7/31/2014

FUTEBOL DE SALÃO

O apaixonado por futebol Jordão Carvalho promove no mês de agosto de 2014, a 1ª Taça Futsal de Floriano, no masculino, o evento tem objetivo inserir a competição no calendário anual de esporte do município, e vai congregar os clubes da cidade e região, com intuito também de criar a Liga de Futsal de Floriano.

A abertura com solenidade será no dia 5, próxima terça-feira às 19:00h e os jogos vão se estender até o dia 29 de agosto, quando haverá a grande final. Todos os jogos serão realizados no Ginásio Poliesportivo Defala Atem, bairro Tiberão.

Para F1floriano, Jordão revelou que a competição possui dois pilares para sua concretização, um é o desportivo, a valorização do futebol, e a segunda, é o solidário, unir esportista e torcida para ajudar as famílias carentes.

“Não vamos cobrar ingresso. Aliás, vamos, basta o torcedor entregar na entrada do ginásio um quilo de alimento que terá o direito de assistir as partidas, a nossa intenção é arrecadar 500 cestas básicas e fazer um grande festa do futebol na nossa cidade”, disse ele.

A premiação será de 4 mil reais mais medalhas e troféus.

Fonte: f1

7/30/2014

FALECEU DEDÉ, UM DOS ÚLTIMOS ESTILISTAS DO FUTEBOL ROMÂNTICO DE FLORIANO

Dedé no auge de sua juventude
Floriano encontra-se de luto. Faleceu, esta semana, o nosso amigo José Avelino Dantos Filho, mais conhecido como Dedé, 62 anos, que jogou e brilhou, principalmente no time do Clube de Regatas Brasil de Almeida.
Dedé veio com a família de Campina Grande, Paraíba, onde se projetou e se adaptou em Floriano, constituindo família com os seu trabalho.

Dedé foi encontrado morto na casa em que morava. Era paraibano de Campina Grande e que por muitos anos gerenciou o supermercado Vende Bem em Floriano, empresa que se situava no centro da cidade. Ele morava no bairro Irapuá e foi encontrado por familiares, já se sem vida, vítima de um infarto.


Dedé deixa a esposa e três filhas. Vários familiares e amigos estavam presentes no velório. O presidente do Cori, ex-jogador Zé Bruno, lamentou a morte e disse que se trata de um grande amigo.

Dedé, à direita, num de seus últimos
carnavais com amigos no Marron Glacê
Paulo Araújo, cunhado do Dedé, afirmou que o mesmo deixou três filhas: Sâmia, Elle e Samara. "Dedé tinha uns exames marcados para essa manhã e foi encontrado morto por um genro que logo avisou aos demais familiares", disse Paulo. O corpo foi sepultado agora há pouco.

Fonte: piauinoticias.com






Dedé jogou nos times do Grêmio de Galdino, Ferroviário de Zé Bruno e no Clube de Regatas Brasil, sua melhor passagem.

Na foto, observamos um de seus últimos momentos, ao lado de amigos do futebol do passado romântico de Floriano, como Zé Uilson, Ubaldo e Iran, quando de um carnaval no Bar e Lanchonete Marron Glacê do nosso amigo Ozires.

50 ANOS DO FERROVIÁRIO NO CAMPEONATO PIAUIENSE

Este ano fazem 50 anos, quando da participação do Ferroviário Atlético Clube de Floriano no campeonato piauiense de futebol.

À época, Floriano vivia o seu grande apogeu em vários seguimentos. Os anos de 1960 nos proporcionaram um grande legado no tocante ao desporto.


A matéria do site do Buim vem à tona, exaltando toda a performance do time florianense no campeonato piauiense do ano de 1964.

Recordem, abaixo, como foi a campanha em todos os seus detalhes:

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). A foto abaixo, embora da época, não é de jogo oficial do citado campeonato.

Na realidade, embora tenha vários atletas que atuaram aquele campeonato, percebe-se que, agachados, os dois últimos atletas são Tassu e Bitonho, que jogaram naquela ocasião, apenas por ser um amistoso, uma vez que pertenciam a River e Piauí. Mas é possível ver, a partir da esquerda, vários atletas daquela campanha do Ferroviário.

A partir da esquerda, vê-se os jogadores Valdivino, Valdemir, Piqui, Pompéia, Zezeca e Pepedro (em pé), Cabeção, Cristóvão, Rômulo, Tassu e Bitonho. A foto está publicada no Poral de Floriano, assinado pelo jornalista e escritor Janclerques Marinho.

1ª Fasse - 1° Turno

1ª rodada

12/07/1964

FERROVIÁRIO 1x2 FLAMENGO

Local: José Meireles (Floriano)

Arbitragem: Antônio Milton Vilanova, auxiliado por Nelson Oliveira Silva e Clóvis Ramos.

Renda: 237.400,00

Gols: Paulinho 42 do 1º tempo; Paulinho 19 e Cristóvão 45 do 2º.

Ferroviário – Bucar; Zezeca, Antônio Ulisses, Teles e Pepedro; Parnaibano e Reginaldo; Cristóvão, Sadica, Valdimir (Paulo II) e Dos Santos.

Flamengo – Chiquinho; Zé Carneiro, Maneca, Vitor e Papagaio; Itamar e Macalé; Maçarico, Matintim, Paulinho e Fernando.

19/07/1964

FERROVIÁRIO 2x2 PIAUÍ

Local: José Meireles (Floriano)

Arbitragem: Antônio Milton Vilanova, auxiliado por Nelson Oliveira e Clóvis Ramos.

Renda: Cr$ 157.800,00

Gols: Sinésio 12 e Sibiata 27 do 1º tempo; Cristóvão 10 e Sanêga 30 do 2º.

Expulsões: Bitonho e Cristóvão.

Ferroviário – Bucar; Popó, Antônio Ulisses, Teles e Pepedro; Parnaibano e Valdemir; Cristóvão, Sadica, Sinésio e Paulo II (Antônio Luiz).

Piauí - Zé Barros (Zé Alberto); Tuíca, Nanô, Manoelzinho (Sibiata) e Chico Dedão; Nonato Leite e Bitonho; Sanêga, Chapéu, Carmino e Zilmar

29/07/1964

AUTO ESPORTE 5x0 FERROVIÁRIO

Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)

Arbitragem: Antônio Milton Vilanova, auxiliado por Osvaldo Viana e Severiano Alves Teixeira.

Renda: Cr$ 116.000,00

Gols: Bicudo 35 do 1º tempo; Capote 15, Capote 20, Zé Augusto 33 e Pestana 35 do 2º.

Auto Esporte – Antônio Luis; Amadeu, Marcos, Delmiro e Quincas; Zé Maria e Zequinha; Pestana, Capote, Zé Augusto e Bicudo.

Ferroviário – Pompéia; Popó; Antônio Ulisses, Teles e Pepedro; Paulo e Valdimir; Reginaldo, Sinésio, Sadica (João Alfredo) e Cristóvão.

02/08/1964

FERROVIÁRIO 2x1 COMERCIAL

Local: José Meireles (Floriano)

Arbitragem: Severiano Alves Teixeira, auxiliado por Nelson Oliveira Silva e Cláudio Ramos.

Renda: Cr$ 124.400,00

Gols: Cristóvão 7 e Antônio Luiz 29 do 1º tempo; Curniça 35 do 2º.

Ferroviário – Pompéia; Popó, Piqui, Teles e Pepedro; Parnaibano e Paulo; Cristóvão, Reginaldo, Antônio Luiz e Valdemar.

Comercial – Beroso; Edson, Smith, Galo e Zé Ivan; Hugo e Quinha; Radiê, Zeca, Valdir e Negrote (Curniça).

09/08/1964

CAIÇARA 2x1 FERROVIÁRIO

Local: Deusdedit de Melo (Campo Maior)

Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por Renato Barreto de Moraes e Severiano Alves Teixeira.

Renda: Cr$ 133.400,00

Gols: Raimundinho Fumaça no 1º tempo; Reginaldo e Anduiá no 2º.

Caiçara – Coló; Napoleão, Mormaço (Valter), Cabo Dulce e Prego; Paulo da Banana e Raimundinho Fumaça; Ditoso, João de Deus, Anduiá e Escurinho.

Ferroviário – Pompéia; Popó, Piqui, Teles (Antônio Guarda) e Pepedro; Parnaibano e Paulo; Reginaldo, Cristóvão, Antônio Luiz e Valdimir.

19/08/1964

RIVER 1x1 FERROVIÁRIO

Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)

Arbitragem: Severiano Alves Teixeira, auxiliado por Raimundo Barreto de Moraes e Antônio Palhano.

Renda: Cr$ 192.900,00

Gols: Tassu 28 do 1º tempo; Paulo 42 do 2º.

River – Manoelzinho; Zequinha, Astolfo, Filomeno e Ivanildo; Giri e Vilmar; Tamundó, Carrinho, Tassu e Rudinha.

Ferroviário – Pompéia; Zezeca, Piqui, Antônio Guarda e Pepedro; Parnaibano e Valdimir; Reginaldo, Paulo, Cristóvão e Sadica.

1ª Fase - 2° Turno

06/09/1964

COMERCIAL 2x1 FERROVIÁRIO

Local: Deusdedit de Melo (Campo Maior)

Arbitragem: José da Costa Araújo.

Gols: Reginaldo (Fer), Radiê e João Catita (Com)

Comercial – Beroso; Edson, Smith, Galo e Sapato; Hugo e Quinha; Curniça, João Catita, Radiê e Valdir.

Ferroviário – Pompéia; Zezeca, Piqui, Antônio Guarda e Pepedro; Parnaibano e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Rômulo e Dos Santos.

09/09/1964

FLAMENGO 3x2 FERROVIÁRIO

Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)

Arbitragem: Francisco de Assis Castelo Branco, auxiliado por Antônio Mlton Vilanova e Valdimir Soares da Silva.

Renda: Cr$ 187.200,00

Gols: Mano 20 e Rômulo 35 e 44 do 1º tempo; Mano 5 e 25 do 2º.

Flamengo – Chiquinho; Zé Carneiro, Maneca, Matintim e Papagaio; Temístocles e Macalé; Maçarico, Mano, Paulinho e Salvador.

Ferroviário – Pompéia; Popó, Piqui, Antônio Guarda e Pepedro; Valdivino e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Elder e Rômulo.

16/09/1964

PIAUÍ 1x1 FERROVIÁRIO

Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)

Arbitragem: Antônio Palhano, auxiliado por José da Costa Araújo e Valdimir Soares da Silva.

Renda: Cr$ 63.500,00

Gols: Sanêga 18 e Reginaldo 43 do 2º tempo.

Piauí – Zé Barros; Tuíca, Nanô, Manoelzinho e Chico; Zilmar e Bitonho; Chapéu, Sanêga, Carmino e Vagner.

Ferroviário – Pompéia; Piqui, Sousa, Antônio Guarda e Pepedro; Valdivino e Valdimir; Reginaldo, Paulo, Rômulo e Sadica.

27/09/1964

FERROVIÁRIO 1x4 RIVER

Local: José Meireles (Floriano)

Arbitragem: José da Costa Araújo, auxiliado por Nelson Oliveira Silva e Francisco de tal.

Renda: Cr$ 201.000,00

Gols: Pedroca (cabeça) 23 e (cabeça) 28 do 1º tempo; Pedroca, Carrinho e Reginaldo no 2º.

Ferroviário – Pompéia; Piqui, Valdivino, Antônio Guarda e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Claudemir e Rômulo. Técnico: Francisco Bezerra de Souza (Sinhozinho).

River – Caxambu; Gereba, Zé Artur, Filomeno e Zequinha; Giri e Vilmar; Waldeck, Pedroca, Moaci e Carrinho. Técnico: Júlio Marques.

04/10/1964

FERROVIÁRIO 2x1 CAIÇARA

Local: José Meireles (Floriano)

Arbitragem: Renato Barreto de Moraes, auxiliado por Nelson Oliveira Silva e Francisco de tal.

Gols: Rômulo (2) no 1º tempo e Anduiá no 2º.

Ferroviário – Pompéia; Piqui, Valdivino, Antônio Guarda e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Claudemir e Rômulo.

Caiçara – Onésio; Napoleão, Mormaço, Cabo Dulce e Prego; Paulo da Banana e Raimundinho Fumaça; Vicentim, Anduiá, Índio e Escurinho.

11/10/1964

FERROVIÁRIO 1x1 AUTO ESPORTE

Local: José Meireles (Floriano)

Arbitragem: Valdimir Soares da Silva

Gols: Bicudo (Auto) e Cristóvão (Ferr)

Ferroviário – Pompéia; Piqui, Valdivino, Antônio Guarda e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Claudemir e Rômulo.

Auto Esporte – Petrúcio; Marcos, Amadeu, Deolindo e Quincas; Zé Maria e Wallace; Pestana (Ananias), Caboclo, Soares e Bicudo.

Jogo extra decidindo o rebaixamento

06/11/1964

AUTO ESPORTE 0x2 FERROVIÁRIO

Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)

Arbitragem: José da Costa Araújo

Gols: Cristóvão no 1º tempo e Elder no 2º.

Auto Esporte – Antônio Luiz; Marcos, Amadeu, Deolindo e Quincas; Sabará e Wallace; Pestana, Capote, Ananias e Bicudo.

Ferroviário – Pompéia; Piqui, Valdivino, Sousa e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Elder e Rômulo.

RESUMO DA CAMPANHA

13 jogos

3 vitórias

4 empates

6 derrotas

10 pontos ganhos

17 gols marcados

25 gols sofridos

-8 gols de saldo

ARTILHEIROS

5 gols - Cristóvão.

4 gols - Rômulo e Reginaldo.

1 gol - Sinésio, Antônio Luiz, Paulo e Elder 1

JOGADORES UTILIZADOS

13 jogos – Pepedro e Valdimir.

12 jogos - Reginaldo e Cristóvão.

11 jogos - Pompéia (goleiro).

10 jogos - Piqui.

8 jogos - Antônio Guarda.

7 jogos - Rômulo.

6 jogos - Parnaibano e Valdivino.

5 jogos - Paulo, Sádica, Teles e Popó.

4 jogos - Fernando.

3 jogos - Antônio Ulisses, Claudemir, Zezeca e Antônio Luis.

2 jogos - Bucar (goleiro), Sinésio, Elder, Sousa, Dos Santos e Paulo II.

1 jogo - João Alfredo.

7/24/2014

90 ANOS DA MARIA BONITA

No último dia 24 de fevereiro deste ano já lá se vão 90 anos completados quando da instalação da energia elétrica da cidade de Floriano.
A foto ao lado nos mostra a formosa Usina Maria Bonita no tempo de sua inauguração nos anos de 1920. Nessa espaço aí existiu um campo de futebol conhecido como ÁREA. Muita movimentação de transeuntes e um lambe-lambe à direita documentando o evento.


A calmaria reinava e a expectativa de progresso para a cidade era gigante. O prefeito ANTONIO LUIZ AREA LEÃO, que fora eleito para a gestão 1921/1925, não poupou esforços para a construção de nossa famosa usina, de forma que Floriano começava a reinar e a progredir.

Hoje, com o seu belo espaço cultural, precisamos de uma maior expansão no desenvolvimento da cultura local, para que esse espaço não fique ocioso. Seria necessário uma ingerência maior na revitalização de nossa cultura.

7/23/2014

50 ANOS DA 1ª MISS PIAUIENSE DE FLORIANO

Maricildes / 50º Miss Piauí
Completou, no último dia 13 de junho último, o Cinquentenário da Primeira Miss Piauiense de Floriano, quando a jovem Maricildes Costa dominava as passarelas da sociedade piauiense.

Abaixo, reproduzimos um depoimento interessante de uma prima Rita, que mora nos Estados Unidos, quando de seu falecimento:

MARICILDES - UMA ESTRELA NUNCA MORRE!!!!

Neste momento a sua beleza interior e exterior, sua inteligência e carisma vêm a minha mente como em uma pelicula de cinema. As lembranças são tantas!!!! Querida prima, hoje me lembro de você com as lagrimas correndo na minha face e uma dor tão grande por saber que não tenho a possiblilidade de vê-la mais, uma vez, para podermos conversar um pouco mais!

Mas Deus a chamou e sei para que você espalha o seu brilho sobre nós que ainda estaremos aqui! MINHA QUERIDA PRIMA, EU A CONSIDERO UMA IRMÃ... NA ÉPOCA QUE VOCE FOI MISS PIAUI EU MORAVA COM VOCE, CEICÃO, DURUSÁRIO E A SOCORRINHA, SUAS IRMÃS, MINHAS PRIMAS . VOCÊ AGORA ESTARÁ SE JUNTANDO A TIA TOTONHA , SUA MÃE, QUE ADORO COMO UMA E TAMBÉM AO TIO ALCIDES....QUE LHE RECEBERA TOCANDO BONITAS MÚSICAS NO SEU SAXOFONE.

TENHO CERTEZA QUE TODOS OS ANJOS ESTÃO DE BRAÇOS ABERTOS PARA RECEBÊ-LA. EU ESTOU TRISTE, QUERIDA, PORQUE VOCÊ ME DEIXOU....MAIS VOCÊ SEMPRE ESTARÁ COMIGO...A MEMORIA É MUITO VIVA!

MUITOS BEIJOS E ABRAÇOS DA SUA PRIMA! RITA DE CACIA MOTA FERREIRA, QUE MESMO MORANDO AQUI EM NOVA YORK SE SENTE MUITO PERTO DE VOCÊ E MINHAS PRIMAS, QUE ALÉM DE SEREM MINHAS QUERIDAS AMIGAS, SAO MAIS DO QUE TUDO, FAMILIA.

TE AMO!

RITA DE CACIA. (você e mamãe foram as únicas pessoas que me chamaram sempre: RITA DE CACIA)! Eu sei que nos encontraremos quando for a minha hora...no momento ficarei com a sua memória muitissimo VIVA!

CHEGADA HIDROAVIÃO EM FLORIANO

Transporte Aéreo em Floriano

Esse tipo de transporte, em nossa cidade, teve início no ano de 1937, tendo como pioneira uma empresa de origem alemã, que tinha como título o nome de "CONDOR", que fazia uso de hidroavião monomotor, que pousva no rio Parnaiba, cujo pouso se iniciava próximo à curva do rio, do lado norte, deslizando sobre as águas até um pouco acima onde se encontra o Restaurante Flutuante.

A chegada do referido aparelho à cidade, era motivo de euforia do nosso povo, que corria à margem do velho monge para apreciar aquele instrumento, que poucos conheciam. Naquele tempo, o rio ainda não sofria o atual assoriamento e tinha suas ribanceiras altas, de onde o povo permanecia, até a saída do avião, que, salvo engano, no início, a rota era feita uma vez por mês.

O primeiro agente da CONDOR em nossa cidade foi o senhor João Viana de Carvalho, conhecido como Juca Carvalho, figura importante na sociedade florianense e piauiense nos tempos de Teodoro Ferreira Sobral, Osvaldo da Costa e Silva, além dos importantes cargos que também desempenhou na Loja Maçônica Igualdade Florianense, como um membro influente em todas as esferas sociais.

Casado com dona Dorinha Carvalho, pai da professora de educação física da Escola Normal, Dolores Carvalho, João Viana ( o Joca ), o primeiro distribuidor de gás liquefeito em nossa região, Raimundo e Francisco, funcionários do Banco do Brasil, tinha um filho, cuja agência se instalou aqui, graças a influência do seu pai. Também tinha um filho, cujo nome não me lembro que, como político militante, participou de memoráveis campanhas políticas em nossa cidade, salvo engano, como candidato do PTB de Getúlio Vargas.

Na medida que o tempo passava, o hidroavião deu lugar a outras aeronaves mais modernas, como os DOUGLAS DC-3, que passaram a operar em nossa cidade, embora o nosso aeroporto fosse de piçarra, salvo engano, por três vezes por semana. Era localizado no hoje bairro bem povoado, chamado de Aeroporto Velho.

Naquela época, nos anos 40, quando eclodiu a segunda guerra mundial, que tinha como principal participante a Alemanha de Hitler e de onde se originou a CONDOR, o governo resolveu nasionalizar o transporte aéreo em nosso País, surgiu a CRUZEIRO DO SUL, agenciada pela firma Morais S/A, tendo como responsáveis pelo atendimento, José Ribamar Lopes ( o Zé Bação ), Clovis Ramos e Juraci Borges.

Passado alguns anos, surgiu uma nova empresa, que usou vários nomes: AEROVIAS, REAL AEROVIAS, agenciada pelo doutor Amílcar Ferreira Sobral, que tinha como despachante, o competente Milton da Costa Sá, atualmente como próspero empresário na cidade de Guadalupe, influente membro da Loja Maçõnica daquele oriente.

Após aquele período de grande atraso no sistema de transporte aéreo na região, por volta do início
dos anos de 1960, surgiu o aeroporto CANGAPARA, com estrada de piçarra, distante cerca de 12 quilômetros do centro da nossa cidade. O asfalto se deu somente a partir de 1968 e uma casa de passageiro, que para a época, era moderna. Já nesse tempo, a Cruzeiro já estava em decadência e logo sucumbiu, ficando a VARIG como dona exclusiva do pedaço, tendo lançado nas rotas para Recife e Brasília, diariamente, um moderno avião turbohélice de nome AVRO, que trabalhou por durante cinco anos na cidade. Como Floriano possui o título de cidade do já teve, certamente que tal situação não nos trouxe nenhuma novidade a não ser muita decepção.

Infelizmente, desde aquela época, quem deseja viajar para outras plagas, vai para Teresina e de lá em aernonave moderníssimas de várias companhias, fura o mundo de um lado a outro. Hoje, o velho CANGAPARA, com a sua pista sendo corroída pelas intempéries, serve apenas para poucos aviões, principalmente de políticos, que só aparecem por aqui na época das eleições. E ainda o nosso abestado povo nos comícios, ficam a aplaudir esses "tiriricas" da vida, ao invés de exigirem melhorias não só para o nosso aeroporto, mas para toda a nossa região.

Antes dessa história contada acima, no ano de 1934, apareceu por aqui um pequeno avião, que pousou num pequeno campo no bairro Taboca ( próximo ao riacho da Vereda Grande ) e se constituiu, naquela época, uma verddeira revolução, visto que até o comércio fechou suas portas e o povo deixou suas casas para recepcionar os tripulantes daquele avião, que vieram a nossa cidade inaugurar uma rota doCAN - Correio Aéreo Nacional, que se estendeu por várias regiões do País, principalmente pelo Norte/Nordeste, transportando as correspondências que eram enviadas de um para outro Estado. naquele ano e dia, foi uma festa espetacular.

Colaboração: Nelson de Oliveira e Silva

7/22/2014

RETRATOS



Corriam os anos de 1950. Aqui, a vivenda conhecida como “ Meladão “. Tratava-se de um sítio do senhor Antonio Anísio Ribeiro Gonçalves; e servia para fins de semana e lazer.

O Meladão, como era comumente chamado se transformou num lugar interessante, de reuniões, muita alegria e descontração. Seu Antonio Anísio, anfitrião de mão cheia, recebia regiamente seus amigos e seus ciclos mais chegados. Desde sexta feira à noite até domingo à tarde, nessa casa só se conhecia a palavra festa, churrasco, um bom vinho e o indispensável uísque Cavalo Branco ou o famoso Grant´s – três quinas.

Ali se reuniam, além do anfitrião e família, dona Rosita Borges Gonçalves, o grande político e médico doutor Tibério Barbosa Nunes, Amílcar Sobral, Alderico Guimarães, Chico Borges, Turene Martins, Afonso Fonseca, Zé Fontes, Inácio Carvalho, Antonio Nogueira, Edmundo Gonçalves.

Ali se tratava de política, vida em sociedade, assuntos os mais variados, sempre sob a assistência das esposas dos respectivos cidadãos. Rosita Borges, espirituosa, pontificava e era uma anfitriã impecável.
Enquanto o cheiro do carneiro assado ou a mão de vaca enchiam o ar daquele gostoso perfume de comida bem feita, a meninada – filhos e amigos do casal anfitrião, se deleitavam nas águas do riacho Meladão.
Sabe-se que o nome meladão nasceu tendo em vista a morte de um cavalo num dia cheio do riacho, e o animal era da cor castanho claro que muitos chamam de cavalo melado.

As reuniões do Meladão ficaram indeléveis na memória de Floriano e, hoje, revendo aquele sítio, sentimos grande saudade, ouvimos o chuá, chuá das águas do riacho, e parece, ouvimos o ruído do Land – Roover dirigido por dona Rosita, dobrando a curva fechada da estradinha de terra branca  e macia, e que fazia alvoroçoda a meninada.

Anos mais tarde, Antonio Anísio passou a propriedade para o senhor Edmundo Gonçalves e, hoje, ela pertence ao senhor Carlos Carvalho.
É um retalho muito interessante da vida florianense. Meladão. Suas figueiras enormes, sua velha faveira e uma pontinha de saudade.

Fonte: Flagrantes de uma cidade / Luís Paulo



RETRATOS

Rafael, Zezeca e Raimundo Mendes 

Dentro do contexto lírico de nosso futebol, uma nova realidade estava emergindo, naquele início dos anos de 1960. Jovens baluartes dos esportes começava a surgir, exaltando seu potencial, sua categoria e a fase estilista dentro das quatro linhas.

Na foto, observamos três craques, que no passado proporciounou boas resenhas na fase romântica de nosso futebol. O trio aí jogavam, à época, pelo time do Indenpendente, se não me falha.

Rafael, Zezeca e Raimundo Mendes, mais conhecido como Pé de Aço. Como bem se observa, o local dessa jornada é o antigo campo do time do Ferroviário Atlético Clube, que tantas glórias trouxe ao futebol de Floriano.

Conta-se, os historiadores, que naquela época o goleiro João Martins ( in memorian ) estava destacando-se como um dos melhores goleiros daquele momento; de certo, que haveria um amistoso em Teresina e foi o arqueiro titular convocado para aquela partida no conhecido estádio Lindolfo Monteiro.

A partida seria realizada à noite e, àquela época, a iluminação dos estádios eram precárias, dificultando, muitas vezes, a visão dos atletas; de maneira, que o lateral Salvador bateu uma falta e, como um golpe do destino, a bola projetou uma sombra, fazendo com que o goleiro João Martins se esticasse todo.

Tendo tempo, ainda, de perceber esse detalhe, o grande goleiro do antigo Ferroviário voltou a tempo e deu um tapa de mão trocada, jogando para escanteio.

Coisas do nosso futebol romântico, que os anos não trazem mais!

7/21/2014

AMO TODAS AS MULHERES


Um motorista de táxi pobre é suspeito de ter cometido um atropelamento. Como ele não pode provar sua inocência, sua carteira de motorista foi revogada e ele está preso por vinte dias. Depois de ser libertado da prisão, ele é oferecido dinheiro por uma mulher elegante, que é, você adivinhou, o motorista hit-and-run real.
Ele recusa o dinheiro e ganha a vida como cantor de rua.  

Ele mais uma vez atende a senhora, que organiza o ter treinado como um tenor. Depois de seus estudos terminarem, ele recebe um contrato para se apresentar no ópera. Mas quando o seu patrão exige seu coração, ele retorna à sua Mizzi.

PRIMEIRO FILME EXIBIDO NO CINE NATAL NOS ANOS DE 1930 - AMO TODAS AS MULHERES ( IM SONNENSCHEIN 1936, PRODUÇÃO AUSTRÍACA NUMA VERSÃO GERMÂNICA )

Detalhes do filme:

http://www.imdb.com/title/tt0029647/?ref_=fn_tt_tt_1  

7/19/2014

TORNEIO SUBURBANO DO BAIRRO IRAPUÁ

Esse time ( foto ), o Palmeiras de Evandro, se não me falha, há quarenta e cinco anos disputava, no campo do bairro Irapuá, um torneio suburbano, onde se consagrara campeão daquela temporada.

O nosso amigo Jurandir Miranda, nos enviou essa relíquia para exaltar aquela época romântica, que os anos não trazem mais. As jornadas líricas, à época, reunia toda aquela galera do Colégio Estadual, Primeiro de Maio e o pessoal do Industrial.

Podemos reconhecer, no retrato em preto e branco, os atletas Klinger, Midim, Evandro, Jesualdo ( Maninho ), Carlinhos Meiota e Bitonho; e, ainda, Benilton, Jurandir, Magão, Lulu e Marcelo.

Lembramos, também, certa vez, num desses torneios, Zequinha Futuca tinha receebido um cruzamento da direita, quando o craque acertou uma cabeçada nocanto superior à direita do goleiro Chico Cobra Preta.

O detalhe é que, instantaneamente, o bandeirinha Cangati apita "ofisaide" de Zequinha. Nervoso, irado e exaltado, Futuca olha para o bandeira com as mãos nos quartos, respira e esculhamba:

- Só se for a banheira de tia mãe!!!

7/17/2014

FALECEU PAULO VIANA

No início da tarde desta quinta-feira (17), entrou em óbito o empresário florianense Paulo Viana, genro do vereador Manoel Simplício.

Paulo Viana, que era esposo da professora Marisol Simplício e pai da Secretária do Meio Ambiente Manuella Simplício, faleceu por volta das 14h00, no Hospital São Paulo, em Teresina, onde o mesmo estava internado desde a última segunda-feira (14), após apresentar problemas de saúde.

O corpo do empresário deve chegar à cidade de Floriano no início da noite, e será velado no Memorial Floriano, situado no bairro Manguinha.

Fonte: florianonews.com

7/10/2014

ESCOLA NORMAL


Colaboração: Seu Nelson Oliveira

1929 foi um ano excepcional para educação em Floriano. Além do Grupo Escolar Agrônomo Parentes, foi fundado o Liceu Municipal Florianense, e, anexo a ele, a Escola Normal Municipal de Floriano. Estabelecimentos que a cidade deve a uma plêiade (grupo) de homens de escol (nata, fina flor) entre os quais Dr. Osvaldo da Costa e Silva, Dr. Theodoro Ferreira Sobral, Dr. José Messias Cavalcante, com o apoio do deputado estadual, Dr. José Pires de Lima Rebelo.

A época caracterizava-se por um extremo elitismo na educação que se traduzia principalmente no excesso de cautelas e exigências com que as autoridades procuravam cercar a instalação de escolas. E o LICEU não pôde ter vida longa. Em 1932, após frustração e desastres, como bem expressa o Dr. Osvaldo da Costa e Silva, em uma entrevista concedida a revista “ZODÍACO” dos alunos do Ginásio Demóstenes Avelino de Teresina, encerrou suas atividades.

O pretexto para o fechamento compulsório foi à deficiência do gabinete de física e química. Esse gabinete deficiente para os técnicos do Ministério da Educação e Saúde eu conheci.

Ocupava toda uma sala. E comparando-se com os laboratórios dos estabelecimentos de hoje, que os possuem, era sem dúvida riquíssimo.
Mas fechado o LICEU, a Escola Normal continuou. E foi por muitos anos o único estabelecimento de ensino pós primário com que puderam contar os jovens florianenses que desejavam continuar seus estudos e não tinham recursos para estudar fora.
ESCOLA NORMAL DE FLORIANO – 1937

1ª Fila sentados (Esquerda para a Direita): João Francisco Dantas (Professor), Alzira Coelho Marques (Professora), Fernando Marques (Professor), Não recordo o nome, Antonio Veras De Holanda (Fiscal do Governo), Hercilia Barros Camargo (Diretora), João Rodrigues Vieira (Professor), Ricardina (Professora), Albino Leão da Fonseca (Professor),Emid Vieira da Rocha (Secretária);

2ª Fila: Ana Magalhães Gomes (Inspetora de Alunos), Américo de Castro Matos, José Vilarinho Messias, Djalma Silva (como aluno), Não recordo o nome, Ida Frejat, Maria do Carmo Alves, Adaíla Carnib, Zuleica Santana, Aldenora da Silva Correia, Horácio Vieira Rocha, Antonio Alves da Rocha, Jose de Araujo Costa, Nely Paiva (Inspetora de Alunos);

3ª Fila: Maria Adélia Waquim, Clarice Fonseca, Iete Freitas, Não recordo o nome, Hilda Carvalho, Maria Amelia Martins, Lenir de Araujo Costa, Zizi Neiva, Maria do Carmo Castelo, Assibe Bucar, Dayse Sobral, Francisca, Lucinda Vilarinho Messias;

4ª Fila: Não recordo o nome, Maria da Penha Sá, Não recordo o nome, Maria Constancia de Freitas, Não recordo o nome, Não recordo o nome, Maria Henriqueta Franco, Judith Martins, Maria do Carmo Ramos,, Maria Miranda, Zélia Martins de Araujo Costa, Maria Lilita Vieira, Nilza Araújo, Antonieta Martins, Ecléia Frejat. - Acervo do Profº Djalma Silva).

Escola voltada para a formação de professores primários, isolada, sem qualquer vínculo com o curso superior ou mesmo com o curso secundário. Quem a cursasse e no decorrer do curso pretendesse passar para uma escola secundária a única que dava acesso ao curso superior, tinha de fazer exame de admissão e entrar na primeira série.

Alem disso, escola incompleta. Dos 5 anos que constituiu o curso normal propriamente dito, ministrava as 3 primeiras séries, devendo aqueles que quisessem diplomar-se, ir para Teresina.

Cursei a Escola Normal Municipal de Floriano de 1934 a 1937, e a ela sumamente grato por me ter possibilitado continuar meus estudos há dois anos interrompidos por falta de recursos para ir estudar em outras praças, e por ter me proporcionado o encontro com uma profissão que tem sido a razão de ser da minha vida.

Primeiro fazia-se um curso propedêutico (preliminar) de dois anos, anexos a escola – o Curso de Adaptação. Este curso eu a fiz de 1934 para 1935, minha classe era mais menos numerosa. A maioria mulheres. Entre colegas recordo-me: Maria da Costa Ramos (1), Judith Martins, Zuleide Santana, Hildinê Silva, Helena Reis, Assibe Bucar (2), Amália Nunes (3), Maria Lilita Vieira, Maria da Penha Sá, Olavo Freitas, Heli Rodrigues, Horácio Vieira da Rocha, Américo de Castro Matos, Milton Chaves (4), Raimundo Noleto e Joaquim Lustosa (5).

Na vigilância estava Dona Carmosina Batista, muito dedicada mas fiel cumpridora das ordens emanadas da direção da Escola. Nos intervalos das aulas os alunos tendiam conversar descontraidamente. Dona Carmosina Batista, bradava: - Silêncio! E se alguém se excedia nas atitudes ela ameaçava!

- vou dar parte ao diretor!

E dava mesmo. E o denunciado podia, conforme a falta, pegar uma simples repreensão ou logo uma suspensão.

Eu, não obstante pacato, fui denunciado duas vezes. Na primeira o diretor me repreendeu e advertiu:

- Não faça outra.

Mas acabei fazendo. Em acordo com Olavo Melo e Milton Chaves. Não me lembro o que fizemos.

Sei que não foi coisa grave. Porém como éramos reincidentes ou já tínhamos sido repreendidos, pegamos 3 dias úteis de suspensão.
Dos professores que recordo: Dr. Manoel Sobral Neto (6) também diretor, que lecionava francês; Dr. Rodrigues Vieira, que lecionava Geografia; Alceu do Amarante Brandão, que lecionava português; Dalva Nascimento que lecionava aritmética e parece-me que ciência.

O curso de Adaptação era previsto para dois anos. No fim do primeiro foi nos facultado aproveitar o período de férias para fazer as disciplinas do segundo ano. De sorte que em 1935 os aprovados puderam matricular-se no 1º ano do curso normal.

NOTAS IMPORTANTES:

1. Filha do Sr. Ramos da Farmácia Sobral;
2. Irmã do Sr. Arudá Bucar;
3. Funcionária dos Correios parenta do Senador Helvídio Nunes, de Picos;
4. Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, irmão da Dona Nazinha, esposa do Sr. José Cronemberger dos Reis e consequentemente tio de Antonio Reis Neto, Airton Arrais Cronemberger, Antonio José e Paulo;
5. Deputado Federal pelo Piauí, esposo em segunda núpcias, da Doutora Afonsina Nogueira;
6. Fundador do Instituto Santa Teresinha que depois passou denominar-se Ginásio Santa Teresinha, e também seu diretor por mais de 40 anos.

Transcrito do Jornal de Floriano Edição nº 324 de 1985

Pesquisa: César de Antonio Sobrinho.

Fotos: A rquivos Prof. Djalma Silva - 1929

7/09/2014

Profº Luiz Paulo e Amarelinho recebem a Medalha Agrônomo Parentes

A sessão solene foi com presenças de familiares dos  homenageados, vereadores, líderes de entidades e ainda muitos populares.  De acordo com informações, a homenagem teria partido do prefeito de Floriano.

amarelinholuiizNuma solenidade realizada no prédio da Câmara Municipal de Floriano, o escritor e professor Luiz Paulo, foi agraciado numa sessão solene, com a maior honraria de Floriano que é a Medalha do Mérito Agrônomo Parentes. O servidor público e um dos membros da comunicação, Renato Costa (repórter Amarelinho), também foi homenageado com medalha.


A comenda Agrônomo Parentes é dada às pessoas que não são filhas de Floriano, mas que tenham serviços prestados de alguma forma à cidade. Durante os discursos na sessão, os convidados estavam atentos as colocações feitas, não tão somente pelos homenageados, mas pelas autoridades locais.  A cerimônia foi nessa noite de segunda-feira, 7.

7/08/2014

FLORIANO, 117 anos

Hoje, a nossa querida Princesa do Sul já está completando seus 117 anos de emancipação e, aos trancos e barrancos, o seu povo vai conseguindo superar as dificuldades do dia a dia.

Somente o seu povo bravo e resistente vai superando o momento atual, sempre com a esperança de um futuro melhor.

Que os que comandam a cidade possam buscar de maneira digna e inteligente os pleitos que Floriano merece.

PROGRAMAÇÃO DE ANIVERSÁRIO 


01/07/2009 (QUARTA-FEIRA)

05:00h - ALVORADA (CONCENTRAÇÃO NO PÁTIO DO ESTÁDIO

TIBERÃO)

08:00h - HASTEAMENTO DAS BANDEIRAS DA REPÚBLICA

FEDERATIVA DO BRASIL, DO ESTADO DO PIAUÍ E DO

MUNICÍPIO DE FLORIANO NA PRAÇA PETRÔNIO PORTELA

(PREFEITURA MUNICIPAL)

17:30h - INAUGURAÇÃO DA QUADRA DE ESPORTES NA PRAÇA DA

BANDEIRA

18:00h - ARRIAMENTO DAS BANDEIRAS DA REPÚBLICA FEDERATIVA

DO BRASIL, DO ESTADO DO PIAUÍ E DO MUNICÍPIO DE

FLORIANO, NA PRAÇA PETRÔNIO PORTELA (PREFEITURA

MUNICIPAL)

20:00h - V FESTIVAL DE FOLGUEDOS DE FLORIANO – AV.

ESMARAGDO DE FREITAS (CAIS DO PORTO)

02/07/2009 (QUINTA-FEIRA)

08:30h - INAUGURAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA

ESCOLA MUNICIPAL RIBAMAR LEAL

16:30h - INAUGURAÇÃO DA PAVIMENTAÇÃO POLIÉDRICA DO

POVOADO TABULEIRO DO MATO, TOTALIZANDO 3.135,60 m²

03/07/2009 (SEXTA-FEIRA)

16:00h - INAUGURAÇÃO DA PAVIMENTAÇÃO POLIÉDRICA DO

POVOADO AMOLAR, TOTALIZANDO 9.306,60 m²

04/07/2009 (SÁBADO)

08:30 - INAUGURAÇÃO DO SISTEMA SIMPLIFICADO DE

ABASTECIMENTO D`AGUA NO BAIRRO CAJUEIRO II

05/07/2009 (DOMINGO)

08:00h - PASSEIO CICLÍSTICO PELAS PRINCIPAIS RUAS E AVENIDAS

DA CIDADE. SAÍDA DA PRAÇA CORONEL BORGES E

CHEGADA NA AVENIDA ESMARAGDO DE FREITAS (CAIS DO

PORTO).

10:30h - IX MOTOCROS DE FLORIANO – PI

BR 343 KM 05 (PRÓXIMO AO PARQUE DE EXPOSIÇÃO

RAIMUNDO MAMED DE CASTRO)

16:00h - ENTREGA DA RESTAURAÇÃO DA PONTE SOBRE O RIO

ITAUEIRA NA LOCALIDADE BARRA DO COQUEIRO

06/07/2009 (SEGUNDA-FEIRA)

08:00h - INAUGURAÇÃO DO SISTEMA SIMPLIFICADO DE

ABASTECIMENTO D`AGUA NA LOCALIDADE VILA DO BÉ

10:00h - INAUGURAÇÃO DO SISTEMA SIMPLIFICADO DE

ABASTECIMENTO D`AGUA NA LOCALIDADE PILÕES

07/07/2009 (TERÇA-FEIRA)

08:00h - ENTREGA DA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA

MUNICIPAL HERMES PACHECO NA LOCALIDADE PORTEIRAS

09:30h - ENTREGA DA REFORMA DA ESCOLA MUNICIPAL ANTÔNIO

GOMES NA COMUNIDADE SACO

- ENTREGA DA REFORMA DO CHAFARIZ E DA LAVANDERIA DA

COMUNIDADE SACO

21:30h - ARRASTÃO DE ANIVERSÁRIO DA PRINCESA DO SUL

(FLORIANO-PI), COM CONCENTRAÇÃO E SAÍDA NA AVENIDA

BUCAR NETO (PRÓXIMO À RODOVIÁRIA) E TÉRMINO NA

AVENIDA ESMARAGDO DE FREITAS (CAIS DO PORTO)

08/07/2009 (QUARTA-FEIRA)

08:00h - HASTEAMENTO DAS BANDEIRAS DA REPÚBLICA

FEDERATIVA DO BRASIL, DO ESTADO DO PIAUÍ E DO

MUNICÍPIO DE FLORIANO, NA PRAÇA DR SEBASTIÃO

MARTINS

08:30h - MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS NA CATEDRAL SÃO PEDRO DE

ALCÂNTARA

09:30h - INAUGURAÇÃO DO CAPS – CENTRO DE ATENÇÃO

PSICOSSOCIAL “MARIA ALICE MARTINS DE CARVALHO” NA

RUA FERNANDO MARQUES.

18:00h - ARRIAMENTO DAS BANDEIRAS DA REPÚBLICA FEDERATIVA

DO BRASIL, DO ESTADO DO PIAUÍ E DO MUNICÍPIO DE

FLORIANO, NA PRAÇA DR SEBASTIÃO MARTINS

19:00h - CULTO EM AÇÃO DE GRAÇAS, SEGUIDO DE SHOW GOSPEL NA

AVENIDA GETÚLIO VARGAS

OBS: NOITES CULTURAIS – APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS

DIAS 30/05 E 01/07/2009 – V FESTIVAL DE FOLGUEDOS DE

FLORIANO

DIAS 02, 03, 04 E 05/07/2009 – APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS

LOCAL: AV. ESMARAGDO DE FREITAS (CAIS DO PORTO)

HORA: 20:00h

7/06/2014

FUNDAÇÃO FLORIANO CLUBE LANÇA NOVO LIVRO


3a. Edição da Coleção FLORIANENSES


Na noite do último sábado (05), a Fundação Floriano Clube lançou a terceira edição  da "Coleção Florianenses”. O evento aconteceu no auditório da Associação Comercial de Floriano, na Avenida Eurípedes de Aguiar e contou com a presença de autoridades políticas, escritores, empresários, religiosos e populares.


A "Coleção Florianenses”, criada com o objetivo de homenagear pessoas que se destacaram na cidade, contemplou em seu primeiro volume, 10 personalidades locais. No segundo volume foram 23 pessoas e neste terceiro trabalho a obra exalta a história de 18 munícipes. Além de trazer o perfil biográfico dessas personalidades homenageadas, o livro contém também a parte iconográfica, com fotografias.

A terceira edição da coleção traz Ariosto Martins, Amâncio Calland, Anésio Batista, Chico Lima, Dom Augusto Rocha, Iran Frejat, Edmundo Gonçalves, Filó Soares, Hagem Mazuad, Jovina Mendes, José Frejat, Jofran Frejat, José Luiz Albuquerque, Noemi Melo, Pedro Cronnemberger, Rosa Ribeiro, Tibério Nunes Filho e Veras de Holanda.

O primeiro volume da "Coleção Florianenses" foi lançado durante as comemorações dos 115 anos de Floriano e a cada ano, durante o aniversário da cidade, a incansável equipe da "Coleção Florianense" tem lançado um novo livro.

Para as próximas edições a equipe composta por Cristovão Augusto Soares de Araújo Costa, Luiz Paulo de Oliveira Lopes, Rosenitta De Carvalho Attem e Teodoro Ferreira Sobral Neto, já tem coletado e organizado material de quase 200 pessoas.

Fonte: florianonews.com

7/04/2014

FESTEJOS NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

Foram encerrados na última quarta-feira (02), os festejos em honra a Nossa Senhora das Graças, padroeira da cidade de Floriano, que teve início no dia 23 de junho. Durante os dez dias foram realizadas novenas, missas, terço, batizados e as tradicionais barracas com comidas típicas e artigos religiosos.

O encerramento da festa religiosa reuniu muitos fiéis, no qual participaram da procissão que percorreu algumas ruas do bairro Ibiapaba e terminou com a celebração da Santa Missa, na quadra do Colégio Industrial São Francisco Assis.

Mais uma vez, a realização do festejo de Nossa Senhora das Graças envolveu um grande número de pessoas, que de forma gratuita se dedicaram a ajudar na realização do evento religioso.

De acordo com o Frei James Carneiro, o festejo de Nossa Senhora das Graças que é comemorado há 46 anos na cidade de Floriano foi o último a ser realizado na paróquia local como comunidade franciscana da província de Nossa Senhora das Graças em Benevento-Itália. De agora em diante, o Festejo de Nossa Senhora das Graças, será realizado na província franciscana de Nossa Senhora da Assunção em Bacabal-MA.

“Graças a Deus estamos concluindo esse festejo de Nossa Senhora das Graças num momento saudoso em que a gente faz o último festejo como fundação franciscana, que agora passa a província mais graduada na cidade de Bacabal”, disse Frei James Carneiro.

Fonte: florianonews.com

7/03/2014

FACELEU HAROLDO DE CASTRO LIMA


Haroldo no comando do Escotismo local

A cidade de Floriano encontra-se de luto, é com muita tristeza e pesar que comunicamos o falecimento do Haroldo de Castro Lima.

Era florianense, bastante conhecido, foi Vice-Prefeito na chapa do Sr. José Bruno dos Santos e atuou no comando do Escotismo local, ensinando e orientando jovens na formação para a cidadania.

Haroldo residia na Rua Mal. Pires Ferreira no centro da cidade, casado com Maria Demes, tinha os filhos: José Demes de Castro Lima (Ieié) e Francisco César Demes de Castro Lima (Chico Demes).

Foi velado no Memorial Floriano na Bairro Manguinha.





7/01/2014

Coleção FLORIANENSES

Será lançado dia 05 de julho próximo, no auditório da Associação Comercial de Floriano, na avenida Eurípedes de Aguiar, às 20 horas, o Volume 03 da Coleção FLORIANENSES, editado pela Fundação Floriano Clube.

Para este Volume, a Fundação Floriano Clube homenageia Ariosto Martins, Filó Soares, Amâncio Calland, Edmundo Gonçalves,Jovina Mendes, José Luís Albuquerque, Anésio Batista, Iram Frejat, Chico Lima, Veras de Holanda, Tibério Nunes Filho, Rosa Ribeiro, Hagem Mazuad, Noemi Melo e, ainda, Dom Augusto Rocha, Maria Hermínia Sobral, José Frejat, Pedro Cronemberger e e Jofran Frejat.

Segundo o Coordenador do evento, Cristóvão Augusto, posteriormente, numa data ainda ser programada, o Volume 03 da Coleção FLORIANENSES será lançada em Teresina e Brasília.