5/15/2013

TRIBUTO A CHICO LISTA

DEPOIMENTO

( Gilberto Moura Lima )

Realmente!
 
A notícia é muito triste.

Que pena constatar que os nossos amigos de infância estão nos deixando prematuramente.

Qual foi a causa da morte?

Muito embora carregado de melancolia, registro a gratidão pela informação.
O momento é de pezar, mas não custa nada rememorar os momentos de alegria e descontração que desfrutávamos quando criança na nossa querida Floriano.

Vou contar um fato cujo personagem principal é o saudoso CHICO LISTA.

O ano, salvo engano, era 1968.

Pois bem.

Se encontrava na nossa Princesa do Sul em temporada, o famoso circo internacional "THYNI", por sinal, muito difícil de ser "varado".

Esse era o termo usado por nós para entrar por "baixo da lona" e assistir ao espetáculo, mesmo porque, naquela memorável época, dinheiro era a coisa muito rara, até mesmo para suprir as nossas necessidades básicas pelas nossas famílias. Que dirá para pagar entrada de circo.

O circo THYANI possuia cerca de arame farpado, difícil, assim de transpô-la.

Entretanto, nosso amigo CHICO LISTA, astucioso que só ele mesmo, além de sempre andar trajado decentemente, cabeleira cheia e bem penteada, ao estilo do seu genitor, Cícero Pintor, não teve dúvidas.
Chegou na frente do circo, comprou um pacote de amendoim na banca de dona Mulata, e, resoluto, sem dá qualquer mancada, saiu saboreando as amêndoas, dirigindo-se à portaria daquela casa de espetáculo, muito confiante em si.

Quando abordado pelo porteiro, que lhe exigiu o ingresso, CHICO LISTA, altaneiro, cheio de moral e categoria, falando grosso, respondeu: "Me respeita, rapaz, tú não viu eu saindo agora mesmo?", para em seguida galgar o interior daquele estabelecimento e nos deixar de boca aberta, com inveja, com a sua esperteza.

Presenciaram o episódio hilariante, esse signatário; Zé Buraco; Nelson Júnior, Kebinha, "cabeça de facão"; Valdenor, também conhecido como Nêgo Val; Nonatinho; Raimundo Anjo; Ribinha, dentre outos que faziam parte da nossa galera que, hoje, seria denominada de "gang".

É saudável e gratificante reviver esses momentos inesquecíveis que tivemos na infância, sadia por natureza, cheia de aventuras e felicidades tantas, apesar de todas adversidades enfrentadas.

A felicidade é um estado de espirito.
 

2 comentários:

JAIR FEITOSA disse...

Eu gostava de perceber que em muitas ocasiões ele se vestia com camisas listradas fazendo jus ao apelido.

Foi uma pena ter morrido tão cedo.

Abraço.

Jair Feitosa.

gilberto lima disse...

Oh. Jair.
Bem lembrado.
Aproveito para retificar o nome do genitor de CHICO LISTA, grafado como Chico Pintor, mas que na verdade, era Cícero Pintor.
Aproveito, também, para dizer da grande estima que sempre devotei à família Feitosa de Floriano que vai desde o Sr. Manoel Feitosa; Sr. Dezinho, que na sua quitanda, muito "fiado" vendera à minha querida mãezinha, e, como não poderia deixar de listar, o seu genitor, Senhor Juarez.

Talvez ele nem se recorde, mas o Senhor Juarez passou a ser admirado e estimado por todos da minha família, quando nos idos de 1973, no seu caminhão chevrolet, tão conhecido de todos, deu carona ao meu irmão Carlos, da cidade de S.J. dos Patos/MA, até Floriano, posto que fugia da políca, porque não queria casar, posto ter "mexido" com uma moça daquela terra.
A bondade do Senhor Juarez foi providencial, e o seu gesto ficou para sempre gravado nos nossos corações.
Um forte abraço e que Deus dê muita saúde ao Senhor Juarez.

São Luis/MA.
Gilberto de Moura Lima.