3/21/2012

PAIXAO DE CRISTO - 2012

Um dos mais belos espetáculos de fé ao ar livre acontece na cidade de Floriano, a 240 km de Teresina. A Paixão de Cristo, realizada pelo Grupo Escândalo, legalizado Teatro (Escalet), conta com um elenco de 350 atores locais e nacionais. Dentre eles está o ator global Alexandre Slaviero, que interpretou Armandinho na novela “Ti-ti-ti”, e agora irá viver o personagem Pôncio Pilatos. O ator dividirá o palco com Gustavo Leão – que será Herodes – e Débora Kalume (natural de Floriano), a Salomé. O grande espetáculo, dirigido por César Crispim, acontecerá no dia 7 de abril, às 20h, na cidade cenográfica.

“Minhas expectativas para a Paixão de Cristo são as melhores possíveis. Primeiro pela história, e depois pelo fato de vir a representá-la para um grande publico num teatro aberto, ao ar livre. Sempre um desafio interpretar para muita gente uma história tão conhecida”, afirma Alexandre.

Além de estudar o texto e assistir filmes relacionados ao tema para o espetáculo da Paixão de Cristo, Alexandre Slaviero está envolvido em um projeto de teatro – um texto cômico, que esta em pré-produção, e deverá estrear o mais breve possível. “Também estou envolvido em um projeto de cinema, que mediante agenda, deve vir a ser rodado no segundo semestre, fora do Brasil”, adiantou o ator.
 
Pilatos foi o governador romano que por volta de 33 foi enviado para Jerusalém com objetivo de pôr ordem à situação que havia se instalado na região, após a dominação do império romano. Em Jerusalém, ele se depara com situações complicadas que vai desde a revolta do povo da Galiléia com os impostos cobrados por Roma até o surgimento de profetas como João Batista e Jesus Nazareno. O governador lava as mãos ante o julgamento de Jesus, que acaba sendo crucificado.
 
A Paixão de Cristo de Floriano conta com apoio do governo do estado, prefeitura de Floriano, Caixa Econômica Federal, Ministério da Cultura e Lei de Incentivo a Cultura e entidades privadas.
 
Mais sobre Alexandre Slaviero
 
Alexandre, que já era modelo, decidiu começar a fazer teatro amador em Curitiba, sua cidade natal. “A família, no começo, não imaginava que eu viesse a me profissionalizar, mas desde o início me apoiou, e o fazem até hoje”, afirmou o ator.
 
Sobre ser ator, o curitibano acredita que é uma profissão com dificuldades e benefícios. Algumas das dificuldades são, no caso de Alexandre, a distância da família e amigos, a concorrência e muitas vezes a ausência de uma rotina diária.
 
“Já alguns benefícios são, poder, através dos personagens, vivenciar e aprender coisas as quais não faríamos em nossas vidas, como uma outra profissão, por exemplo”, afirmou. Ele disse ainda que pelo intenso ritmo de vida, se conhece muita gente nova e diferente, pelo fato de a cada trabalho contar com equipes diferentes, além dos lugares e locações de gravações.
 
Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário: