1/30/2011

ABUSO

O uso de sons abusivos no Cais da Beira-rio em Floriano durante as noites, madrugadas e tarde de sábados e domingos,  foi mais uma vez motivo de  uma reunião entre autoridades locais. Na segunda-feira, 24, houve um encontro para discussões sobre o tema que envolveu o Juiz Aderson Nogueira (2ª Vara), promotor Edimar Piauílino Batista (Ministério Público) e o comandante do 3º Batalhão Policial Militar, major Rubens Lopes.  As denúncias de sons abusivos no referido local vem ocorrendo ao longo de muitos anos e por diversas vezes policiais militares foram acionados, vão até o Caís controlam os sons e em determinadas situações, quando os mesmos deixam o local, os infratores voltam a praticar o ato. Apreensões de sons e veículos já ocorreram, mas não tem sido suficientes para intimidar os proprietários de veículos que às vezes chegam a disputar a qualidade e altura do som.


Sobre o assunto o Juiz Aderson Nogueira, disse que não cabe uma ordem judicial, porque existe uma lei que veda a qualquer pessoa incomodar o sossego público, ou seja, o ato é uma contravenção penal e a polícia deve agir de oficio, cumprindo a lei.


O juiz Aderson, lembra ainda que por meio de uma ação impetrada pelo promotor Arimatéia Dourado, já há alguma tempo, havia determinado que os delegados de polícia e policias militares agissem quanto a coibir os sons abusivos, não tão somente no Cais, mas em qualquer outro lugar do município, e que essa uma obrigação dessas instituições de segurança.


Apesar de ser um local comercial e ponto de lazer, o Caís é também uma área residencial, cita o juiz, acrescentando que “É necessário que os prejudicados passem a cobrar do Comandante da PM, pois o mesmo tem a obrigação com os delegados de fazer cumprir a lei”.  Foram repassadas ao Juiz que  pessoas que são comerciantes do local, costumam liberar a energia para que os veículos de som sejam ligados,  essas pessoas estão passíveis de punições, inclusive com a cassação do alvará de funcionamento, colocou o magistrado.


O comandante do 3º Batalhão, Major Rubens não foi encontrado para questionamentos e dessa forma, se manifestou o subcomandante da corporação Militar, capitão New Marcos. Ele disse que 60% das ocorrências atendidas pela militar tem envolvimento com sons abusivos, e como no município não existe uma lei que verse sobre essa questão, os trabalhos são feitos e voltados à perturbação do sucesso público. Afirmou o PM, “em muitas das ações policiais os veículos são apreendidos e o cidadão conduzido ao distrito da área, outras providencias são tomadas pelos delegados, mas muitas  vezes a resolução do problema não é o que a comunidade aceita, mas é o que lei prevê”.


O capitão disse ainda que é um assunto muito questionado e se repete sempre, mas ninguém toma uma providencia real para que o problema seja de fato solucionado de uma vez por todas. E acrescentou que  as policias militar e Civil tem procurado fazer o trabalho e tem feito isso, dentro das suas licitações. Para o PM é necessário que seja criada uma lei que regulamente isso, e que essa, seja cumprida.


Fonte: piauinoticias.com

MÉDICO FLOIANENSE EM DESTAQUE

O médico Edilberto Pereira da Rocha Filho está comandando um estudo que reduz os sintomas da tensão pré-mentrual, a TPM nas mulheres.



Médico Florianense

Um médico piauiense é destaque nacional com uma pesquisa pioneira no Brasil. O médico Edilberto Pereira da Rocha Filho, natural de Floriano, está comandando um estudo que reduz os sintomas da tensão pré-mentrual, a TPM nas mulheres.

É a primeira pesquisa com resultados concretos sobre a ação dos ácidos graxos na TPM. A pesquisa já é destaque internacional publicada em revista científica. Ele é médico ginecologista e está trabalhando na Universidade Federal de Pernambuco.

Foram avaliadas 120 mulheres de 16 a 49 anos que, durante seis meses, tomaram pílulas de 1 g ou 2 g de ácidos graxos (como óleo linoleico, ácido oleico e outros ácidos graxos poli-insaturados) ou placebo, com óleo mineral.
Edilberto Rocha percebeu que o aumento do consumo de ácidos graxos essenciais estava ligado a uma diminuição de cólicas, dores nos seios e cansaço. 

Fatores como hereditariedade, sedentarismo e hábitos alimentares também podem estar ligados à TPM. Se a mulher tem sintomas mais leves, uma simples mudança, como reduzir a ingestão de chocolate e café, pode ajudar, diz Petta. 

60% das mulheres tem TPM

Uma pesquisa feita no ano passado pela Unicamp e pelo Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas entrevistou 1.053 mulheres com idades entre 18 e 40 anos e constatou que 60% delas sofrem com os sintomas da tensão pré-menstrual. 

Os alimentos ricos em ácidos graxos

- Frutas: principalmente o abacate, pequi e açaí
- Sementes oleaginosas: nozes, castanha do Pará, castanha de caju (ricos em ômega 3)
- Óleos vegetais: óleos de soja, de milho, de girassol, de arroz (ricos em ômega 6);
- Azeite de oliva e óleo de canola (ricos em ômega 9)
- Além disso temos também os peixes tais como a sardinha, o salmão o arenque, a cavala e atum que são fontes importantes destes ácidos graxos.

Fonte: www.noticiasdefloriano.com.br

1/27/2011

CARNAVAL, UMA FESTA SEM DONO

O carnaval florianense mantém a tradição de crescimento e conquista importância econômica na geração de oportunidade de renda.


O Carnaval é uma festa sem dono

O carnaval em Floriano sempre foi frenético, alegre e convidativo. Em todas as épocas conquistou posição de destaque entre as folias do Piauí. Com o passar dos anos se tornou referência para os roteiros de viagens de muitos brasileiros.

A história do carnaval é a saga da alegria. Este período de festas profanas existe desde o mundo cristão medieval. Nos primórdios, iniciava geralmente no dia de Reis e se estendia até a quarta-feira de cinzas, data que começavam os jejuns da Quaresma. Eram manifestações pela liberdade de atitudes críticas e eróticas. Outra origem para o carnaval está há mais de 2000 anos, quando na Europa, no mês de março, era comemorada a chegada de bons tempos para a agricultura. Como festa popular, o carnaval não tem uma origem exclusiva e durante a sua existência passou por muitas inovações.

As primeiras festas com características de carnaval, no Brasil, aconteceram no período colonial e foram chamadas de enduro. Era uma brincadeira grosseira, com a finalidade de atirar baldes d’água, misturas de bebidas, pó de cal e farinha entre os participantes. Este formato de carnaval agressivo estimulou as festas de salão, por volta de 1840, inspiradas nos bailes de mascaras europeus. Neste cenário surgem os confetes, rodelinhas multicores de papel, que atirados entre foliões representavam amabilidade e galanteio. Com a miscigenação étnica e a formação de uma cultura plural, o carnaval no Brasil escreve uma história com diferenças regionais.

Em Floriano, no Piauí, o surgimento do carnaval foi assim também: manifestações de rua, festas privadas, depois bailes em clubes. A expressão carnavalesca do florianense é tão histórica que em 1940 o bloco “Os Águias” participava da festa tocando pelas ruas marchinhas, com percussão e violão. Na década de 1960 o bloco “Os Malandros” teve bastante destaque com seus entrosados passistas e sambistas. Nas décadas seguintes, 70 e 80, foi mantida a efervescência da nossa folia de rua. Os imemoráveis bailes aconteciam no Comércio Esporte Clube, Floriano Clube e, posteriormente, também na AABB. Existia neste período o Bloco dos Sujos, que mesclava algumas características do enduro colonial com o carnaval moderno de flertes e paixões. Era um carnaval tão simples: bastava uma velha camisa, um calção e um tênis “já sambado”. A festa estava feita e o Reino de Momo instalado.

Nesta evolução de ritmos e ritos consumistas, os blocos se transformam em escolas de samba. Atualmente vivemos o carnaval das massas, quando milhares de pessoas ocupam a cidade gerando, assim, o turismo de eventos. A chegada dos blocos, com trios elétricos, difundindo a música baiana “axé music”, nos anos de 1990, trouxe para a nossa festa o folião turista.

O carnaval florianense mantém a tradição de crescimento e conquista importância econômica na geração de oportunidade de renda. São cinco dias de festa na maior tranqüilidade. Neste cenário, o Rio Parnaíba tem fundamental destaque. Possuímos ainda infra-estrutura limitada para uma atividade industrial do carnaval. Na minha singela opinião, as agências governamentais tratam o turismo como uma agenda de eventos e esquecem a qualidade de vida de quem vai chegar e de quem mora no local.

Na trajetória do carnaval daqui, a hospitalidade da cidade é marca registrada. Muitos jovens e famílias de florianenses, que residem em outras cidades, planejam as férias para Floriano no período do carnaval, oportunidade para encontros de gerações.

Contudo, o carnaval é a grande folia popular do florianense. É uma festa sem dono.

Jalinson Rodrigues – poeta & jornalista
Fonte: http://www.noticiasdefloriano.com.br/
Foto: http://www.cabeçadecuia.com/

1/23/2011

BLOCO BOTA PRA QUEBRAR



OUTRO grande delírio da epopéia de nosso carnaval no início dos anos setenta: o famoso bloco carnavalesco - o BOTA PRA QUEBRAR em grande estilo em fevereiro de 1970.

Em pé da esquerda para a direita, observamos os foliões Paulo Carvalho (Paleca), Chico Borges Filho, Marivaldo, Nagib Demes Filho, Waldemar, Paulo Kalume, Antonio Augusto (Tontonho Carvalho), Sérgio Guimarães, Pedrinho, Dedé, Odimar Reis, Nilson Coelho, André, Hélio e Fábio (guitarrista d´OS BRAVOS).
Sentados, Frederico albuquerque, Chico Paixão, Cristóvão Augusto Soares, Said Kalume, Lauro Antonio, Gervásio Júnior, João Holanda Neto (Holandinha), Borba Filho, Paulo Afonso Kalume (Petinha), Carlos Augusto Ribeiro e o nosso amigo Irapuan aquecendo os tamborins.
Momento hilário, que nos transporta para os bons tempos do contexto romântico da Princesa do Sul.

TIME DO PRINCESA DO SUL

Na tarde dessa sexta feira, 21, parte da nova diretoria do Princesa do Sul esteve no estádio Tiberão  com 16 jogadores, sendo na sua maioria, alguns que atuaram pelo 8 de Julho, atual vice campeão florianense de futebol amador, discutindo a situação da equipe na próxima competição estadual.

Estavam presentes os atletas oriundos de várias equipes florianenses: Igor (goleiro), Anderson (lateral), Ramon  (zagueiro), Frank  (lateral direito), Batista (volante), Edmundo (meia), Francisco Geyson (meia), Samuel  (atacante) de Canto do Burriti-PI, Breno (meia) todos do 8 de Julho; Eudes Tinda (atacante -Vitória-FLO) artilheiro do último campeonato local com 20 gols em 8 jogos, Allan (meia do Atletico-PI), Wesley Rafael (lateral Esquerdo-Grêmio-FLO), Victor (Meia C.A.F.), Jean  (lateral esquerdo -A.E.Floriano) e Tércio (volante rofissional- Ex-Princesa do Sul).
 
Segunda-feira 24, ocorrerão os primeiros trabalhos da equipe à tarde no campo do Bosque e estão sendo aguardados alguns jogadores  procedentes do Olimpikus-Flo; Michael (meia), Carmilton (volante), Francisco Robson (laterial direito), Lenilson (zagueiro), Niel (lateral direito) e  o Volante Bibio.

Antonino Ferreira, uma das pessoas que passa a ajudar o clube, expôs suas idéias e confirmou que existe o pensamento de revelar e valorizar os atletas prata da casa, nessa parceria que  envolve o Princesa do Sul e o Clube Atletas do Futuro.

Veja a entrevista feita pelo 'sportnews-cavalcante' com Antonino Ferreira (à esquerda) com Zé Filho e Paulo.
SNC- Como vai Funcionar a parceria que envolve o Associação Atletas do Futuro com a .A.F./Princesa do Sul?

AF-O Zé Filho está querendo que eu dê uma força já neste ano, e eu como gosto do esporte não posso fugir.  Estou querendo da essa força e transmitir experiência, isso, com jogadores de qualidade   repassando muita responsabilidade para atletas da região de Floriano, Jerumenha, Canto do Buriti, São João dos Patos-MA, Francisco Ayres-PI,  enfim, nós tivemos uns 500 jogadores que atuaram no último campeonato florianense, será que não é possivel se garimpar bons atletas? fazer um time homogenio?.  É necessário ter alguêm que saiba lidar com os garotos, temos que acreditar, temos que ter  quem goste de trabalhar com jovens, por que o jovem é uma coisa complicada. Dá suporte a diretoria será o espelho desses garotos por que se a diretoria vai bem o grupo todo vai bem. Todo esse trabalho é para que o futebol de Floriano não volte a ser aquele futebol com problemas, que promete e na hora 'H' não chega a lugar nenhum, tempos que fazer com que a diretoria bote os pés no chão, por que a diretoria ganhando eu ganho tambem. é isso que a gente espera e vamos trabalhar para que isso dê certo.

SNC: Com a sua grande experiencia no futebol, seja profissonal ou amador, quantos atletas de Floriano estão aptos a atuar pelo Princesa?

AF: Olha! Nós temos muitos caras (atletas) que deixaram o amador,  mais o amadorismo não deixou eles, você sabe disso  e o profissional não perdoa. Ele pode amador mas ele deve agir como profissional e acredito que temos como avaliar uns quarenta (40) atletas, com condições de disputar o campeonato.

SNC - Quanto a um treinador?
 
AF - Sou a favor que  venha um treinador de fora, que haja um jogador bilheteria e tenha também um patrocinadoer (uma Empresa) para banca-lo, por que nós não temos condições de paga-lo e os que tiverem aqui temos   que  pagar  de acordo com o  combinado no fim de casa mês,  isso é que faz com que o atleta tenha motivação para trabalhar, confiando na diretoria e confiando em si mesmo. Falei para Zé,  bote os pés no chão, vamos nos organizar e formar um grupo bom, de garotos que querem jogar um bom futebol,  buscar parcerias, porque se eu quiser teria como trazer um time inteiro,  até dois de fora, basta eu ligar pra o Sérgio, João Maradona e outros mais.

SNC- Qual sua filosofia de trabalho a frente do Princesa?

AF: Ttenho que ouvir meu presidente,  ele quer que eu seja Supervisor mais não estou querendo, mas se ele me colocou eu vou ver, eu tenho que ouvir primeiro ele. Qual é o plano dele,vamos ver o que vai ser feito por que é uma responsabilidade muito grande, a gente não pode continuar errando e contratação você sabe que é um negocio serio, hoje o ministerio publico ta ai, hoje se você assinar a carteira e não cumprir o clube vai pagar multa, então a gente tem que fazer a coisa certinha, organizadinho feijãozinho com arroz temperrado que da pra gente chegar lar.

Com informações do sportnews-cavalcante
Fonte: www.piauinoticias.com

1/21/2011

TIME DE BOTÃO

Agora, nessas férias, para passar o tempo, tentei reunir a curriola para relembras os velhos torneios de time de botão que jogávamos nos áureos anos da saudade.

Fomos jogando até a turma inventar outras resenhas, e aí o torneio de volta foi por água a baixo, coisas do nosso dia a dia da modernidade.

Mas quem não se lembra do time de botão ( o Flamengo de Tiberinho ), o Ríver de Danúnzio e o Santos de Puluca, havia uma grande rivalidade à época.

Existiam vários tipos de botão, tipo cabeção, baileiro, gordinho, lentes e outras tantas tampas fazendo os piolhos delirar, coisas que aqui vamos tentando relembrar para matar a saudade.

1/17/2011

VISITA

 No sábado último fizemos uma visita estratégica ao Centro Cultural local, de propriedade do nosso amigo Teodoro Sobral.

Por coincidência, constatamos a presença do florianense radicado no Rio de Janeiro, o economista Tibério José de Melo ( foto abaixo ).

Teodoro nos mostrou quase todos os pontos interessantes expostos no seu museu, tipo fotos, jornais, publicações antigas, discos e uma vitrola da philips ( foto ), muito em moda nos anos sessenta.

Por último, conversávamos sobre o autodidata Eleutério Rezende, músico, compositor, poeta e, principalmente, cientista, com especialidade em prever a movimentação do tempo. Teodoro conta que, certa vez, todos reunidos na Igreja Matriz, Eleutério teria comunicado à população local, que estava vindo uma seca das mais longas e que traria bastante dificuldades naquele momento. O povo ficara abismado, deveras preocupado, todos rezavam para amenizar o perigo previsto.

De repente, sem mais nem menos, começara a chover naquele instante de sua palavras. Quando ele escutara as trovoadas, o cientista, arguto que só, estrondou o microfone:

- No entanto, hoje à tarde, ainda vamos ter um temporal terrível... Mas nada de preocupante!

1/15/2011

TIME DO PRINCESA DO SUL

Dois mil e dez não foi um ano de muitas conquistas para a equipe de futebol do Princesa do Sul. No entanto a expectativa para 2011 é das melhores, conforme foi anunciado em reunião da nova diretoria do clube.

Em momento de planejamento, foi anunciada para o dia 21/01 a apresentação dos novos jogadores que comporão o time no campeonato piauiense de futebol. Conforme Gilson Osório, vice-presidente da equipe, a meta este ano é a conquista do campeonato estadual e a disputa da Copa do Brasil em 2012.

Há muito tempo as equipes de futebol Florianenses deixam a desejar nos campeonatos estaduais, já é hora de termos alegrias.

Fonte: http://www.florianonews.com/

RETRATOS

Este é o velho casarão, residência do casal, seu Zé Bem e dona Dora, localizado na praça do Cruzeiro, com sua arquitetura e contornos ainda preservados.

O detalhe é que, fazendo um tour junto aos arredores de Floriano, notamos uma constante alteração no contexto arquitetônico da cidade, mudanças e reformas para atender melhorias de consumo.

Seria de suma importância, por exemplo,  buscarmos parcerias junto aos seguimentos produtivos locais para discutir uma pauta importante para a preservação e revitalização desse conjunto que ainda sobrevive na velha e centenária Floriano.

Senão, daqui há pouco, já é muito tarde e, para recuperarmos o tempo perdido, teríamos que sonhar bastante; de qualquer forma, podemos começar, já, a busca de propostas diversas para compor essa pauta, para que a transição seja imputada. 

1/14/2011

RETRATOS

Trata-se de uma grande honra, retornar à Princesa e reencontrar figuras ilústres da velha guarda, como se vê na ( foto ) ao lado.

Zé Fernandes, um dos alfaiates mais conhecido  e renomado da cidade, Zé Alberto ( o Dito, filho de Francisco Borges e de dona Cirene ) e o mais antigo barbeiro de Floriano em atividade,o nosso querido Zé Venâncio, com seus mais de oitenta e tantos anos e dando show em sua velha bicicleta de marca guliver.

Segundo o nosso amigo Dito, trata-se na verdade do filme Jurassik Park II na idade, tirando brincadeira, mas a verdade é que conseguimos traduzir essa grande virtude do povo florianense, quando há reencontros como esse.

Nada mais aconchegante cortar o cabelo e fazer a barba Barbearia São José, local para reviver boas conversas de fim de tarde.

FANFARRA

TRIBUTOS AO TIBÉRIO JOSÉ DE MELO

Pois bem, estávamos na véspera de um desfile de 1°. de maio, o colégio havia gasto uma boa cifra em vestimentas e alegorias para os carros, materiais e equipamentos para a banda e coisa e tal, quando estávamos treinando no período da tarde, sem a presença do professor Duzito e sob o comando de Nêgo Poncion, e quando subíamos a Rua José Messias, entrando em um beco que ia dar no Catumbi, o Chicão, que pesava uns duzentos quilos e era quem dava o comando para entrada das evoluções que fazíamos com os instrumentos, de repente começou a puxar um samba, e, daí pra frente, não sei como aconteceu, sei apenas que virou uma bagunça: as cornetas não se encontravam com o comando das caixas e vice-versa; paramos e resolvemos voltar para o Ginásio. Lá já estava nos esperando o Doutor Braulino.

O Tibério Melo lá do Rio de Janeiro narrou ao Janclerques fatos que os meus neurônios já não recordavam, mas voltaram a reviver quando li a narrativa ( ver FANFARRA ) exatamente acontecida naquele dia, quando chegamos à porta do Estadual, busquei os detalhes e hoje presto com isto um Tributo ao meu companheiro dos anos sessenta e que marchamos juntos na luta de tornar o nosso Ginásio sempre vitorioso. Ao chegarmos no Colégio, com o Dr. Braulino a nos esperar, o homem não tinha a cor firme e estava sério. Guardamos os instrumentos e recebemos um recado para que todos se dirigissem a uma sala para uma reunião.

Nestas alturas do campeonato, já estava todo mundo nervoso e ansioso, entramos um a um, caladinhos e sentamos, quando o Mestre entra na sala com uma cara que não era de boas notícias, puxou uma carteira de cigarro, tirou um cigarro e caminhou até o fundo da sala, tocando o cigarro na carteira por diversas vezes e encarando um a um sem falar nada. Aí, apareceu um corajoso, que não me recordo quem foi e começou a sorrir, imediatamente o Dr. Braulino, retrucou: “Qué que foi, mocinho, que está sorrindo aí, tem algum dentista por acaso aqui!...”. Ah!.. meu amigo, o prédio quase vai abaixo com todo o pessoal sorrindo.

Moral da resenha, o Mestre, passou um sabão na gente, ameaçou tirar a Escola do desfile e encaminhar as despesas para os nossos pais assumirem e etc e tal. Terminamos por assumirmos a responsabilidade de não fazer feio no desfile e que ele confiasse na gente ( era o que ele mais fazia ). Resultado: botamos pra quebrar e, mais uma vez, a nossa FANFARRA saiu vencedora.

Por diversas vezes participamos de desfiles nos municípios próximos a Floriano, onde éramos aplaudidos pela população, principalmente as meninas da época. Jerumenha, São João dos Patos, Amarante, Itaueira, etc. Tempos bons que não voltam jamais, mas que merecem ser sempre lembrados.

1/11/2011

TRIO TERNURA

Vejam só, esses vovôs do futebol romântico de Floriano ( foto ), o chamado " trio ternura ", à época, nos anos sessenta e setenta, não alisava nem a pau.

Didi Futuca ( irmão de Quinto ), Zé Buraco e Ubaldo ( o rasga milho ), jogaram no Grêmio de Galdino e Brasil de Almeida, respectivamente, onde conquistaram várias taças no contexto do futebol florianense.

Recentemente, no período natalino, houve aí esse reencontro, onde puderam reviver um bom papo, falando de glórias, conquistas e saudades do antigo futebol da Princesa.
Certa vez, Didi Futuca, numa disputa acirradíssima, deu uma rasteira em Bolo Doce, que tentara driblá-lo, num torneio de futebol de salão, realizado na quadra da antiga AABB. Antonio Luís, por sua vez,  não gostara e disse: " cuidado, Futuca, eu também num aliso, não... " Didi, no entanto, num acesso de pura vontade de ganhar aquela parada contra Bolo Doce, devolveu com essa, categoricamente:

- Joga teu futebol, Antonio Luiz... joga teu jogo que eu jogo o meu, ora porra!

1/09/2011

RETRATOS

JOHN JÚNIOR - ANTES E DEPOIS




O nosso amigo César ( filho de Antonio Sobrinho ),  faz aqui um retrato visível sobre a trajetória  do nosso mais famoso cantor e ex-ídolo da Jovem Guarda - John Júnior, de grande sucesso na região Nordeste, saindo, inclusive notícias suas nas famosas revistas da época, tipo Sétimo Céu e outras. Veja, abaixo, um perfil do que foi o nosso querido cantor.
JONH JÚNIOR, SURGE UM ÍDOLO - 1968 
JOÃO GONÇALVES DE FREITAS FILHO (JONH JÚNIOR), nasceu em 20.09.56, um pacato cidadão, hoje empresário em Brasília-DF; na adolescência, com apenas doze anos, uma bela voz, carisma e muita ginga, revolucionou Floriano, sua cidade natal, o Piauí, Maranhão, Goiás e Pará.
Oriundo de uma família simples, mas de grandes valores moral e espiritual, foi muito bem orientado pelos pais, seu João Gonçalves de Freitas, 86 anos, funcionário público aposentado da Secretária de Agricultura e Feliciana de Lima Freitas, carinhosamente chamada dona Dodô, 84 anos, as irmãs Gorete, Maria Leonete e Dárcia Maria de Freitas, grandes incentivadoras, hoje residindo em Brasília e Floriano, respectivamente, relembram com muito orgulho e empolgação a façanha do garotão.

Seu João, num flash back, nos contou que “tudo começou com brincadeiras no quintal da nossa casa da rua Defala Atem, que ficava em frente a residência do Senhor Zezinho Rocha (um exímio alfaiate), os colegas e a vizinhança o valorizavam muito, assistindo-o e até pagando entrada para o “mini-show”.
A Rádio Difusora de Floriano em comemoração ao seu 11º aniversário, promoveu um concurso de calouros, tendo como premiação a gravação de um compacto; Júnior soube do evento e foi observar os ensaios; chegou em casa dizendo que não tinha visto ninguém melhor que ele e não deu outra: se inscreveu.
O concurso fora realizado no famoso Salão Paroquial, a apresentação foi tão boa, que o delírio das pessoas foi contagiante; o sucesso da época eram: NÃO FAÇO SEGREDO (César Sampaio – Horácio), ROSINHA (João José), SE PENSAMENTO FALASSE (Raulzito), CANDIDA (T. Wine – I. Levine).
Na saída do show, o locutor Pedro de Alcântara Ramos (do programa A Hora do Bem Querer), bateu no meu ombro e disse para mim: "o menino é bom, tem talento e vai longe, invista".
Após este evento, segundo seu Freitas, "não paramos mais, os shows eram vendidos nas cidades do Maranhão; em São João dos Patos lotou o cine Soraya; Imperatriz e Carolina o público foi tão grande, que foram realizado dois shows em cada noite. O sucesso era tamanho e à proporção que nos deslocávamos para outras cidades os fãs iam aumentando. O show aconteceu também em Tocantinópolis-GO e Conceição do Araguia-PA, onde ocorreu um assédio ainda maior das fãs", finaliza seu pai João Freitas.
Em1973, fomos a São Paulo gravar um compacto duplo, (o estúdio, tinha equipamentos modernos e as gravações eram feitas por parte; o Júnior cantava sozinho, em seguida cada instrumento, para depois serem juntados). Gravamos 1.000 unidades”. 

E a vida continua (...) Saibam vocês que TOM CLEBER é primo do nosso ídolo, hoje é sucesso nacional.
...........................................................................................................
Reportagem: César Sobrinho

DESTAQUE FLORIANENSE NA USP-SP

Prêmio foi concedido em solenidade realizada nesta semana.




Gustavo Noleto
O florianense Gustavo Sousa Noleto, de 23 anos, recebeu o Prêmio de Melhor Aluno do Curso de Medicina da USP-SP entre os Formandos de 2010 durante evento de colação de Grau realizado na última quinta-feira (06/01) na Via Funchal em São Paulo.

Gustavo Sousa Noleto nasceu em 08/01/1986 e foi destaque desde as primeiras séries do antigo primário, na Escola Tia Rubenita.  Inicou o ensino fundamental no Colégio Industrial São Francisco de Assis. Em 2000, mudou-se para Teresina, indo estudar no Instituto Dom Barreto, onde estudou até concluir o ensino médio. 

Chegada a hora dos vestibulares, ano de 2005, Gustavo prestou provas  para medicina, na UESPI, UFPI E USP (Universidade de São Paulo). No vestibular da UESPI, aprovado em 06º lugar. Na USP também foi aprovado. A glória maior veio no vestibular da UFPI: 1º colocado geral. Partiu para São Paulo e foi estudar medicina em uma das melhores universidades do Brasil: A Universidade de São Paulo (USP).

Passados 6 anos, enfim, a formatura, e com ela, um feito inédito:  recebeu o Prêmio de Melhor Aluno do Curso de Medicina da USP-SP dentre os Formandos de 2010, durante evento de colação de Grau na Via Funchal, em São Paulo-SP. ( Fonte: www.noticiasdefloriano.com.br )

1/02/2011

CARNAVAL - 2011

As Escolas de Samba ainda representam a essência da cultura do carnaval



Carnaval de rua
O carnaval se aproxima e muitas escolas de samba piauienses dão apenas os últimos retoques para o espetáculo visto nas ruas. Em Floriano a coisa é muito diferente: não se percebe nenhuma movimentação das escolas e blocos de rua  no que se refere a proporcionar aos florianenses e aos turistas a expectativa de um espetáculo digno de uma cidade muito considerada pelo seu carnaval.

Faltando cerca de sessenta dias para o início das festividades carnavalescas as agremiações ainda dependem de um repasse financeiro da Prefeitura para viabilizar os desfiles, o que inclui a fabricação dos carros alegóricos, criação de trajes e etc. Os membros dos grupos pedem R$ 20.000,00 para cada escola de Samba e metade desse valor para cada bloco, ao contrário do ano passado, em que o valor repassado foi de R$ 15.000,00, dividido da mesma forma.

A questão que se coloca não é apenas a falta do repasse, mas a ausênciade interesse dos grupos carnavalescos em planejar durante o ano atividades que aumente a autonomia financeira das escolas de samba e objetivem uma festa bonita e sem atropelos. 

O poder público municipal também precisa reavivar as escolas de samba, pois elas ainda representam a essência cultural do carnaval da princesa do sul que no entanto tem sido vista em nível estadual, e até nacional, somente por meio dos blocos privados. ( Fonte: www.noticiasdefloriano.com.br )

RETRATOS

Mais um momento significativo, dentro do contexto do período natalino em Floriano, foi a presença do nosso amigo Marcelo Guimarães.

Fizemos um retrato, um apanhado de reminicências, mas dentro de um parâmetro otimista, projetando pra nós mesmos a confiança de uma Floriano nova com a participação efetiva daqueles que almejam melhoras para a Princesa do Sul.

Com essa reforma da Prefeitura, nos proporcionando um contorno novo, diferente, com a igreja, suas laterais, a praça da Liberdade e o novo bar Sertã ( foto ), certamente revigoraremos para um futuro de muitas propostas para Floriano.

Vamos viver um 2011 com mais garra, determinação na construção de um novo futuro para a Princesa do Sul, criticando, mas sugerindo novas idéias para atrair mais atividades turísticas, melhorar o carnaval e, principalmente, acabar com a sujeira da cidade.