“Todos nós sabemos que a água hoje no mundo é um recurso finito e nós temos que começar a trabalhar a perspectiva de racionamento da água”, explicou.

Para Danda Oliveira, a oficina de formação em ações de saneamento ambiental é de grande importância para os munícipes e para toda a região. 

“Quem lucra com isso é a população, na medida em que ela toma conhecimento dos seus direitos, das suas obrigações dessa política, que é tão importante para a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, finalizou. 

A oficina segue até esta sexta-feira (29), quando os participantes receberão orientações e demonstrações sobre cuidados com a água para consumo humano.


Fonte: florianonews.com

Retratos

Cais do Porto

Cais do Porto em Floriano, imagem de volta aos belos anos de 1980, numa provável manhã, silenciosamente, no itinerário dos canoeiros ganhando o seu pão de cada dia.

No passado, o cais ficava repleto de lavadeiras, proporcionando uma imagem rara, onde o dia a dia dos transeuntes causavam belas emoções.

Hoje, o nosso Cais do Porto nos revela novas calmarias, diferente, um pouco mal cuidado, precisando de uma revitalazação, mas que somente os gestores podem iniciar esse processo junto com a sociedade local

Floriano tem potencial turístico, mas os nossos líderes atuais, junto com a sociedade, pode buscar e desenvolver a mobilização necessária para dar um novo impulso ao desenvolvimento da Princesa do Sul.

7/28/2016

Futebol de Salão

Time do Brasília, que disputou vários torneios de futebol de salão, o Férias de Inverno e o Férias de Verão, normalmente, organizados pelo nosso amigo Rafael Ribeiro Gonçalves, em vários momentos, torneios esses realizados nas quadras do Comércio Esporte Clube e, posteriormente, na Associação Atlética Banco do Brasil - AABB.

O time do Brasília faturou esses torneios em várias fazes, principalmente nos anos de 1980, tendo o Marcelo e o Roberto Holanda como uns dos principais coordenadores do time nessa época.

Abaixo, as fotografias do time do Brasília em vários momentos.







7/26/2016

Pau D´Água

Pau D´Água

Até o final da década de cinqüenta, essa parte da cidade era conhecida como o famoso Pau D´água, localizado, ali, no final da avenida Esmaragdo de Freitas nas proximidades da fábrica do senhor Zitinho.

Segundo nos informa o professor Luiz Paulo, o " Pau D´água deve-se ao fato de ali ter existido uma árvore silvestre ( vochysia thyscídea ), cujas raízes segregam um líquido que serve para se beber em caso de necessidade externa. Era uma árvore frondosa e somente desapareceu no início dos anos sessenta ".


No Pau D´água aportavam as antigas balsas, trazendo mercadorias de todo tipo, mas o que importava para a meninada eram as saborosas frutas, que muitas vezes boiavam e a negrada dava em cima: laranjas, mangas, goiabas, buriti, mamão e outras. Os donos das embarcações, então, davam aquelas carreiras na cambada. Era um Deus nos acuda por conta desses alheios.


Havia, também, por lá, gente valente, como Chanduca Milho Duro, muita cachaça, raparigas e muita arruaça. O cara tinha que ser corajoso para encostar naquela área, mas com a pexeira do lado por precauções.


Atualmente ainda existem algumas poucas características no lugar que lembram o antigo Pau D´água, mas com o tempo o progresso foi tirando a sua poesia. São algumas recordações daqueles bons tempos d´antes.

Fonte: Flagrantes de uma cidade

7/21/2016

ESTALEIRO DE “CHICO DE AUGUSTIN DA CANOA”

Chico de Augustin
“CADA CANOA NO RIO PARNAÍBA, É SÓ EMOÇÃO E ALEGRIA!"

Pesquisa: Adm.: CÉSAR AUGUSTO
Floriano(PI), 20.07.2016
tamojunto#


Há 30 dias ao fazer a minha tradicional caminhada pela nova “Orla do Rio Parnaíba”, deparei com uma cena cinematográfica; o artista “Chico de Augustin”, iniciando mais uma obra de arte uma “lapa” de canoa com 7 m de comprimento por 1,35m. O tamanho chamou atenção por vários aspectos:

O espaço físico para a fabricação! Como colocá-la no leito do rio? qual a finalidade da embarcação, dentre outras dúvidas!

Com habilidade fui me aproximando e conquistando a confiança de “Chicão”!

- Chico, posso documentar a história dessa embarcação?

- Pode sim! Respondeu “Chico de Augustin”

- Como você aprendeu essa arte?

- Vixe! Vem do meu avó “Augustin”, ele fabricava no povoado Veados, hoje Artur Passos, passou para meu pai Raimundo Vieira de Sá, conhecido por “Raimundo de Augustin”, que logo veio para Floriano-PI. E aos 7 anos foi a minha vez de entrar na arte acompanhando meu pai na fabricação e nas viagens, automaticamente fui tomando gosto e estou até hoje! Com um detalhe, nenhum dos meus filhos quis aprender a arte de fazer canoa, claro até agora!

- Vocês só fabricam canoas?

- Já fabricamos: flutuante (pertencente ao Neto Martins), pontões, inclusive fomos deixá-lo em Buriti dos Lopes, uma longa viagem de aproximadamente 600 Kms, uma aventura! Se eu tivesse um estaleiro na beira do rio, facilitaria tudo, mas mesmo assim fazemos canoas de qualquer tamanho!
- Quais os tipos de madeira que você utiliza para fazer as embarcações?

- A viga principal, a Caverna, é de “Piquizeiro” (melhor madeira, pois ela enverga e não quebra), “Angelim” ou “Fava Danta”, as laterais é de: “Cedro”, “Pau D´arco ou “Piquiarama” e a cobertura de “Sucupira”.

Uma pausa para conhecer melhor o entrevistado:

Francisco das Chagas da Silva, vulgo “Chico ou Chicão da Canoa”, 49 anos, casado com dona Lidiane, 4 filhos (3 homens e 1 mulher), o Estaleiro fica localizado na Av. Esmaragdo de Freitas, 1325 – Bairro São Cristovão (próximo a Igreja de São Cristovão), com um visual deslumbrante, pois o amanhecer e o entardecer são belíssimo, pois fica na nova Orla do Rio Parnaíba!

De repente “Chico da Canoa” mudou de sua fisionomia e disse:

- Olha quem vem chegando! Fernando (ex-Fuzileiro Naval e ex-Mergulhador nas plataformas da Petrobrás)! É o dono da embarcação! Agora vamos colocar a canoa no leito do Rio Parnaíba! Cada canoa, mais um filho que nasce!

Bacana né!

Agora quem ficou extasiado fui eu!

- Como? Vocês vão colocar agora? Quanto tempo leva? Quantas pessoas?

- É rápido, no máximo uma hora, com sete pessoas e depois vamos dar uma volta para testar. Você vai?

- Vou!

Passeio inesquecível!

Interessante!

Fernando (51 anos), proprietário da canoa é cadeirante, escritor, poeta, comunicativo, e com uma disposição invejável!

A canoa com o nome de “YASHA”, será equipada obedecendo as normas da Capitania dos Portos do Piauí, com toda segurança, Motor de 9 HP, Energia Solar, Som Ambiente e em breve vai ser utilizada como “PASSEIO TURISTICO PELO BELO RIO PARNAÍBA”!

Bela idéia, Fernando! Vamos apoiá-lo!

7/19/2016

RETRATOS

Observamos essa descoberta, do fundo do baú, da época do futebol de salão dos anos setenta em Floriano.

Naquele campeonato, o Férias de Verão, o time do Brasilia foi o campeão da temporada, período em que o romantismo ainda imperava dentro das quatro linhas de nossas quadras.
Brasilia - 1979

À época, destavam-se diversõs atletas, como Paulinho de Nelson, Walberto, Zé Carioca, Fefê, Edilson, João Vicente no gol, Luciano, Catuaba, Guilherme Júnior, Caraolho, projetando, dessa forma, a elegância lírica do desporto local.

Na foto acima ( enviada pelo nosso amigo Marquinhos ), conhecemos o os goleiros Arara e Marquinhos, Roberto Holanda, Paes Landim, Aluísio e Walberto, compondo a melhor forma do time do Brasília.

Estávamos dentro do contexto da transição do esporte local, mudanças que trouxeram prestígio para o nosso futebol, como foi o caso do famoso Cori-Sabbá, que no momento, lamentalvelmente, passa por uma crise sem precedentes em temos de resultados positivos.

7/18/2016

Missa em ação de graças coroa 1º Encontro das Famílias Cipriano & Leal

Família Cipriano e Leal

Com a presença de aproximadamente 100 pessoas, foi realizado no último sábado (16), o 1º Encontro das Famílias Cipriano & Leal. A assembleia de várias gerações das Famílias Cipriano & Leal aconteceu na Catedral São Pedro de Alcântara, no Centro de Floriano.

Depois da acolhida, o Padre Luís de França fez uma 
belíssima oração e falou aos presentes sobre o verdadeiro valor da família.


Para o médico Hugo Leal, o encontro foi um momento de muita alegria e emoção entre os familiares, que se reencontraram após muitos anos distantes. As famílias Cipriano & Leal possuem centenas de membros residindo em outras cidades e estados brasileiros.

“Esse é um momento que é difícil acontecer e nós estamos muito alegres, porque somos uma família muito unida e estamos muito felizes com esse encontro”, declarou.

A noite mais uma vez as famílias se juntaram, desta vez no Comércio Esporte Clube de Floriano, para comemorar mais um tempo juntos, com um jantar regado pelo bate papo sobre a vida, sobre política e 
cidadania. Foram também momentos de lazer e de descontração, com dinâmicas, brincadeiras, danças e muita alegria.

Fonte: florianonews.com

7/14/2016

Ferroviário de Floriano

Grande Ferrim
Fundado pelos desportistas Antonio Cloves Ramos (carnavalesco) e Adauto, em 1º de maio de 1950, o melhor time de Floriano de todos os tempos, o Ferroviário Atlético Clube estreou com uma fantástica vitória sobre o famoso Artístico por dois tentos a um. Época romântica. A equipe jogava, nessa fase, com Adauto, Aceno, Nascimento, Carlos Barbeiro, Helio Castro (médico) e Euvaldo Angeline; Nelson, Zé Alves, Assis Bonitinho, Abdon Barguil e Neném Mão de Vaca.

Já o Ferroviário seguinte, em nova gestão - 1951 tinha os piolhos de bola Zé Pulu, Ferré, Chico Mateus,Guilherme Magarefe, Hugo Leal (da rua do Fogo), Balaio, Zezinho, Omar, Adauto e Américo.

No final dos anos cinqüenta, outros jogadores foram contratados na administração do doutor Nazareno Araújo, tipo: Sadica, Colega, Cassaco, Pepedro, Valdomiro e Mário Besta Brava.

Disputava, mais tarde, em 1964, o campeonato estadual, com a seguinte formação: Piqui, Valdemir, Valdevino (vive, hoje, em Teresina), Pompéia (o melhor goleiro que já vi jogar com as suas belas voadas), Zezeca, Pepedro, Cabeção (treinava muito no campo do Odorico), Rômulo, Tassu, Bitonho, Antonio Luís Moreira Nunes (in memorian/estaria na seleção brasileira se jogasse hoje), Veludo, Vicentinho e Zequinha.

O Ferroviário disputaria, também, os torneios estaduais de 1965 a 1966.

Outros jogadores que fizeram história no Ferroviário: Parnaibano (locutor), Poncion (estilista), Galo Mago, Sinésio, João Maio, Maranhão, Nico, Magro, Grilo, Chapéu, Domício (este veio do América de Petrolina e tinha um chute fortíssimo de esquerda), Reginaldo, Elder, Sostenes, Netinho (quarto zagueiro), Valdivino, Domingos, Liro, Lino (este último foi o jogador mais caro que o Ferrim teve: ganhou uma geladeira movida a querosene, causando grande inveja entre os demais atletas, já que naquele tempo era raro quem possuía este eletrodoméstico).

Com relação aos seus diretores, tivemos Deusdete Pereira, Francisco Delmiro de Araújo (Nilton das Casas das Roupas), Merval Lúcio da Silva, Nazareno Araújo, Tibério Nunes e José Meireles (nome dado ao estádio do Ferrim).

Outros jogadores que se sobressaíram durante o período romântico: Adauto, Arsênio, Nelson Oliveira (goleiraço), Vilmar Oliveira (professor Vilmar/melhor atacante do Piauí), Fenelon Brasileiro, Balduíno, João Batista Mendes, Chico Pereira e Binda.

Durante os anos sessenta, o Ferroviário teve outras formações, como: Cajazeira (aposentado do BNB), Fortaleza, Sinésio, Raimundo Fumaça (de Campo Maior), Pepedro, Popó (aposentado da TELEPISA), Dodó, Antonio Ulisses (vulgo Pelado), Carlos Augusto, Zezeca e Valter Moleza.

Detalhe: um goleiro que marcou época no Ferroviário foi Netinho. Faleceu há alguns anos atrás aqui em Floriano.

Hoje, nos resta o apático Cori-Sabbá e o curioso Princesa do Sul. O que será de nosso futuro?

Quem viver verá!

CRÉDITO DA FOTO - Valdevino, Sostenes, Zequinha, Pequi, Pompéia, ____, Júlio Silva (técnico) em pé; Carrinho, Cabeção, Lino, Vicentinho e Valdemiro, agachados.

Uespi de FLORIANO e mais 4 campi recebem salas de cinema

Salas de cinema em Floriano
Durante a solenidade de comemoração de um ano da Secretaria Estadual de Cultura (SECULT), que aconteceu na última segunda-feira (11), no Teatro 4 de Setembro, o secretário estadual de Cultura, Fabio Novo, assinou um decreto que autoriza a abertura da licitação de instalação de cinco salas de cinema nos campi da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Os campi que serão contemplados, inicialmente, serão os de Bom Jesus, Piripiri, Parnaíba, Floriano, e o Campus Clóvis Moura (Teresina). Serão instalados equipamentos audiovisuais nos auditórios desses campi, que serão utilizados para execução de projetos de extensão.

Segundo o Prof. Dr. Raimundo Dutra, Pró-reitor de Extensão e Assuntos Estudantis e Comunitários, essa articulação com a Secretaria de Cultura só favorece positivamente a Universidade Estadual e suas ações. A partir da instalação dos equipamentos, a PREX irá desenvolve projetos de cinema, o que viabilizará diálogos, discussões que poderão contribuir para a formação dos alunos. “O importante de tudo isso é que por meio do cinema, da exibição de filmes, nós vamos ter mais uma forma de discussão, de produção científica, de diálogo, no interior da comunidade acadêmica”, afirma .
Uespi

7/11/2016

Lançada a 5ª edição da Coleção FLORIANENSES

5ª Edição da Coleção FLORIANENSES

Na noite da última sexta-feira (08), foi lançada a 5ª edição do Livro Florianenses, uma homenagem da Prefeitura de Floriano e da Fundação Floriano Clube à cidade de Floriano no seu 119º aniversário.

Participaram do 
evento, o Prefeito Gilberto Júnior; Secretária Municipal de Educação, Luciana Aciolly; Secretário Municipal de Saúde, Bigman Barbosa; Presidente do Conselho Deliberativo da Fundação Floriano Clube, Rosenilta de Carvalho; representando a Academia Amarantina de Letras, Francisco Almeida e familiares e amigos dos 22 homenageados nesta 5ª edição do livro.


O editor do livro Florianenses, Cristóvão Araújo, explicou que juntamente com a direção da Fundação Floriano Clube, resolveu lançar este livro que a cada ano conta o perfil bibliográfico de personalidades que muito contribuíram para o desenvolvimento de Floriano.

“Estamos na quinta edição e completamos 105 homenageados. Um momento de muita emoção para os familiares e amigos aqui presentes e também para nossa cidade de Floriano”, disse.

Para o Prefeito Gilberto Júnior “é um livro de extrema importância não só para a cultura e história de Floriano, mas para a educação. Temos feito a distribuição dos livros nas escolas municipais desde 2013”.

O evento contou ainda com a Banda de Música do Município e com a apresentação da cantora florianense Mayane que emocionou a todos ao cantar o hino da cidade como também a música que marcou o centenário de Floriano.

Fonte: florianonews.com

Lançamento COLEÇÃO Florianenses, Volume 5

Volume 5

Foi lançadp dia 8 de julho último, às 19 horas, no Salão de Eventos do Garoto Park Hotel (Avenida Dirceu Arcoverde - Anel Viário), na cidade de Floriano, a Coleção Florianenses - nº 5, editada pela Fundação Floriano Clube.

Sobre esta importante obra, escrevemos o seguinte texto, que se encontra estampado na sua contracapa:

            A Coleção Florianenses, já em seu quinto número, editada pela Fundação Floriano Clube e sendo sua organização capitaneada por Cristóvão Augusto Soares de Araújo Costa, pode ser considerada um misto de revista, anuário e almanaque, pela diversidade de autores e matérias, algumas pequenas, outras com características de verdadeiros ensaios biográficos. Versam diferentes temáticas, mas todas relacionadas a Floriano. Quase todos os textos são ricamente ilustrados por fotografias, que os documentam, tomando, algumas vezes, o status de ensaio ou reportagem fotográfica. Neste número (cito apenas como exemplo), há uma sequência delas sobre velhos carnavais e folguedos juninos, que nos fornecem a nítida imagem de costumes e sociabilidades de outrora, quase sempre singelos e mesmo ingênuos.

            Os perfis biográficos, alguns longos e profundos, em que o caráter e o ideário do biografado são fixados, retratam não só florianenses ilustres, mas também notáveis piauienses e brasileiros, que lhe prestaram bons e inestimáveis serviços, como o barrense Raimundo Artur de Vasconcelos, signatário da lei que elevou a povoação à categoria de cidade. Entretanto, não apenas as figuras proeminentes da história oficial são objetos desses estudos, mas também pessoas humildes, que fizeram ou fazem parte da paisagem humana da comunidade; nessa seara figuram profissionais liberais, mestres dos mais diversos ofícios, artesãos, artistas, poetas e intelectuais, além daqueles que se celebrizaram como figuras ditas folclóricas, pelos episódios engraçados, jocosos de que foram protagonistas, mercê de sua verve ou de seu espírito brincalhão.

            A coletânea, logo em suas páginas iniciais, registra as “Curiosidades Florianenses”, tanto através de textos, como de anúncios publicitários e “santinhos”, todos fac-similados, para que o leitor possa ter noção de uma época sem internet, sem redes sociais, em que o tempo parecia escoar com maior lentidão. Nas páginas finais, sob o título de “Verdades, boatos e mentiras contadas na barbearia do Zé Venâncio e no bar do Sinhozinho”, foram relatados os “causos” e as façanhas pitorescas e hilárias de pescadores, caçadores, boêmios, cachaceiros e outros mentirosos e fanfarrões, todos integrantes e enriquecedores da mais legítima fauna folclórica florianense.

            Na capa de todas as edições aparece, de forma emblemática e simbólica, a porta principal do Estabelecimento Rural São Pedro de Alcântara, que originou Floriano. Pode-se dizer que ela é o portal por onde entrou, fulgurante em sua glória, a Princesa do Sul. É o seu pórtico inaugural e o seu Arco do Triunfo.


Elmar Carvalho

ALBEARTES celebra 19 anos de fundação

ALBEARTES - 19 anos
Academia de Letras e Belas Artes de Floriano (ALBEARTES), celebrou na noite da última sexta-feira (8), 19 anos de fundação no município.

A solenidade aconteceu na sede da entidade, com a presença de imortais da literatura local, artistas, empresários e convidados

Durante a sessão solene, conduzida pelo presidente da ALBEARTES, Bruno dos Santos Maia, foram lembrados os fatos mais importantes da Academia de Letras e Belas Artes ao longo de quase duas décadas de fundação, bem como sua fundamental importância para a cultura local e regional.

Fonte: florianonews.com

7/06/2016

8 de JULHO - Aniversário de Floriano

Agrônomo Parentes
Colaboração: Professor Luís Paulo Lopes

Engenheiro Agrônomo, Francisco Parentes, o primeiro do Piaui, que criou a Colônia Rural São Pedro D'Aalcântara, em 1874.

Passou a cidade, pela lei n. 144 de 08 de julho de 1897, e foi assinada pelo então governador da Província do Piaui, RAIMUNDO ARTHUR DE VASCONCELOS.

Francisco Parentes morreu ainda jovem, aos 35 anos, de febre maligna. ao chegar em Amarante, em busca de socorro médico.

Deixou esse grande legado que é a nossa Cidade Floriano.

Salve! Francisco Parentes na semana em que comemoramos o aniversário da nossa cidade.

Aniversário de Floriano

ANIVERSÁRIO DE FLORIANO - a figura emblemática de FRANCISCO PARENTES, FUNDADOR DA COLÔNIA RURAL SÃO PEDRO d'ALCÂNTARA,, QUE, DEPOIS SE TRANSFORMOU NA CIDADE DE FLORIANO.

No ano do Centenário da Floriano, tive a subida honra de receber do Senhor Aloísio Sampaio, homem de grande importância social e de saudosa memória um grande presente. Ele era sobrinho neto de Francisco Parentes. e presenteou-me, com uma preciosidade histórica: cópia do "Álbum Íntimo" de Honório da Silva Parentes, seu pai, que contem várias anotações familiares.

Na página 12, lê-se o seguinte: "A 16 de JUNHO de 1876, às 12 h. e 16 . do dia morria na cidade de Amarante e alli sepultou-se o meu caríssimo irmão Francisco Parentes, Diretor que era do Estabelecimento Rural de São Pedro d' Alcântara, nesta Província do Piauhy. Nasceu a 19 de junho de 1839 no município da Villa Das Barras da mesma província.

Sendo ele Escriturário do Tesouro Nacional, deixou este emprego para ir estudar agricultura na França, na escola de Grand Jouan, para onde partira ( estando a este tempo em Teresina, a 7 de março de 1864 e formou-se em tal ciência a 19 fr junho de 1871, isto é, neste dia por que em Versailles foi expedido o seu diploma.

No dia 28 de agosto do dito ano de 1871 chegou ele à sua província natal. e a 18 de outubro, ainda do mesmo ano de 1871 segue para o Rio de Janeiro e dali voltou logo depois em Comissão do Ministério da Agricultura Comércio e Obras Públicas.

Em 10 de agosto de 1874 lançou a pedra fundamental para a construção da sede da Estabelecimento Rural São Pedro d'Alcântara.

Lançamento Coleção FLORIANENSES, Volume 5

Coleção FLORIANENSES, Volume 5
Estará sendo lançado dia  08 de julho, aniversário de Floriano, o 5º Volume da Coleção FLORIANENSES, o lançamento desta feita será no Salão de Eventos do Garoto Park Hotel localizado na avenida Dirceu Arcoverde no Anel Viário a partir das 19 horas.

Serão homenageados, neste Volume, Fernando Marques, Bernardino Viana, Doutor Rocha, Professora Deusina, Arthur de Vasconcelos, Constantin Salha, Mestre Walter, Mestre Aluizio Ferreira, José Bento, Florentino souza, Antonio Bispo, Antonio Anísio, Orlando Peixoto, Quincas Alencar, Ailda Cunha, Olga Moreira, Beija Reis e, ainda, Antonio Reis, Beatriz Pereira, Pedro Rocha, Professor José Ivan e Padre Djalma Andrade.

Em agosto, o livro será lançado em Teresina e, em setembro, será a vez de Brasília em data ainda pra ser confirmada.

7/04/2016

RIVER GANHA O PIAUIENSE SUB-19

Fonte: sitedobuim

Depois de empatar no tempo normal por 1 a 1, o River sagrou-se campeão sub-19 ao derrotar o Cori-Sabbá na cobrança de tiros livres da marca do pênalti, pelo placar de 4 a 1. A disputa ocorreu na tarde deste sábado (02), no Estádio Municipal Lindolfo Monteiro, em Teresina, com os dois times já classificados para a próxima edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Juliano (River) e Dedé (Cori-Sabbá) marcaram os gols no tempo normal.

Cori, com a garotada da Escolinha do Osmarildo, é vice, mas também vai a São Paulo.

Depois de ter participado da Copinha pela primeira vez, no ano passado, o River voltará a jogar a competição promovida pela Federação Paulista pelo segundo ano consecutivo. O Cori-Sabbá, que, embora seja um time sediado em Floriano, é formado por atletas da Escolinha do ex-zagueiro Osmarildo, de Oeiras, vai joga-la pela primeira vez.

A propósito do time de Floriano, a parceria com a Escolinha do Osmarildo é a união de um projeto que visa revelar talentos da região sul do Estado. À frente do grupo estão três ex-atletas, todos campeões piauiense pelo River: Maurício Miranda, Osmarildo e Marciano.