2/28/2006

DO ALTO


Floriano vista do alto, mostrando sua formosura, sua catedral e seus belos prédios.
De baixo, precisamos de uma maior atenção e preocupação com a limpeza, a higiene e a recuperação de áreas em processo de extinção.
Recuperar nossos belos contornos seria muito bem vindo.
Todos nós podemos unir forças, mostrando idéias, caminhos alternativos que possam dar uma dinâmica nova e motivação à Princesa.
Vamos à luta

CAIS DO PORTO


Uma certa manhã, ainda no início de sua costumeira rotina diária, o Cais do Porto nos abrilhanta com a sua rampa de concreto armado.
Os belos arvoredos, o céu azul e alguns contornos casários monumentando essa bela paisagem.
Só falta mesmo uma boa preocupação por parte dos poderes públicos oferecerem uma reforma, uma recuperação, procurando preservar os contornos tradicionais, para que a Princesa possa viver dia melhores.
Vamos oferecer atividades, serviços, oficinas, ocupações. O povo de Floriano precisa de trabalho e motivação.
Os poderes têm que manifestar-se e sair da omissão.
Chega de migalhas!

MATRIZ


Vista interna da nossa querida Matriz São Pedro de Alcântara, quando as nossas beatas já começam a sua rotina diária, buscando manter e preservar as nossas tradições religiosas.
Precisamos frequentar mais a nossa igreja, participar com mais intensidade da programação da paróquia. Precisamos de mais adesões para construir uma comunidade mais firme de espírito e fé.
Construir atividades boas como no passado: a Semana da Amizade, por exemplo, onde se abordavam temas ligados à comunidade e à igreja.
A juventude precisa se aliar aos mais experientes e resgatar essa rotina religiosa.
Seria muito bom.

PARNAIBA


Outro momento de calmaria: o rio Parnaiba cheio, numa bela manhã cedinho, quando todos ainda estão em suas casas se preparando para mais um dia de rotina.
O parnaiba, caudaloso e sempre a nos embalar para o futuro, para mais um dia de trabalho.
Lembro-me das pescarias dos tempos românticos, principalmente naquele posto do professor Ribamar Leal. Era quase todo dia no mês de julho. A nossa turma em nossas manhãs ensolaradas em bronse total.
Outras manhãs virão; mas quem mais pescará?

FLUTUANTE


Antes de retornar a Teresina, consegui, ainda, virar-me e tirar essa foto do famoso Flutuante num domingo à tarde só para matar a saudade que iria levar.
Lugar aconchegante como este, com o velho Parnaiba a nos levar a uma certa tranquilidade, só na Princesa do Sul.
É nesse ambiente saudoso que podemos bater longos papos, reencontrar amigos e resgatar os bons tempos de outrora.
Principalmente nos carnavais.

2/24/2006

ZÉ PEREIRA DE FLORIANO


A promoção do Zé Pereira de Floriano, com a Banda Malandra, coordenada pelo nosso amigo Ozires da Marron Glacê, correspondeu a expectativa, tendo em vista que a tradição do carnaval da Princesa do Sul sempre teve grande peso. Cerca de quase cinco mil foliões estiveram prestigiando esse tradicional evento.
Como se vê na foto (Florianonigth), o carnaval de Floriano este ano promete. É o que todos nós aguardamos, dentro de um clima de paz e alegria.
Esperamos, também, que a velha guarda prestigie mais essa festa de momo da Princesa, onde possa reviver os bons tempos dos carnavais de outrora.

CASARAO DOS LOBO


Vejam só a que ponto chegamos: o velho casarão dos Lobo completamente desfigurado de seus tempos românticos. Hoje, também, funciona lá uma danceteria.
Precisamos, não intervir, mas fazer uma campanha para salvar o patrimônio arquitetônico da princesa do Sul, no sentido de se procurar conservar seus tradicionais contornos.
Ainda há tempo de se fazer alguma coisa.

2/23/2006

FESTA DE DEBUTANTES


Cena de um dos mais belos acontecimentos sociais de Floriano no período romântico. Era a Festa das debutantes florianenses. Na foto ao lado, a versão do ano de 1971, organizada pela nossa admirável professora Ivanilde Castro.
Observamos o bonito cenário com a presença da debutante Lenka Elisabete Batista de Melo, filha de Antonio de Melo Sobrinho e da professora Maria de Lourdes Batista de Melo, desfilando na passarela do famoso Floriano Clube em noite de gala.
Momento de grande nostalgia como este está sendo resgatado, novamente, pela dona Ivanilde, mostrando para a comunidade social local um novo acontecimento para os padrões que Floriano merece.
Parabéns!

2/22/2006

PELADAS DA NORMAL


Havia, na quadra da Escola Normal, nos anos setenta, aos sábados, as famosas peladas de fim de tarde, onde a curriola se equipava para suar a camisa.
Era um auê terrível. Melas e cambitas para todos os lados, mas a diversão era garantida. Observamos, então, na foto, alguns piolhos: Duy Allan, Gilson, Joaquim de Pierre, Eulálio e Roberto em pé.
Abaixo, Marinho, Darlan (in memorian), Brandão (hoje, morando em Belo Horizonte), Luiz Banana, Adalto e Erivaldo (funcionário dos correios em Canto do Buriti).
Época romântica, onde as coisas pareciam tudo azul no tocante aos nossos ideais.

2/21/2006

TIMES ANTIGOS


FERROVIÁRIO
Ferroviário Esporte Clube, numa de suas melhores formações, nos anos sesssenta. Esse time era imbatível.
Desse grupo (foto), são conhecidos os atletas Piqui, Valdemir, Valdivino, o melhor goleiro do futebol piauiense Pompeia, Zezeca, Pepedro, o famoso Cabeção, Rômulo, Tassu e Bitonho.
Nesse período era comum o Estádio do Ferroviário estar lotado no domingo. Era casa cheia. Motivo de grande galhardia. Romantismo muito forte. Era a nossa querida Floriano em tempo de transição.
Hoje, precisamos de novos líderes, que os anos não trazem mais.

2/20/2006

MARICILDES COSTA

EIS aí, portanto, do fundo do baú, a famosa miss Piauí do ano de 1964, a nossa querida Maricildes Ferreira Costa, vencendo Lindinalva Aleixo, representante do Clube dos Diários de Teresina.
Hoje, Maricildes Costa reside no Triângulo Mineiro e, segunda ela, se sente saudosa daqueles bons tempos.
Quem se destacou, também, nessa grandiosa festa, foi a nossa querida professora de Geografia, dona Ivanilde Castro, que acompanhava a nossa representante. A sua beleza, também, era inconfundível.
À época, Maricildes desfilou em carro aberto pelas principais ruas da Princesa do Sul.
Floriano precisa resgatar, além da festa de debutantes, essa grandiosa festa que é o concurso de miss florianense.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Fonte/foto: Diário do Povo

CATEDRAL SAO PEDRO DE ALCANTARA


TUAS ARESTAS NÃO SE CURVARAM AO TEMPO;
ONDE ESTÃO AS TUAS ANDORINHAS?
TEUS MENINOS ERRANTES?
TEUS SINOS RESSOAM:
SOPROS DE SONHOS
...
Intacta, observamos a formosura, a arquitetura e o esplendor de nossa bela Catedral de muitas histórias, alegrias e felicidades. Preserva,ainda, os seus belos contornos, graças a Deus.
O que se precisa fazer é que se olhe pelas suas laterais, ter mais cuidado com a limpeza, a arborização de nossas ruas e avenidas mais conceituadas e visitadas. Parece, até, que está tudo fora do lugar.
Vamos fazer, cobrar um ajuste das autoridades, no sentido de resgatar e preservar nossos grandes caminhos. Essa é a realidade.
Aleluia!

2/19/2006

NOVO CAIS


CONCODAMOS com a atitude e a inspiração dos executores na criação do projeto arquitetônico que deu origem aos novos contornos da reforma da beira rio, como se vê na foto (Florianonet.com).
O detalhe é que sentimos falta e saudades da beira rio de como era antes. Achamos que deveria ter uma divulgação antes, uma discussão específica junto aos seguimentos locais de uma maneira geral para implementar essa idéia nova de arquitetura.
Gostamos do moderno, mas deveríamos pensar mais, também, na conservação de trechos que sempre são tradicionais da Princesa.

2/18/2006

CABARÉ


FOTO extraída de nossa inspiração, ainda nos anos setenta da famosa rua Coelho Rodrigues, que dá acesso 'a tradicional Ibiapaba.
Segundo conta o folclore, era nesse perímetro urbano, principalmente, nos anos sessenta, que o pessoal da Barragem de Boa Esperança, na época de sua construção, gostava de farrear com as meninas da zona do meretrício.
Atualmente, sem mais aquele brilho romântico, esses casarões estão sendo comprados e transformados em comércios e depósitos de empresas locais.
Era por aí, efetivamente, que a meninada iniciava sua conduta sexual, sem perceber os riscos que corriam.

2/17/2006

CARNAVAL EM URUÇUI


Cena típica de um carnaval do ano de 1971 na cidade de Uruçui com a famosa Banda Reflexo do nosso amigo Milton Lima Reis.
As figuras aí no palco tratam-se da esquerda para a direita do nosso amigo Nazareno (solteiro, que trabalhou no Clube da AABB), Antonio José, Genaci (o Gena), Zé Francisco (o famoso Adriano, que à época lançou um compacto-disco) e Luiz Macarrão.
Essa banda, segundo o Genaci, tocou muitos bailes de carnaval em Floriano e em cidades vizinhas. Detalhe: essa foto foi extraída de um antigo monóculo.
Saudade não tem idade.

2/16/2006

CARNAVAL


CENA típica e do carnaval florianense dos anos setenta no período romântico. uma raridade hilária e inconfundível.
Da esquerda para a direita o nosso saudoso amigo Protásio, o lateral esquerdo Ubaldo do Clube de Regatas Brasil e Zé Valentinho da rua do Cruzeiro, meio grogues, numa noite carnavalesca do Comércio Esporte Clube.
No entanto, já não mais se avista a rapaziada brincar como antigamente, dentro de um clima condiderado solidário, amigável e sem violência. Os carvavais de hoje, incrivelmente, o que predomina são as suingueiras, os forrós eletrônicos, os axés e os abadás.
A folia, agora, é outra, mas aproveitamos, ainda, raríssimos momentos de glória para congratularmos, revermos a velha guarda e resgatarmos os bons tempos dos carnavais de outrora, que os anos não trazem mais.

2/15/2006

POR DA TARDE


ESTAMOS observando o tradicional fim de tarde do velho cais da Princesa, numa excelente inspiração da página do Guerra (www.noticiasdefloriano.com.br), fazendo com que nos transporte para um clima de paz e harmonia.

Precisamos, desta feita, acionar as autoridades competentes, para que se façam uma recuperação da beira do rio nesse perímetro urbano, um projeto "reviver". Profissionais de várias áreas poderiam bem formar uma parceria e desenvolver um trabalho para dar um visual novo àquela praça, mas considerando, fundamentalmente, suas características originais de época.

Só assim alavancaremos sucesso para o o futuro de nossos corredores turísticos.

2/13/2006

CASARAO EM RUINAS


ESTE seria um dos últimos espaços do casarão da família Emídio Gabriel intacto, mas em processo de destruição.
Fica localizado, ali, na rua Padre Uchoa na altura do cruzamento com a rua Hermando Brandão. Este espaço já foi quitanda, oficina de conserto carros, motos e bicicletas mas que precisa de cuidados e ser restaurado enquanto há tempo.
Poderíamos fazer uma campanha no sentido de que se contabilize os prédios antigos em processo de ruínas, para que no futuro se possa envolver a comunidade na cobrança junto à Prefeitura local de melhorar e resgatar o nosso patrimônio arquitetônico, que por sinal, ainda preserva seus belos contornos.

2/10/2006

MANGA


TENHO lembranças de nossas pescarias do famoso posto do Pateta, mas a foto ao lado (Florianonet), mostra o encanto da Praia da Manga, balneário ecológico de Floriano.
Na verdade, as nossas autoridades precisam melhorar mais e explorar o seu potencial turísco, sem prejudicar a natureza do lugar.
Se houver sensibilidade, divulgação e uma efetiva preocupação permanente de promover as atividades inerentes a essa possibilidade natural que possuímos, teremos, então, mais uma opção de lazer.
Mas é preciso atuar, fiscalizar e promover o bem estar, a qualidade de vida.
É isso aí.

2/08/2006

VIAZUL - O RETORNO


HÁ uma grande expectativa do retorno do famoso conjunto Viazul de Floriano, agora, em fevereiro em um show imperdível na minha opinião. Seria, tipo, um reencontro saudosista, mas oportuno do ponto de vista do movimento pop local.
Alguns pontos estão sendo discutidos e amadurecidos pela cúpula do grupo, para que as férias e o carnaval da cidade se tornem mais atraentes.
Além da experiência de Zé Demes, Nilson Coelho, Adelmar Neiva, Célia Reis e do fotógrafo Marcelo Guimarães, seria de fundamental importância a divulgação interativa pelos meios de comunicação local, para tornar o evento mais significativo.
Vamos aguardar o retorno dos nossos velhos e famosos roqueiros dos anos românticos da Princesa do Sul.
-----------------------------------------------------------------------------------------------
A foto acima é de um show do início dos anos oitenta

2/07/2006

POR DA SAUDADE


ESTE belo por do sol do Parnaiba de Floriano, tirada da inspiração do nosso amigo Wellington Batista, faz lembrarmos das pescarias, dos banhos de rio e da ausência do famoso pescador Zé Rubal, que tinha uma sintonia com as águas do rio em suas andanças diárias.
As águas calmas e a pacata ribeirinha nos revelando suas glórias e lembranças dos anos que passaram, mas que podemos, ainda, restaurar sua beleza apreciando-o nas belas tardes do cais.
Segura-te, poeta, que o tempo passa e precisamos resistir às mudanças e ao progresso.

CARNAVAL I


A foto ao lado, trata-se dos belos carnavais de outrora, nos anos sessenta, quando a gurizada frequentava as matinês do Floriano Clube e brincava nas praças e ruas. Tinha o hábito, também, de aparecer tirando fotografias com o saudoso Leuter Epaminondas.
A fotografia ora em pauta mostra, da esquerda para a direita, afobados, o famoso Pimentinha, o bad boy Barbosinha e o genioso Fefê (do Bruno), em poses de galãs ao lado da velha Sertã.
Conta o folclore que esses rapazes pintavam o sete na descontração da festa de momo. Lembranças como esta nos tranporta para a saudade da velha Floriano, hoje bastante desfigurada de seus ideais.
Mas ainda há um tempo para voltarmos atrás.

2/03/2006

RESUMO HISTÓRICO DE FLORIANO



A região onde se localiza o Município de Floriano situa-se na área das sesmarias que, em 1676, a Coroa Lusa dava a Domingos Affonso Mafrense, Julião Affonso Serra, Francisco Dias D'Avila, Bernardo Gago, arcedíago Domingos de Oliveira Lima, Manoel Oliveira Porto, Catarina Fogaça, Pedro Vieira Lima e Manoel Ferreira, potentados baianos, que jamais se abalaram, a seguirem para o Piauí e viverem em suas terras.

Essas concessões se estendiam por dez léguas de terras em quadro, para cada um deles, nas margens do Rio Gurguéia. Algum tempo depois, os contemplados, anteriormente, junto com Francisco de Souza Fagundes, obtêm mais dez léguas de terras, em quadro, para o Parnaíba.

A criação de gado começava a se expandir com rebanhos vindos de Cabo Verde.A criação de gado "vacum" ia se transformando, além da atividade agrícola, em fonte principal de riquezas e, com o passar do tempo, os currais se multiplicavam.

O Município de Floriano situa-se na área em que Domingos Affonso Mafrense fundou as primeiras fazendas de gado no Piauí. Elas formariam o centro da expansão da pecuária piauiense.

Com a morte de Mafrense em 1671, trinta de suas fazendas foram doadas aos Padres da Companhia de Jesus - os jesuítas. Com a administração das fazendas pelos padres da Companhia, observou-se grande progresso e desenvolvimento dessas fazendas; porém, em 1760, com a expulsão dos Padres Jesuitas do Brasil pelo Marquês de Pombal, as referidas fazendas passaram para o poder do Estado do Piauí ou, na época, Província do Piauí.

O Governador daquela época, João Pereira Caldas, após a expulsão dos Jesuitas, promove o seqüestro ou tomada das fazendas e faz o arrolamento dos bens das mesmas. Após isso, divide-as em três inspeções com nomes de Canindé, Nazaré e Piauí.

Passados alguns anos, já em 1873, desmembram-se, da inspeção de Nazaré, as fazendas: Guaribas, Serrinha, Matos, Algodões, Olho D'água e Fazenda Nova, para formarem a Colônia Rural de São Pedro de Alcântara, criada pelo Decreto Imperial n0 5..292, de 10 de setembro de 1873, a cuja frente do projeto da Colônia Rural se encontrava o ilustre e primeiro agrônomo do Piauí, formado na França, Francisco Parentes, que havia sido comissionado pelo Ministério da Agricultura do Brasil para estudar, minuciosamente, as condições de criação de gado bovino no Piauí, especialmente nas fazendas da Inspetoria de Nazaré.

A sede da colônia foi situada à margem direita do Rio Parnaíba, a 60 léguas acima da cidade de Teresina, na época, capital da Província do Piauí, e a 150 léguas do litoral, no lugar chamado "Chapada da Onça" As fazendas acima mencionada formariam o patrimônio da Colônia, e as mesmas foram consideradas pelo Ministério da Agricultura e da Fazenda, para o fim de formar a Colônia Rural, por aviso de 10 de junho de 1873. As fazendas, que pertenciam à Inspetoria de Nazaré, contavam de 21 léguas de comprimento por 20 de largura, em excelentes terras, com pastagens de boa qualidade e foram doadas com três casas, currais e gado bovino existentes, em número de 10.000 cabeças.

Após essas providências, Francisco Parentes, se encontrava no Rio de Janeiro, ultimando os entendimentos para o início dos trabalhos a partir de Teresina. A bordo do vapor "Piauhy", seguido de grande comitiva, o governador do Piauí, na época chamado de Presidente da Província do Piauí, Adolpho Lamenha Lins, segue para o local da fundação, onde, no dia 10 do mesmo mês e ano, lança a pedra fundamental do edifício principal (atual Terminal Turístico de Floriano) A pedra continha a seguinte inscrição: "São Pedro D'Alcantara -Estabelecimento Rural, fundado por Decreto n° 5.392, pelo Agrônomo Piauiense Francisco Parentes, na presidência do Exm. Senhor doutor Adolpho Lamenha Lins, 1874." Quando as obras do grande edifício sede já estavam quase concluídas, Francisco Parentes contrai febre maligna. Levado às pressas em uma canoa, para Amarante, a procura de socorro médico, ali morre com 37 (trinta e sete) anos de idade, no dia 16 de junho de 1876. Com a morte de Parentes, contudo, a obra teve continuidade.

Na época de Parentes e após a sua morte, por algum tempo não era permitido construções de casas particulares na área do Estabelecimento, o que, de certa forma, impedia um desenvolvimento mais rápido da sede da Colônia. Foi na administração de Ricardo Ferreira de Carvalho diretor do Estabelecimento Rural São Pedro de Alcântara, que foi permitido, livremente, a edificação de casas na colônia, o que era facilitado pela direção do Estabelecimento.
No edifício sede funcionava uma escola para os filhos dos escravos (ambos os sexos), órfãos e libertos pela lei de 28 de setembro de 1871. A escola não ensinava somente as letras, mas o ofício de mecânico, técnicas agrícolas, arte de cortume, alfaiataria, fabricação de produtos de laticínios, além de estudo religioso, música, física e química. No lugar denominado Brejo havia um campo experimental agrícola mantido pelo Estabelecimento. Em 1884 recebeu tentativa de reforma por parte do Governo Imperial.

Em 1887, e com o aumento considerável da população, elevou-se, o povoado sede do Estabelecimento, á categoria de vila, com o nome de Vila da Colônia, por força da resolução nº 2, de 19 de junho 1890, transferindo para ela, a oficialidade da Vi-la da Manga. Por força da resolução mencionada, a nova Vila ficou pertencente à jurisdição civil e criminal da comarca de Jerumenha, sendo seu termo um distrito de paz. Poucos dias depois, a resolução n0 3, de 26 de junho de 1890, desmembrou o termo da Colônia da Comarca de Jerumenha, para a formação de uma nova comarca com denominação de Colônia, assim ficando até 1892, quando, pela lei 18, de 12 de dezembro do mesmo ano, foi cassada sua autonomia judiciária, passando a seu termo a integrar a co-marca de Amarante. A lei n0 67, de 25 de setembro 1895, extinguiu a vila e o Município. Em 18 de junho de 1895 era restabelecida a autonomia da vila e do Município com os seus primitivos limites, voltando o termo judiciário, ainda, a pertencer á comarca de Amarante. A lei 144, de 08 de julho de 1897, elevou a Vila da Colônia a categoria de cidade, com a denominação de Cidade Floriano, homenagem ao "Marechal de Ferro" Floriano Peixoto. A lei foi assinada pelo governador da Província do Piauí, Raimundo Artur de Vasconcelos.A lei n° 154, de 16 de junho de 1897, criava a Comarca de Floriano, de 1ª Entrância.

Floriano situa-se na Zona Fisiográfica do Médio Parnaíba, à margem direita desse mesmo Rio, em frente à cidade de Barão de Grajaú Maranhão. A cidade fica a 256 Km da capital do Estado do Piauí, Teresina. Suas coordenadas geográficas são: 60°46'24" de latitude sul, e 43°00'43" de longitude oeste em relação a Greenwich. Sua altitude: 140 metros. Clima: quente seco, no verão, e úmido na época das chuvas.

Acidentes geográficos do Município: Rio Parnaíba, que banha a cidade e o município em toda sua extensão. Seguem-se-lhe os rios Gurguéia e Itaueira. Hoje, Floriano é Influente pólo de desenvolvimento, considerado município emergente, e sua sede, a Cidade de Floriano, é ponto convergência de vasta área do sul do Piauí e Maranhão, sendo chamada de "Princesa do Sul do Piauí". Nas próximas décadas o município estará entre os maiores do Nordeste, e a cidade de floriano destacar-se-á, tendo em vista sua grande vocação comercial, recebida essa influência dos imigrantes árabes que aqui chegaram em 1889 e criaram grande comercio, além de centro educacional e pólo de turismo, saúde, e prestação de serviços.
A foto acima é do atual Terminal Turístico, antigo e primeiro prédio de floriano, o Estabelecimento Rural São Pedro de Alcântara.
---------------------------------------------------------------------------------------------
Fonte - Prefeitura Municipal de Floriano

SHOW NO ESTILO BOSSA NOVA



EM julho do ano de 1980, quando estávamos de férias na Princesa, conseguimos gravar o famoso show do Grupo VIAZUL no tradicional Salão Paroquial.

O conjunto estava buscando renovação e, contando com o efetivo apoio da comunidade local, promoveu um belíssimo show, lotando toda a capacidade daquela casa paroquial.

Liderado pelo vocalista José Demes, o Ieié, também participavam da turnê o guitarrista Nilson Coelho, o violonista Adelmar Neiva, a cantora Célia Reis, o fotógrafo Marcelo Guimarães e contou, também, com a tremenda participação do grande conjunto Os Iguais, numa bela colaboração do saxofonista Cancão (in memorian).

A nossa participação foi no sentido de documentar esse evento, através de uma gravação embutida. Hoje, felizmente, temos em arquivo esse simbólico documento gravado em CD-r, onde faremos doações para alguns seguimentos históricos da cidade.

ESCOLINHA HUMBERTO DE CAMPOS


Foto de formatura de uma das turmas da consagradora Escolinha Humberto de Campos, mantida com subsídios da Prefeitura Municipal local nos anos sessenta. Funcionava, ali, numa sala do Colégio Joana Leal, que prestava o apoio necessário à comunidade.
A foto ao lado foi tirada no cruzamento das ruas do Fogo com Francisco Castro. Vê-se, ao fundo, a casa do antigo político e vereador Carlos Bucar.
São conhecidos na foto as figuras da professora Teresinha, da zeladora Antonia de Sousa Melo (a nossa famosa dindinha), de Antonio dos Reis (hoje, morando no Rio), dos alunos Leal, Ubaldo, Lenka, Dácio e Waltinho (filhos de mestre Walter, que tinha uma oficina de bicicleta ao fundo da Igreja), os irmaos Jotinha e Aleancardeck e outros mucurebas.
Época romântica de renovação, educação, solidariedade, respeito e vocação para a cidadania na velha Floriano.

2/02/2006

MARIA BONITA EM PRETO E BRANCO


EIS, pois, o prédio da bela Maria Bonita em preto e branco no período da sua inauguração no ano de 1922. Época romântica.
Podemos apreciar os seus belos contornos, observando os transeuntes participando das atividades do dia a dia da velha Floriano.
São momentos, assim, hilários, que nos leva a uma reflexão pedagógica e intuitiva de como podemos, hoje, refletir sobre a vida e o nosso futuro.
Graças a ti, Princesa, podemos sobreviver, contemplando-te em nossos dias e resgatando a tua história e as tuas grandes virtudes.