5/17/2012

PARA O RESGATE DA MEMÓRIA DA CIDADE

DOS ANOS QUARENTA AOS DIAS ATUAIS

Pedro Apóstolo - O Cidadão

Foto: Jair Feitosa
( Transcrito do Jornal de Floriano, edição nº 446 de 01 a 07 de setembro de 1985 )

Pesquisa: Nelson Oliveira e Silva

Dentre as famílias florianenses de origem humilde, destacamos nesta oportunidade, a família Silva, cujos antepassados eram lavradores do nosso município, mas que pela força de vontade, lutaram para que seus filhos, netos e bisnetos viessem alcançar uma projeção intelectual e social.

Para isso, foi necessário a visão de futuro, fazendo com que o capitão Pedro José da Silva e sua esposa, dona isaura maria de Sousa e Silva, se deslocassem da fazenda Brejo, com 16 filhos para Floriano, onde a prole poderia estudar e progredir.

Seus sacrifícios não foram em vão e, ainda hoje, refletem como exemplo nos jovens dessa família.

Pedro Apóstolo de Carvalho, um dos neto do casal comerciário ( 1 ) em nossa cidade, pobre, mas antes de tudo um batalhador, formou, ontem, na Universidade da Paraíba, Campus de Campina Grande, em Engenharia Química, a sua caçula Ondina ( na foto acima ).

O casal Pedro Carvalho e Socorro tiveram seis filhos: José, Antonio Augusto, Paulo, Carlos, Pedero Filho e Ondina, os quais, aproveitaram o sacrifício dos pais e estão, hoje, formados, contando para isso com a colaboração de Raimundinha Carvalho, professora de tradição da nossa cidade ( 2 ).

Este fato é importante ser ressaltado, como exemplo de força de vontade e trabalho de uma família pobre, mas com visão de futuro. Serve, também, para que possamos entender a personalidade de Pedro, que apesar de mostrar uma aparência contestadora, é um homem que sempre acreditou no futuro de nossa terra, lutando contra os fatos que julga prejudiciais à comunidade.

Parabéns, Pedro e Socorro, pois vocês conseguiram vencer e este exemplo vai servir para que outras famílias reflitam melhor sobre seus filhos. Parabéns, Maria isaura da Silva ( 3 ), João Clímaco da Silva ( 4 ), os dois representantes da primeira geração do casal Pedro e Isaura, que testemunharam o início da luta dessa família. Parabéns, Floriano, pois te firmas como o berço da cultura nesta região, geradora de filhos que precisam fazer com que tu voltes a ser a verdadeira Princesa do Sul.

NOTAS EXPLICATIVAS, que complementam o texto original.

( 1 ) Salvo engano, foi dedicado funcionário da firma Machado & Trindade, da Parnaiba, estabelecida onde hoje é a sede da Caixa Econômica Fedeeral e que era gerenciada pelo senhor Tiago Roque de Araújo, pai do doutor Nazareno Soares de Araújo. Posteriormente, trabalhou por muitos anos na firma Fazendas Reunidas Raimundo de Castero S/A, que tem como comandante o nosso prezado contenrrâneo, doutor Filadelfo Freire de Castro, sempre demonstrando zelo por tudo aquilo que fazia. Apesar de mostrar uma aparência contestadora, como diz o texto, não o era. Foi Presidente do Comércio Esporte Clube, além de ter desempenhado outros cargos, usava o bomsenso em tudo aquilo que se propunha a realizar. E foi no seu tempo, sem dúvida, que aquele clube começou a evoluir e hoje aí está com uma estrutura de dar inveja a muita gente boa;

( 2 ) Além da sua tradição como professora competente, dona Raimundinha fundou também em nossa cidade um escola que funcionou durante muitos anos na Travessa entre a praça coronel Borges e a avenida Bucar Neto, no fundo do prédio do Hotel Brasil, com o título distintivo de " Imaculada conceição ", de quem por certo era devota calorosa pela sua condição de católica autêntica participante das grandes festas do nosso Padroeiro São Pedro de Alcântara, além de outras. Dona Raimundinha era irmã do nosso Pedro - O Cidadão;

( 3 ) Uma das destacadas funcionárias dos Correios em nossa cidade por mais de 40 anos, que por sua educação tratava a todos com respeito e carinho, e por isso era respeitada, não somente no seu trabalho, mas em toda a nossa sociedade. Morou por muitos anos na casa onde está instalada hoje a Funerária Floriano do nosso amigo Dario na rua Fernando Marques com a João Dantas. Se a nossa memória não estiver falhando, ela teve uma irmã de nome Júlia e que eu via a minha mãe chamá-la de dona Julinha. Na casa da dona Mariq Isaura viveram também Antonio Luiz do Monte, hoje conceituado advogado em nossa cidade e o Bergamini de cujo paradeiro não se tem notícia;

( 4 ) Velho lobo do rio Parnaiba, como comandante de vários vapores das empresas de transporte fluvial do senhor João Luiz da Silva e Petronio Oliveira, instrumentos importantes no transporte de mercadorias para todo o sul do Piauí e Maranhão e tinha a nossa cidade comoum entreposto de toda a carga, que era transportada por enormes barcaças puxadas pelos referidos vapores ou lanchas, que percorriam o trajeoto de Parnaiba a Vitória do Alto Parnaiba e atualmente denominada de apenas Alto Parnaiba no estado do Maranhão. Diante disso, João Clímaco da Silva, casado com dona Noeme, pai do doutor Airton, médico, doutor Nilson Coelho, arquiteto, Alboner, bom centroavante que saiu daqui para morar no estado do Pará, ou mais precisamente, em Belém, além de algumas senhoritas ou senhoras de cujos nomes não há jeito de recordá-los. A família João Clímaco, salvo erro ou engano, foi toda constituída onde hoje ainda mora a mãe de todos, dona Noeme.

EM TEMPO:


O texto principal dessa mensagem foi escrita pelo doutor Airton, sobrinho do homenageado, residente em Teresina e foi transcrita da edição de nº 446, do Jornal de Floriano, do dia 01 a 07 de setembro de 1985 - era um semanário - ficando restante das notas explicativas por conta do senhor Nelson Oliveira e Silva.





Nenhum comentário: