12/30/2011

Um cenário para a próxima eleição


Com a decisão do PTB e dos grupos aliados em anunciar um pré-candidato para a  sucessão do prefeito Joel Rodrigues já é possível imaginar um futuro cenário político na campanha de 2012. A indicação do professor e vice-prefeito, Oscar Procópio (PTB), para disputar o Poder Executivo sugere que a base aliada da atual gestão assina  embaixo. Assim, um campo de força está definido para a disputa da Prefeitura Municipal de Floriano.

Identificados como oposição ao atual mandato, o PSB, PMDB e PSDB já sinalizaram que vão para a disputa. No PSB está consolidada a candidatura do advogado Gilberto Júnior, que será abençoado pelo Palácio de Karnak. O PMDB entregou para o jornalista Silas Freire a missão de buscar apoios para, também, entrar no páreo. O PSDB aposta na juventude do bioquímico, Eneas Maia. Assim, podemos imaginar que estes senhores serão alguns ou todos os candidatos com densidade para o próximo pleito.

A cena política ainda aguarda o desfecho do “canto de carroceria”, que o vereador Salomão Holanda levou com a indicação de Oscar. Obediente ao prefeito, o vereador apareceu em primeiro lugar numa pesquisa do Instituto Captavox, mas isso não foi suficiente para emplacar prestigio com a base aliada. Depois do fato, em várias entrevista, o vereador manifestou que ainda aguarda uma chance de cair nas graças do grupo liderado por Joel Rodrigues. Se Salomão Holanda abrir dissidência e apresentar a sua candidatura, amplia para cinco os pretendentes a Prefeitura de Floriano.

Essa minha analise se baseia na conjuntura política local. Os campos de força partem dos grupos ligados ao Governo do Estado e da gestão municipal. Outros partidos servirão para compor como aliados dos poderosos do momento. Sem futurologia, mas os partidos PTB, sigla do prefeito Joel Rodrigues e o PSB, sigla do governador Wilson Martins, possuem imensa possibilidade de polarizar a disputa na próxima eleição. São fatos concretos que apontam para isso. Qualquer fato novo será um fato novo.

Agora tem uma variável neste cenário: os candidatos precisam combinar com o eleitor e conquistar os votos necessários para a vitória. Mesmo somando todas as forças, a decisão popular pesa muito no resultado final. Na democracia o eleitor tem a liberdade de votar em quem desejar mesmo supostamente devendo favor ao clientelismo político, que ainda existe.

Com a disputa dos candidatos, deve entrar na campanha, também, a discussão sobre o avanço da qualidade na prestação de serviços em saúde, educação, moradia, empregos, cuidados com o meio ambiente e segurança pública. Todos os candidatos são produtos do nosso cotidiano político. Agora devemos avaliar as proposta e escolher com a consciência livre e soberana. Estamos encerrando um ciclo de administração e será muito importante uma avaliação sobre o que foi feito e o que foi esquecido.

Por: Jalinson Rodrigues

12/29/2011

BLOCO FURACÃO COM NOVA PARCERIA

Um evento realizado na noite desta terça-feira (27/12), no Comércio Esporte Clube, teve o objetivo de promover o lançamento do Bloco Furacão/2012. Diretores do Comércio Esporte Clube anunciaram uma parceria com o empresário Rogério Reis que é promotor de eventos em Floriano.


O Presidente do Comércio Esporte Clube, advogado Miguel Arcanjo, comandou a reunião e disse que está otimista com o projeto do Bloco Furacão/2012, acreditando que o bloco irá reeditar seus melhores momentos que o transformaram no bloco alternativo mais tradicional da cidade.


O empresário Rogério Reis disse que já há várias atrações confirmadas, como por exemplo as bandas: Fantasmão, Chicana, Caldeirão, Jheremmias, Furacão do Forró, Cristian Marques e Banda Nanaé, BB Chorão e A Revolta.


O Comércio Esporte Clube já começou a venda de abadás com os preços de R$ 180,00 á vista e R$ 200,00 no cartão de crédito para sócios.

Fonte: noticias de floriano

MUTIRÃO DA LIMPEZA

A Prefeitura de Floriano vai dar início no próximo dia 2 de janeiro/2012 ao Mutirão de limpeza e Combate à Dengue e aos serviços de tapa buraco de ruas e avenidas da cidade.


Para isso vai contratar 200 homens que estarão realizando os serviços de capina, roço e remoção do material, e melhorando a pavimentação da cidade.

Os interessados em trabalhar nesses setores  deverão comparecer à garagem  da Prefeitura, localizada na avenida Eurípedes de Aguiar, esquina com o anel viário.

O mutirão faz parte do Plano Municipal de Controle e Combate à Dengue, através de ações específicas das Secretarias de Saúde e Infraestrutura. O plano tem objetivo de  implementar as medidas de controle da dengue no município para reduzir sua transmissão, e também, na perspectiva de evitar as internações hospitalares.

Fonte: SECOM

12/28/2011

GOL REPLAY

Um dos pontos mais fortes de Luiz Orlando, ex- craque do futebol de poeira de Floriano, no período romântico, ( ele é o ponta de lança da foto ao lado do time do Cruzeiro de 1971 no Mário Bezerra ),  era a catimba e, inclusive, ele destaca um lance engraçado, que ele contava sempre com saudades:

“tratava-se de uma partida disputadíssima, acirrada no Campo dos Artistas, por volta de sessenta e sete. Botafogo de Gusto contra o nosso maior rival, o Flamengo de Tiberinho (perder pra eles era um trauma terrível), até hoje esse lance é conhecido como o GOL REPLAY, sem televisão, pode?

Mas você vai perceber como pode. Começa o jogo e, logo aos vinte minutos, o Flamengo de Tiberinho faz 1 a 0. Encerrado o primeiro tempo, no intervalo, conversamos o que poderíamos fazer, o jeito era ir pra cima, para o ataque, não podíamos de maneira alguma perder essa grande decisão.

Bola rolando na segunda etapa e, logo na metade do tempo, há uma falta a nosso favor, próximo da grande área. O Flamengo compôs a barreira, Janjão lançou a bola e eu entrei impedido de cabeça e ... golaço, foi aquela alegria, mas quando olhamos para o juiz Vicente XEBA, estava anulando o gol, corri pra cima dele com atitude e comecei, então, a dialogar com o velho mestre do apito, mostrando várias saídas para resolver o impasse, quando, de repente, propus: pois repita a falta. O homem gostou da idéia e colocou a bola para ser cobrada a falta novamente e, engraçado, foi do mesmo jeito, Janjão correu, lançou a bola eu entrei de cabeça, fazendo o gol, foi o replay do primeiro gol, os torcedores foram à loucura!

Empatamos o jogo e, no final, todos ficaram felizes, inclusive Vicente XEBA, que tinha moral e categoria. 

12/27/2011

NÃO HAVERÁ MAIS A FESTA DA VIRADA DE ANO NO CAIS DO PORTO


O Secretário Municipal de Comunicação de Floriano, Joab Curvina, comunicou nesta segunda-feira (26/12) que, neste ano, o município não realizará a festa da virada no Cais do Porto.

Segundo o Secretário, o Prefeito Municipal teria tentado conseguir recursos junto ao Ministério do Turismo tendo conseguido apenas uma emenda para fazer frente à infraestrutura da festa. A Prefeitura teria que cobrir as demais despesas, como por exemplo contratar as bandas.

Joab Curvina disse que a Prefeitura preferiu dar prioridade à limpeza da cidade e à organização do carnaval.

Fonte: noticias de floriano

 

12/22/2011

CARNAVAL 2012

Os integrantes da Associação das Escolas e Blocos da cidade  de Floriano (AESB) se reuniram no auditório da secretaria municipal do bem estar social com o objetivo dedebater vários temas  relacionados ao carnaval 2012.


A  pauta principal diz respeito à prestação de contas do último carnaval que ainda não foi feita. O Sr. Vicente Paulo, atual presidente do órgão, afirma que ainda há duas escolas e quatro blocos que não prestaram contas dos recursos que foram repassados ano passado.


Tratando  sobre os repasses para 2012, a Comissão Organizadora de Eventos de Floriano (COEF)  pretende dar o mesmo valor que foi garantido no ano de 2011, ou seja,  R$ 17 mil para as escolas e R$ 8.500,00 para os blocos concorrentes.

Fonte: noticias de floriano

12/21/2011

ENTREVISTA COM GONZAGA


GONZAGA PRETO – O ETERNO ARTILHEIRO!


Atualmente treinando os garotos da Escolinha Brasiliense, o pique ainda é mesmo, continua com a mesma motivação e dedicado quando assume compromissos!

- Gonzaga, quais os times que você jogou no futebol de Floriano?

- Se for contar tudo desde o começo, haja tempo; mas foram os seguintes: América de Antonio Martins; Botafogo de Gusto (que tinha como o maior torcedor o seu Antonio Sobrinho; e, certa vez, o juiz estava demorando pra encerrar o jogo e já estava ficando escuro; de repente, ele pegou e carregou a bola do jogo, nunca esqueci o lance!); Reno de Zé Amâncio; Ferroviário do Francisco Antonio Bezerra, mais conhecido por “Bezerra”; Palmeiras (com Antonio Guarda, Bagana e João Rato), time do finado Basué; e, por último, o nosso Grêmio!

- Você participa do Grêmio Esportivo Florianense desde quando?

- Desde a sua fundação do Grêmio, e o lance foi interessante, veja: juntou os piolhos de bola Gonzaga (eu), Chapéu e Geremias, e como eu era amigo de Calistinha, idealizamos em formar um time e nos dirigimos ao Hospital Miguel Couto (hoje a Diocese Oeiras-Floriano) para convidar o Dr. Calisto Lobo Matos, para ser o Diretor Presidente da agremiação. Chegando lá, Dr. Calisto estava na sala de cirurgia, e aí só nos restou ficar esperando! De repente, eis que surge o nosso alvo, Dr. Calisto. Após cumprimentá-lo, perguntamos se ele poderia nos ceder alguns minutos do seu precioso tempo! E prontamente ficou livre para bater aquele bolão, só toque de bola! Os três ficaram só cercando, sem fazer falta: “Dr. Calisto, temos aqui um elenco e com ele poderíamos formar um grande time de futebol e disputar todos e qualquer campeonato de igual para igual.” Aí veio a primeira falta: “Gostaríamos de convidá-lo para ser Presidente do time, que terá o nome de Grêmio Esportivo Florianense.” Dr. Calisto não fez objeção, escapou da falta: “Garotos, estou à disposição, o que está faltando para formar este timaço?” Era exatamente a pergunta que o trio gremista estava esperando! Entraram de carrinho, Geremias na frente, claro, sua especialidade! Gonzaga e Chapéu, pedindo calma: “estamos precisando de um jogo de camisas.” Imediatamente, Dr. Calisto pegou seu bloco de consulta e mandou no ângulo, Joaquim nem viu onde entrou: “vão lá no Mohamed Wassen Abou Arabi (nome completo de Ibraim, informou orgulhosamente sua filha Leila), e pegue uma equipe completa, aqui está a autorização.” Rapaz, pense numa turma feliz, parecia pinto comendo milho! Com isso facilitou a formação da diretoria, que tinha como membros: Rego (trabalhava na Pernambucana), Milton Costa Sá (trabalhava no Vende Bem, hoje mora em Guadalupe), praticamente o Grêmio ficou como o time mais organizado, inclusive com reuniões que eram realizadas frequentemente na casa de Dr. Calisto, time bem planejado, todos sabiam a sua tarefa. De lá pra cá só deu alegria, fui campeão 11 vezes pelo Grêmio. A maioria das conquista do Grêmio, fui artilheiro (disputa ferrenha com Zé Bruno, na artilharia!), lembrou Gonzaga Preto. Os campeonatos de Floriano aconteciam normalmente, mas com o intuito de motivar e atrair o torcedor, a Liga convidou um timaço da CHESF (Guadalupe – que tinha um jogador chamado Ribinha, liso, habilidoso, era infernal!), comandado pelo ex-diretor do Grêmio Milton Costa, e o campeonato pegou fogo, e numa final inesquecível, contra a CHESF, foi o jogo que mais me marcou, fomos campeões, quando ganhamos o jogo - Grêmio 3 X 1 CHESF, naquele jogo eu estava inspirado e comandava o espetáculo (o jovem Walberto não tinha ainda feito gols), eu disse: ”hoje você vai fazer o seu” e os passes saíram com a maior naturalidade, logo na época em que estava no auge da minha carreira, bem preparado fisicamente e isso facilita para o atleta, a gente sai na frente!

- Gonzaga, cite seus pontos fortes?

- Cabeceava bem, nunca tive medo de zagueiro, tinha arrancada e velocidade, era impressionante, quando partia na frente não conseguiam me alcançar, o chute não era forte, mas colocado, tirando do goleiro, muita categoria, sabia dominar e tinha o reflexo de águia.

- Gonzaga, quem te ensinou essas artimanhas para vencer no futebol, um esporte tão disputado?

- É um dom de Deus, era piolho de bola, treinava no campo do Curral Velho, hoje Colégio Estadual, um campo de areão, desafio constante, onde a gente tem que ter habilidade pra tudo, ou seja, no areão, temos que driblar várias adversidades: os adversários e principalmente o próprio areão, isso é que é escola!

- E no Campo do Artista, qual o time que você jogou?
- Botafogo do Gusto, Mundeiro, Bago, Bento (era o único que segurava Chiquinho), Zeca Zunidor (veloz como um raio), Gonzaga.... fomos campeões naquela época.

- Gonzaga você lembra de algum time adversário e seus atletas?

- Fluminense de Carlos Sá tinha Chiquinho, pense num cabra rápido; Flamengo de Tiberim com Nego Cleber, Pedro Caniço; América de Antonio Martins, joguei também, tinha ainda, Ferré, Lucas, Corró, João, Galo Magro (goleiro)

- Chegou a ser convidado para jogar nos times da Capital?

- Sim, joguei no Piauí Esporte Clube por seis meses ao lado de Sima e Toinho e o treinador era Ronaib.

- E o Grêmio na era Galdino?

- Foi sensacional, o time manteve o mesmo padrão de sempre buscando títulos. O nosso último título, foi em 1995, quando o Galdino teve todos os seus Campeões: Botafogo, Grêmio e Corisabbá.

- E “Seu Chico Urquiza”, fale um pouco!

- Era um baluarte, organizado e gostava que os atletas fossem responsáveis, não gostava de bagunça, um apaixonado pelo futebol, nas folgas levavam o time conhecido por “Time de Chico Urquiza”, íamos pelos interiores e até chegamos a jogar em Graça Aranha-MA, longe! Pense num lugar longe!

- Gonzaga e sobre a Seleção Florianense?

- Fomos campeões do Torneio Intermunicipal, 1982, um timaço, Marquinhos, Mineiro, Pedão, Dias e Zé Ulisses; Edmar, Mocó e Flexa; Neto da Farmácia, Gonzaga Preto e Chaga Velho. Era um torneio disputadíssimo, chegamos 4 vezes na final, pois os times da região norte eram quase imbatível, não pelo futebol, mas eram ajudados de vários formas. Agora, chegou a hora! Essa pergunta, quero é vê o cabra ficar normal, não fica! Tá provado, se emociona! Impressionante! Até hoje diariamente Walberto lê a nossa reportagem, ele contando o seu gol mais bonito, Gonzaga também não é diferente! Vejam que pintura! Daria um belo quadro!

- Gonzaga, qual o seu gol mais bonito?

- Virgem Nossa Santíssima! Foi jogando pela Seleção de Amarante contra o selecionado parnaíbano, um lance espetacular, com estádio tinindo de gente e pense em duas torcidas fanáticas, tanto os amarantinos quanto a de parnaíbanos, recebi um lançamento perfeito (a La Gerson – canhotinha de ouro), tava de costa pro gol, matei no peito e de meia bicicleta (obrigado Leônidas da Silva – o homem borracha!), na veia, que chute bem no ângulo, Suzarte, goleirão, ficou pasmo! Só olhando! Com a cara de bobão!, E dizendo: "como é que pode! Como é que pode!” Eu só vi a gritaria e a rede balançando, foi uma correria inesquecível, rapaz o filme voltou! É o futebol, o que posso fazer? Ninguém tira esse! Ta na memória!

- Os craques atualmente estão difíceis de surgir, analise?

- Falta principalmente humildade, quando um jogador joga uma partida boa, pensa que é já craque, não sabe se valorizar, tem que ter mas responsabilidade, atleta não pode andar em farras. Quando eu jogava, e a pós a partida, recebia alguns elogios sobre a partida eu dizia: obrigado, mas eu quero jogar melhor na próxima, ou seja, as coisas hoje os atletas querem tudo imediato! Após a partida, o jogador, já pensa na resenha e no dinheiro! Faltam também campos para peladeiros, são nesses campos que aparecem os craques!

Biografia de um atleta espetacular! José Luiz GonzagaNasceu 27.04.1951 em Floriano-PI, no bairro Curador. Cônjuge: Meroania da Silva Moreira. Filha: Moyra Christian da Silva Moreira. Pais: Antonio Milindro de Sousa e Maria Evelin Soares. Funcionário da CEPISA, há 27 anos
...................................................................................................
Fonte: www.florianoemdia.com

12/19/2011

DADA A LARGADA PARA O CARNAVAL DE 2012


Já foi dada a largada para o maior e melhor carnaval do Piauí. A folia em Floriano já está garantida pois os blocos privados já divulgam as atrações que vão sacudir os milhares de foliões de todo o Brasil que vêm à princesa do sul curtir o carnaval.

 O Portal Noticias de Floriano também sai na frente e faz um resumo do que os dois maiores blocos da cidade preparam para aqueles que desejam curtir a festa.

BLOCO FURACÃO

É o Bloco mais antigo da cidade e com uma história de sucesso surpreendente. São 12 anos animando o nosso carnaval e com um nome consolidado em todo o norte e nordeste.
Este ano o bloco aposta na grande estrutura do Comércio Esporte Clube e em bandas de reconhecimento nacional. Cerveja grátis está garantida na concentração e no percurso té o cais.

BLOCO ME ACHA

O mais novo bloco de carnaval local já nasceu grande. No ano de 2011 conseguiu arrastar uma multidão para a Arena Me Acha. Uma grande divulgação em nível estadual garantiu a presença de muitos turistas neste Bloco.

O Me Acha traz uma novidade este ano: Além dos abadás normais, criou a opção do ABADÁ VIP COM FRONT STAGE. O bloco disponibiliza cerveja grátis apenas na concentração.

CARNAVAL DE RUA

A Prefeitura também realiza o carnaval de rua. Quem preferir ficar na pipoca vai participar dos famosos arrastões seguindo um trio elétrico. A programação ainda não foi confirmada pelo município.
A tradição também tem vez. Blocos e Escolas de Samba participam dos desfiles na Av. Getúlio Vargas.

Fonte: noticias de floriano

12/16/2011

PIB de Floriano é apenas o 5° maior do estado

A Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (Cepro) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgaram, nesta quarta-feira, 14, o relatório do Produto Interno Bruto (PIB)  dos municípios do Estado.

O resultado da pesquisa confirma que a cidade de Floriano continua em posição marginal no que se refere ao aumento do seu PIB, mantendo a mesma posição da pesquisa divulgada em anos anteriores. A cidade amarga a 5° posição em nível de riqueza no estado.

O desempenho da soja fez com que Uruçuí ficasse entre as cidades mais ricas do Piauí. Com um PIB R$ 562 milhões em 2009, o município ficou em quarto lugar entre os municípios com maior economia, atrás apenas de Teresina (PIB de R$ 8,7 bilhões), Parnaíba (PIB de R$ 757 milhões) e Picos (PIB de R$ 578 milhões).

Graças ao agronegócio, a cidade mais importante dos cerrados piauienses ficou à frente de Floriano (R$ 429 milhões), Piripiri (R$ 255 milhões) e Campo Maior (R$ 250 milhões). A 8ª colocada também é uma grande produtora de soja: Bom Jesus, com PIB de R$ 203 milhões em 2009.

O PIB de Floriano R$ 429 milhões

Floriano como a 5ª economia do Estado tem 72,33% de sua produção baseada no setor terciário, com enfoque para a administração pública; e o comércio atacadista, com destaque para a venda de mercadorias em geral. Produtos alimentícios, bebidas e produtos farmacêuticos também se destacam no município. No comércio varejista os segmentos de veículos automotores e produtos alimentícios lideram as vendas. O setor industrial representa 20,15% da economia local e os produtos farmacêuticos representam o maior peso na indústria, seguido de produtos alimentares e madeira para a construção. No setor agropecuário o destaque fica para a criação de bovinos, o abate de aves, a produção de leite e ovos.

Fonte: noticias de Floriano

12/15/2011

RETRATOS

JERUMENHA, TERRA QUERIDA - SAUDADES

( Na foto ao lado, o nosso amigo Chico Amorim Sobrinho passeando sobre a Ponte do Rio Gurguéia em Jerumenha em fase final de construção nos anos sessenta)

JERUMENHA, terra onde vivi boa parte da minha infância e da minha adolescência. Hoje, ao ver fotos no portal na internet do teu solo e da tua gente, fizeram com que desse uma pausa em minhas atividades para recordar-te, vejamos:

Barro Alto: com bueiro, sem bueiro, com piçarra, com asfalto; Riacho do Urubu, com seus lajedos; Estradinha entre as marias-moles, dos casarões de seu João da Cruz e de seu Roberto Corró; fotos do Janclerques e do Moreira; Igreja de Santo Antonio com seus patamares.

Isto tudo me fez viajar ao passado através da mente, buscando e revivendo muitas coisas boas e a saudade apertando, apertando e não a suportei, aqui estou diante do computador para externar aquilo que sinto no momento:

“Oh!, Saudades, que aperta o coração da gente;
Saudades distante que faz doer o íntimo da gente;
Deixa que eu externe estas saudades,
Para “alegria de um coração que sente”.


Do Barro Alto vem-me à tona a saudades dos bolos e manuês da Zefa do inesquecível compadre Moisés, que gostava de desfilar montado em um burro marchador com seu chapéu na cabeça; sinto saudades da madrinha Preta, mãe do Antonio Campos, com sua quinta de goiabeiras e coqueiros, que ficava ao lado da Casa do senhor Antonio Leôncio: sinto saudades da padaria do Tio Elizeu, que ficava na subida do Barro Alto, ali após o bueiro, onde degustávamos o pãozinho quente com refresco da fruta da estação, da época, sinto saudades do barzinho do Chico e da Jesus, ali entre a casa da Tia Raimundinha e do senhor Deoclécio, onde fazíamos as nossas tertúlias... Puxa!

Sinto saudades do som da sanfona do Manoelzinho e sua troupe; sinto saudades do Antonio João tocando o seu pandeiro, triangulo ou cantando, suas sátiras. Sinto Saudades do Urbano Pacífico com sua sanfona grande, sacudindo a juventude no embalo do forró.

Sinto saudades dos banhos nas águas do Rio Gurguéia, onde ficávamos brincando em suas areias movediças. Recordo bastante que quando estávamos a pular dos galhos das Ingazeiras e das moitas de mufumbo e que quando exalava aquele cheiro característico de uma sucuri, que a tua gente simplesmente chamava de sucruiú, saíamos da água com medo e hoje sabemos do perigo e do risco que corríamos naquela época.Tudo era aventura e buscávamos a aventura a toda hora. Coisa do jovem da nossa época.

Sinto saudades do senhor Agnelo com seu barzinho ao lado do prédio da cadeia pública, com sua coalhada, geladinha e gostosa. Sinto saudades dos forrós no Buru. Sinto saudades do casarão do meu Tio Chico Amorim e da minha Tia Terezinha a quem carinhosamente chamava-a de Mãezinha com sua loja, na esquina da Praça de Santo Antonio e um poço cacimbão no centro do terraço interno, com uma vazão que se mantinha estável toda vida e de onde no período chuvoso tirávamos água com uma balde e que diariamente estava sendo visitado por pássaros como: canários da terra, cochichos, bigodes, rolinhas etc.

Sinto saudades da Praça de Santo Antonio, com suas mangueiras seculares em volta e os casarões dos Fonseca, dos Machados, dos Rocha, da Família do Dió, da Família do senhor Antonio de Hermógenes, da Dinair, do saudoso Mané Piola, do Zé Benedito, do Hermógenes, do Emanuel Fonseca, do Wilhame, do Pedro e Antonio José do Dió, do Zé Matos.

Sinto Saudades do meu Amigo Antonio João Corró, da Olindina e de seus filhos, da Família Carreiro, do Capitão Adelson e sua família, do Emanuel Fonseca e sua família, do doutor João Martins e sua família, do Albérico lá dos Correios e Telégrafos, do Joel Campos, do Raimundo Cavalo Veio, do Antonio de França e seu barulho, jogando carteado ou dominó, do Sr. Benedito Fonseca e sua família, do Dada, da Dedé do Antonio Campos, da Cecília, a grande enfermeira, da Júlia, do Manuel, do Álvaro, da Maria e suas irmãs; do senhor Argílio e do senhor Adolfo.

Sinto Saudades das peripécias de seu Tonho, das zangas de Zé Veio, que quando cismava ia a pé para Floriano e acertava a nossa casa e passava dias dormindo no corredor na entrada da casa, e deixava todo mundo preocupado, com medo de uma onça pegá-lo na estrada entre Floriano e Jerumenha, dormia nas matas, essa gente também foi importante para Jerumenha, marcaram época, fizeram história.

Sinto saudades do Padre Anchieta, sempre o encontrava aqui em Teresina, lutando pelo desenvolvimento da sua colônia do Gurguéia. Nas minhas férias, às vezes ajudávamos o Santo Padre nas missas, tocando sinos, limpando a sacristia, ajudando nas confecções das hóstias e também necessitávamos de sua ajuda para permitir que jogássemos a nossa peladas ao lado da igreja onde existia um campo e da sua permissão para após a celebração do terço à noite a sua permissão era importantíssima para que ficássemos brincando nos patamares da Igreja.

Por: Chico Amorim Sobrinho

12/14/2011

Ministério habilita hidrelétrica na região de Floriano

A Comissão Especial de Licitação da Agência  Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que os aproveitamentos hidrelétricos São Manoel, Sinop, Ribeiro Gonçalves e Cachoeira Caldeirão não tiveram licenças prévias expedidas pelos órgãos ambientais e, portanto, não estão habilitados a participar do leilão A-5, marcado para o próximo dia 20.
 
Dessa forma, serão licitadas apenas as usinas que formam o Complexo Baixo Parnaíba (Estreito, Cachoeira (região de Floriano) e Castelhano), localizado na divisa entre o Maranhão e o Piauí, e a usina São Roque, em Santa Catarina. Juntos, esses projetos somam apenas 318 MW de capacidade instalada. Inicialmente, foram cadastrados para participar do leilão dez usinas, que somavam 2.160 MW de potência.

O Ministério de Minas e Energia chegou a postergar o prazo limite para a entrega de documentos relacionados aos projetos cadastrados para o leilão A-5, inclusive o licenciamento ambiental – encerrado na última sexta-feira -, na tentativa de ganhar tempo para que os órgãos ambientais concedessem ainda documentos para alguma das usinas inscritas e que não possuíam a licença, mas a estratégia não surtiu efeito.

Além dos novos projetos hidrelétricos, a usina Santo Antônio do Jari, pertencente à EDP – Energias do Brasil, também poderá comercializar energia no leilão, que contratará eletricidade para fornecimento a partir de 2016. O restante dos contratos a serem negociados deve comercializar energia proveniente de usinas eólicas, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e térmicas a bagaço de cana.

Fonte:G1

12/13/2011

DADÁ COELHO VOLTA AO PROGRAMA DO JÔ SOARES

Depois de dois anos de sua primeira apresentação como humorista, a florianense Dadá Coelho voltou nesta semana a ser entrevistada no “Programa do Jô”.

Segundo ela mesma, o Jô Soares foi um divisor de águas em sua carreira. “A minha vida mudou muito e vir aqui é um presente divino” disse ela.

Mas na primeira vez em que esteve no programa, Dadá Coelho chegou a levantar uma grande polêmica diante de suas tiradas que gerou irritação aos piauienses.

Nesta segunda vez, Dadá fala muito de seus familiares e chega a citar o nome de Floriano na entrevista. Confira no youtube.

Fonte: noticias de floriano

12/11/2011

Florianenses: somos o que queremos ser


Penso que a população de Floriano, notadamente setores da sociedade civil organizada, encontra-se inerte, em disparada rumo à apatia – o pior dentre todos os males que permeiam a humanidade.

 Quando alguma reclamação emerge, em geral pelos meios de comunicação social, percebem-se de imediato a dissonância dos fatos reais e o elevado grau de interesse umbilical, aqueles mesmos interesses ligados aos privilégios tradicionais da burguesia. Daí, fico a me perguntar, até quando meu Deus? Até quando grande parte da população continuará dormindo em berço esplendido enquanto uma minoria vira a cidade pelo avesso?

Floriano já viveu momentos áureos na sua história, mas hoje “geme em dores de parto” pela ausência de políticas públicas adequadas ao desenvolvimento sustentável ou ainda pela ineficácia de “gestores” que se revezaram no poder, sem rumo, ao longo de décadas a fio.

Esses aspectos somados aos paradigmas gerados pelas elites tupiniquins, a mediocridade dos que se dizem “gestores” desta terra e a falta de visão de futuro nas organizações comunitárias e demais setores organizados da sociedade civil, simplesmente impedem qualquer atrativo que permita a inclusão de Floriano num cenário positivo nacional.

 Aqui quero fazer algumas considerações que, a meu ver, poderiam estar contribuindo com o fortalecimento da economia local enquanto geração de empregos, saúde preventiva, lazer e entretenimento, turismo etc., mas em vez disto, atitudes irresponsáveis de governantes paralisam obras sem quaisquer justificativas à população – que apenas paga a conta.

 Ainda por cima empresas que demonstram interesse em se instalar em Floriano são impedidas pela “justiça” de praticar preços mais baixos o que iria beneficiar enormemente as famílias de baixa renda. E aqui vai uma pergunta que não quer calar: por que será que a Farmácia Popular ainda não está funcionando em Floriano? Quem souber responda. Mas, vamos aos destaques os quais me referi acima.

São várias obras paralisadas em Floriano: o terminal rodoviário, o aeroporto, o esgotamento sanitário, a praça de eventos e a cidade. A indústria de Biodiesel também parou, parou por quê? Nem Sigmund Freud explica. Tudo isso acontecendo e os movimentos populares sem rumo e sem destino, “na praça dando milho aos pombos”. Isso talvez justifique o porquê de Floriano nem mesmo ser citada quando se fala em capital do futuro Estado do Gurguéia, pois a população local é pacata demais para entender a importância da participação social num processo de transformação onde o povo é protagonista dessa história.

 Para tanto, faz-se necessário um mutirão pela cidadania envolvendo a educação formal, não-formal e informal que seja capaz de ajudar as pessoas a pensarem e refletir criticamente a cidade que temos e a cidade que queremos para nós, mas também para as gerações futuras.

João Raimundo dos Santos é Educador Popular, diretor de ONG’ s como: Cáritas Diocesana de Floriano, Centro Educacional São Francisco – Cefas e ÁRIDAS NORDESTE

12/09/2011

RETRATOS

Voltando ao tempo, lembramos da época em que a praia do Pateta ( subindo o rio Parnaiba ) era muito badalada nos anos sessenta: pequeniques, banhos, passeios e churrascos  eram formados para viver aquele momento lírico em Floriano. Essa tuma aí da foto ( extraída do museu de Teodoro Sobral ), é a turma do Regatas, posando para as lentes de Leuter Epaminondas, que fazia a cobertura dos principais eventos da cidade àquela época.
Se você clicar na foto, verá a escalação dessa rapaziada, que não perdia tempo para curtir os finais de semana rio arriba, mas podemos lembrar os conhecidos: em pé observamos Defala Attem, João Alfredo Gaze, Cícero Damas ( de Nenem Grande ), Gabriel Kalume, Fernando Almeida, João Adala, Iglésias, Iram Frejat, Carlos Barreto e Adail;

Agachados, temos o Duzito, Abdala Zarur, Benedito Burguês, Waldemar Pinga, Pedro Attem, Gaze Mazuad, Hélio Castro, Jofran Frejat, Gilvan Sobral, Haroldo Castro e Airton Coelho.

Quem conseguir lembrar diferente, pode interferir!

12/05/2011

GOL REPLAY

Um dos pontos mais fortes de Luiz Orlando, in memorian, ( é o ponta de lança da foto ao lado do time do Cruzeiro de 1971 no Mário Bezerra ), grande craque de bola do passado do futebol amador florianense, era a catimba e, inclusive, ele destaca um lance engraçado, que ele conta com saudades:

“tratava-se de uma partida disputadíssima, acirrada no Campo dos Artistas, por volta de sessenta e sete. Botafogo de Gusto contra o nosso maior rival, o Flamengo de Tiberinho (perder pra eles era um trauma terrível), até hoje esse lance é conhecido como o GOL REPLAY, sem televisão, pode?

Mas você vai perceber como pode. Começa o jogo e, logo aos vinte minutos, o Flamengo de Tiberinho faz 1 a 0. Encerrado o primeiro tempo, no intervalo, conversamos o que poderíamos fazer, o jeito era ir pra cima, para o ataque, não podíamos de maneira alguma perder essa grande decisão.

Bola rolando na segunda etapa e, logo na metade do tempo, há uma falta a nosso favor, próximo da grande área. O Flamengo compôs a barreira, Janjão lançou a bola e eu entrei impedido de cabeça e ... golaço, foi aquela alegria, mas quando olhamos para o juiz Vicente XEBA, estava anulando o gol, corri pra cima dele com atitude e comecei, então, a dialogar com o velho mestre do apito, mostrando várias saídas para resolver o impasse, quando, de repente, propus: pois repita a falta. O homem gostou da idéia e colocou a bola para ser cobrada a falta novamente e, engraçado, foi do mesmo jeito, Janjão correu, lançou a bola eu entrei de cabeça, fazendo o gol, foi o replay do primeiro gol, os torcedores foram à loucura!

Empatamos o jogo e, no final, todos ficaram felizes, inclusive Vicente XEBA, que tinha moral e categoria. ( Reportagem: Cesar Sobrinho
)

12/04/2011

Um cenário para a próxima eleição


Com a decisão do PTB e dos grupos aliados em anunciar um pré-candidato para a  sucessão do prefeito Joel Rodrigues já é possível imaginar um futuro cenário político na campanha de 2012. A indicação do professor e vice-prefeito, Oscar Procópio (PTB), para disputar o Poder Executivo sugere que a base aliada da atual gestão assina  embaixo. Assim, um campo de força está definido para a disputa da Prefeitura Municipal de Floriano.

Identificados como oposição ao atual mandato, o PSB, PMDB e PSDB já sinalizaram que vão para a disputa. No PSB está consolidada a candidatura do advogado Gilberto Júnior, que será abençoado pelo Palácio de Karnak. O PMDB entregou para o jornalista Silas Freire a missão de buscar apoios para, também, entrar no páreo. O PSDB aposta na juventude do bioquímico, Eneas Maia. Assim, podemos imaginar que estes senhores serão alguns ou todos os candidatos com densidade para o próximo pleito.

A cena política ainda aguarda o desfecho do “canto de carroceria”, que o vereador Salomão Holanda levou com a indicação de Oscar. Obediente ao prefeito, o vereador apareceu em primeiro lugar numa pesquisa do Instituto Captavox, mas isso não foi suficiente para emplacar prestigio com a base aliada. Depois do fato, em várias entrevista, o vereador manifestou que ainda aguarda uma chance de cair nas graças do grupo liderado por Joel Rodrigues. Se Salomão Holanda abrir dissidência e apresentar a sua candidatura, amplia para cinco os pretendentes a Prefeitura de Floriano.
Essa minha analise se baseia na conjuntura política local. Os campos de força partem dos grupos ligados ao Governo do Estado e da gestão municipal. Outros partidos servirão para compor como aliados dos poderosos do momento. Sem futurologia, mas os partidos PTB, sigla do prefeito Joel Rodrigues e o PSB, sigla do governador Wilson Martins, possuem imensa possibilidade de polarizar a disputa na próxima eleição. São fatos concretos que apontam para isso. Qualquer fato novo será um fato novo.

Agora tem uma variável neste cenário: os candidatos precisam combinar com o eleitor e conquistar os votos necessários para a vitória. Mesmo somando todas as forças, a decisão popular pesa muito no resultado final. Na democracia o eleitor tem a liberdade de votar em quem desejar mesmo supostamente devendo favor ao clientelismo político, que ainda existe.

Com a disputa dos candidatos, deve entrar na campanha, também, a discussão sobre o avanço da qualidade na prestação de serviços em saúde, educação, moradia, empregos, cuidados com o meio ambiente e segurança pública. Todos os candidatos são produtos do nosso cotidiano político. Agora devemos avaliar as proposta e escolher com a consciência livre e soberana. Estamos encerrando um ciclo de administração e será muito importante uma avaliação sobre o que foi feito e o que foi esquecido.

Por: Jalinson Rodrigues

12/01/2011

RETRATOS

Que saudades que eu tenho daqueles belos arvoredos, dos bambuais, da fonte luminosa e dos velhos carnavais do bar Sertã, do bar Carnauba e do bar São pedro que havia.

O tempo passou e, hoje, estamos cavalgando sorrateiramente diante de uma transição que não sabemos que rumo se dará, mas que podemos fazer as coisas acontecerem para vivermos momentos mais amenos.

A Princesa do Sul respira novos ares, mas é preciso manter sua base, sua cultura e suas aspirações. Quem voltou, pode proprocionar ou fazer a diferença. Precisamos de novas atitudes, mas que tenham um direção certa: manter viva a nossa memória de tempos d´antes, antes que o tempo se apague.

11/30/2011

FUTEBOL FEMININO DE FLORIANO

A tarde deste domingo foi abrilhantada por mais uma atuação de gala da Seleção Feminina de Futebol florianense. A partida foi contra a seleção de Paulistana e terminou 3 a 0 para Floriano.

O jogo valia pelas semifinais da Copa das Campeãs e as nossas meninas já estão classificadas para a grande final que será realizada no dia 03 de Dezembro. As atacantes Inaura e Fernanda marcaram os gols pelo time local.

Fonte: Renato Costa

11/26/2011

Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões

Até domingo (27), a cidade de Floriano recebe exibições de filmes e cineastas de todo país na sexta edição do Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões. Mobilizando toda região, o evento cresce a cada ano, tornando o Estado um verdadeiro celeiro cultural com oficinas, apresentações musicais e dezenas de exibições.
 
Segundo Rodrigo Mattos, diretor de “Trampolim do Forte”, longa que será exibido no encerramento do Encontro Nacional, em todo o Brasil existem centenas de festivais, alguns mais mercadológicos, outros mais políticos, outros em busca de linguagens inovadores. “Já o Encontro de Cinema e Video dos Sertões centra os seus objetivos na formação de platéias e na difusão da nossa cinematografia longe dos eixos sul-sudeste”, afirmou. “Creio que a importância maior de um encontro deste gênero esteja no seu teor de formação de platéias”, concluiu Rodrigo.

 Além de exibir “Trampolim do Forte”, o cineasta foi responsável por uma das oficinas realizadas durante o evento. Abordando “O processo criativo em um longa metragem de ficção de baixo-orçamento”, Rodrigo faz  um link direto com o filme que exibe no Encontro.

Também participando do evento, a produtora cultural paulista Ingrid Gonçalves, responsável por “Cinema de Guerrilha” (documentário que já participou de diversos festivais), destaca a importância de participar do Encontro e trazer ao Piauí a formação de novos olhares, ensinar e disponibilizar a arte para as pessoas. “É importante provocar reflexões em regiões distantes dos grandes centros, reunir público da região para assistir, discutir, mesclar e aprender sobre temas culturais atuais e relevantes”, afirma Ingrid.

O Encontro foi dividido em duas categorias: Mostra Competitiva, onde serão exibidos os longas-metragens e os curtas-metragens, e uma mostra não competitiva. Os filmes que irão competir serão exibidos no Cine Teatro Maria Bonita, sempre às 19h, já os não competitivos estão sendo rodados no Teatro Cidade Cenográfica, CAFS e IFPI, durante todo o dia.

Com patrocínio da Petrobras, o Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões foi selecionado pelo Programa Petrobras de Cultura, do Ministério da Cultura, através da Secretaria da Cidadania Cultural e Premio Areté, tendo como realizadores a Escalet Produções Cinematográficas e o Pontão de Cultura “Cultura Viva ao Alcance de Todos”.

Fonte: Cidade Verde

11/21/2011

ESCOLA NORMAL

 


ESCOLA NORMAL

Por: Seu Nelson Oliveira

1929 foi um ano excepcional para educação em Floriano. Além do Grupo Escolar Agrônomo Parentes, foi fundado o Liceu Municipal Florianense, e, anexo a ele, a Escola Normal Municipal de Floriano. Estabelecimentos que a cidade deve a uma plêiade (grupo) de homens de escol (nata, fina flor) entre os quais Dr. Osvaldo da Costa e Silva, Dr. Theodoro Ferreira Sobral, Dr. José Messias Cavalcante, com o apoio do deputado estadual, Dr. José Pires de Lima Rebelo.

A época caracterizava-se por um extremo elitismo na educação que se traduzia principalmente no excesso de cautelas e exigências com que as autoridades procuravam cercar a instalação de escolas. E o LICEU não pôde ter vida longa. Em 1932, após frustração e desastres, como bem expressa o Dr. Osvaldo da Costa e Silva, em uma entrevista concedida a revista “ZODÍACO” dos alunos do Ginásio Demóstenes Avelino de Teresina, encerrou suas atividades.

O pretexto para o fechamento compulsório foi à deficiência do gabinete de física e química. Esse gabinete deficiente para os técnicos do Ministério da Educação e Saúde eu conheci.

Ocupava toda uma sala. E comparando-se com os laboratórios dos estabelecimentos de hoje, que os possuem, era sem dúvida riquíssimo.
Mas fechado o LICEU, a Escola Normal continuou. E foi por muitos anos o único estabelecimento de ensino pós primário com que puderam contar os jovens florianenses que desejavam continuar seus estudos e não tinham recursos para estudar fora.
ESCOLA NORMAL DE FLORIANO – 1937

1ª Fila sentados (Esquerda para a Direita): João Francisco Dantas (Professor), Alzira Coelho Marques (Professora), Fernando Marques (Professor), Não recordo o nome, Antonio Veras De Holanda (Fiscal do Governo), Hercilia Barros Camargo (Diretora), João Rodrigues Vieira (Professor), Ricardina (Professora), Albino Leão da Fonseca (Professor),Emid Vieira da Rocha (Secretária);

2ª Fila: Ana Magalhães Gomes (Inspetora de Alunos), Américo de Castro Matos, José Vilarinho Messias, Djalma Silva (como aluno), Não recordo o nome, Ida Frejat, Maria do Carmo Alves, Adaíla Carnib, Zuleica Santana, Aldenora da Silva Correia, Horácio Vieira Rocha, Antonio Alves da Rocha, Jose de Araujo Costa, Nely Paiva (Inspetora de Alunos);

3ª Fila: Maria Adélia Waquim, Clarice Fonseca, Iete Freitas, Não recordo o nome, Hilda Carvalho, Maria Amelia Martins, Lenir de Araujo Costa, Zizi Neiva, Maria do Carmo Castelo, Assibe Bucar, Dayse Sobral, Francisca, Lucinda Vilarinho Messias;

4ª Fila: Não recordo o nome, Maria da Penha Sá, Não recordo o nome, Maria Constancia de Freitas, Não recordo o nome, Não recordo o nome, Maria Henriqueta Franco, Judith Martins, Maria do Carmo Ramos,, Maria Miranda, Zélia Martins de Araujo Costa, Maria Lilita Vieira, Nilza Araújo, Antonieta Martins, Ecléia Frejat. - Acervo do Profº Djalma Silva).

Escola voltada para a formação de professores primários, isolada, sem qualquer vínculo com o curso superior ou mesmo com o curso secundário. Quem a cursasse e no decorrer do curso pretendesse passar para uma escola secundária a única que dava acesso ao curso superior, tinha de fazer exame de admissão e entrar na primeira série.

Alem disso, escola incompleta. Dos 5 anos que constituiu o curso normal propriamente dito, ministrava as 3 primeiras séries, devendo aqueles que quisessem diplomar-se, ir para Teresina.

Cursei a Escola Normal Municipal de Floriano de 1934 a 1937, e a ela sumamente grato por me ter possibilitado continuar meus estudos há dois anos interrompidos por falta de recursos para ir estudar em outras praças, e por ter me proporcionado o encontro com uma profissão que tem sido a razão de ser da minha vida.

Primeiro fazia-se um curso propedêutico (preliminar) de dois anos, anexos a escola – o Curso de Adaptação. Este curso eu a fiz de 1934 para 1935, minha classe era mais menos numerosa. A maioria mulheres. Entre colegas recordo-me: Maria da Costa Ramos (1), Judith Martins, Zuleide Santana, Hildinê Silva, Helena Reis, Assibe Bucar (2), Amália Nunes (3), Maria Lilita Vieira, Maria da Penha Sá, Olavo Freitas, Heli Rodrigues, Horácio Vieira da Rocha, Américo de Castro Matos, Milton Chaves (4), Raimundo Noleto e Joaquim Lustosa (5).

Na vigilância estava Dona Carmosina Batista, muito dedicada mas fiel cumpridora das ordens emanadas da direção da Escola. Nos intervalos das aulas os alunos tendiam conversar descontraidamente. Dona Carmosina Batista, bradava: - Silêncio! E se alguém se excedia nas atitudes ela ameaçava!

- vou dar parte ao diretor!

E dava mesmo. E o denunciado podia, conforme a falta, pegar uma simples repreensão ou logo uma suspensão.

Eu, não obstante pacato, fui denunciado duas vezes. Na primeira o diretor me repreendeu e advertiu:

- Não faça outra.

Mas acabei fazendo. Em acordo com Olavo Melo e Milton Chaves. Não me lembro o que fizemos.

Sei que não foi coisa grave. Porém como éramos reincidentes ou já tínhamos sido repreendidos, pegamos 3 dias úteis de suspensão.
Dos professores que recordo: Dr. Manoel Sobral Neto (6) também diretor, que lecionava francês; Dr. Rodrigues Vieira, que lecionava Geografia; Alceu do Amarante Brandão, que lecionava português; Dalva Nascimento que lecionava aritmética e parece-me que ciência.

O curso de Adaptação era previsto para dois anos. No fim do primeiro foi nos facultado aproveitar o período de férias para fazer as disciplinas do segundo ano. De sorte que em 1935 os aprovados puderam matricular-se no 1º ano do curso normal.

NOTAS IMPORTANTES:

1. Filha do Sr. Ramos da Farmácia Sobral;
2. Irmã do Sr. Arudá Bucar;
3. Funcionária dos Correios parenta do Senador Helvídio Nunes, de Picos;
4. Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, irmão da Dona Nazinha, esposa do Sr. José Cronemberger dos Reis e consequentemente tio de Antonio Reis Neto, Airton Arrais Cronemberger, Antonio José e Paulo;
5. Deputado Federal pelo Piauí, esposo em segunda núpcias, da Doutora Afonsina Nogueira;
6. Fundador do Instituto Santa Teresinha que depois passou denominar-se Ginásio Santa Teresinha, e também seu diretor por mais de 40 anos.

Transcrito do Jornal de Floriano Edição nº 324 de 1985

Pesquisa: César de Antonio Sobrinho.

Fotos: A rquivos Prof. Djalma Silva - 1929

11/20/2011

Obras da Hidrelétrica de Floriano poderão começar em abril/2012

A Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel – aprovou nesta sexta-feira (18) o edital do leilão para compra de energia elétrica número 07/2011. Com isso, no dia 20 de dezembro, estão autorizadas as vendas de energia elétrica em vários estados, já levando em conta inclusive três novas usinas hidrelétricas das cinco com construção prevista no rio Parnaíba, entre o Piauí e o Maranhão. Os vencedores terão o direito de construir as barragens, com início das obras previsto para abril de 2012.

O leilão engloba as usinas de Estreito Parnaíba, Cachoeira (Floriano) e Castelhano, que não poderão ser licitadas separadamente. Elas são as únicas com licença ambiental prévia já concedida entre as listadas para a venda de energia. O preço estabelecido para o Megawatt-hora é de R$ 101.

Segundo a Aneel, os contratos de comercialização de energia em ambiente regulado na modalidade quantidade de energia, caso das fontes hídricas, terão prazo de duração de 30 anos. O suprimento dos empreendimentos tem início previsto para 1º de janeiro de 2016. Quem vencer o leilão de hidrelétricas ainda receberá a outorga de concessão de uso do bem público destinada à produção independente de energia.
Em outubro, o Ministério Público Federal no Piauí chegou a ingressar com ação na 2ª Vara da Justiça Federal para tentar impedir o leilão, alegando irregularidades e inconsistências encontradas nos estudos de viabilidade ambiental. O procurador da República Marco Aurélio Adão pediu que a Justiça impeça o início de qualquer obra nas cinco usinas hidrelétricas previstas para o rio Parnaíba até a conclusão da ação ou a realização de novos estudos de impacto ambiental.

Em 2010, durante as discussões sobre a construção das cinco barragens, o principal foco dos protestos foi Castelhano. O projeto original previa que o povoado Riacho dos Negros, em Palmeirais, onde vivem cerca de 400 famílias, teria de desaparecer.

Fonte: Cidadeverde.com

11/17/2011

ANTONIO DE MELO SOBRINHO E FAMÍLIA

FAMÍLIA MELO - E ASSIM TUDO COMEÇOU

Pesquisa: Tibério Melo

Seu Roberto Batista, Corró, fazendeiro, comerciante e autoridade do lugar Veados, hoje Artur Passos, no sertão piauiense, às margens do médio Parnaíba tinha 3 filhas, Maria de Lourdes, Doralice e Maria do Carmo, do casamento com Margarida, de pequena estatura, distinta e elegante senhora, aos padrões da época.

Maria de Lourdes, a mais velha, precisando tratar dos dentes, eis que teve que se deslocar para a cidade de Floriano a montante do Rio Parnaiba. A partida foi um show no lugarejo quando a mocinha teve, aos 10 anos, que embarcar, num bote, com uma sombrinha de modo a se proteger dos raios do tórrido sol nordestino. Foi seu primeiro contato com aquela cidade que viria a ser o torrão de sua familia. Após o tratamento a garota retornou à casa dos pais com mil novidades para as suas irmãs Doralice e Docarmo, ainda de tenra idade, e amigas. Hospedara-se na casa do Sr. Vicente Roque, comerciante e grande amigo do Sr. Roberto Corró.

Aos 14 anos a pré-adolescente teve que voltar a Floriano, ainda com problemas dentários. Desta feita hospedara-se na casa da Sra. Constantina, filha do Sr. José Pacífico, esposo de D. Aurora, prima de D. Margarida. Próximo dalí morava um distinto rapaz que ao ver a donzela teve seu coração abalado por emoções até então desconhecidas.

Não conseguindo conter a agonia o jovem dirigiu-se à mocinha revelando as emoções que só ela podia conter. Ela disse que não sabia o que fazer mas que por pena tentaria algo que pudesse livrá-lo de tão angustiante emoção. E começaram a falar coisas de amor. Logo, logo, as palpitações foram abrandando e aí nasceu uma relação que já passou das bodas de diamante. Bravos!!!

Para a saudade dos dois, eis que a mocinha teve que retornar ao lugarejo Veados. Ao voltar, D. Margarida não demorou a desconfiar do comportamento da filha. Percebeu que a garota enjoara das bonecas e logo tratou de descobrir quem estava na linha de frente. A mocinha teve que se revelar sob as pressões da Matrona.

Aos 15 anos, não suportando a saudade, a moça disse que precisava fazer curso de corte e costura com uma costureira, famosa professora modista, D. Raimunda Pio. Lá que D. Margarida cedeu mas só porque hospedar-se-ia na casa de seu irmão, Benedito Batista, com mil recomendações. Cuidado com a moça. Desta vez Doralice, também, viera a Floriano e fora matriculada no Odorico às escondidas, mas Seu Roberto acabou se convencendo e resolveu montar uma residência na cidade de Floriano na Rua São João, hoje Defala Attem.

Antes desta mudança, o jovem apaixonado, Antonio Melo, teve que visitar os pais da moça em Veados. Até que foi bem recebido pelos futuros sogros mas as primas da moça não acharam nenhuma graça no rapaz pois não tinha, pelo menos, um dente de ouro. Ali mesmo o jovem pediu a mão da moça em casamento que veio a ocorrer em 08 de novembro de 1947.