1/31/2008

REENCONTRO


O carnaval de Floriano, vocês sabem, é bom por isso: de repente ( re ) encontramos lugares e pessoas que nos fazem voltar no tempo.

No caso aí da ( foto ) estão os piolhos de bola José Afonso Amorim e José Uilson ( irmão de Luiz Orlando ), tomando umas duas no bar do Ivan.

Década de oitenta, quando o nosso frevo ainda preservava um ar romântico, algumas últimas marchinhas e o Comércio Esporte Clube comandando a grande noite do carnaval da Princesa.

A propósito, tem uma história do nosso amigo Zé Afonso, de 1968, que quando ele fora convocado para disputar o prêmio de melhor intérprete do Big Show Dominical, programa organizado pela Rádio Difusora de Floriano no antigo Cine Natal, a apresentadora Nazaré Silva perguntara ao candidato, o que ele iria cantar.

Afobado, José Afonso ( irmão da cantora Eurides Amorim ) não se fez de rogado, com a sua voz aguda:

- Eu vou cantar " escuta meu amor " de Ronnie Von...

FOLCLORE ÁRABE-FLORIANENSE


ATITUDE SUSPEITA

Salomão Cury-Rad Oka

Na época áurea do comércio árabe-florianense, os clubes sociais e os clubes de serviço se caracterizavam por sua exigência em selecionar os freqüentadores.

Nos idos daquele tempo, fazer parte da seleta casta freqüentadora de agremiações como o Rotary Club de Floriano, Clube de Regatas, Maçonaria e o tradicional Floriano Clube ( foto ) demandava coleguismo, filantropia, caráter e, naturalmente, contatos sociais e dinheiro.

Na boa e democrática Floriano de hoje, basta interesse em servir ou em aparecer. Aliás, atualmente, ter o “perfil” de rotariano ou de maçom é mais importante que ter dinheiro ou posição social.

Durante um grande período do século XX, ser de origem árabe também era um fator importante a ser considerado ( talvez, por causa do enorme montante de valores que circulava nas mãos dos carcamanos ). Obviamente, existiam importantes famílias brasileiras que também eram partícipes dos movimentos sociais em Floriano.

Assim, pode-se dizer que existem as mais diversas histórias sobre sírios participando de eventos sociais e de agremiações. Nada que se comparasse às festas e banquetes que eles faziam só para si e para parentes, mas várias delas merecem registro por já estarem nos comentários populares há mais de sessenta anos, como o caso descrito aqui, que relata o que aconteceu quando um certo árabe, rico e participativo do “high society” dos anos cinqüenta, prestes a se casar ( há quem diga, já casado ) com uma linda moça de origem síria, quis adentrar nos salões do seleto FLORIANO CLUBE na companhia de duas belas funcionárias da casa de tolerância de dona Madalena.

O senhor Michel Demes era um sírio muito popular, pois tinha um modo peculiar de fazer as vendas no seu empório. Vendia de tudo lá, da “areia brilhante” ao perfume francês, o que fazia sua loja ser freqüentada por todas as classes sociais. Era uma verdadeira democracia: estudantes, vaqueiros, damas da sociedade, políticos influentes, enfim, qualquer pessoa podia entrar na “Casa do Michel”. Sempre conversava bastante com os compradores, tirando piadas e fazendo o cliente gastar mais que o necessário. Apesar da baixa estatura, tinha uns olhos azuis que exibiam um brilho encantador sobre o freguês e sobre as muitas namoradas que arrumava, deixando sua filha Ivone enlouquecida de ciúmes.

Naquele dia, ao fim do expediente, o senhor Michel subtraiu da loja dois vestidos de festa, sapatos, bijuterias e produtos de toalete para agradar às duas cortesãs e leva-las ao pomposo Floriano Clube. Apesar de trajadas como damas, a atitude era delatora. A palavra “batala” estava escrita em suas testas. Para quem não sabe, batala era a alcunha dada pelos árabes às moças de vida fácil. Ao passar pela portaria, um dos seguranças abordou o árabe, dizendo:

- Sinto muito, senhor Michel, mas o senhor não pode entrar com essas duas moças suspeitas!

Michel Demes, mais que depressa, respondeu:

- Suspeitas? – disse em tom de surpresa – Essas duas senhoritas não são suspeitas de maneira nenhuma! Elas são duas putas assumidas! As suspeitas estão aí dentro, misturadas com as damas de verdade, dançando com os maridos à noite e com os amantes de dia! Meu Deus, onde foi parar a democracia do Brasil!

Fonte: Voz de Floriano


1/30/2008

DECISÃO


Tratava-se de um jornada extremamente decisiva entre botafogo de gusto e flamengo de tiberinho no ano de 1964 no tradicional estádio josé meireles, mais conhecido como campo do antigo ferroviário.

O botafogo entrava em campo com janjão, pedrinho taboqueiro, pingüim, soleta, zeca zinidô ( conhecidos na foto ).

Flamengo de tiberinho jogando com luiz bogó ( primo de janjão ), gerôncio, luis parnaiba ( que morava na taboca e fundador do santos ), tiberinho ( in memorian ), luiz orlando ( in memorian ), raimundinho, o goleiro miguel de dona bela e siqueira.

As camisas foram compradas na tradicional casa das roupas ( localizada na praça coronel borges ).

Ainda são conhecidos, dentre outros, o nosso amigo dedé carvalho ( irmão de paleca ), nonatinho ( irmão de puluca ) e pedim ( irmão de xororota ).

ABERTURA DO CARNAVAL



A Banda Malandra deu um show na abertura do carnaval de Floriano de 2008, pela décima sétima vez, arrastando uma multidão de foliões até à beira rio no cais do porto.

O carnaval de Floriano, realmente, deu uma nova guinada, com arrastões, blocos, escolas de samba e, ainda, um grande número de saudosistas, tentando resgatar os velhos tempos.

Na verdade, a iniciativa privada e os órgãos do governo devem incrementar e incentivar mais o nosso carnaval e as nossas condições turísticas. Floriano precisa entrar de vez no cenário nacional.

Começando pela limpeza da cidade

Foto: www.noticiasdefloriano.com.br

1/25/2008

CARNAVAL DA FELICIDADE


Com o belo e bem criativo tema - "O carnaval da feliz cidade", Floriano já encontra-se praticamente preparada para mais um carnaval de arrebentar.

A decoração da avenida Getúlio Vargas já está praticamente promovida, provocando uma expectativa emocionante como de sempre.

Acreditamos, mais uma vez, que o nosso carnaval será mostrado pelo ibope como um dos mais bem organizados e grande motivador de atração do Estado.

Por outro lado, precisamos, também, promover o resgate dos antigos blocos de rua, que faziam a animação no passado.

Foto: www.noticiasdefloriano.com.br

1/23/2008

ESQUENTANDO OS TAMBORINS



A Banda Malandra, como de costume, dará o ponta pé inicial do carnaval florianense sábado próximo, dia 26, com o seu tradicional arrastão.

Observamos aí figuras ilústres dos carnavais de outrora, esquentando os tamborins na Marron Glacê: Genisson Cavalcante, o Paraguassu e o carnavalesco João Rato ( foto do portal piauí notícias ).

A Getúlio Vargas já está recebendo os últimos arranjos de sua decoração para animar o melhor carnaval do Piauí.

1/20/2008

TURMA DA FOLIA


Estávamos curtindo o Natal a todo vapor, quando nos deparamos com essa turma aí ( foto ) da velha guarda e de outros carnavais do tempo dos blocos de rua.

Foi uma verdadeira festa, na bela residência do nosso querido amigo e cunhado Raimundo Carvalho, filho de seu Joãozinho Guarda. Na verdade, reencontramos o Luiz Carvalho, o Pauloínho, o Antonio Filho, o João Coimbra, o Giordano e o Hélio, onde relembramos os bons tempos.

Época romântica, aquela onde podíamos botar o nosso bloco na rua. O detalhe é que os tempos mudaram, as manias, agora, são outras, mas estamos contentes, porque a vida é hilária.

1/18/2008

FLORIANO CLUBE


Estávamos dando umas voltas pelo centro da cidade, quando de repente passamos pelo calçadão da rua São Pedro. Não conseguimos resistir ao abandono do grande Floriano Clube.

Fomos encostando delicadamente rumo à entrada do velho salão, de tantos carnavais, demos uma espiada levemente e extraímos essa imagem ( foto ) interna do atual momento.

Depois da construção desse horrível calçadão da São Pedro, temos que ainda suportar o abandono desses antigos casarões sem a sua manutenção e reparos devidos.

São ruínas que o tempo, com certeza, acreditamos, há de apagar.

1/17/2008

PREVIA CARNAVALESCA


Aconteceu dia 12 último uma prévia do carnaval florianense com o pessoal da Banda Malandra.

A imprensa da cidade e diversos carnavalescos se fizeram presentes ao Marron Glacê para promover a abertura oficial do carnaval de Floriano no dia 26 com um arrastão local de grande porte

O presidente do bloco, o nosso amigo Ozires, disse que o abadá da Banda Malandra já encontra-se à venda para os foliões em geral.

Foto: piauinoticias.com

MUDANÇA





Vai ser no próximo domingo, dia 20, a posse do novo Pároco da Paróquia de São Pedro de Alcântara de Floriano.


De acordo com a orientação da DIOCESE, quem comandará os novos destinos de milhares de fiéis ligados a esse templo religioso, a Igreja Matriz de São Pedro de Alcântara ( foto ) em Floriano é o padre Kleiton Vieira da Silva.


A celebração de posse contará com vários celebrantes, autoridades e deverá ser iniciada no período da manhã.


O padre Aristides Ferreira, que vinha atuando como Pároco de São Pedro de Alcântara há muitos anos, foi transferido para cumprir seu ofício em uma outra cidade do interior do estado ( Jerumenha ).


Fonte: www.piauinoticias.com

1/15/2008

DE VOLTA PARA O FUTURO



Estávamos, de repente, no último período natalino, dando umas voltas, registrando umas fotografias e matando a saudade da Princesa. Para não fugir à regra, fomos até à velha Jerumenha, também relembrar os tempos de infância.

Na terça – feira, do dia 25, ficamos andando pela praça, batendo papo, reencontrando amigos e tomando um caldo na antiga Mascote, para tirar a ressaca da noite natalina.

É difícil aceitar, ter que voltar ao mundo do consumo, mas o carnaval taí pra nos levar de volta do mundo que queremos: botar o bloco na rua.

1/11/2008

CAMPO DOS ARTISTAS


Era ainda a época romântica de nosso futebol. Como sempre temos abordado, o campo dos artistas era o palco dos tradicionais campeonatos amadores de Floriano, o qual tinha como pano de fundo um frondoso cajueiro ( foto atual ao lado ), onde agrupavam-se atletas, cartolas, enfim, todos aqueles que de certa forma ajudavam ou atrapalhavam os espetáculos.

Pois bem, chegara, então, o dia do torneio início daquela temporada, torneio esse que preambulava o campeonato principal.

Para a realização do evento, o Gusto, dono do Botafogo e seu presidente e, também, como membro da liga organizadora do campeonato, encomendara, ao seu Raimundo Beirão, renomado carpinteiro da cidade ( tratado carinhosamente ( ? ) pela sua digníssima esposa dona Joaquina de Raimundo Beirada ), as traves que seriam postadas no estádio.

Como combinado, tudo foi feito. Confeccionados os arcos, foram estes cuidadosamente fincados nos extremos do campo, nos seus mínimos detalhes, como exigido nas regras do futebol.

O campo dos artistas estava uma beleza e o dia maravilhoso para a prática do futebol, dado que até São Pedro mandara uma boa rajada de chuva para sedimentar e esfriar o areião.

Dada a magnitude daquele belíssimo espetáculo de futebol, outro não poderia deixar de ser, o árbitro da partida, senão o grande Vicente Xeba.

Tabela pronta, times equipados, disputariam a primeira partida o Santos de Cuia e o Botafogo de Gusto, sendo que todas as equipes, como Caiçara, Flamengo de Tiberinho, Ferroviário de Pedro Crente, Fluminense de Fabrício, São Paulo de Carlos Sá e outras já se encontravam equipadas e aquecidas para os embates.

Tudo bem, não fosse o incidente surgido naquela ocasião, em virtude de o dinheiro arrecadado pelo nosso amigo Gusto não ter sido suficiente para ocorrer como pagamento ao artífice Raimundo Beirão.

Ante esse fato, incontinenti, seu Beirão mandou arrancar as traves de volta, não obstante os apelos e as promessas de todos os que ali se encontravam de que a grana não demoraria.

Sem os travessões, restou aos cartolas a discussão sobre a realização ou não do torneio, muito embora soubessem que esta realização, em última instância, seria decidida pelo grande Xeba.

Assim sendo, dirigiram-se todos até o famoso rifirí, sendo que este, de dedo em riste, bradava:

- Num quero nem saber; num quero choro; vai ter jogo; faz as traves de talo de coco; num precisa travessão; num precisa dizer que gol só vale rasteiro!

Dito isso, apitando bem alto e forte, Vicente Xeba adentrou o campo numa corrida cadenciada, em marcha a ré, concitando com as mãos, alternadas e cadencialmente a entrada dos alvinegros ao centro do belo areial.

CARNAVAL - 2008



Aproxima-se mais um carnaval da Princesa. A motivação anima os carnavalescos para botar os seus blocos na rua. Há uma expectativa diferente para atrair novos foliões. A Comissão Organizadora do Carnaval está otimista.

Por outro lado, devemos ressaltar o descaso que há muitos anos estão dando ao nosso tradicional Floriano Clube ( foto ), hoje, jogado ao relento. Lembramos, que era aí que o frevo rolava na época das marchinhas.

Em todo caso, ainda acreditamos no resgate, não só desse clube, mas, também, de outros espaços que exaltavam o nosso carnaval, como a Proletária, 21 de Março, Comércio, AABB e de blocos, tipo Bota Pra Quebrar, Os Malandros e Os Piratas.

Como seria bom voltarmos a fazer uma nova marcação.

1/09/2008

CAMPINHO DO ODORICO


Esse é o antigo campinho do Colégio Odorico Castelo Branco, onde antigamente eram disputados jogos e outros torneios na época romântica.

Lamentavelmente, hoje, estamos observando o campo cheio de mato, sem a prática de esportes. Lembramos, com saudades, das acirradas disputas e do futebol de poeira que aí eram disputados.

Apareceram bons jogadores, que fizeram fama no futebol local, como Agenor, Paulo de João Leão, Tonhô, Danúnzio, Pé de Lajeiro, Cícero, Bogota, Luiz Orlando e tantos outros.

Seria de suma importância revitalizarem essas escolas públicas, com práticas de esportes, educação física, para que a nossa juventude possa ter uma bela referência.

1/08/2008

AVENIDA



Trata-se de uma emoção muito forte, quando vamos chegando na Princesa do Sul, depois de muito tempo fora e observamos, logo de cara, a Getúlio Vargas, mudada, moderna mas ainda com uma certa pureza.

O silêncio dos domingos de manhã instiga uma volta ao passado, relembrando os velhos casarões que não mais existem: observem como estão, hoje, os prédios do antigo Cine Natal, Calisto Lobo, as Pernambucanas e outros sendo substituídos por lojas tipo caixa de sapatos.

Mas ainda há um pouco de ar puro, reencontros e carnavais a nos transportar para os bons tempos. Vamos ( re ) viver os dias que melhores virão.

1/07/2008

PAPELARIA SAO JORGE



Esse é o prédio onde abrigou a loja da antiga Distribuidora Floriano Ltda, do Grupo Jorge Batista e que na sua inauguração, em 1972, trouxeram o famoso cantor Antonio Marcos para o show.

Atualmente, com as mudanças, estamos com um novo empreendimento do Grupo - a PAPELARIA SAO JORGE ( foto ), onde comercializa-se suprimentos de informática, livros e papéis.

O comércio de Floriano deu uma empinada razoável e há uma expectativa favorável para este ano, graças a empreendedores, como Jairo Batista e Jorge Filho.

1/04/2008

ENCONTRO ESPORTIVO


O coordenador de esportes da APCEF em Teresina, o nosso amigo Marquinhos, anuncia que será realizado no próximo dia 26, em Floriano, no campo da Associação Atlética Banco do Brasil – AABB pela manhã, o tradicional encontro esportivo entre o pessoal da APCEF ( atletas da Caixa Econômica Federal de Teresina ) e o time dos bancários da Princesa do Sul.

Essa partida é realizada anualmente e já faz parte do calendário esportivo local e ainda reúne tradicionais craques do futebol da velha guarda de Floriano, como Castilho, Ubaldo, Janjão, Puluca, Marquinhos e outros cobras.

Há, também, uma expectativa para a realização do torneio de férias de inverno de futebol de salão, campeonato esse coordenado pelos piolhos de bola Roberto Holanda, Darlan Portela e Mocó

Na foto, Puluca é o ponta de lança, quando jogava pelo São Paulo de Carlos Sá nos anos sessenta nos tradicionais torneios de amadores do campo dos artistas.