4/30/2012

PARA O RESGATE DA MEMÓRIA DA CIDADE

O FUTEBOL DE FLORIANO
GRÊMIO – CAMPEÃO SENSACIONAL
Por Carlos Augusto ( O Pompéia )

Transcrito do Jornal de Floriano de 23 a 29 12 / 1979
Grêmio e Ferroviário realizaram no último no último domingo no estádio Mário Bezerra, uma das partidas mais bem movimentada e emocionante dos últimos tempos em nosso futebol. Uma partida que durante toda a semana movimentou todos os desportistas locais, os quais esperavam com muita ansiedade o momento da pugna. Foi grande o número de apostas na cidade, já que Grêmio e Ferroviário possuem, inegavelmente, as duas maiores torcidas da cidade.
MOVIMENTO DO PLACAR
Sabendo que o Grêmio se constituía num sério e terrível adversário, a moçada do Ferroviário entrou em campo disposta a decidir o jogo logo nos primeiros minutos, aproveitando-se do melhor entrosamento. Zé Bruno fazia o primeiro gol do encontro, percebendo uma falha gritante do miolo da zaga gremista, após um escanteio, cruzamento de Dedé e deixada espetacular de Guilherme Júnior (1).
Este gol logo no início da partida mexeu com os nervos dos atletas do Grêmio, que partiram direto ao ataque e tentativa do seu gol de empate, faziam desordenadamente e disso o Ferroviário soube tirar proveito, alterando o placar para dois a zero, com mais um gol sensacional de Zé Bruno, desta feita, contando com a colaboração do goleiro Arudá (2).
Com esta vantagem, o Ferroviário achou que já era o dono absoluto da situação e começou a rebolar. Enquanto isso, o Grêmio procurava se reencontrar em campo a ponto de chegar ao seu primeiro gol aos 37 minutos, por intermédio de Edmar, um lindo gol por sinal, se a menor chance de defesa para o goleiro Marquinhos, que por sua vez, voltou a ser o melhor homem em campo.
Era o começo da reação gremista, mas o Ferroviário ainda voltaria a marcar num gol surpreendente e de muita sorte de Guilherme Júnior, que tentou pegar a bola de primeira e essa resvalou pegando no lado externo da perna direita, deslocando inteiramente o goleiro Arudá. Eram 44 minutos e o primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Ferroviário por 3 a 1.
Na segunda etapa, o Grêmio voltou mais bem estruturado. Sabendo que só a vitória lhe interessava e, como Gonzaga e Aroldo, não estavam bem na partida, o treinador os substituiu por Luiz Cláudio e Zé Ligeiro (3), fazendo entrar mais tarde Joaquim José (4) em lugar de Arudá e Geremias (5) em lugar de Gilete.
Com isso, o Grêmio ficou mais agressivo e o Ferrim começou a perder terreno dentro do campo. Com muita inteligência, Galdino colocou Ribinha mais a frente e recuou Luiz Cláudio para o meio de campo e foi exatamente Ribinha (6) que se constituiu na forma de jogo marcando dois gols no tempo normal. O primeiro aos 13 minutos e o do empate aos 43.
VITÓRIA NA PRORROGAÇÃO
De acordo com o regulamento da competição, os dois quadros partiram para a decisão numa prorrogação de 30 minutos. A essas alturas o Ferroviário se mostrava um time totalmente acabado fisicamente. Somente Zé Bruno (7) lutava bravamente lá na frente, mas não conseguiu furar o bloqueio da defesa gremista.
Mas estava escrito que Ribinha seria o predestinado a dar o título de campeão do turno ao Grêmio e, aos 12 minutos da segunda fase da prorrogação, ele viria a marcar aquele que seria o gol do título e do desespero da torcida do Ferroviário.
Chagas Velho e Herbrand foram expulsos.
JUIZ, QUADROS E RENDA
O juiz do encontro foi o senhor Gildavan Sales, tendo realizado uma excelente arbitragem, comprovando que é realmente um senhor árbitro de futebol. Seus auxiliares foram José Maria de Sousa e Washington Macedo (8), todos com bom trabalho.
GRÊMIO – Arudá ( Joaquim José ), Edvar, Pedrão (9), Zuega (10) e Gilete ( Geremias ); Edmar, Fábio (11) e Ribinha; Aroldo ( Zé Ligeiro ) (12), Gonzaga ( Luiz Cláudio ) e Chagas Velho.
FERROVIÁRIO – Marquinhos (13), Geraldo ( Chiquinho ), Jerumenha (14), Café e Carlos (15); Amaral, Herbrand e Guilher Junior (16); Mineiro, Zé Bruno e Dedé ( Carlinhos Meota ).
A renda do espetáculo somou somente apenas 2.405 cruzeiros.

NOTAS EXPLICATIVAS COMPLEMENTARES
Por Nelson Oliveira
(1)    Guilherme Júnior, filho de Guilherme Ramalho, que apareceu como uma grande promessa  e, à medida que o tempo passava, foi declinando junto com a decadência dos clubes da época. Guilherme Júnior também era bom no futebol de salão, onde seu pai se apresentava muito bem, como goleiro;
(2)    Neto do senhor do mesmo nome, comerciante e político da cidade; filho do saudoso Bucar, grande desportista organizador de vários times na cidade, como Palmeiras, Bonsucesso e que como o filho, era goleiro que no “seu dia”, tornava-se invulnerável. Graças a interferência dele junto a seu pai, senhor Arudá, que como grande amigo do senhor Mário Bezerra, chefe do DNOCS aqui em Floriano, à época, conseguiu com o mesmo ouso de um trator na terraplanagem do terreno de onde surgiu o estádio que Leva o seu nome;
(3)    Irmão do Marquinhos, Paulinho e Carlinhos meota, filhos do senhor Nelson;
(4)    Já falecido;
(5)    Sempre como salvador da pátria, durante o tempo em que jogou;
(6)    Jogador de fôlego excepcional e muito veloz;
(7)    Embora não fosse um jogador altamente técnico, era muito valente e por isso marvava muitos gols;
(8)    O taxista do Posto de Floriano, que sempre colaborava com o futebol, mesmo porque morava perto do estádio;
(9)    Bom zagueiro e que participou, também, de vários torneios intermunicipais, morreu, deixando saudades;
(10) Grande craque, que com a fragilidade do nosso futebol, procurou novo rumo e se estabeleceu em Teresina, no Flamengo, onde torneou-se astro de primeira grandeza e onde encerrou sua carreira;
(11) Irmão do Jerumenha, do Ferroviário, filho de Emanuel Fonseca, grande craque do passado, defendendo o Ríver Atlético Clube;
(12) Veja as informações do número 3;
(13) Idem;
(14)Veja as informações constantes no número 11;
(15)Valente lateral esquerdo, filho do senhor Honorato, já falecido;
(16) Já falamos no número 1;
Em tempo:
Ainda na mesma edição, o competente Carlos Augusto ( o Pompéia ), informava:
“ Está confirmada para o dia 28 próximo, no estádio Mário Bezerra, a festa dos velhinhos da bola. Os desportistas florianenses vão ter a oportunidade de rever em campo ex-atletas que no passado deram muitas alegrias ao nosso torcedor , dentre eles se destacam: Parnaibano, Antonio Luiz Bolo Doce ( já falecido ), Antonio Guarda, Bagana, Poncion ( falecido neste mês ), Chapéu, Nouzinho ( também já falecido ), Beto, Neco, Babau, Pompéia e João Carlos e muitos outros. Será uma tarde inteira de atrações no Mário Bezerra e contará com a presença da banda de música do 3º Batalhão da Polícia Militar e da Escola de Samba Mangueira “

4/29/2012

SESC Floriano promove Torneio de Futebol em comemoração ao dia do trabalhador


Para comemorar  o Dia do Trabalhador o SESC Floriano está promovendo um Torneio de Futebol com times formados por comerciários

Os jogos acontecem de 29 de abril e 1º de maio, no Centro de Lazer de Floriano, com premiação ao primeiro e segundo colocados.

O encerramento da competição será no feriado do Trabalhador (1º de maio) com manhã recreativa, que marca a realização do I Torneio do Trabalhador no Centro de Lazer de Floriano. A manhã terá música ao vivo e sorteio de brindes aos participantes.

Fonte: noticiasdefloriano

4/27/2012

RETRATOS

Esse é o timaço do Flamengo de Teresina, formação do ano de 1970, quando o nosso ponta esquerda, o florianense Chicolé dava show de bola.

Era uma época romântica, o pessoal tomava café, almoçava e jantava futebol, os estádios e os campos de Floriano eram lotados de meninos piolhos de bola.

O tempo foi passando, o nosso futebol evoluindo, mas sem nenhuma estruturação ou idenpendência, dependendo somente do contexto político local, de forma que, hoje, estamos praticamente sem viver o dia a dia do futebol local.

Acima, na foto, temos a formação do time do Flamengo, no Lindolfinho, em Teresina, que jogava por música: Rômulo, Franklin, Dias, Eliézer, Neto e Matintim, em pé; Gringo, Paulinho, Mota, Pedrinho e Chicolé, agachados.

Foto: Acervo Severino Filho

4/26/2012

FESTEJOS DO PRIMEIRO DE MAIO

As festividades do Ginásio Primeiro de Maio, que são realizadas anualmente pelas comemorações da escola,  este ano completando 55 anos de atividades educacionais, não  se realizarão como nos anteriores, graças as ações do Ministério Público, por meio do promotor Edimar Piauílino, que detectou falhas no processo de realização. No ultimo ano, o evento sofreu algumas alterações que prejudicaram o andamento da festa, e para este ano algumas condições foram colocadas a ponto da direção da escola achar que não iria mais realizar o evento para não ter prejuízos.
 “Os barraqueiros que fazem parte da área social houve um desinteresse devido a uma serie de medidas que foram tomadas pensando no bem estar dos frequentadores dessas barracas, no entanto, eles ficaram desmotivados e por isso não haverá as barraquinhas por falta de interesse deles”, disse a professora Madalena Laurentino, afirmando que esse desinteresse foi devido às medidas e orientações que foram colocadas pelo poder público e pelo Ministério Público e as foram repassadas aos barraqueiros que não gostaram do que foi colocado.
 As determinações colocadas foram o não uso de som, funcionamento das barracas até as três horas, o não uso de carro de com e cervejas com vendas somente em latas. Para os barraqueiros essa medidas iriam lhes proporcionar nos negócios já que eles buscam lucros com as vendas de bebidas que sempre é servido ao som de vários gêneros musicais.
 O Ginásio Primeiro de Maio completa este ano 55 anos de fundação e de festividades nesse período. As manifestações culturais, bem como, os desfiles da escola aniversariante e das unidades convidadas devem ocorrer. 
 Há alguns anos famílias que moram nas proximidades do Ginásio vinham reclamando do barulho que era feito no período por toda a noite e madrugada, e que às vezes chegava a amanhecer o dia. Reclamavam ainda que muitos dos participantes usavam locais impróprios para encontros e para necessidades fisiológicas.

Carlos Vilarinho

O professor Carlos Vilarinho um dos educadores do Ginásio lamentou a proibição e disse que nos últimos anos os integrantes da escola vem tendo um desgaste com audiências que foram realizadas e com muita tristeza que vê a situação.

“Vamos cumprir o que está sendo estabelecido pelo Ministério Público e esperamos que as pessoas entendam, mas a realidade é isso, acabaram o nosso festejo, não vai ter, mas a parte social da escola vai acontecer, mas o nosso festejo foi acabado por essas imposições que estão acontecendo e simplesmente vamos cruzar os braços e nos calar, pois ”, colocou o professor Carlos Vilarinho. 

Fonte: piauinoticias.com 

4/25/2012

RETRATOS

Nós estávamos dando uma volta pelo mercado do Bruno, garimpando produtos e informações sobre o folclore local, quando de repente a gente encontra personalidades ilústres do dia a dia de Floriano.

À esquerda, o Edmilson, amigo de infância, piolho de filme, atualmente trabalhando com serviços gerais, mas nunca baixou a guarda, sempre feliz, segue em frente buscando seu ideal de felicidade.

À direita, outra figura significativa do cotidiano local, o Felix Martins, também buscando realizar seus sonhos e sua verdade, já produziu vários shows musicais e lançou cedês com grande sucesso, é compositor de primeira e ganha vida, simplesmente, fazendo a manutenção de bicicletas e máquinas, mas sempre com um olhar de fibra, de luta e respeito pelo próximo.

Essas coisas simples fazem da gente um instrumento de luta, sempre em busca dos ideais de felicidade, que é, simplesmente, a fração de nossas realizações e, também, das dores que a vida nos impõe.

Governo investirá R$ 373 milhões para incentivar a leitura

O Ministério da Cultura (MinC) anunciou no dia 23 de abril, investimentos de R$ 373 milhões para o Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL) para esse ano. Os recursos deverão ser empregados na construção e revitalização de bibliotecas; contratação de agentes de leitura e na realização de feiras e festivais de literatura. As ações serão coordenadas pela Fundação Biblioteca Nacional.

Durante o lançamento, a ministra Ana de Hollanda enfatizou que o governo quer incentivar que o brasileiro desenvolva o gosto pela leitura e, com isso, as pessoas tenham uma visão mais crítica e uma ampliação do conhecimento. "Um brasileiro que lê, cresce mais, e o Brasil cresce junto", disse a ministra.

"A leitura não é um ato reflexo, aprendido naturalmente. É resultado de uma sofisticada operação, aprendida ao longo de anos, e que, por isso mesmo, precisa ser cultivada cuidadosamente, para além dos muros da escola”, disse a ministra. "Para tal, precisamos de uma boa e vasta literatura, de uma competente e ampla rede editorial e de divulgação. Necessitamos de um exército de mediadores de leitura, que dentro das bibliotecas e nos mais variados espaços, ajudem sobretudo crianças e jovens a descobrirem a necessidade humana do prazer da leitura”.

O objetivo do plano é aumentar o número de leitores no Brasil. Segundo a última edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada dia 28 de março, 75% dos brasileiros nunca frequentaram uma biblioteca. A média de livros lidos no Brasil é de quatro livros por ano e apenas metade da população pode ser considerada leitora.

Do total de recursos, R$ 254 milhões serão destinados para bibliotecas em ações como implantação de bibliotecas com telecentros nas praças dos Esportes e da Cultura; em bibliotecas do Espaço Mais Cultura e na construção e reforma de bibliotecas-parque e bibliotecas de referência e, ainda, de acordo com o governo, no apoio às bibliotecas comunitárias e pontos de Leitura, além da implantação, revitalização e modernização de bibliotecas municipais.

O Ministério da Cultura vai investir R$ 56 milhões para a formação de mediadores de leitura. A intenção do governo é dobrar o número de agentes de leitura para atuar com as famílias de baixa renda.

Cerca de R$ 8 milhões vão para a ampliação dos acervos e formação de bibliotecários e funcionários de 2.700 bibliotecas municipais e comunitárias de 1.500 municípios em todos os estados.

Outra medida anunciada foi a ampliação do calendário nacional de feiras de livro e festivais literários para 200 eventos em 2012, a maior parte deles com apoio financeiro do MinC e apoio direto a 175 caravanas de escritores pelo país.

O governo também anunciou a publicação de editais específicos para contemplar as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que possuem índices de leitura menores. Outra inovação é a contemplação, em um desses editais, do chamado Custo Amazônico, que prevê a transferência de 30% a mais de recursos para os estados da Amazônia Legal (região compreendida pela totalidade dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, de Rondônia e Roraima e parte dos estados de Mato Grosso, do Maranhão e Tocantins).

Fonte: Agência Brasil

4/24/2012

RETRATOS

Eu estava com o Monteiro, o Ubaldo e o Teodoro Sobral à tardinha na praça doutor Sebastião Martins, relembrando os tempos d´antes de Floriano após a missa da bela matriz.

De repente, vindo à minha direção, em sua bicicleta da antiga marca monark, o nosso amigo Everardo, o Vevé, como é mais conhecido, filho de seu Juarez, que trabalhou no Banco do Estado nos anos sessenta e setenta.

Everardo, hoje, está casado, trabalhando com arte e pinturas ( na parceria que tinha com o velho mestre Cícero Pintor ) e vai ganhando a vida calmo, feliz e frequentando bem a sua religião.

Posteriormente, conseguimos uma foto do Vevé, do ano de 1963, tirada pelo conhecido fotógrafo Leuter Epaminondas, quando ele ainda sentava num carrinho de época, e achamos que ele nem tem conhecimento dessa imagem guardada por familiares dele.

Com certeza, esse é mais um registro dos velhos tempos de Floriano, que nos trazem emoções e com vontade de voltar ao tempo.

4/22/2012

EXPOSIÇÃO DE CARROS ANTIGOS

Uma rápida exposição de modelos antigos de carros foi realizada nessa manhã na casa de um empresário florianense. Teodoro Sobral coleciona veículos e tem uma variedade de marcas e modelos. O café da manhã na casa do mesmo antecedeu uma viagem de um grupo de amigos que deve visitar alguns pontos pelos pais. 

“Nosso propósito nesse momento é participar de uma feira de carros usados que ocorre na cidade de Águas de Lindóia, estado de São Paulo, e estamos fazendo essa viagem pelo 5º ano consecutivo como forma de passeio e preservação desses veículos antigos”, disse o empresário Benedito Leal.
 
De Floriano sairão três veículos com os participantes da feira e entre os carros estão: uma rural de 1974, uma outra do ano de 1977 e um Ford Mercury Cougar de 1972.
 
estaremos fazendo uma visita a barragem de Boa Esperança (Guadalupe), retornaremos por Jerumenha e sairemos para Uruçuí-PI, pegaremos a Belém/Brasília indo pelo Tocantins, e devemos passar em Belo Horizonte, disse o empresário Benedito Leal.
 
Os envolvidos no passeio são seis: mestre Domingos, o Búfalo que é empresário no ramo de refrigeração em Teresina, Mércury, coronel Fernando Miranda, deputado Wilson Brandão e Raimundo Tajra. A feira de carros usados no estado de São Paulo que tem premiação vai ocorrer no período de 27 de abril a 1º de maio. 
 
O empresário florianense colecionador de carros antigos Teodoro Sobral já esteve participando da feira. “Na primeira turma a quatro anos atrás eu estava,  de lá para cá não deu mais pra eu ir, mas breve estarei indo novamente”, externou o empresário.
 
Fonte: piauinoticias.com

4/20/2012

GOL REPLAY!

Um dos pontos mais fortes de Luiz Orlando ( na foto, agachado, é o centroavante do Cuzeiro, jogando no antigo estádio Mário Bezerra com a camisa emprestada do Vila Nova de Vicentão ), grande craque de bola do passado do futebol amador florianense, era a catimba e, inclusive, ele destacou, numa entrevista, antes de seu prematuro falecimento, um lance engraçado, que ele contara com saudades:

tratava-se de uma partida disputadíssima, acirrada no Campo dos Artistas, por volta de sessenta e sete. Botafogo de Gusto contra o nosso maior rival, o Flamengo de Tiberinho (perder pra eles era um trauma terrível), até hoje esse lance é conhecido como o GOL REPLAY, sem televisão, pode?

Mas você vai perceber como pode. Começa o jogo e, logo aos vinte minutos, o Flamengo de Tiberinho faz 1 a 0. Encerrado o primeiro tempo, no intervalo, conversamos o que poderíamos fazer, o jeito era ir pra cima, para o ataque, não podíamos de maneira alguma perder essa grande decisão.

Bola rolando na segunda etapa e, logo na metade do tempo, há uma falta a nosso favor, próximo da grande área. O Flamengo compôs a barreira, Janjão lançou a bola e eu entrei impedido de cabeça e ... golaço, foi aquela alegria, mas quando olhamos para o juiz Vicente XEBA, estava anulando o gol, corri pra cima dele com atitude e comecei, então, a dialogar com o velho mestre do apito, mostrando várias saídas para resolver o impasse, quando, de repente, propus: pois repita a falta. O homem gostou da idéia e colocou a bola para ser cobrada a falta novamente e, engraçado, foi do mesmo jeito, Janjão correu, lançou a bola eu entrei de cabeça, fazendo o gol, foi o replay do primeiro gol, os torcedores foram à loucura!

Empatamos o jogo e, no final, todos ficaram felizes, inclusive Vicente XEBA, que tinha moral e categoria
".

Pesquisa: César Sobrinho

4/19/2012

RETRATOS

Isso daí foi um churrasco ( foto ) na casa da Aninha já próximo ao carnaval, onde a curriola se confraternizava numa exaltação lírica de emoções fortes.

O reencontro fez relembrar resenhas passadas, lembranças e casos que ficaram preservados na memória daqueles que viveram os tempos d´antes de Floriano.

Da esquerda para a direita, observamos o Paulo ( filho de seu Lourenço ), o Genisson, Astrobaldo, Nonatinho ( irmão de Puluca ), o Genival ( filho de seu Honorato ) e o Valdeci.

A festa foi até altas horas, muita gelada, churrasco e histórias hilárias, como à que o Astrobaldo contou do nosso amigo Cangati, que vivia aperriando-o para se aposentar:

- Doutor, me ajude, pelo amor de Deus!!! - Indagava sempre o velho desportista.

Astrobaldo disse que arrumou e viabilizou toda a documentação solicitada pelo órgão do Governo em Barão de Grajaú e, posteriormente, deu um problema de data de nascimento de Manoel Cangati, não sabiam data exata, de forma que Cangati, mais tarde, fora orientado para quando fosse ao médico dissesse somente o necessário.

Poucos dias depois, já no consultório, aguardava o médico perito chegar e o nosso amigo Cangati já estava se aguniando de tanta espera, mas quando, finalmente, chegara a sua vez, adentrou à sala e o médico foi logo perguntando:

- Bem, meu filho, mas o que é que você tem mesmo?

Cangati, pavio curto que é, já inconformado com tanto vai e vem e tanta burocracia, abriu o bocão:

- Doutor, eu não tenho é porrra nenhuma!!! - E saiu sem dizer mais nada, literalmente.

Vereadores falam sobre Transporte e Merenda Escolar


Por Jaquelina Nascimento

Na noite desta segunda (16.04) a Sessão Ordinária na Câmara Municipal foi marcada por debates sobre temas diversificados, a exemplo de educação, transporte e merenda escolar.
Estiveram presentes os seguintes vereadores: Salomão Holanda (PRB), Celso Cavalcante (PSB), Flávio Henrique (PTB), Antônio Reis (PSDC), Lauro César (PDT) e Ana Cleide (DEM).
Grande expediente:
O vereador Antônio Reis (PSDC) falou ter terminado de ler o livro do padre Marcelo Rossi cujo título é Ágape, sendo o amor divino e verdadeiro e que foi agraciado pelo grande escritor Gabriel Chalita.
“É uma leitura prazerosa e fiquei cheio de reflexão; cada vez que um homem lê um texto ele muda seu comportamento e suas atitudes. Ágape é um amor incondicional, generoso, sem limites e puro em Cristo”, explica.
O presidente da Câmara Municipal Salomão Holanda (PRB) enfatizou que houve uma atuação importante dos vereadores referente à derrubada do veto pelos vereadores no que concerne á educação.
Salomão Holanda (PRB) disse que fez visitas a várias localidades com a vereadora Ana Cleide (DEM) na última sexta (13.04) e que observaram sobre a falta de transporte escolar na localidade Várzea Grande e sobre o laboratório de informática que foi inaugurado.
“Percebemos uma CPU para 5 monitores, não sei se é viável; vai depender da parte técnica. Acredito que esse laboratório não deva funcionar”, afirma.
Não há obra maior, segundo a vereadora Ana Cleide (DEM) do que se investir na educação. “Visitei a comunidade Morrinhos com o vereador Salomão Holanda e vimos que é um absurdo em relação à merenda escolar. As crianças comem cuscuz seco sem carne; são essas coisas que não conseguimos entender. A nossa educação é um dever de casa de qualquer gestor”, diz.
Não se pode jogar pedras no governo público onde tem escolas de qualidade em Floriano, de acordo com o vereador Lauro César (PDT).”O governo municipal complementa para garantir a merenda escolar; temos que lembrar que dentro das escolas tem o professor que ganha o melhor salário e que está trabalhando e não fazendo greve”, enfatiza.
O vereador Celso Cavalcante (PSB) disse que toda ação tem uma reação e em seguida leu o requerimento de sua autoria de n.º 138/2012, pedindo ao Secretário de Infra-Estrutura e ao Exmo. Prefeito Municipal que seja providenciada com a maior brevidade possível a coleta de lixo no Conjunto José Pereira da Silva.

4/16/2012

REVISTA MANCHETE

Adquirimos, recentemente, um exemplar da antiga revista Manchete de número 639, datada de 18 de julho de 1964 ( foto da capa ao lado ).
Essa edição, para a cidade de Floriano, é de grande valia, tendo em vista que ela faz a cobertura completa do concurso Miss Brasil daquela temporada no qual a florianense Maricildes Costa foi destaque com fotos e glamour.
Guardaremos, com muito carinho essa publicação, que futuramente será disponibilizada para aqueles que acompanharam aquele período romântico e plos admirdores de Floriano.
A revista fechou suas portas no ano de 1995, quando fazia querenta e oito anos de existência. Hoje, a variedade de publicações é imensa, mas as matérias, de ummodo geral, são apenas mais para o consumo visual do que para textual.

RETRATOS

Visão do prédio atual do antigo Hospital Miguel Couto ( FOTO ), hoje ocupando a sede da Diocese de Floriano, recentemente reformado.

A arquitetura está muito bonita de se ver, mas aqueles antigos arvoredos desapareceram. Lembramos, também, os traços originais da arquitetura do passado que havia, que davam traços líricos à Floriano de antigamente.

O negócio é que o mundo moderno, a competição e a busca de mudanças, esses parâmetros de consumo evidencia uma nova realidade em que vivemos e Floriano não foge à regra.

Mas, em todo caso, seria de suma importância, se todos nós, a sociedade local, junto aos órgãos competentes, atentassem para a preservção do centro histórico da cidade, porque logo, logo outros casarões poderão ser alterados em sua estética, sem nenhuma atitude inovadora de acompanhamento de seu tombamento pelas autoridades.

4/14/2012

NOTA DE PESAR

Lamentamos informar que, às 15:00 horas de ontem, faleceu a querida doutora Zilma Martins da Cunha, grande odontóloga e poetisa.
Estava em tratamento no Hospital São Paulo em Teresina-PI.
Congratulamos todos e, daqui do nosso portal, enviamos os nossos sentimentos de pesares à família da ilústre poetisa doutora Zilma.
Floriano, nesse instante, fica mais pobre, mas merecedora de tudo o que fez e produziu a doutora Zilma, que em nenhum instante deixou de amar seus familiares, amigos e a nossa querida Princesa do Sul.

4/13/2012

ESPAÇO CULTURAL CHRISTINO CASTRO

Na última estada em Floriano, no período da páscoa, andávamos pelo centro da cidade, editando algumas fotografias e imagens da Princesa das ruas e dos velhos casarões centrais.

Na avenida Eurípedes de Aguiar, por exemplo, nos deparamos com o velho casarão da família Castro, hoje um importante Espaço Cultural, denominado Christino Castro.

O local é de suma importância para a cultural local, tendo em vista que ali estão resguardado um acervo significativo da família, naturalmente que servirá para pesquisas, guardar e revitalisar inúmeras informações do século passado.

Precisamos fazer valer e valorizar essas atitudes, pois bem sabemos que os nossos casarões estão indo ruinas abaixo, sem o mínimo de cuidado ao nosso patrimônio arquitetônico, mas ainda há tempo de se fazer parcerias, no sentido de recuperar prédios antigos, arvoredos e ruas do centro histórico de Floriano.

Em 2011, comemorava-se os 20 anos do Centenário de Nascimento de Cristino Castro

Em 1991 houve uma gande festa em Cristino Castro alusiva ao Centenário do Nascimento de Cristino Castro.
Na época a família do homenageado veio em peso. 
Veja a foto (de 1991) de parte da família na Praça do Mercado com o busto de Cristino Castro ao fundo.
A seta amarela aponta para Francisco Ferreira de Castro, o filho que escreveu o livro em sua homenagem, publicado em 1997.

Cristino Raimundo de Castro (1891-1950).
Fonte: catingadeporco-cristinocastro.blogspot.com

A Era de Ouro de Floriano, antiga Colônia São Pedro de Alcântara


Extraído do livro - CRISTINO CASTRO ( Empresário Pioneiro em Floriano e na Região do Gurguéia em homenagem ao seu centenário ) do Escritor e Jornalista florianense FRANCISCO FERREIRA DE CASTRO, editado em 1997.

Nas primeiras décadas deste século, Floriano tornou-se, pelo trabalho, competência e determinação de seus habitantes, de modo especial daqueles pioneiros que lograram distinguir-se como impulsionadores do seu progresso, em importante centro comercial. De certo, contribuiu para isso, também, não somente a invejável posição geográfica que Floriano desfrutava comoporta de entrada dos caminhos que levavam ao sul do Piauí e do Maranhão, com o fato de seruma cidade ribeirinha do rio Parnaíba, a qual tinha no transporte fluvial uma via mais fácil e barata para o escoamento dos seus produtos e a comercialização de mercadorias vindas de outras praças do país e do exterior. O "boom" do progresso de Floriano se refletiu na qualidade de vida dos seus habitantes, assim como nos serviços de que dispunha a cidade para o conforto e bem-estar, educação, cultura e lazer da sua população. Com razão, a crônica da época cognominou Floriano de "A Princesa do Sul", do Estado.

Neste particular, Rafael da Fonseca Rocha, florianense de nascimento e de coração, hoje radicado em Brasília, em recente e oportuno trabalho feito sob o título "Floriano - de tão belas recordações", traz um precioso repositório sobre pessoas, coisas e fatos da vida da cidade, cujo trabalho representa uma notável contribuição à história de Floriano.

De outro lado, era de ver o gosto revelado nas construções residenciais da parte mais abastada de seus habitantes, os quais buscavam introduzir novas técnicas e materiais da melhor qualidade nas edificações realizadas. No excelente estudo feito pelo engenheiro-arquiteto José Nunes Fernandes, intitulado "Aspectos da Arquitetura de Floriano", publicado sob os auspícios da Academia Piauiênse de Letras, em 1991, ao descrever as construções realizadas em Floriano, desde o início do séx. XX até 1920, o autor focaliza as principais características e o estilo das edificações desse período, e, dentre muitas outras, por ele analisadas, registrou (às páginas 74 do acima referido trabalho): "Outra construção, feita em 1915, é outro grande exemplar de edificação inspirada na "morada-inteira". É a residência feita pelo Sr. Cristino Castro, que hoje pertence à sua família. O sr. Cristino Castro foi um dos comerciantes mais ricos da região. O mestre-de-obras e os ajudantes todos foram contratados por ele e vieram do Recife. O famoso mestre-de-obras que veio construiu a casa e fez também todos os ornamentos em massa que aparecem nas fachadas, já que a casa é de esquina. A porta principal dá acesso ao interior da casa através de um corredor. No corredor, como de costume, uma porta de madeira recortada, que fecha parte de um grande vão formado por um lindo arco ogivado bastante movimentado, divide o corredor da intimidade" (6). Como esta, muitas outras edificações da cidade foram analisadas pelo autor, a saber: a de Agripino Castro, Teodoro Sobral, e os "sobrados", casas de dois andares feitas por Salomão Mazuad, José Demes, Adala Atem, Calisto Lobo, e a mais antiga e bonita casa residencial do empresário e político Hermano Brandão.

Também no final da década de 20, chegaram a Floriano os primeiros automóveis importados. Eram de propriedade de Cristino Castro, Mundico Castro, Afonso Nogueira, José Fonseca, Leonidas Leão, aos quais se somava um Ford de bigode, do Major Carlino Nunes e outro de José Guimarães.

Portanto, o cenário em que se desenvolveu a cidade de Floriano foi dos mais propícios, desde a sua fundação até a primeira metade deste século, não só em razão dos recursos naturais de que dispunha o município, do qual faziam parte o rico vale do rio Itaueira, o Rio Grande e Nazaré, onde se situam as Fazendas Estaduais, antigas propriedades dos Jesuítas doadas pelo sertanista Domingos Afonso Mafrense. Também deve ter contribuído para isso, a dedicação e o amor ao trabalho daqueles que vieram para ficar, como autênticos pioneiros, cada um dando o melhor de si nas suas respectivas atividades, sem esquecer o retorno indispensável à comunidade a que pertenciam. Dentre essas pessoas distinguiram-se como os primeiros empresários: Neto, Pires & Cia., com filial em Parnaiba, tendo como sócios Pedro Vieira Neto e João Pires Ferreira; Hermano Brandão; José Rodrigues Pereira de Carvalho; Fonseca, Borges & Cia., sucessores de Estrela e Borges; Luiz F. Ribeiro Gonçalves; Farmácia Marques, do dr. Fernando de Oliveira Marques; Diocleciano Ribeiro & Cia. (agência de vapores), de Diocleciano da Silva Ribeiro e Frutuoso Pacheco Soares; Bazar Estrela, de Felix Estrela; Elisiário F. de Souza; Francisco Castro & Filhos; Antonio Pereira Neto; Raimundo Neves de Atayde; Mercearia Lealdade, de João Pereira Lopes; Almeida Guimarães & Passarinho; Alfaiataria Castro, de Manoel Conrado de Castro, Gabriel Gomes Ferreira; José Guimarães; Francisco Cavalcanti; Ourivesaria Franco, de Raimundo Pereira Franco; Francisco Antonio Nunes; Antonio Zarur, Filho & Cia. e Martinho Rocha

Mais recentemente, num período que poderíamos dizer de consolidação e expansão de Floriano como importante centro radiador do progresso, distinguiram-se: Cristino Castro & Irmão; Salomão Mazuad; Calisto Lobo; Leônidas Leão & Filhos; Raimundo Mamede de Castro, que organizou a empresa Fazendas Reunidas Raimundo Castro S.A., o maior complexo agropecuário do Piauí, atualmente de propriedade do dr. Filadelfo Castro; Afonso Nogueira & Filhos (agência de vapores e comércio); Assad Kalume; Emilio Gabriel; David Kreit; José Demes & Filhos; Adala Atem; Milad Kalume; João Luiz da Silva (agência de vapores); João Vianna deCarvalho (agente dos hidroaviões "Condor); João Frejat; Bucar Amado Bucar; José Andrade Conrado Sobrinho; Mamede Arudá Bucar; Pedro Atem; Salim Atem; David Mazuad; Dico Leão; Francisco Lima; Famácia Sobral, do Dr. Teodoro Ferreira Sobral, hoje de propriedade do jovem e vitorioso empresário Teodoro Ferreira Sobral Neto; Farmácia Rocha, dodr. Raimundo Alves Pereira da Rocha; F. Antão Reis; Tufi Lobo; Jorge Waquim; Faiz Salim; Farmácia Coelho, de dr. Abilio Cavalcanti Coelho, aos quais se somavam importantes firmas de outras praças instaladas em Floriano, como a Casa Marc Jacob (gerentes: José Dutra e Manoel Alves de Almeida); Morais & Cia (gerentes: Antonio Anisio Ribeiro Gonçalves e Raimundo AraújoCosta); Casa Ingleza (gerente: Clóvis Mello); Machado & Trindade; (Gerente: Tiago Roque de Araújo); Casas Pernambucanas (gerentes: Odir Gonçalves e Anésio Batista); Lojas Rianil  (gerente: Gervásio Medeiros).

Não há a menor dúvida, o que Floriano teve de melhor ao longo de sua formação histórica foi o desenvolvimento e competência dos educadores de sua mocidade, os quais conseguiram plasmar um edificante espírito de comunidade que contaminou os diferentes segmentos da sociedade florianense. Dentre os que mais se destacaram, são aqui relembrados os seguintes educadores: Padre Uchôa, Padre Antonio Marques dos Reis, Juiz Everton Augusto da Silva, do Colégio São Vicente de Paulo; Padre Moisés Pereira dos Santos, fundador do Colégio 1º de Maio; Estefânia Conrado, Aleluia Azevedo, Morena Abreu, dr. José Messias Cavalcanti, Osternes Brandão, José Severiano da Costa Andrade, Iraci Martins, Alceu Brandão, Mirtila Cotrim, Araci Dutra, Veras de Holanda, Filó Soares, José Raimundo Vasconcelos, fundador do Colégio Santa Terezinha, em 1934, posteriormente dirigido pelo Dr. Manoel Sobral Neto, Padre Pedro da Silva Oliveira, Eleutério Rezende, Maria Matos, Josefina Demes, Albino (Binú) Leão de Fonseca, Juiz Fernando Lopes Sobrinho, Zélia Martins Rocha, Heloisa Sobral, Aldenora Olegário, Adélia Waquim, Raimunda Carvalho, Moema Frejat, Lurdes Martins, Abilio Neiva de Souza, Heli da Rocha Nunes, Dona Hercilia Camargo, Djalma Silva, Termutes Carvalho, Iracema Miranda, Oscar Cavalcanti,  Joaquim Lustosa Sobrinho, Mundiquinha Drumond, Jovenilia Rocha, Francisca Silva e as irmãs Iracema, Ligia e Beatriz da Costa e Silva, e Alda, Maria Enedina e Antonia Ferreira de Castro.

Se a classe empresarial, nos setores de agricultura, comércio e indústria, era esclarecida e competitiva, e os educadores cumpriam sua importante missão, Floriano contou também com uma liderança política atenta e responsável, inicialmente se destacando os Prefeitos: João Chico, 1º prefeito de Floriano, em 1894; seguindo-se Raimundo Borges da Silva (1904); Euripedes Clementino de Aguiar (1912-16); Antonio Luis de Arêa Leão (1922-26); Fernando de Oliveira Marques (1926-30); Cirilo Martins, João Rodrigues Vieira, Teodoro Ferreira Sobral (1931-34); Oswaldo da Costa e Silva (1934-45); Gonçalo Teixeira Nunes (1945); Djalma José Nunes (1945-47); Luiz Raimundo de Castro, Raimundo José Martins de Araújo Costa; Sebastião Martins de Araújo Costa (1943-50). Faleceu quando eleito pela segunda vez, em 1954. Tibério Barbosa Nunes (1951-55 - 1967-7); Herbrand Ribeiro Gonçalves (1056-58); Francisco Antão Reis (1959-62); Fauzer Bucar, faleceu quando eleito (1962), substituído pelo Vice, Hermes Pacheco (1962-66); José Bruno dos Santos (1971-73); Adelmar Pereira da Silva (1977-82); Manoel Simplicio da Silva (1983-88 e 01-01-93); José Leão Azevedo de Carvalho (1989-92).

Outras importantes lideranças políticas (que não faziam parte do mundo oficial) merecem citação como: Major Carlino Nunes, Marinho de Queiroz, 1º Presidente do Legislativo Municipal, em 1891, João Viana de Carvalho, Raimundo (Dóca) Rocha, Inácio Carvalho, Leto Leitão Ferrreira, Nilo Brandão, João Leal, João de Deus Neto, dr. Manoel Gomes Ferreira, Pedro Gaudêncio de Castro e Defala Atem. Filadelfo Castro, deputado estadual e João Calisto Lobo, eleito para o Senado Federal.

Como artistas, firmam-se Pindaro Castelo Branco, Raimundo Kalil e Cosme Coelho Rocha. Nas artes cinematográficas, Geraldo Sobral Rocha.

A essa época, além de várias escolas públicas e particulares, Floriano contava ainda com o Liceu Municipal, criado pela Lei nº 125 de 22-07-1929, dirigido pelo Prof. Felismino Weser, e a Escola Normal Municipal de Floriano, criada pela mesma lei, que passou a Escola Regional e, depois, a Colégio Dr. Oswaldo da Costa e Silva, em homenagem àquele que foi um grande incentivador da instrução no Município, à época, destacando-se, entre os de melhor índice de alfabetização doEstado.

Neste período, eram editados em Floriano os seguintes jornais: "O Popular", fundado em 1911, de propriedade do sr. José Pires; em 1925 circulou o jornal "Floriano", de propriedade do coronel Doca Borges; em 1935, surgiram os jornais "Correio do Sul", do coronel Raimundo Mamede Castro, tendo em Eugenelino Boson, advogado provisionado, chefe da editoria, e "A Luta", do dr. Oswaldo da Costa e Silva, o qual contou com a colaboração de Amâncio Calland, respeitado líder classista, e Osternes Brandão, como editorialistas para a campanha política daquele ano.

No setor cultural, Floriano contou, a partir da década de 30, com o Teatro Politeama, importante casa de espetáculos, destinada a representações teatrais e/ou populares. Duas bandas de música, a Filarmônica Florianense (1912) e a Euterpe Florianense (1933), alegraram os florianenses, sem contar os conjuntos musicais menores.

Nos esportes, os clubes de futebol mais importantes eram dois, bastante representativos dos mais importantes segmentos da sociedade florianense: o Comércio Esporte Clube e o Artístico Futebol Clube, este, mantido pela União Artística Operária Florianense, pujante entidade da classe operária fundada em 1920, numa memorável sessão presidida pelo sr. Agripino Raimundo de Castro, tendo sido eleito seu primeiro presidente o sr. Antonio Nunes de Almeida. Referida entidade mantinha o Colégio 1º de Maio e a Escola David Caldas, esta para adultos, à noite, além de patrocinar atividades artísticas, culturais e sociais.

Eram líderes conceituados nos meios operários florianenses Amâncio Calland, Manoel Camarço, Francisco Paixão, João Alves Silva, João Dantas, Mestre Eugênio Araújo, José Duque de França, Joaquim (Quincas) Araújo, José Oliveira, vulgo Zé Caboré, Miguel Borges, ourives, Luiz Pinto deOliveira, Epifânio Borba, José Olegário, Mestre José Manduca, José Ferreira Rocha.

4/12/2012

Sessão Ordinária da Câmara


Por Jaquelina Nascimento

A noite desta segunda (09/04) foi um marco no que concerne às questões relevantes ao município de Floriano na Câmara Municipal às 20 horas.O presidente da Câmara Municipal Salomão Holanda (PRB) disse que todos os vereadores estão representando as reivindicações do povo de Floriano através das proposições lidas e aprovadas em Plenário.
Estavam presentes os seguintes vereadores: Celso Cavalcante (PSB), Salomão Holanda (PRB), Miguel Vieira (PTB), Carlos Antônio (PRTB), Antônio Reis (PSDC) e Maria da Guia (PTB).
Salomão Holanda (PRB) e Antônio Reis (PSDC) foram os únicos vereadores a utilizarem a tribuna no grande expediente nas duas sessões, ou seja, na da segunda e da antecipada.Uma das reivindicações do vereador Salomão Holanda (PRB) foi sobre o policiamento dos vereadores quanto à conclusão das obras no anel viário que segundo ele estão de péssimas qualidades.
“Temos que pedir um asfalto na estrada da Guia e ali só tem a buraqueira. Quando João Pequeno era vereador solicitou que fosse feita a distribuição de energia até chegar ao bairro Guia e parece que vai chegar o próximo prefeito e não vamos ver isso acontecer”, explica Salomão Holanda.
Salomão Holanda disse que os parlamentares pediram a recuperação das praças e estão vendo a praça central de Floriano sem restauração. “Estive em Canto de Guariba e no L3 e não tem uma obra funcionando. Desde o começo que estou vendo as obras iniciando as quadras de esportes não estão no padrão que deve ter e conter banheiros que não tem; lamentavelmente é essa a situação que se encontram os chafarizes do Riacho Fundo”, explica.
Em contrapartida o vereador Carlos Antônio (PSDC) falou que quando se fala em trânsito meche muito com o mesmo.
“Procuramos desempenhar o trabalho da melhor maneira possível e o povo merece a minha dedicação. Parabenizo Salomão Holanda por seu trabalho e estive visitando as localidades e todos se diziam felizes pelo trabalho”, afirma Carlos Antônio.
Antônio Reis (PSDC) iniciou seu discurso parabenizando o Grupo Escalet de Teatro pela apresentação da peça sobre a Paixão de Cristo e em seguida mudou de assunto afirmando que não tem torneiras nos chafarizes e que as mulheres sofrem devido a isso.
O vereador enfatizou o requerimento Requerimento n.º 127/2012, de autoria dos Vereadores Salomão Holanda, Ana Cleide, Antônio Reis, Raimundo Martins e Celso Cavalcante, que face à distribuição de cestas básicas de alimentos que será feita por ocasião da “Semana Santa” no Município de Floriano, solicitam ao Poder Público municipal as informações que seguem, para que esta Casa possa tomar conhecimento do processo a ser realizado:
a) Qual o critério utilizado para a escolha dos beneficiários;
b) Todas as informações do processo licitatório;
c) Origem dos recursos;
d) Número de cestas distribuídas, itens e valor de cada cesta;
e) A quem caberá fazer a distribuição das cestas;
(f) Dia, hora e local de distribuição, envolvendo zona urbana e rural.
Não haverá Sessão Ordinária nesta terça (10/04), pois a mesma foi antecipada para a noite desta segunda (09/04). 
Haverá Sessões Ordinárias nos dias: 16 17,18 e 19 de abril.

Veto sobre eleições para Diretor de Escolas Públicas é derrubado na Câmara Municipal


Por Jaquelina Nascimento
O Plenário da Câmara Municipal estava lotado de professores na Sessão Ordinária desta terça (03/04) cujo principal objetivo era analisar a votação dos vereadores referentes aos vetos Integral ao Projeto de Lei n.º 003/2012, que “Institui eleições para Diretor nas Escolas Públicas da Rede Municipal de Ensino no Município de Floriano, e adota outras providências”, bem como ao VETO ao Projeto de Lei nº. 001/2012, “São vedados: I – o inicio de programas ou projetos não incluídos na lei orçamentária anual.
Estavam presentes os seguintes vereadores: Salomão Holanda (PRB), Celso Cavalcante (PSB), Ana Cleide (DEM), Antônio Reis (PSDC), Miguel Vieira (PTB), Raimundo Martins (PT), Carlos Antônio (PRTB), Lauro César (PDT) e Flávio Henrique (PTB).
Em meio a muita euforia da platéia composta pelo corpo docente florianense, o resultado de 7 votos contra o veto e de dois em branco agradou e muito a expectativa da classe educativa de Floriano.
Salomão Holanda (PRB) iniciou os trabalhos sobre a proteção de Deus e em nome da comunidade florianense da cidade e do interior e deu as boas vindas a todos convidando-os a se fazerem presentes nas demais Sessões.
Os vereadores que declararam em plenário contra o veto foram os seguintes: Salomão Holanda (PRB), Antônio Reis (PSDC), Miguel Vieira (PTB), Ana Cleide (DEM), Raimundo Martins (PT) e Celso Cavalcante (PTB).
As próximas sessões acontecerão nos dias 9 e 10, ou seja, na próxima segunda e terça às 20 horas no Plenário da Câmara Municipal de Floriano.
Grande Expediente
O vereador Lauro César (PDT) não declarou em público seu voto e foi o primeiro parlamentar a usar a tribuna no grande Expediente e disse que houve avanços na área esportiva solicitada pelo vereador Salomão Holanda. ”Temos uma deficiência em área de campos de esporte e desde o ano passado começou a ser suprida”, disse.
“Peço a quem tiver acesso ao governador que peçam e pensassem nas crianças que estão fora da escola no tempo em que as crianças estão tendo acesso às drogas e que não dão cidadania através da educação”, afirma Lauro César.
O presidente da Câmara Municipal Salomão Holanda (PRB) falou que não tem graduação. “Em 82 conclui meu ensino médio e em 85 outro que foi técnico em contabilidade. em 2003 fui para a FAESF e comecei um curso de contabilidade. Minha coordenadora me incentivou a ser um homem público representando o povo de Floriano. Esse homem pequeno, Miguel Vieira, que está aqui conosco que veio do Canto do Buriti muito emocionado e quero dizer que eu Salomão Holanda é pouco os projetos que poderei votar e que hoje vou votar.”, afirma.
“Vou votar em derrubar o veto e é uma certeza que durante quase 8 anos é o primeiro veto que irá ser votado nessa Casa legislativa. Eu voto contra o veto”, explica Salomão Holanda.
O vereador Antônio Reis (PSDC) afirmou que a cada dia que passa está se sentindo mais útil nessa Casa. “A nucleação das escolas rurais do município de Floriano foi tema de minha dissertação de mestrado... isso me deixa muito feliz e sem contar com a questão da valorização dos docentes. Esse país tem uma dívida muito grande com a educação, que vem desde o Brasil Colônia até a Constituição de 1988, quando diz que a educação é um direito de todos e um dever do estado e família. Quanto ao veto eu jamais seria contra. Eu voto para derrubar o veto”, explica
Raimundo Martins (PT) disse que tem que valorizar a classe docente. “Me recordo que os prefeitos de todo Brasil diziam que era impossível pagar o Piso de um professor e iria causar grande dificuldade financeira e foi uma luta que o PT  travou e que é um sucesso. Não vejo nenhum motivo para que haja uma discrepância para o Piso Salarial do professor no Brasil”, disse.
“Voto na derrubada do veto. Para mim não me incomoda mais os buracos das cidades de Floriano que podem ser fechados, mas sim os buracos das consciências do povo de Floriano que não pode ser fechado”, afirma Raimundo Martins.
Miguel Vieira (PTB) disse que tem que dar um reconhecimento maior àqueles que se dedicam ao desenvolvimento da cidade que é o professor. “Vejo apelos em propagandas para se valorizar os professores e dizia que temos que criar mecanismos; conversando com a professora Léia ela disse sobre a necessidade da criação das eleições para Diretor nas Escolas Públicas da Rede Municipal de Ensino no Município de Floriano”, explica.
“Meu pai me ensinou que não se deve mentir e voltar atrás com palavras. e não seria hoje em defesa de minha categoria que eu me contradiria... se tiver um voto em favor da categoria pode ter certeza de que é do professor Miguel”, conclui.
Carlos Antônio (PRTB) que não declarou seu voto na tribuna disse que recebeu um grupo de alunos em seu escritório o parabenizando pelo seu trabalho prestado pelo trabalho na Superintendência. “Sou um homem que falo pouco, que às vezes palavras são meras palavras, mas o que vale são as atitudes. O importante do político é ele ter caráter e personalidade”, enfatiza.
A vereadora Ana Cleide (DEM) enfatizou que é do magistério e que para uma boa educação precisa-se de boas ações. Votamos por um transporte escolar de qualidade. Temos que lembrarmos desse momento e dessas crianças e adolescentes que passamos por tudo isso”, disse.
“Outro assunto importante é a merenda escolar e em 20120 praticamente não houve merenda escolar e em 2011 deu uma melhorada amarelada, um pouco melhor e não era como deveria ser. Temos que estarmos de olho para que não aconteça como aconteceu em 2010. Sabemos o quanto é importante a merenda escolar para as crianças”, conclui.
 Celso Cavalcante (PSB) disse que vota contra o veto e que vê a importância de um parlamento determinado e que tem um poder de estar dirigindo um futuro de todos os professores da cidade.
“Parabenizo a todos os parlamentares por essa grande atitude levando o compromisso a tantas e tantas pessoas em buscar sempre o melhor. Como parlamentar venho buscando sempre conhecer nosso município e principalmente as escolas da zona rural que vejo uma necessidade maior; vi escolas sem bebedouros e sem banheiros. também presenciei a situação da distribuição da merenda escolar”, fala Celso Cavalcante.