7/23/2012

REENCONTROS


Reencontro de Junho
O nosso reencontro mensal, programado para o dia 28 de julho próximo, devido às férias, vai ficar transferido para o mês de agosto vindouro, dia 25, no Eldorado Cantry Clube no bairro São João a partir de 11 horas.

Aqueles que já estão com com a sua frequência em dias, se programem e, aqueles florianenses que desejam participar, não há problemas, estaremos recebendo a todos com grande alegria.

Bar do Roberto
O importante é participar desses momentos, para que possamos reviver o passado com um bom bate papo, como nas fotos, em reencontros memoráveis que fizemos ao longo de muitos carnavais em floriano e outros momentos em Teresina.

Tivemos reencontros em vários lugares, como no bar Marrom Glacê do nosso amigo Ozires, na casa da Aninha, no bar do Roberto, com a participação de várias figuras ilústres da velha guarda de Floriano.


Churrasco na casa da Aninha
 Puluca, Ubaldo, Kanguri, Chicolé, Iran, Cristóvão, Genisson, Nonatinho, Astrobaldo, Valdecy, Pauloínho, Silva, Bené, Dedé, José Uilson, Joaquim, Julimar, Chiquinho, Gerardim, Bal, Hélio, Jairo, Luiz Carvalho, José Afonso e muitos outros que sempre estão no contexto.

Precisamos estar sempre ligados, revitalizar esses momentos, para que aqueles bons momentos sejam preservados através de fatos e episódios vividos por todos nós.
O futebol, o carnaval, as tetúlias, as festas da Mustang, do Floriano Clube, do Comércio, a Beira do Rio, o cais do porto, a Taboca, o Meladão, a Vereda Grande, a AABB, a praça, o cinema e muitos outros lugares que estão sempre nas nossas lembranças.

Quem não se lembra, por exemplo, das grandes jornadas esportivas, vividas no Campo dos Artistas, times consagrados como o Botafogo de Gusto, o São Paulo de Carlos Sá, o Fluminense de Fabrício, o América de Bezerra.

Dos banhos no Meladão, as descidas do Parnaiba em bananeiras e câmaras de ar, as coroas do rio, as pescarias e as festas da jovem guarda no Salão Paroquial.
Residência de Pauloínho

Lembramos, aqui, da história narrada pelo nosso amigo Kanguri, quando de um amistoso em Jerumenha, onde a presença de Chicolé, ponteiro esquerdo do futebol amador de Floriano, era de suma importância.
O detalhe é que naquele tempo, os nossos pais eram rígidos e Chicolé tinha que viajar escondido, para dar tempo d´ele jogar e voltar para Floriano sem o seu pai percebesse. O famoso Deoclecinho, que gostava de velocidade, acelerou a sua pick up e foi buscar o craque para o jogo.
Após a competição, depois do olé de Chicolé, Deoclecinho foi levar o craque de volta a Floriano; deixa que havia uma mulher grávida para levar às pressas para a maternidade em Floriano e, também, o seu Zé Leonias, aproveitando a deixa, pedira uma carona.
Quando Deoclecinho acelerou, voou, tanto que as árvores do acostamento se curvavam com o vento provocado pela velocidade do carro de Deoclécio. Seu Zé Leonias, de repente, apavorado, no meio da estrada, pede pra parar, gritando que o seu chapéu tinha voado:
- Vocês podem ir na frente, que eu vou esperar, mesmo,  o expresso!
Para ele não ficar sozinho no meio da carroçal, Chicolé decidira ficar com ele para esperar o expresso.
- Não se preocupe, seu Zé, vamos pegar o seu chapéu e esperar o ônibus! – disse Chicolé.
Seu Leonias, arretado, aliviado, respondera:
- Que nada, meu rapaz, eu fiz isso de propósito, pois o diabo é quem viaja mais com aquele doido do Deoclecim...






Nenhum comentário: