8/27/2008

RETRATOS


Observamos, ainda, o Cais do Porto nos anos cinqüenta, quando a nossa produção produzia um vai e vem importante no tocante ao desenvolvimento comercial de Floriano.

Tempo de fartura, alegria e tranqüilidade, onde todos tinha um roteiro, um ofício, uma aptidão para viver o seu dia a dia livre e poeticamente sorridente.

Floriano, hoje, cresce assustadoramente, mas sem uma noção do que quer. É preciso observamos o envolvimento de nossa sociedade para tornar dinâmico o nosso crescimento em suas diversas áreas e atividades.

Nenhum comentário: