3/29/2009

FIM DO TÚNEL


No último reveillon, estávamos observando o trabalho de recuperação e reforma da praça doutor Sebastião Martins, um trabalho difícil, mas que estava gerando grande expectativa devido à proximidade do carnaval.

A tempo, conseguiram abrir a parte principal da praça, inaugurada já no sábado de carnaval; no entanto, ainda conseguimos editar uma foto da derrubada do antigo prédio da velha Sertã ( foto ).

Subimos no interior do casarão da Farmácia Rocha e documentamos o tombamento do velho bar, mas o novo prédio ( já vimos a maquete ), está muito bom, muito legal, mesmo; porém, a saudade irá permanecer das velhas cervejas que tomamos no passado do Bar Sertã.

3/27/2009

RETRATOS


Essa é a fachada atual da entrada do antigo Grupo Escolar Odorico Castelo Branco, com muito mato e protegido por um muro comum e sem estilo.

No passado, essa entrada aí tinha romantismo, mesmo sem a pavimentação poliédrica, as janelas favoreciam a entrada da ventilação e a escola era bem cuidada.

Hoje, praticamente abandonado, precisa urgentemente de uma revitalização, uma limpeza geral, para preservar a imagem do trabalho que vem sendo desenvolvido com os seus novos diretores.

3/25/2009

CARNAVAL - 2009


Descontração total durante o último carnaval em Floriano, quando essa rapaziada ( velha guarda ) aí se confraternizava no famoso Marrom Glacê.

O Ubaldo, Izaias, Dedé, Almir, Zé Uilson e Carlito estavam deveras dando uma demonstração de como se brinca o carnaval moderno de Floriano.

O tempo passa, mas esses reencontros são importantes para motivar o nosso carnaval. Acreditamos que o carnaval do próximo ano será ainda melhor, principalmente pela dedicação ainda de alguns carnavalescos tradicionais, como Teodoro, Pechincha, Clovis Ramos e Benjamim Kalume.

3/23/2009

QUARTETO FANTÁSTICO



Esse é um dos quartetos fantástico do futebol amador de Floriano dos anos sessenta e início dos setenta.

Recentemente, no último carnaval, nos encontramos, nada mais nada menos do que os piolhos de bola Ubaldo ( o rasga milho ), o Maioba ( meia esquerda do Clube de Regatas Brasil ), o Zé Uilson ( irmão de Luiz Orlando, meio de campo do tipo estilista, tocava bem a bola ) e o nosso amigo Pauloínho, que chegou a jogar no time de Cangati ( jogava duro ).

Maioba, atualmente residindo em Floriano, relembra com saudades daqueles tempos românticos do futebol amador de Floriano e lamenta que hoje os jovens de hoje não são mais motivados para o futebol de poeira e, quando são, são explorados e levados para o exterior para ganharem dinheiro fácil.

3/22/2009

PRINCESA VENCE CORI


O Princesa do Sul foi melhor em campo e superou o Corisabbá na partida deste sábado (21/03) à tarde no Estádio Tiberão, abrindo mais uma rodada do Campeonato Piauiense de 2009.

Mesmo com o enorme calor que estava fazendo, a partida que começou às 15:50 h, atraiu mais um vez um grande público. A elevada temperatura afetou o rendimento das duas equipe no 1o. tempo. Foram poucos os lances de ataque.

O placar foi aberto aos 41 minutos da primeira etapa. Cezinha, com um chute colocado da entrada da área fez 1 a 0 para o Princesa.

No segundo tempo o Corisabbá veio com duas substituições, entrando Rubinho, que não tinha treinado durante a semana por conta de uma gripe, e Bibiu. Saíram Cosme e Niel.

Rubinho, provando que é artilheiro, empatou a partida aos 31 minutos, dando a impressão de que o time corisabbano iria partir para a virada.

O Princesa do Sul, demonstrando mais vontade dentro de campo, e mesmo com a desvantagem de um jogador expulso (Dida) no segundo tempo, conseguiu o gol da vitória aos 38 minutos novamente com Cezinha, que agora tem 5 gols e é artilheiro do campeonato.

Com a vitória, o Princesa do Sul confirma uma escrita: tem uma boa vantagem em de vitórias sobre o Corisabbá em jogos oficiais.

Fonte: www.noticiasdefloriano.com.br

RETRATOS


IGREJA DE SÃO JOÃO BATISTA, NO MORRO DA CRUZ, CONSTRUIDA PELO CASAL ABDIAS PEREIRA E NOEME MELO ( in memorian ), ONDE ESTAO SEPULTADOS.

A foto ao lado, na verdade, é de autoria de nosso amigo Agamenon Pedrosa e fazemos a correção para mostrarmos a nossa coerência, pois sabemos que é importante editarmos esses belos contornos de Floriano,
mostrarmos assim a nossa bela Floriano, que também merece ser bem cuidada por todos.

Vamos dar a nossa parcela e o nosso apoio àqueles que dispõe dos recursos, mas também apoiando as idéias novas para quem quer o bem da Princesa do Sul.

Foto: Agamenon Pedrosa

3/20/2009

RETRATOS


Retrato tirado durante o último reveillon, ali, na avenida Fauzer Bucar, mais conhecida como a famosa Galeria na altura do Buraco da Malária.

Esse trecho aí em toda a sua extensão necessita de higienização permanente por parte das autoridades competentes e com o apoio efetivo da comunidade local.

Necessário se faz termos uma certa eficiência no tratamento com a limpeza pública. Floriano é uma cidade de tradição e merece respeito. Vamos todos cuidar da nossa Princesa, evitando, orientando, colocando indicativos e cobrando da prefeitura um zelo mais efetivo para com a nossa cidade.

3/17/2009

CAMPO DOS ARTISTAS


Ainda permace lá, tranquilo, o velho cajueiro do Campo do Artista, suportando os avanços da exploração imobiliária, mas até quando?

Precisamos ficar de olho, no sentido de evitarmos a sua derrubada para benefício dos que exploram e abatem o nosso patrimônio ambiental.

É claro que temos que construir o futuro, o moderno, mas não custa nada preservarmos a arquitetura antiga, as nossas árvores e a nossa história.

As escolas, o governo municipal e voluntários devem se unir, fazer parcerias, oficinas e algo que possam despertar em nossos jovens da importâcia do nosso passado.

3/14/2009

SALÃO PAROQUIAL


Este prédio aí é o velho Salão Paroquial, localizado, ali, na altura da Casa de Saúde. Revitalizado, apenas o estado da rua está maltratado.

Lembro-me de quando da realização das antigas atividades da Semana da Amizade nos anos setenta, onde muitos jovens estudantes da cidade debatiam diversos temas para a sua formação.

Temos que revitalizar esse passado glorioso nesse tempo de violência pelo qual passamos. Seria de suma importância darmos vasão ao retorno dessas atividades. As coisas fluiriam melhor, certamente.

3/13/2009

CAMAROTE VIP



No último carnaval, estávamos editando algumas matérias, tirando fotos da cidade, das avenidas, quando flagramos o nosso amigo Teodoro Sobral ensaiando os últimos preparativos da decoração do camarote do Centro Cultural de sua propriedade.

Se tornou interessante, essa idéia do camarote e, inclusive, para o próximo carnaval, há uma expectativa da construção de outros e novos camarotes no contexto da Getúlio Vargas, a avenida do samba.

Podemos até criar um Concurso do Camarote Vip para os próximos carnavais, para incentivar e fazer algo diferente nesse nosso carnaval, que já entra em rotina com esses blocos de corda.

FOLCLORE ÁRABE FLORIANENSE


HONESTIDADE ACIMA DE TUDO

Por: Salomão Cury – Rad Oka

Viveram em Floriano dois irmãos originários da cidade de Khabab, Síria. Chamavam-se Moisés e José Knaer. Ambos vieram muito jovens, tentar a vida junto de patrícios já estabelecidos no Brasil. Moisés veio da Síria, casado com uma moça da família Lobo, chamada Carminha, mas José veio solteiro.

Em terras brasileiras, Moisés colocou um movimentado e luxuoso cassino num dos salões do Edifício Calisto Lobo Matos na esquina da Avenida Álvaro Mendes ( hoje, Getúlio Vargas ) com a rua Alfredo Estrela. Este é o último casarão de Floriano com pórtico escrito em árabe.

José era uma figura mais tímida. Começou a mascatear até se casar com uma jovem chamada Maroquinha Frejat, oriunda de uma família de personalidades inteligentes e de boa casta. Algum tempo depois da lua de mel, estabeleceu-se com uma pequena loja na movimentada rua São Pedro, fazendo-a prosperar e crescer razoavelmente.

No tempo em que mascateou, usou, para transporte das mercadorias, do auxílio de uma larga carroça de madeira, puxada por um jumento branco que tinha o sugestivo nome de “ Massári “ ( do árabe: dinheiro ). Iam com esse burrinho para várias regiões do meio norte, incluindo no itinerário cidades como Jerumenha, Guadalupe, Nova Iorque, São João dos Patos, Amarante, São Francisco e Flores.

Assim que se casou, José ainda chegou a levar a esposa em algumas dessas andanças. Apesar do sofrimento da viagem, a jovem Maroquinha adorava a companhia do marido carcamano como ela. Na última dessas viagens, acompanhado da esposa, a carroça ia abarrotada das mais diversas mercadorias e o pobre asinino já estava estafado. No limite de suas forças, subindo uma ladeira razoavelmente íngreme, o pobre massári meteu uma das patas num buraco fundo o suficiente para quebrá-la e o casal não teve outra alternativa, senão sacrificar o animal.

O desespero chegou na mente do laborioso Knaer. Como resolver aquela situação? No pé de uma ladeira, com a carroça cheia, sem jumento, longe de casa e acompanhado da esposa. Pensou em pedir ajuda ao irmão Moisés, mas naqueles tempos, não se dispunha de telefonia. Se pelo menos o seu Milad Kalume estivesse ali para consertar o pé do animal, não seria necessário sacrificá-lo. Ainda cogitou a hipótese de vendê-lo, mas não acharia comprador pra tanto charque.

A solução para um problema tão sério seria pedir emprestado um jumento para continuar a viagem. Acontece, porém, que o matuto típico daquelas paragens já estava ficando por demais sabido e ninguém se prontificou a “ emprestar “ um animal. A grande maioria só queria vender ou trocar pela mercadoria do carcamano. Ora, a mercadoria valia muito mais que 30 ou 40 burrinhos, e o carcamano, apesar de não ter dinheiro ainda, por estar no começo da viagem, achou por bem comprar um animal novo assim que fizesse suas primeiras vendas naquele lugarejo.

A notícia de que o árabe estava precisando de um jumento correu rápido na cidade e seus habitantes entraram em combinação de não comprarem nem mesmo uma agulha na mão do carcamano, para forçá-lo a um mau negócio. Das duas uma: ou ele trocaria a mercadoria inteira com alguém, ou faria um queima, vendendo tudo a preço de custo.

Não tendo alternativa, José Knaer já ia fazer uma liquidação, mas foi abordado pelo padre da cidade antes. O vigário lhe disse:
- É você o carcamano que está sem jumento?

- Sim, senhor padre, sou eu mesmo. Sua paróquia está se aproveitando da minha situação, me obrigando a vender minha mercadoria em condições que terei um prejuízo enorme! Sou recém casado e esta é minha esposa. Como poderei dar-lhe conforto se estou a ser explorado na sua cidade?

E o padre respondeu:

- É realmente muito errado o que os fies da minha igreja estão fazendo com o senhor. Jesus nos deixou a parábola do bom samaritano, onde aprendemos que se deve ajudar até os inimigos, se estes necessitarem. Pois bem, carcamano: hoje você é meu próximo. Tenho um jumento que uso para alcançar as famílias que moram mais distantes da igreja. É um animal velhinho, mas que estimo muito e, certamente, vai poder lhe levar até um lugar onde você possa resolver o seu problema ou até mesmo de volta para casa. Mas fique sabendo que quero sua palavra de honra que em breve o terei de volta são e salvo.

- Logicamente o senhor a tem, padre. Palavra de honra! Juro pela cruz! – e puxou um crucifixo de ouro do pescoço e o beijou.
Pegou o burrinho pelo cabresto e o atrelou à carroça. Pôs a mulher encima e começou a tocar o animal, que ia, num esforço hercúleo, puxando a pesada carga.

No fim do caminho de volta para casa, porém, o casal foi atacado por um enxame das perigosas abelhas africanas, que começou a picar-lhes em todas as partes descobertas. José apressou-se em auxiliar o jumento em detrimento da mulher, que estava em verdadeiro desespero encima da carroça. A cara da carcamana estava literalmente preta de abelhas e ela gritava feito louca todo tipo de algaravia com a língua enrolada, enquanto José soltava o burrico do padre e dava-lhe umas chibatadas pra que pudesse correr livre.

Só então é que socorreu a mulher, que a essa altura, já estava desmaiada. O rosto estava irreconhecível, mas José pegou-a no colo, desceu carroça apressadamente gritando por alguém que pudesse acudir-lhes. Passava pela estrada um senhor com uma charrete que lhes rendeu os primeiros socorros e os conduziu para o Hospital Miguel Couto, onde foram devidamente recebidos. O tratamento da mulher foi difícil. Disseram a Kanaer que se tratava de uma doença chamada choque anafilático e que era grave sua condição. José gastou mundos e fundos para salvá-la, mas conseguiu.

Quando o susto passou e a mulher teve alta, o irmão de José, que se chamava Moisés foi visitá-los. Na oportunidade, disse ao irmão:
- Mas, José, como é que tu socorres primeiro o jumento e deixa tua mulher ser comida pelas abelhas? Tu ta doido? Repara, agora, a despesa que fizeste…

José nem titubeou. Arrematou o assunto com a seguinte máxima:

- Acontece, Moisés, que somos gente muito honesta! Fique sabendo que o jumento era emprestado e a mulher é minha!

Fonte: Jornal a Voz de Floriano

3/08/2009

RETRATOS


Nesse último carnaval eu andava sondando algumas paisangens do centro de Floriano, tentando entender essas mudanças, esse futuro que estamos acabando de receber.

O tempo passou, mas as nossas emoções de outrora estão sendo preservadas em nossa memória, enquanto as mudanças acontecem.

Vejam, por exemplo, aquele velho casarão da esquina da Padre Uchoa com a Eurípedes de Aguiar, a união do passado com o moderno em perfeitos traços.

No entanto, nos deixa um pouco triste em saber que essas transformações tenham que seguir novos rumos, numa tendência frenética do consumo moderno; mas que não há mais os jeeps de outrora, somente os carrões que disparam no asfalto das grandes avenidas.

CAMPEONATO PIAUIENSE - 2009


Um grande público foi ver de perto a primeira vitória do Corisabbá no Campeonato Piauiense de Futebol de 2009. A partida foi contra o Oeiras na tarde deste sábado (07/03), no Estádio Tibério Nunes.

O jogo começou sem grandes emoções e, no primeiro tempo, apenas um lance ocorrido aos 36 minutos mexeu com os torcedores. Rubinho cabeceou e a bola bateu na trave da meta oeirense. No rebote, o atacante Jô escorregou e perdeu o gol.

No segundo tempo, o Oeiras, melhor em campo, abriu o placar com Luciano, após uma falha de toda a zaga corisabbana.

O Corisabbá só melhorou em campo quando o técnico Roni Araújo fez 3 alterações. Uma delas foi a entrada do meia Junior Carioca que deu mais velocidade ao time.



Rubinho, em jogada individual dentro da grande área, conseguiu marcar o primeiro gol do Corisabbá, empatando o jogo. Aos 41 minutos o zagueiro Ronaldo do Cori fez pênalti num atacante oeirense. Jarbas bateu e o goleiro Edmilson defendeu (foto), dando ânimo ao time de floriano.

No finalzinho do jogo, Rubinho bateu uma falta pelo lado esquerdo do ataque. A bola saiu rasteira e pegou o goleiro oeirense de surpresa. Por causa da barreira, nem Rubinho viu quando a bola entrou. Só depois que viu a torcida vibrar e seus colegas correndo, foi que Rubinho teve certeza que tinha feito o gol da vitória florianense (2 a 1).



Este foi o primeiro jogo em Floriano com a promoção da Nota Fiscal trocada por ingressos. A arquibancada ficou lotada e a apaixonada torcida do Corisabbá saiu satisfeita com o resultado.

Agora o Corisabbá empata em pontos com o Princesa do Sul (4 pontos). Oeiras e Picos estão com 3 pontos no grupo do sul. Princesa e Picos jogam neste domingo, em Picos.

FICHA TÉCNICA

CORISABBÁ 2x1 OEIRAS (Campeonato Piauiense de Futebol da 1ª Divisão de Profissionais - 1º Turno - Taça Estado do Piauí - 3ª rodada - Grupo Sul); Data: 07/03/2009 (sábado à tarde); Local: Tibério Nunes (em Floriano); Arbitragem: Afonso Amorim de Sousa, auxiliado por José Nilton da Costa e Inácio da Silva Sousa.

Renda: R$ 2.191,00 com 441 pagantes, fora os ingressos trocados por nota fiscal.

Gols: Fabiano 15, Rubinho 25 e Rubinho 43 do 1º tempo.

Obs.: Jarbas perdeu um pênalti, aos 41 do 2º, chutando para Edmilson defender.

Corisabbá - Edmilson; Giovani (Lenilson), Atenildo, Ronaldo e Magno; Zé Ribas, Niel, Cosmo e Jô (Chapadinha); Sousa Baiano e Rubinho. Técnico: Roni Araújo.

Oeiras - Carlos Henrique; Arlen, Kaio Rosa, Adriano (Ronaldo) e Denis; Chicão (Vítor), Fabiano, Evandro e Jarbas; Ricardo (Ticô) e Márcio. Técnico: Neto Jordão.

Fonte: www.noticiasdefloriano.com.br



RETRATOS


No último carnaval andávamos editando algumas fotografias do centro de Floriano, no domingo de manhã e apanhamos o calçadão da rua São Pedro na altura do velho Floriano Clube.

A deteriorização de outrora do centro da Princesa do Sul está evidente e essa arquitetura antiga, como um todo, precisa ser revista, recuperada, revitalizada, antes que o tempo destrua algo de importante nesse contexto.

Amamos essa terra e o tempo urge. Precisamos tomar alguma iniciativa urgente, sob pena de não mais revivermos um passado glorioso que nós tínhamos, quer dizer, éramos felizes e não sábíamos.

3/06/2009

RETRATOS


Esse é o cruzamento da avenida Getúlio Vargas com a rua Alfredo Estrela, ali, na altura com o casarão dos Lobo.

Observamos o prédio das antigas lojas Pernambucanas, que no passado tinha uma arquitetura mais delicada.

Hoje, como Casa da Moda e com traços modernos, vai se mantendo com as suas novas cores, atendendo novos clientes.

De qualquer forma, precisamos construir esse futuro, que a Princesa ainda sonha, querendo sempre melhorar com a participação de todos.

3/03/2009

NOVA PRAÇA


" A mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores do mesmo jardim... " É, não temos mais os antigos bambuais qua havia e outros arvoredos.

Mas a reforma e a versão atual de nossa praça está um barato, uma mistura das décadas de cinquenta, sessenta e setenta.

Achamos, apenas, que as cores de nossa catedral deveria voltar à sua cor original; no entanto, vamos conservar o novo e revitalizar o tempo de outrora.

3/01/2009

CARNAVAL - 2009


Essa é a nossa avenida Getúlio Vargas, a avenida do samba e do nosso carnaval, tomada tirada na altura a antiga Distribuidora Floriano Ltda.

O carnaval passou, mas essas imagens precisam ser registradas e, graças a inspiração do nosso amigo Agamenon Pedrosa, podemos apreciar belas imagens da Princesa.

Resta às nossas autoridades usarem de melhor emprendendorismo para resgatar o nosso carnaval e juntar com o moderno, para as escolas e os blocos desfilarem com maior prazer.

Foto: Agamenon Pedrosa

PRAÇA


Bonita imagem da nossa praça doutor Sebastião Martins, extraída recentemente, durante o carnaval, depois de concluída parte da reforma.

Observamos as carnaubeiras dando um colorido maior e, ao fundo, a nova fonte luminosa; mais ao fundo, breve, estará erguida o novo prédio da Sertã.

Floriano continua crescendo, mas ainda precisamos de muitas parcerias, para concluirmos essa transição sem vaidades.