6/28/2013

RETRATOS


Foto arquivo M. Guimarães

Ah, quanta saudade daquela antiga praça, das fontes luminosas, dos bambuais e dos seus arvoredos em sua volta, e da velha Sertã, do seu sobe e desce.

O bar Carnaúba e o bar São Pedro, também era ponto de encontro de amigos e saudosistas, onde reinava um bom papo.

A gurizada, também, desfrutando naquele corre, corre sem fim, dos balacondês e brincando de pega, e os enamorados circulando em braços dados.

"A mesma praça, aquele banco, as mesmas flores do mesmo jardim; tudo é igual, mas estou triste, porque não tenho ( mais ) você perto de mim", diz a canção.

São lembranças para afastar a melancolia e um referencial para suportar essas desilusões descabidas.

Um comentário:

Arnaldo Leite disse...

Amigo Marinho,
Vendo esta foto de "Mecha Branca", lembro com saudade do tempo em que na nossa praça as meninas rodavam num sentido e os meninos, encantados com elas, giravam no sentido oposto.
Muito bom.
Saudades....
Abraço.
Arnaldo Leite Pereira.