9/08/2013

ENTREVISTA COM CRISTÓVÃO AUGUSTO

Foto: Luiz Alberto Sanches -  
(Jornalista Deoclécio Dantas, filho de florianense 
e autor do prefácio do primeiro volume 
ao lado de Cristovão Augusto, coordenador
 do projeto)



Fonte: cabeçadecuia.com

Para saber mais detalhes da Coleção FLORIANENSES e sobre a Fundação Floriano Clube, o www.cabecadecuia.com conversou com o florianense Cristovão Augusto Soares de Araujo Costa, um dos organizadores do livro e da Fundação. Cristovão trabalhou por muitos anos em Brasília no Ministério da Educação, Ibama e no Senado, onde no Prodazem foi um dos quatro coordenadores da Constituinte e de várias CPIs,como as do Orçamento, Anões e Collor. Foi também chefe da assessoria especial do governo de Maria de Lurdes Abadia, no Distrto Federal.

cabecadecuia.com - Como e para que nasceu a Fundação Floriano Clube?

Cristovão Augusto - "O Floriano Clube foi fundado em 1938 mas estava abandonado há alguns anos. Então os sócios proprietários se reuniram e criaram a Fundação Floriano Club, uma entidade sem fins lucrativos e que trabalha para preservar, promover, desenvolver, incentivar e manter toda e qualquer manifestação cultural, além de promover a manutenção e recuperação de bens materiais e preservar o patrimônio histórico, arquitetônico e paisagístico da cidade de Floriano. A Fundação luta para preservar a história local, o folclore, a culinária e tudo o que venha a compor aspectos da tradição florianense. Nós já temos a projeto arquitetônico para o novo prédio, uma doação do Dr. Avelino Neiva. Inclusive toda a documentação já foi regularizada em cartório, em nome da Fundação. Estamos agora procurando meios e recursos para viabilizar essa construção."

"No ano passado, nessa epóca, durante as comemorações dos 115 anos de Floriano, nós lançamos o primeiro volume da "Coleção Florianenses", que objetiva recuperar e divulgar o perfil com dados biográficos, daquelas pessoas que contribuiram com a história da cidade. No primeiro volume nós trouxemos 10 pessoas. Já no próximo dia 07 de julho,nós faremos o lançamento do segundo volume com 23 pessoas. Além de trazer o perfil biográfico dessas personalidades homenageadas, o livro contém também a parte iconográfica, com fotografias. Para as próximas edições já temos relacionados 193 florianenses, e sabemos que há muitos mais a serem cadastrados."

cabecadecuia.com - Essa iniciativa recebe o apoio de quem?

Cristovão Augusto - "Essa iniciativa conta com o apoio dos florianenses, por enquanto. Ainda não conseguimos viabilizar outro tipo de apoio financeiro. Para esta segunda edição,solicitamos o apoio da Prefeitura de Floriano, mas ainda estamos aguardando uma resposta. Estamos propondo ao prefeito que nos ajude, comprando de 100 a 200 volumes de cada edição, para distribuir nas escolas, no município ou mesmo para presentear aos visitantes da cidade, enfim...Estamos ainda aguardando uma resposta da prefeitura."

"Quanto ao projeto arquitetônico da nova sede, iremos desenvolver um trabalho junto a orgãos do Estado, como a secretaria de Cultura, secretaria de Turismo, para sabermos como poderá ser viabilizada uma ajuda. Vamos buscar recursos também junto a orgãos federais como o Ministério da Cultura e Ministério do Turismo. Vamos também procurar os parlamentares piauienses, para tentarmos viabilizar algum tipo de verba, já que a Fundação não tem fins lucrativos e visa preservar o patrimônio histórico da cidade. No novo projeto arquitetônico, o salão de festas do antigo clube, por exemplo, será preservado. As novas instalações terão espaço para salas para escola de música, escola de dança, culinária e inclusão social. Haverá também um cinema, um mini-shopping com lojas e praça de alimentação, que serão alugados para ajudar na manutenção  do local.

cabecadecuia.com - Esta parece ser uma iniciativa pioneira no Estado. O senhor conhece algo parecido nos municípios piauienses?

Cristovão Augusto - Eu não conheço e algumas pessoas já me disseram que também não conhecem, principalmente esta iniciativa de ter livros publicados, com perfis biográficos de cidadãos que contribuiram para história da cidade.

cabecadecuia.com - De todo o material coletado até agora, muita coisa interessante e rara deve ter sido encontrada. O que o senhor destacaria como algo que foi recuperado para a história de Floriano?

Cristovão Augusto - "Eu destaco como raro, eu diria raríssimo e interessante, um bilhete do própio punho do ex-presidente Juscelino Kubitschek, datado de 17 de maio de 1955, quando esteve em Floriano em campanha para a presidência da República, e fez um bilhete para o então prefeito da cidade, Sebastião Martins Um outro bilhete, também de Juscelino, já eleito e também para o prefeito Sebastião Martins, onde ele pede que ele o represente num batizado de uma criança em Floriano."

"O lançamento da próxima edição acontecerá no próxmo dia 7 de julho, em Floriano, durante as comemorações dos 116 anos da cidade, no Espaço Cultural  Maria Bonita, um prédio que também tem um valor histórico muito grande para os florianenses, que foi inicialmente uma capela e depois passou abrigar a Usina Elétrica. O espaço ficou em ruínas, mas conseguimos recuperar no governo de Hugo Napoleão e do secretário Jesualdo Cavalcanti. Hoje o local funciona como se fosse um teatro."

cabecadecuia.com - Além de adquirir os exemplares das edições já lançadas, como o florianense poderá contribuir com a Fundação?

Cristovão Augusto - "O florianense pode participar de várias formas, mas o que mais nós queremos é o envolvimento das pessoas. Que os florianenses participassem mais e que não esperassem que a coisa acontecesse. Um documento valioso, uma informação... Sabemos que a ajuda financeira é dificil. O que queremos é a participação, o envolvimento. Se isso acontecer e o florianense se envolver de verdade... Isso é o que a gente busca. Existem outras pessoas que participam ativamente do projeto como o Luiz Paulo de Oliveira Lopes, a Rosenilta de Carvalho Attem, o Teodoro Ferreira Sobral Neto, o Avelino Neiva e que podem ser procuradas.


Nenhum comentário: