7/31/2013

Teresina e Floriano se destacam no IDH do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013


O Piauí agora conta com duas cidades com alto nível de desenvolvimento humano. Teresina e Floriano ficaram dentro da média estabelecida pelo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), divulgado nesta segunda-feira (29) dentro do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013. Na contramão dos resultados positivos, o Estado ainda conta com seis das 32 cidades brasileiras de nível muito baixo. 

O IDHM é elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que analisa mais de 180 indicadores socioeconômicos do Censo, produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice avalia longevidade, educação e renda, em uma escala que vai de 0 a 1. 

Entre 1991 e 2010, o Brasil cresceu seu IDHM de 0.493 para 0.727, uma elevação de 47,8%. No mesmo período, o Piauí elevou seu índice de 0,362 para 0,646, sendo o 24º entre as unidades federativas. O melhor desempenho do Estado é no índice de longevidade (0,777), seguido de renda (0,635) e educação (0,547). 
Na faixa das cidades com IDHM médio estão outros 40 municípios piauienses, com melhores resultados para Picos (0,698), Parnaíba (0,687) e Bom Jesus (0,668).

No fim da lista, estão 32 municípios com IDHM muito baixo (abaixo de 0,500), apesar de terem apresentado crescimento na última década. Entre os 20 piores estão São Francisco de Assis do Piauí (0,485) e Caxingó (0,488). O menor índice do Brasil é Melgaço, no Pará (0,418). 

Escolhidos como pilotos do programa "Fome Zero", da gestão de Luiz Inácio Lula da Silva como presidente do Brasil, Guaribas e Acauã elevaram seus índices e hoje estão na faixa de IDHM baixo (entre 0,500 e 0,599). 

Municípios

Apenas 40 municípios brasileiros estão com IDHM considerado muito alto (0,800 a 1). Dos com índice apenas alto (0,700 a 0,799) estão Teresina (0,751) e Floriano (0,700). 

No comparativo com as capitais, Teresina aparece na 21ª posição, estando a frente apenas de Maceió (AL), que obteve IDHM igual a 0,721. Mas o município piauiense ainda aparece melhor que Belém (PA), que teve IDHM 0,746, e Manaus (AM), com índice 0,737.

Fonte: cidadeverde.com

2 comentários:

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Importantíssimo este indicador (IDHM 0,77 - alto nível). Para um estado pobre, uma cidade do interior alcançar esta marca é de suma importância. Acho que esta marca deva ser creditada muito ao seu povo, com alto índice de educação. Acho que este item pesou muito. Agora vejo que o Governo do Estado vem procedendo algumas melhorias na cidade. No passado isto não era significativo. O Governo Federal então! Pouco fez e o que fez deixou como legado o trambolho de uma usina de biodiesel que só serviu para levar votos para seu idealizador. Está lá, dando prejuizo. A propósito, quem está bancando as despesas daquilo, será que é o município? Tibério Melo-Rio de Janeiro.

Gilberto disse...

Boa pergunta Tibério.

O mais impressionante é que alguns desavisados ou ingênios elogiam demasiadamente o ideializador daquele trambolho que, até agora, nenhum benefício trouxe para a cidade.
É uma pena que recursos públicos sejam despediçados e jogados fora com tamanho descalabro.
O que mais me pertuba é a omissão da sociedade civil quanto a esse verdadeiro acinte ao povo ordeiro e trabalhador da nossa querida terra.