2/15/2012

Marcelo Castro, Silas Freire e a intervenção em Floriano


Por: Jalinson Rodrigues ( jornalista )

O artigo publicado pelo ex-prefeito e deputado, José Bruno dos Santos (PMDB), no Portal Az (9/02/2012) e Jornal O Dia (edição de 12/02/2012) disseca com detalhes a crise do seu partido e expõe fatos que revelam interesses escusos sobre a próxima eleição para prefeito de Floriano. As revelações do histórico militante  merecem atenção e remetem ao deputado federal Marcelo Castro, o apresentador Silas Freire e a intervenção no diretório municipal do PMDB.

José Bruno dos Santos um dos fundadores do antigo Movimento Democrático Brasileiro, partido que gerou o PMDB, afirma que ficou sabendo da intervenção no diretório florianense através de um canal de TV. Bruno escreveu, ainda, que o diretório estadual deseja entregar a direção municipal para o apresentador Silas freire, mas que não terá o apoio irrestrito, pois Marcelo Castro vai recomendar o candidato do PTB.

“Marcelo Castro me telefonou falando que Silas seria candidato, e foi enfático - Não subirei no palanque dele, pois o meu candidato daí é o Oscar Procópio candidato do Joel” (sic), escreveu Bruno dos Santos.

O articulista comentou que desde a última campanha para prefeito, quando o candidato Gilberto Júnior disputou o mandato pelo PMDB, o deputado Marcelo Castro impõe a sua vontade pessoal e comete infidelidade partidária, manifestando desprezo pelas lutas do PMDB no município de Floriano.

“Na eleição passada nenhum dos senhores membros pseudos donos do partido deram qualquer cobertura política aos candidatos a prefeito nesta cidade, faça-se justiça a Alberto Silva, o maior administrador do Piauí de todos os tempos e único Presidente do PMDB que emprestou apoio aos seus correligionários nesta cidade (sic)”, pontua Bruno.

Enfático, o experiente líder questiona a candidatura imposta do apresentador de TV. “Porque o Silas não se submete às falas das urnas? Floriano é a segunda cidade mais culta do Piauí, precisaria de um candidato que tentou São Francisco do Piauí e o eleitor disse não. Cidadãos bem empregados dizem que em cada casa que visita deixa uma oncinha como sua identidade, faz campanha antecipada na televisão, promove festas, paga orquestras, bebidas a vontade” (sic), declara.

Incisivo, o articulista interroga e desabafa. “ De onde vem tanto dinheiro? Foi o sortudo da loteria do Piauí? Esse candidato eleito respeitará o erário público? Só Deus sabe! Floriano não merece o candidato imposto por Teresina.

Neste imbróglio fica claro que o deputado Marcelo Castro é focado nos seus negócios. É o autor das emendas que garantiram bastante construção de calcamento no município de Floriano. Outro aspecto é sobre a candidatura e o prestígio de Silas Freire que, pelo exposto no artigo de Bruno dos Santos, correm riscos pela falta de fidelidade da cúpula do PMDB e os acordos feitos anteriormente. "A fidelidade obtida pelo dinheiro é vencida pelo dinheiro" (Sêneca).

Nenhum comentário: