10/26/2007

CAIS DO PORTO


Mesmo em preto e branco, conseguimos identificar a beleza do nosso cais do porto nos anos dourados.

A calmaria e a poesia que vivíamos nos deixavam vaidosos, completamente felizes nesse vai e vem e dentro de um contexto glamoroso da época.

O Flutuante, ali, um tanto diferente; as canoas em suas travessias e um sol a exaltar um certo brilho; muita magia e uma vida descontraída, como observamos o passeio de Beatriz Fontes e Osmar Amaral em trajes supimpa.

Sabemos, agora, que os tempos são outros, mas é sempre bom rever os lugares de antigamente, através dos retratos de um passado revolucionário e mágico que vivíamos. Continuemos buscando essa paz, para que possamos viver segurando a saudade.
...
Foto: flagrantes de uma cidade

Um comentário:

pgc31@oi.com.br disse...

O comentarista tem toda a razão. Theodoro, há pouco tempo deu azas a imaginação, em versos, lembrando todos as coisas boas que aconteciam em Floriano.

Há poucos dias passei á noite em Floriano, com o meu cunhado Deocleciano Filho, em direção a São João dos Patos, então, resolví jantar no "Flutuante".

O "Flutuante" era o ponto chic da cidade, onde todos iam receber a brisa do Rio Parnaiba, tomar sua cerveja e deliciar-se com o "branquinho", um piau e outros peixes do Parnaiba. Infelizmente,
o restaurante está uma verdadeira tristeza, com sua ponte de acesso quebrada, o restaurante abandonado, mas, felizmente a comida ainda estava boa.

Vamos estimular o proprietário da mandar consertar, pintar, arrumar e dar um novo colorido ao "Flutuante", que foi cenário de bons papos e de noites enluaradas.

Pedro Gaudencio de Castro
Recife,30/10/2007