8/29/2008

Agrônomo Francisco Parentes - o primeiro florianense


Jalinson Rodrigues - Jornalista
Fonte: www.noticiasdefloriano.com.br

O Município de Floriano situa-se na área geográfica em que Domingos Affonso Mafrense fundou as primeiras fazendas de gado no Piauí, mas foi a inspiração do agrônomo Francisco de Araújo Parentes em fundar, na localidade Chapada da Onça, uma entidade educativa que deslanchou o processo de formação de uma futura cidade. Seguramente, a pedra fundamental de Floriano vem com a construção deste educandário de treinamentos e capacitação: O Estabelecimento Rural de São Pedro de Alcântara. Este é um fato dignificante para o município: nascer sobre a égide, o amparo da educação.

A referência ao Francisco Parentes, se faz pela pujança e empreendedorismo de investir numa região, na época, isolada, sem perspectiva de desenvolvimento. Assim, pelo seu discernimento e trabalho trouxe para a localidade a possibilidade de através da educação promover a inclusão de escravos alforriados.

Com a morte de Mafrense em 1711, trinta de suas fazendas foram doadas aos Padres da Companhia de Jesus — os Jesuítas. Com a administração das fazendas pelos religiosos, observou-se grande progresso e desenvolvimento destes empreendimentos. Porém, em 1760, com a expulsão dos Padres Jesuítas do Brasil pelo Marquês de Pombal, as referidas fazendas passaram para o poder da Província do Piauí. O então governador João Pereira Caldas, após a expulsão dos Jesuítas, promove o confisco das fazendas e as dividem em três inspeções com os nomes de Canindé, Nazaré e Piauí.

Passados alguns anos, já em 1873, desmembram-se da inspeção de Nazaré as fazendas Guaribas, Serrinha, Matos, Algodões, Olho D'água e Fazenda Nova, para formarem a Colônia de São Pedro de Alcântara, criada pelo Decreto Imperial nº 5.392, de 10 de setembro de 1873. Com isto, o projeto do Estabelecimento Rural foi elaborado pelo ilustre e primeiro agrônomo do Piauí, Francisco de Araújo Parentes, formado pelo Institute Meully de Grand Jouan, na França, com a finalidade de instruir os filhos de escravos libertos pela Lei Nº 2040 do Ventre Livre, de 28 de setembro de 1871, na atividade agropecuária. Dados históricos apontam para a existência, na época, de 714 escravos alforriados das fazendas nacionais.

A bordo do vapor “Piauhy”, seguido de grande comitiva, o governador do Piauí, na época chamado de Presidente da Província do Piauí, Adolpho Lamenha Lins, segue para o local da fundação, onde, no dia 10 de agosto de 1874, lança a pedra fundamental do edifício principal (atual Terminal Turístico de Floriano), acerca de 30Km da vila da Manga.

Ainda com as obras do Estabelecimento de São Pedro de Alcântara em andamento, Francisco Parentes contrai uma febre e foi levada às pressas, em uma canoa, para Amarante a procura de socorro médico, circunstancia que o levou a óbito com 37 anos de idade, no dia 16 de junho de 1876. Como as obras do Estabelecimento encontravam-se avançadas, quase concluídas, assume a direção Juvêncio Tavares Sarmento da Silva.
Portanto, o município de Floriano tem na figura deste desbravador, Francisco de Araújo Parentes, a mais destacada referencia de inteligência e dedicação a este torrão, que a muitos orgulha e motiva afeto.

8/28/2008

Rio Parnaíba será revitalizado com realização de obras



Todos os municípios que fazem parte da calha do Rio Parnaíba serão beneficiados com o Projeto de Esgotamento Sanitário e Saneamento Básico. Segundo o gestor de Contratos de Sistema de Esgotamento pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Oscólmi Porto Freitas, no total, 14 deles nos estados do Piauí e Maranhão já estão com obras contratadas e mais 15 com projetos em elaboração.

Os recursos para a execução dos trabalhos são oriundos de uma parceria envolvendo o Governo Federal através do Ministério da Integração Nacional e os trabalhos executados e supervisionados pela Companhia de Desenvolvimento do Rio São Francisco e Parnaíba (Codevasf) e os municípios. Na primeira etapa, o Governo Federal já está investindo nos municípios com obras em execução cerca de R$ 25 milhões. As prefeituras entram com uma contrapartida de 5%.

“Os municípios de Uruçuí, Porto Alegre do Piauí, Ribeiro Gonçalves e Santa Filomena já estão em obras”, disse o gestor de Contratos do Sistema, que faz parte da Codevasf, Oscólmi Porto Freitas. Segundo ele, o projeto de saneamento básico envolve aspectos da melhoria da saúde pública, além da revitalização do Rio Parnaíba, controle do processo erosivo e reflorestamento da mata ciliar. “A revitalização do Rio Parnaíba é uma das principais”, disse.

Economia - Nos municípios onde já existe sistema de saneamento básico, como explicou o gestor de Contratos da Codevasf, a economia em tratamento de doenças que passam a não mais existir com a execução do projeto chega a, aproximadamente, R$ 4 milhões. Além dos municípios do Sul do Estado, os do Norte também estão sendo beneficiados, a cidade de Luzilândia está em obras, outros ainda estão elaborando projetos. No município de Floriano, ao Sul, o processo está em fase licitatória.

Fonte: Portal AZ / www.noticiasdefloriano.com.br

8/27/2008

RETRATOS


Observamos, ainda, o Cais do Porto nos anos cinqüenta, quando a nossa produção produzia um vai e vem importante no tocante ao desenvolvimento comercial de Floriano.

Tempo de fartura, alegria e tranqüilidade, onde todos tinha um roteiro, um ofício, uma aptidão para viver o seu dia a dia livre e poeticamente sorridente.

Floriano, hoje, cresce assustadoramente, mas sem uma noção do que quer. É preciso observamos o envolvimento de nossa sociedade para tornar dinâmico o nosso crescimento em suas diversas áreas e atividades.

8/26/2008

CRUZEIRO DE FLORIANO


Esse time aí é daqueles que jamais podemos esquecer, dentro do contexto romântico de nosso futebol.

Trata-se do Cruzeiro de Nanan, no estádio Mário Bezerra, que jogava escalado com grandes craques do futebol de poeira de Floriano, senão, vejamos, o Joaquim José, Galo Mago, Honório, Antonio Guarda, Rafael e Boi Búfalo em pé.

Agachados, temos o Chiquinho, nego Cléber, Chico Ivone, Luiz Orlando e Tim, que jogavam nesse dia com o uniforme do Vila Nova ( emprestado ), isso porque naquela época era difícil se conseguir patrocínios.

Os estádios locais ficavam lotados de piolhos de bola. Hoje, lamentavelmente, apesar das muitas facilidades existentes, não conseguimos mais brilhar e exportar grandes craques como no passado.

8/22/2008

BARAO DE GRAJAU


A foto ao lado é do Mercado Público Municipal da cidade de Barão de Grajau, que obtivemos numa garimpagem.

O momento aí retrata a década de cinquenta, quando do censo demográfico do IBGE è época.

A nossa vizinha ciade cresceu bastante, mas precisa recuperar sua cultura. É preciso que as autoridades competentes invistam mais em oficinas, teatro, cinema, literatura.

A ocupação da nossa juventude, também, no esporte, é de fundamental importância, para o desenvolvimento de sua formação geral.

Fonte: IBGE

RELANÇAMENTO



Serão relançados, em Floriano, durante o período do Festival de Cultura e Gastronomia, em outubro próximo, os livros do editor desse blog.

Crônicas Flutuantes e o Pinga na Área contam resenhas folclóricas do futebol florianense do período romântico e outras lorotas.

O festival terá a organização do SEBRAE/PI e do Governo do Estado e ainda constará com diversas atividades culturais, como a Roda de Poesia & Tambores, com a curadoria do florianense Elio Ferreira.

8/21/2008

RETRATOS


Fotografia tirada na altura do Bosque, pegando a rua Sete de Setembro num domingo pela manhã, quando a nossa inspiração buscava registros para o futuro.

A preocupação com o meio ambiente, hoje, é de suma importância para a permanência viva de nossas terras. Precisamos saber o que estamos construindo, derrubando ou preservando por aí.

Todos nós devemos estar preocupados e engajados na luta para com o crescimento e o desenvolvimento de Floriano. Vamos evitar abusos e construir uma cidade limpa, humana e mais agradável, certo?

8/19/2008

DONA MUNDIQUINHA

Pesquisa e texto: Mª Umbelina Marçal Gadêlha

Raimunda de Matos Drumond (Mundiquinha) nasceu em Balsas-MA, filha de Presilino de Araujo Matos e Petronilha Barros de Matos.

Iniciou-se no magistério, profissão que assumiu como vocação e que a ela se ajustou como a luva se ajusta à mão. A escola tornou-se o espaço privilegiado da sua participação na vida e na história.

Casada com Honorato Drumond, transferiu-se para Floriano e a cidade passou a contar com ela como professora do Grupo Escolar “Odorico Castelo Branco”, professora e diretora da Escola Normal Regional, atual Escola Normal Mons. “Lindolfo Uchoa” e, mesmo depois de aposentada do magistério público, foi catequista e dedicou preciosos momento à preparação de crianças para a primeira comunhão eucarística.

Sua residência era ponto de encontro para decisões importantes da caminhada de Floriano, em atividades relacionadas com religião, arte e cultura. Foi membro da Academia de Letras e Belas-Artes de Floriano e Médio Parnaíba – ALBEARTES, o que muito a tornou feliz.

Da sua união matrimonial nasceram os filhos: Maria do Carmo, Antonio Henrique e Maria Genuína que lhe deram os netos: Dulce Virginia, Honorato Sergio, Carlos Henrique Maria Genuína, Sérgia Beatriz. Daniela, Gustavo Henrique Cosme, Paulo Roberto, Geraldo júnior, Antonio Helder e Ricardo.

Com desvelo de mãe e professora, acolheu os filhos do 1º casamento de Honorato: Alberto, Almerinda e Ceicinha.

Foi agraciada com o título de cidadã florianense o que a encheu de muita satisfação e alegria.

Recebeu também a medalha do mérito "Agrônomo Parentes" e outras homenagens ao longo de sua vida.

Tinha o santo orgulho de ser Ministra da Santa Eucaristia. E durante 80 anos foi zeladora do Apostolado da Oração, assumindo em Floriano a função de secretária por 40 anos.

Sócia fundadora da Pia União de Santo Antonio. Pertenceu a outras associações religiosas e enquanto pôde trabalhou pela Igreja de São Pedro de Alcântara.

Toda sua família era muito religiosa. Irmã do padre Luso Matos , que residiu em Goiás, mais precisamente em Porto Nacional (atual Estado do Tocantins).

Mundiquinha, faleceu no dia 19 de outubro de 2006, com 96 anos de plena lucidez. Teve uma morte santa, digna da vida de verdadeira cristã que sempre teve.

MATRIZ


Matriz São Pedro de Alcântara na década de cinquenta. À direita, observamos o casarão dos Demes.

Era um tempo de fartura, onde toda comunidade vivia integrada, cheia de ofícios buscando um dia a dia tranquilo e cheio de paz.

Lamentavelmente, hoje, vivemos um contexto de consumor e desesperador no que tange o nosso futuro.

Precisamos mudar, alternar essa realida enquanto ainda há tempo.

Foto: IBGE

8/14/2008

GINÁSIO 1º DE MAIO - DÉCADA DE 50





Voltando ao tempo, observamos um retrato dos anos cinqüenta do nosso tradicional Ginário Primeiro de maio.

Depois de muitas conquistas, o ensino desenvolvido pela escola, vem procurando sempre dar um melhor encaminhamento para a juventude local: educação, cultura e lazer.

Esperamos que haja, também, parcerias junto a outros seguimentos, no sentido de dar uma melhor demanda na prática do esportes na cidade, oficinas de música, teatro e outras práticas.

8/13/2008

RETRATOS


A nossa cidade cresce e as ruas centrais tomam uma nova arquitetura, moderna e, naturalmente, os velhos casarões vão desaparecendo.

Observamos, portanto, nesse cruzamento aí das ruas Coelho Rodrigues com a José Guimarães, novos, suntuosos e lindos edifícios, já com pavimentação asfáltica e tudo.

As mudanças são necessárias e elas vão acontecendo, mas é preciso que tomemos alguma atitude, no sentido de fazer um acompanhamento voltado para a preservação de nossa cultura arquitetônica.

8/12/2008

NAVAL



Mais um flagrante do antigo Naval, que por falta de estrutura deixou de funcionar e, recentemente, foi literalmente tombado pelas águas do rio.

Mas observando a imagem, podemos sentir a poesia e o lirismo do Cais do Porto, expressando sua delicadeza natural numa bela manhã.

Precisamos cuidar melhor das nossas belezas. É fundamental, para que os nossos visitantes colham uma boa impressão sobre a Princesa do Sul.

8/09/2008

RETRATOS


Do outro lado, o antigo casarão da família do ex – deputado Agapto Barros, pelo Maranhão, que observamos, preservando suas características originais.

A paisagem é fantástica, quando olhamos aí o Parnaíba e suas ribeiras, ainda tentando se segurar por conta da natureza.

Precisamos rever o nosso meio ambiente, desenvolvermos estratégias efetivas, para manter as nossas margens. Uma preocupação com a limpeza e a retirada do lixo seria de suma importância, no sentido de melhorar nossa belas paisagens.

Foto: Agamenon Pedrosa

8/06/2008

RETRATOS



Do outro lado da cidade, na mística Barão, entrelaçado junto a um belo Ipê, a inspiração de Agamenon Pedrosa pôde registrar, magistralmente, essa imagem do rio, apanhando o Flutuante e o aconchegante Cais do Porto.

Motivos é o que não falta na cidade para se documentar, registrar e divulgar nossas belezas em cada canto. Uma máquina fotográfica, uma filmadora ou, simplesmente, um gravador, para podermos extrair idéias fulminantes.

Registros, evidentemente, que poderão ficar preservados para sempre. Vamos sair do fundo da rede, portanto, e aproveitar essa natureza nossa, que nos envaidece e nos alegra o dia.

Foto: Agamenon Pedrosa

8/05/2008

FLUTUANTE


O Flutuante é um local deveras aconchegante e, naturalmente, para quem chega, é fundamental se comer um peixe à moda da casa, reencontrar os amigos e matar a saudade dos velhos tempos, que os anos não trazem mais.

Ligou-me, então, o Edson ( amigo meu ), dia desses, para o meu celular, lá pelas duas da tarde, me causando pura inveja, perguntando-me onde ele estaria naquele momento, apreciando um peixe e uma gelada.

Literalmente, disse-me que estava a serviço, resolvera abastecer-se no Flutante e, sabendo que sou apaixonado pelo Cais do Porto, pregou-me essa homenagem.

Guenta, coração!

Foto: Célia Marques

8/02/2008

RETORNO


Estiveram na terrinha, para curtir um roteiro e matar a saudade, um trio fantástico da velha guarda do futebol amador Florianense do período romântico.

Trata-se de Ubaldo, Chiquinho ( irmão de Janjão ) e Zé Uilson ( irmão de Luiz Orlando ), resgatando e revivendo bons momentos da época de ouro do futebol de poeira da Princesa do Sul, através de resenhas e boas lembranças do passado; claro, também, revisitando lugares tradicionais como o Flutuante, o Cais do Porto, o centro histórico local e, naturalmente, reencontrando velhos companheiros de jornadas esportivas.

Ubaldo, que atualmente se recupera de uma lesão na perna direita, por motivo de acidente, é o quinto em pé da esquerda para à direita na foto acima, quando jogava do Brasil de Almeida nos anos setenta.