3/31/2007

CASARAO DOS DEMES


AUAD DEMES CONTRUIU O CASARÃO DOS DEMES

· Por Nelson Oliveira

( Foto - o casarão nas décadas de 20 e 30 )

Na esquina da Marechal Pires Ferreira está um tradicional sobradão, que faz parte da paisagem da nossa cidade e deve ter sido construído pelos anos 20/30 pelo senhor AUAD JOSÉ DEMES ( D. Seda ), pai do velho Michel, Dr. José Demes Filho ( o Zeca Demes ), bom ponta esquerda do Ubiratan e residente em Anápolis-GO, onde desempenha a profissão de médico; drª Josefina, professora, farmacêutica, historiadora e profunda conhecedora da nossa História, em todos os setores, ( muitas delas já fazem parte do nosso portal o que muito nos honra ); d. Maria Demes ( esposa de Haroldo Lima ), pais de José Demes Neto ( o Ieié ) e o Francisco Demes ( Chico Demes – o homem da Internet ).

No velho sobrado não nos recordamos o que ali existia; lembramos-nos, entretanto, que com a chegada da Dra. Josefina, formada em Farmácia, ela instalou um estabelecimento farmacêutico e como ponto forte o fabrico da conhecida Aguardente Alemã, remédio bastante popular até no sul do País.

Com o passar do tempo, o referido estabelecimento foi extinto e outra farmácia ali se instalou, tendo como proprietário o Dr. Idílio de Macedo Lima, que chegou aqui recém formado em bioquímica.

Com o tempo, também, cerrou suas portas. Mas, ao que parece, ali foi instalado um novo comércio. Depois, era o estabelecimento que se estendia até ao portão de ferro, que dava acesso a residência no andar superior, que tem todo seu piso feito com madeira de lei, como as demais moradias ( Adala Attem, Calisto Lobo, para onde funcionou o Banco do Brasil, etc ).

Pois bem. A casa José Demes explorava o ramo de tecidos e miudezas em geral e tinha como vendedores, no período das férias, todos os filhos, sob a vigilância do senhor Zé Demes e dos olhos azuis da D. Seda.
Fonte: florianoemdia.com

3/30/2007

FINALMENTE


Fifa confirma título mundial do Palmeiras

Depois de 56 anos, a torcida do Palmeiras pode soltar o grito de campeã mundial. Nesta sexta-feira, a Fifa homologou o pedido do clube para validar a conquista da Copa Rio de 1951 como o primeiro mundial interclubes disputado na história.

Com a confirmação do título, chega ao fim uma das maiores novelas dos 92 anos do Verdão. . O processo para a validação do torneio teve início em 2001, com o envio de um dossiê à entidade que organiza o futebol no planeta.

Curiosamente, o pedido aconteceu um ano depois de o arqui-rival Corinthians conquistar o Mundial Interclubes de 2000, também no Rio de Janeiro, o primeiro com reconhecimento da Fifa. A competição, porém, ainda é desdenhada por santistas e são-paulinos, que a consideram como um "teste".

Fonte: 180graus

GLOBAL


PRISCILA KARINE ( miss Piauí de 2006 ), defenderá o título de Miss Globo, candidatíssima a Miss Global de Floriano, representando o Piauí.

Floriano tem tradição de revelar a beleza piauiense nesses concursos. Começou com a nossa querida Maricildes Costa em 1964 no período romântico.

Precisamos voltar a revitalizar esses acontecimentos sociais, como a festa de debutantes, por exemplo, que no passado fazia a diferença com a dona Ivanildes Castro na sua coordenação.

Nossos cronistas sociais precisam atuar mais e buscar os subsídios necessários para apoiar a beleza florianense.

Foto: florianonight

3/28/2007

VIAZUL


Esse é um flagrante do conjunto - VIAZUL, grupo musical comandado pelos florianenses Zé Demes ( Ieié ), Adelmar Neiva e Nilson Coelho nos anos setenta e que voltara a brilhar nos anos oitenta.

A foto ao lado é de um show na antiga boite BR ( o point da época ) em 1979. Faziam parte do grupo em seu momento mais romântico, nego Dilson, Irapuã ( guitarrista ), Célia Reis ( vocalista ), Marcelo Guimarães ( cobertura fotográfica ) e Genisson. Causavam o maior frisson junto à juventude local à época.

Seria de suma importância se essa turma voltasse a se apresentar novamente, agora em julho próximo, nas comemorações de aniversário de Floriano na programação de Teodoro Sobral nos 10 anos depois do centenário da Princesa.

MATRIZ


O belo retrato de nossa matriz, extraído na década de cinquenta, nos transmite uma ânsia nostálgica, uma certa poesia, parecendo ser uma tarde chuvosa.

A praça, exaltando seus contornos hilariantes; o casarão dos Demes, no canto inferior à direita, expondo sua formosura; tudo isso deixando a gente numa ilusão épica sentimentalista.

Os poucos transeuntes, em seu movimento paulatino, sem nenhuma pressa no andar de suas charretes, sem nenhuma preocupação com o futuro, apenas cumprindo seu roteiro diário de sua rotina laboral.

Momentos que se passaram e que hoje nos assusta um pouco quando nasce o dia. Precisamos, sempre, estarmos atentos e crescer com essa idéia libertária, fraternal e solidariamente buscando o ofício de servir bem a nossa gente.

CORONEL BORGES



Vejamos o quadro atual de nossa querida praça coronel Borges, extraída durante o último carnaval.

Alguns casarões modificados em sua estrutura arquitetônica, o grosseiro asfalto expondo o seu legítimo progresso e alguns poucos arvoredos. A ausência do velho casarão do mercado central que havia ali nos deixa saudoso.

Nossos dirigentes, durante muito tempo em suas administrações, andaram pagando muitos "micos" na condução de nosso patrimônio histórico e arquitetônico.

No entanto, temos que correr atrás e tentar preservar o que ainda permanece inteiro.

Floriano precisa voltar a reinar como outrora. Precisamos melhorar nossa atuação no vai e vem da política.

Temos que nos filiar ao futuro da Princesa. Por onde andam os nossos novos líderes?


Estamos certos ou errados?

3/27/2007

HOSPITAL MIGUEL COUTO


Este é o famoso Hospital Miguel Couto, tomada extraída do final dos anos cinquenta na administração do prefeito Chico Reis.

Esse casarão ainda conserva algumas de suas características, internamente, mas hoje funciona aí a nossa tradicional Diocese Oeiras - Floriano.

Floriano ainda respirava harmonia, poesia e juventude. A correria de hoje deixa extressada a nossa população, que tem que correr atrás de sua sobrevivência.

Precisamos amenizar esse quadro. Um pouco de solidariedade faz bem e a arte de servir tem que voltar a reinar. Vamos cultivar o hábito da missa e mexer com o brio de nossa gente, fazê-la acreditar no amanhã.

Ainda há uma vela acesa no fim do túnel, certo?

3/22/2007

CORI - SABBA


Estávamos observando o time do Cori – Sabbá no estádio Albertão, onde atualmente disputa o campeonato piauiense de futebol – 2007 no jogo contra o Ríver de Teresina, junto com os coordenadores dessa nossa tradicional agremiação esportiva.
Na cabine encontravam-se por lá o Zé Bruno, Gescimar Miranda, Kazemiro, Iran, Puluca, Tim, o jogador Maurício e outros amigos. A equipe está aos poucos se entrosando, mas há ainda muitas dificuldades no ataque, principalmente na arte de finalizar.

Achamos, contudo, que a tendência é melhorar e, com certeza, o Cori está cotadíssimo para disputar o quadrangular final do campeonato. Precisamos, por outro lado, motivar mais, buscar a superação dentro e fora das quatro linhas e esse time, se continuar com essa formação por um bom tempo, ainda poderá nos dar muitas alegrias.

É uma questão de tempo e paciência. Parabéns pela experiência de Mocó, a garra de Zé Bruno e ao pessoal que atualmente formam o plantel do Cori – Sabbá, que com muita esperança em nosso futebol conduz atualmente os destinos do profissionalismo de Floriano.
A foto acima é do Cori campeão amador nos anos oitenta no estádio Mário Bezerra ( completamente lotado ) em domingo de decisão. O time já começava a dar sinal de revolução.

3/20/2007

CAMPO DOS ARTISTAS


A propósito, registramos mais uma vez uma tomada diferente do famoso campo dos artistas, onde a turma do futebol romântico disputava os torneios amadores nos anos sessenta.

Hoje, lamentavelmente, o campo está abandonado. Apenas o velho cajueiro, que servia de bastidores, ainda permanece incauto à espera de novos comandantes.

Bem que se podia aproveitar esse espaço e criar um complexo esportivo, com subsídios da prefeitura, no sentido de se desenvolver por lá atividades esportivas, culturais e shows artísticos.

O que não podemos admitir é essa omissão terrível que se vê imperar diante de um palco que já foi num certo tempo disseminação de esperança e alegrias para a nossa juventude.

3/19/2007

REENCONTRO


Vejam o reencontro de dois antigos craques do futebol amador florianense, se confraternizando durante o período do carnaval da Princesa - 2007.

Trata-se nada mais nada menos do que o meio de campo Apolinário ( Puluca ) e o nosso amigo Iran, que jogou no time do Santos de Cuia da rua Sete e, também, no Santa Cruz de Fabrício ( irmão de Gusto ).
Costumavam jogar muitas vezes ali no fundo do quintal da casa de Caçula debaixo de uns pés de oitís e no campinho da casa de Janjão na Defala Attem, próximo à antiga oficina de João Veleiro.

Era um tempo certamente sadio e que a prática do esporte era o mais profundo sentimento puro de sentir o prazer de jogar futebol de poeira.



O papo rolou e as lembranças daquele futebol romântico foi a tônica ali daquele alegre momento. O local foi no famoso hotel do Jorge Batista, onde se concentrava o arrastão da prefeitura. Precisamos registrar esses momentos difíceis de acontecer novamente.

CASARÃO


Durante o carnaval - 2007, fizemos um passeio pelas ruas e becos de Floriano, observando os casarões antigos e os que estão se revelando pela sua beleza e magnitude.

É o caso desse flagrante ao lado da mansão de nosso amigo Teodorinho Sobral no cruzamento da João Chico com João Dantas. Antigamente, nesse local, funcionou a antiga sede do time do Ferroviário de Floriano nos anos sessenta.

Os arvoredos na frente da mansão dá uma melhorada no clima e embeleza o seu aspecto arquitetônico moderno.

Precisamos, por outro lado, cuidar desse nosso patrimônio. Ainda há muitos prédios e casarões que precisam de cuidados e revitalização. O nosso centro histórico, principalmente.

3/16/2007

CINE NATAL - 2007


Não podíamos deixar de documentar esse momento, exaltando nossa inspiração, retratando o antigo Cine Natal, hoje entregue ao mercado consumidor no ramo de lanches e refeições.

O asfalto dá uma nova realidade aos arredores dali, expressando a nova Floriano. Os transeuntes seguem no seu vai e vem preocupante que a vida proporciona.

Era o carnaval de 2007. De dentro dessa lanchonete, hoje, ainda conseguimos reviver um bom bate papo com os amigos de outrora

CARNAVAL - 2007


Antes de começar a descida do arrastão da prefeitura, no Hotel Rio Parnaiba, do Grupo Jorge Batista, a turma da velha guarda esquentava os tamborins, resgatando os bons tempos dos carnavais de outrora.
A dupla sensacional da ( foto ), Chico Borges ( que veio de Brasília ) e Jairo Batista ( gerente do Grupo Jorge Batista ) se reencontraram para botar o papo em dia, relembrando suas travessuras de Fortaleza.
Foi uma noite memorável, onde a felicidade se estampava no rosto desses foliões, onde puderam reviver, inclusive, as marchinhas do passado, sem discutir a sua iniciação nos bordéis que a vida ensinara em outras épocas.

3/15/2007

FLORIANO - 2007


Na manhã de domingo de carnaval, rondando os contornos da matriz, conseguimos apanhar essa bela imagem do casarão dos Demes.

O tempo meio dublado exaltava em mim uma sensação saudosista, onde tentávamos resgatar o que restou de nossos prédios antigos, que aos poucos estão trocando de roupa.

Prédios e edifícios novos estão se erguendo em torno de nosso centro, as praças já não são mais as mesmas e os arvoresdos estão pedindo "pinico".

O calçadão da São Pedro mostra essa realidade pura de esvaziamento e o seu movimento mórbido exibe uma rotina melancólica e sem brilho.

Precisamos voltar a amar a Princesa e buscar medidas alternativas para avançar em sua revitalização.

Será que ainda dá tempo?

MISS FLORIANO - 2007


Neta de um dos mais conhecidos comerciários de Floriano, Francisco Borges ( in memorian ) e de Dona Cirene Reis, moradores da rua do Amarante, a beleza número um de Floriano, Diana Borges, estará concorrendo ao Concurso de Miss Piauí - 2007.

Filha de Arnan e Cirene ( Querida ), Diana Borges está cotadíssima para levantar, mais uma vez, o troféu de miss para Floriano.

No passado já tivemos outras belas florianenses defendendo esse título, como a famosa Maricildes Costa em 1964 ( período romântico ), Valéria Alcoforado, Karine Castro Demes e Priscila Karine.

Trata-se de um momento épico e de suma importância para a auto estima de nossa sociedade. Acreditamos piamente que mais uma vez levaremos esse troféu.

3/14/2007

ODORICO


Foto extraída da Unidade Escolar Odorico Castelo Branco ali do cruzamento da rua Gabriel Ferreira com a rua São João, recentemente, quando do período carnavalesco.

Hoje, com um prédio novo e moderno, reformardo, essa escola de nosso passado precisa do apoio das autoridades no seu aspecto externo. Uma limpeza, uma pintura nova seria de suma importância.

Era por aí que aprontávamos as nossas travessuras nos anos sessenta. As peladas eram uma constante e, daí mesmo, sairam bons craques para o futebol amador de Floriano, como Puluca ( foto ), Agenor, Tonhô, Carloinho, Abrão, Cibita, Cícero ( Boião ), Pé de Lajeiro, Bogota, Correntino, Carneirinho, Sebastião ( irmão de Luiz Orlando ), Ubaldo, Danúnzio, Silva de dona Julita, Chico Lista e outras grandes figuras que davam uma dinâmica diferente para a vida simples que levávamos.

3/13/2007

CHEGA DE SAUDADE, VIRGULA



Nada disso: não podemos deixar que a nossa história seja desprezada dessa forma ou que morra afogada. É certo que temos que preservar o meio ambiente, mas há de fato alguma maneira de mudarmos essa realidade, agora.

A comunidade, nesse momento, precisa atuar junto aos órgãos competentes, no sentido de estabelecer e buscar critérios justos para a manutenção de nossa cultura e, a partir daí, buscar uma solução para o caso.

Quanto à população ribeirinha, tudo bem, a prefeitura tem a gestão de atuar firme e planejar a sua remoção imediata - e inteligente - proporcionando para essa nossa gente um lugar especial para morar.

O Flutuante, também, precisa permanecer vivo; alguém há de encontrar uma maneira eficaz, apresentando um estudo para manter o nosso saudosismo e a referência de muitos carnavais.

Chega de omissão!

Foto:
www.noticiasdefloriano.com.br

3/10/2007

CARNAVAL - 2007


Depois de mais de dez anos sem vir à terra, o nosso amigo Chico Borges da rua do Amarante ( de vermelho na foto ) veio passar o carnaval com a família e reencontrar os amigos.

Num pulo só, de Brasília, apanhou a aeronave e, de Teresina, zarpou num texís com o seu irmão Zé Alberto; do Flutuante, à noitinha, já nos liga para começar a entrar nos arrastões.

Vejam na foto o Chico Borges no hotel do Jorge Batista, reencontrando alguns amigos de infância, o Antonio Reis, Carlito do Bruno e Jesualdo, todos se preparando para pular o carnaval.

Foi uma festa só. Dava para sentir a tamanha felicidade no rosto desses foliões, revendo sua terra natal e descendo a avenida nos arrastões da prefeitura, Ingratos e Tradição.

3/09/2007

NANAM DO CRUZEIRO




Nascido em Pio IX no ano de 1944, o nosso amigo Francisco das Chagas, mais conhecido como Nanan, chegou em Floriano com dois anos de idade. Abandonado pelo pai, sofreu bastante na vida, chegando até a pedir esmolas nas ruas.

No entanto, sua trajetória de vida muda, quando foi adotado pelo professor Binu Leão, Hononato Drumond e Alberto Soares. Depois as coisas foram mudando e chegou a ajudar seus outros irmãos, que também passavam dificuldades.

Aos dezenove anos seguiu para servir o Exército Brasileiro no 25 BC em Teresina. Aos vinte anos casou-se com dona Júlia Pereira, que também enfrentava a vida com dignidade e muita luta.

Vinda do interior de Bertolínea, com ela nasceram quatro filhos - Maria de Lourdes, Maria das Dores, Francisco Evandro e Carlos Roberto.

Voltando a Floriano, fundou dois blocos carnavalescos - Os Astronautas do Samba e Setentões do Samba. No futebol, chegou a jogar no Santa Cruz de Bazué. Foi, também, treinador do Reno Futebol Clube e Cruzeiro Futebol Clube, onde ganhou vários torneios.

Trabalhou no Vende - Bem, com o nosso amigo Pauliran, como balconista, foi torrador de café, tratorista, maqueiro, encarregado de fazendas e, por fim, motorista de várias firmas em Floriano, como L. S. Brandão, Mendes Junior e hoje é camihionheiro do grupo Jorge Batista em sua terra natal - Floriano.

VELHA GUARDA II




A estratégia era reunir o pessoal da velha guarda do futebol florianense, ali na barberaria do excelente técnico de futebol - GALDINO.

Chegamos para o carnaval e a turma administrava a distribuição das camisetas ( hoje, abadás ) do bloco - OS INGRATOS, durante o último carnaval.

Para a foto ( ao lado ) pousaram os ex - craques fo futebol do período romântico florianense.

Nada mais nada menos do que o técnico Galdino, Puluca, Poncion, Zezeca e Zé Bruno ( este, artilheiro maior do futebol de salão florianense ).

Esse timaço ainda faz festa na cidade. É bom, também, que se procurasse incentivar os que hoje estão iniciando e que têm algum contexto. Para o bem do futebol da Princesa.

3/07/2007

BAZIM - CRAQUE DO PASSADO



Se chegarmos no bairro Manguinha, reduto de craques do futebol florianense, e procurar por José Ribamar dos Santos, jamais encontrará um dos maiores piolhos de bola; no entanto, se procurarmos o “Basim”, este é mais conhecido que farinha no Ceará.

Esse habilidoso craque de futebol dos anos setenta, foi encontrado no seu trabalho, na UESPI, Campus de Floriano, onde exerce a função de vigilante concursado. É também um profissional de mão cheia na arte de gráfico.
- Basim, fale um pouco de sua família.

- Sou florianense da gema, pois nasci na Manguinha, minha esposa se chama Luiza de Fátima e tenho três filhos ( as ), sendo um rapaz e duas garotas.

- Em quais campinhos você iniciara a arte de jogar futebol?

- Nos campos do “Ferrim” ( hoje o Hospital Regional Tibério Nunes ) e no tradicional campo dos artistas.

- Qual o seu primeiro time?

- O antigo SABBÁ, a sua sede era próximo ao Posto Sabbá.

- Interessante, foi de onde surgiu o nosso representante Cori-sabbá, não é isso?

- Sim, o Cori-sabbá nasceu da fusão dos times SABBÁ E CORINTHIANS de Pompéia.- Como era formado o time SABBÁ?

- Não se assuste com os nomes, por que eram realmente engraçados, senão, vejamos: Chico Cobra Preta no gol ( irmão de Bagana ), Couro Velho, Osman, Euvaldo, mas o lateral esquerdo não me recordo; o meio era formado por Zé Henrique ( irmão de Luis Orlando ), nego bom de bola e Basim formavam o meio de campo; na frente, Tico pela direita, Soleta centro avante, o meia esquerda não me lembro e o dono do time, Noel, pela esquerda.

- Você jogou em outro time?

- Depois fui para o Grêmio de doutor Calistinha e Galdino, era formado por Joaquim José, Zé Ulisses, Pedão, Dias, mas o lateral esquerdo não lembro; no meio, o cracasso Edmar e Mocó, na ponta direita Chico do Campo, Basim, Gonzaga “Preto” e Roberto Holanda.

- Basim, e o gol mais bonito?

- Foi num jogo entre Poeirão e Grêmio, Chico do Campo escapa pela direita e cruza, matei a bola no peito e tasquei uma bicicleta no ângulo, um golaço, o estádio Mário Bezerra, no gol do lado do Estadual, uma pintura.

- Lembra de algum lance no futebol que gostaria de contar?

- Eu sempre fui habilidoso, não fazia muitos gols, mas gostava de dar uns “melas” nos adversários e certo dia, entrei na área, passei até pelo goleiro, fiquei defronte o gol para marcar, mas preferi parar esperar um zagueiro, driblei ele novamente, esperei o goleiro a se agasalhar e marquei. A torcida foi à loucura, pois sabia que de vez em quando gostava de aprontar.
Fonte: www.florianoemdia.com / Na foto acima Basim ao lado do famoso árbitro do futebol florianense - JUVENAL.

3/06/2007

VELHA GUARDA



Estávamos em plena folia de momo, quando a turma do Tradição e dos Ingratos se preparava para descer a Getúlio Vargas no domingo de carnaval.

Quando de repente junta a turma da velha guarda, numa confraternização de tirar o fôlego. Nada mais nada menos do que o Zé Uilson ( filho de mestre Orlando Rodrigues), o famoso Jeremias ( zagueiraço dos anos cinquenta e sessenta ), o estilista Puluca e o driblador Gonzaga Preto em grande estilo.

Só o carnaval de Floriano para nos proporcionar esses encontros épicos. Muita adrenalina, onde foram relembrados inúmeros episódios do passado que ficaram registrados na memória daqueles que vivenciaram a fase áurea de nosso futebol romântico, que os anos não trazem mais.

3/05/2007

CAMPO DOS ARTISTAS



Visão estratégica do campo dos artistas, apanhando o visual externo da Escola Normal. Era aí, também, que se instalavam os antigos circos de arena.

Vê-se, logo à frente, o famoso cajueiro, ainda intacto, que servia de bastidores para os dirigentes e piolhos de bola do período romântico.

Essa paisagem foi extraída, recentemente, durante o período carnavalesco de dois mil e sete, quando a poesia tocava-me forte e a vontade de matar a saudade era saltitante.

Era de manhã cedo e o clima estava uma delícia. O silêncio dali nos dava uma sensação nostálgica e se ecutava, ainda, algum canto de passarinho. A chuva já dava sinal do pau d´água que iria cair sobre a Princesa.

Detalhe: o campo dos artistas no único pedaço que restou dele o matagal toma de conta, lamentavelmente.

3/02/2007

TIBÉRIO NUNES



TIBERIO NUNES – Trajetória e Depoimentos

Trata-se de um excelente livro, lançado recentemente pela família do ex – prefeito de Floriano, doutor Tibério Barbosa Nunes, onde resgata a trajetória de sua vida pública e profissional, através de depoimentos nobres.

Num desses depoimentos, o seu sobrinho, o ex – deputado Luciano Nunes, conta que certa vez -, “quando estava construindo a sua residência na rua que hoje leva o seu nome, me convocara, na condição de agrônomo, para acabar com as lagartas que estavam acabando com a folhagem de uma mangueira que existia no fundo do quintal de sua casa. Comodista e sem vontade de ir matar as lagartas, tirei uma de ecologista e o aconselhara a deixar as lagartas virarem borboletas, que elas iriam todas embora voando.Tibério ficara irado e, voltando-se para mim, esbravejara: - Você é um agrônomo de merda, que só sabe mesmo é plantar tampa de garrafa em asfalto...”

O livro retrata, também, passagens de sua juventude em Fortaleza, Rio de Janeiro, onde chegara a ser grande líder estudantil e vice – presidente da União Nacional dos Estudantes – UNE. Adentrou pelo jornalismo com Arimatéia Tito Filho, seu amigo e tornou-se um grande médico no Piauí.

Naturalmente, entrou na vida pública, onde tornou-se por duas vezes prefeito de Floriano, Deputado, Vice – Governador e Governador do Estado do Piauí e, por último, chegando a Presidente do Tribunal de Contas do Estado.

Queria, ainda, a voltar à vida pública para eleger-se Senador da República. Falecera, prematuramente, no início dos anos setenta, numa fatalidade da vida nunca vista antes.

Tibério deixou uma lacuna enorme, dentro do contexto político piauiense, de forma que a sua trajetória política ainda permanece viva para quem ama o Piauí e, evidentemente, a nossa querida Princesa do Sul.

3/01/2007

ENCONTRO DE CRAQUES


Estávamos em plena folia de momo no Hotel Rio Parnaiba do Grupo Jorge Batista, quando fomos surpeendidos com o encontro de antigos craques da bola, da poesia, da música e de empresários de Floriano bem sucedidos na vida.

Encontramos por lá, por exemplo, o economista Puluca, o arquiteto Nilson Coelho, o engenheiro José Uilson ( foto ) e outras grandes figuras, tipo Chico Borges, Iran, Paleca, Jorge Filho, Phillipe, Osmar Júnior, Jairo, Ceiça, Fátima, Jesualdo, Carlito, Hagamenon, Antonio Reis num reencontro épico e onde puderam descarregar suas aspirações e suas emoções.

Só o carnaval florianense para proporcionar essa alegria, numa certa intimidade poética e ululante. Desta forma, precisamos cada vez mais revitalizar o carnaval florianense para gerar novos e futuros encontros de novas e velhas gerações.


ZONA DO MERETRICIO


Aproveitando o período momesco da Princesa, resolvemos sair por aí, extraindo uma certa poesia fotográfica de ruas e becos de velha Floriano.

E eis que apanhamos a esquina da Coelho Rodrigues, uma das mais antigas zonas do meretrício da cidade, que anda caindo aos pedaços.

Era por aí que perambulávamos em busca de alguma aventura poética cheia de amores e boemia.

Os prédios antigos estão sem cuidados, o asfalto chegou e limpeza precisa ser melhor administrada.

A prefeitura precisa dar umas voltas na cidade para identificar esses logradouros que, necessariamente, precisam da realização de um mutirão, no sentido de diminuir a sujeira.

Ainda há tempo!

Na foto acima esse editor e o grande craque de bola - PULUCA